CCDI lançará empreendimento bilionário em São Paulo

Valor de venda dos imóveis deve superar R$ 1 bi; projeto em fase de aprovação será construído no terreno da sede da Camargo Corrêa

A Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI) lançará neste ano um empreendimento corporativo de alto padrão no terreno onde fica sua sede, na avenida Juscelino Kubistchek, região comercial nobre de São Paulo.
A empresa não confirmou, mas o iG apurou que o valor geral de vendas (VGV) ficará entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão.
Ainda sem nome e em fase de aprovação, o projeto contempla duas torres de 33 andares, construídas em um terreno de 38 mil metros quadrados.
O empreendimento receberá as tecnologias mais recentes de sustentabilidade e será certificado com o selo Leed (lideranca em energia e design sustentável, na sigla em inglês).
A CCDI estreou na Bovespa em 2007 como uma incorporadora focada em imóveis de alto padrão.
A partir do ano passado, a empresa aumentou o peso dos lançamentos no segmento econômico na sua carteireira, por meio da HM Engenharia, seu braço de imóveis populares.
Hoje, eles representam cerca de 20% dos negócios, mas a meta da empresa é que eles alcancem 45% até o fim do ano, afirmou a companhia em abril, durante a divulgação de seus resultados financeiros.
Mesmo com o enfoque mais popular, a CCDI não pretende abandonar o segmento de altíssimo padrão, mais rentável.
A meta da companhia é lançar pelo menos um empreendimento na categoria “Triple A” por ano, o caso do projeto da avenida Juscelino Kubistchek.
Os lançamentos classificados como “Triple A” ganharam a preferência das grandes empresas brasileiras e das multinacionais no segmento de imóveis corporativos pelo alto nível de conforto, segurança e tecnologia dos projetos.

Fonte: Marina Gazzoni, iG São Paulo – 15/05/10


Sócrates apoia Lula da Silva à frente da ONU

José Sócrates afirmou hoje que apoiaria uma eventual candidatura do Presidente do Brasil, Lula da Silva, ao cargo de secretário-geral da ONU.
“Estaria na primeira fila desse apoio.
Temos apoiado, em primeiro lugar, o Brasil no Conselho de Segurança da ONU, como membro permanente”, afirmou o primeiro-ministro português, em entrevista ao jornal ‘Folha de São Paulo’.
“O Presidente Lula é uma grande figura da política mundial. Não sou apenas seu admirador e seu amigo, como tenho certeza de que ele é jovem demais para se retirar da política.
Tenho certeza de que ele desempenharia muito bem qualquer cargo internacional”, salientou.
“Lula tem um capital político tão importante no mundo que seria um grande desperdício não o aproveitar.
Não deixarei de insistir com ele para que não se retire da política activa ao nível mundial”, afirmou.
José Sócrates, que se encontrará na quarta-feira com Lula da Silva, em Lisboa, defendeu uma reforma da ONU para que “suas instituições representem o mundo que existe e não o de 50, 60 anos atrás”.
“O Presidente Lula mostrou ao mundo que a esquerda no Brasil pode governar e pode governar com responsabilidade.
O trabalho que ele fez foi absolutamente notável, quer do ponto de vista da afirmação do Brasil como uma grande potência política e económica”, disse.
O primeiro-ministro português salientou que a “afirmação do Brasil no mundo nos últimos anos é de enorme importância para Portugal”.
“Se há uma questão estratégica que mudou para Portugal nos últimos anos é a ascensão do Brasil.
E cada vez que o Brasil sobe de posição no concerto das nações, no quadro internacional, Portugal vai atrás”, disse.
José Sócrates revelou que estará no Brasil, no fim deste mês, para discutir o futuro de Lula da Silva, ao lado do ex-Presidente português Jorge Sampaio e do primeiro-ministro espanhol, José Luís Zapatero.

Fonte: Económico com Lusa – 16/05/10


Moura em Portugal vai testar protótipo do maior radiotelescópio

O concelho alentejano de Moura vai servir para testar protótipos do maior radiotelescópio do Mundo, a instalar no hemisfério sul, e pode tornar-se uma plataforma para o desenvolvimento da radioastronomia, admitiu um investigador ligado ao projecto.
Antes da construção do “gigante” SKA (Square Kilometre Array), numa região da África do Sul ou da Austrália, os protótipos vão ser instalados e testados na Herdade da Contenda, em Moura, a partir do próximo Verão.
“Moura é o melhor local da Europa para se fazer radioastronomia” e os testes do SKA “podem servir de alavanca” para o concelho “apostar” no seu “potencial” e tornar-se uma plataforma para o desenvolvimento da radioastronomia, disse à Lusa Domingos Barbosa, membro europeu do comité do projecto.
Segundo o docente da Universidade de Aveiro, “é natural que Moura, com apoio internacional, continue a ser usada para testar tecnologia, instalar pequenos radiotelescópios e fazer radioastronomia”.
Moura tem “um espectro radioeléctrico limpo, com muito baixo ruído e poucas interferências”, a maior radiação solar da Europa e temperaturas altas durante todo o ano, “condições propícias para testar os protótipos”.

Fonte: Jornal de Notícias -PT – 16/05/10


Planos de Saneamento Municipais

A lei 11.445/2007, conhecida como o Marco Regulatório do Setor de Saneamento,embora não o seja totalmente, foi um importante avanço para o setor e coroou anos e anos de batalhas de associações e grupos técnicos que desde 1987 trabalhavam pela criação de uma lei nacional e pelo marco regulatório.
Na verdade a 11.445/2007, mesmo sem ser efetivamente este instrumento de regulação e controle, trouxe novos ânimos para a prestação dos serviços de saneamento no Brasil.
Aliam-se a ela outras leis como a das concessões , dos consórcios públicos e das PPP – Parcerias Público Privadas para que se tenha alternativas de gestão diferentes e melhores serviços para a população.
Uma das coisas mais significativas da lei 11.445/2007 é a exigência de que sejam elaborados Planos Municipais de Saneamento e que até dezembro de 2010, com os planos aprovados, sejam firmados os contratos de programa entre os municípios, como poderes concedentes, e os prestadores de serviços tanto os privados como as companhias estaduais.
O problema é que daqui a pouco dezembro chega e há poucos municípios com seus planos elaborados e menos ainda com contratos de programa firmados.
Se a exigência legal for mantida, a partir de 2011, apenas quem tiver contratos de programa ou contratos de concessão vigentes, poderá receber recursos financeiros do Governo Federal para obras na área de saneamento.
A situação é preocupante exatamente porque no Norte e no Nordeste é onde menos tem se cumprido a determinação legal e mais ainda preocupa, porque é nessas regiões que estão as maiores necessidades e as menores condições financeiras para que se façam investimentos sem usar dinheiro dos programas do Governo Federal.
O festivo e eleitoral PAC II poderá não sair do canto para muitas cidades do Norte e do Nordeste. Há uma certa acomodação sobre a aplicação da lei, talvez porque se imagine que tudo se resolverá entre acordos políticos e verbas de emendas parlamentares não onerosas.
Ou, o que será muito mais grave e pior em alguns municípios, que será a criação das tais autarquias municipais ou SEMAE – Serviços Municipais de Água e Esgoto. Isso será difícil.
Mais ainda deve ser dito quando se sabe que as obras contratadas com recursos de emendas parlamentares não onerosos, levam a contratos cuja conclusão é indefinida.

Fonte: Saneamento e Vida – 15/05/10


Um dia dedicado para ir ao museu em Pernambuco

Marina Andrade

O Instituto Ricardo Brennand (IRB) expõe obras de Frans Post
Foto: Divulgação

Como parte da comemoração ao Dia Internacional do Museu, celebrado na próxima terça-feira em todo o mundo, 34 museus do Estado vão estar abertos com entrada gratuita neste domingo (16), de 13h às 17h.
A proposta é da campanha Use seus museus, promovida pelo Fórum dos Museus de Pernambuco.
De acordo com o presidente do Fórum, Adolfo Nobre, o propósito é aproximar os museus da sociedade, estimulando nas pessoas o hábito de frequentá-los e, por sua vez, preparar as instituições para receber os visitantes.
“É preciso que a população se aproprie dos museus, que são espaços públicos, de lazer, entretenimento e acesso ao conhecimento”, afirma.
A campanha dá apenas o pontapé inicial na programação pernambucana da Semana Nacional de Museus, evento que traz o tema Museus e harmonia social, escolhido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom).
De amanhã até a próxima sexta-feira, uma extensa programação vai ocupar não só as instituições do Recife, mas também de Olinda, Caruaru, Bezerros, Serra Talhada e Vicência.
Quem for hoje ao Instituto Ricardo Brennand (IRB), que está inserido na campanha Use seus museus, poderá conferir as exposições permanentes de Frans Post, Pintores viajantes e Julgamento de Nicolau Fouquet, na Pinacoteca.
Já no Castelo São João, o visitante tem acesso a mais de três mil peças que dão conta de seis séculos de história.
A Fundarpe, além de lançar a cartilha Museus: Patrimônio de todos, integra o circuito promovendo ações em quatro equipamentos culturais.
No Museu Regional de Olinda vai haver a performance gratuita do bonequeiro Pedro Dias, contando a história do museu a partir da encenação de dois personagens.
Além disso, estará montada exposição que recompõe a vida social e política da Olinda de 1700.
Quem for ao Museu do Estado de Pernambuco (Mepe), no próximo final de semana, será recebido com mediações teatralizadas.
No Museu do Barro de Caruaru (Mubac), será oferecida oficina gratuita sobre arte com materiais recicláveis para os alunos de escolas públicas do município.
Já a oficina Museus pra quê?, que será realizada no Museu Murillo La Greca, vai propor aos educadores uma melhor utilização desses equipamentos em experiências educativas.
O Memorial da Justiça com a exposição Uma questão de justiça levanta questões sobre liberdade e cidadania a partir do contato com documentos históricos dos séculos XIX e XX, que tratam de escravidão, capoeira e cangaço.

Fonte: JC Oline -16/05/10


Anatel vê falta de agilidade para Plano Banda Larga

O presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Ronaldo Sardenberg, reconheceu que será necessário agilizar os processos para a definição de alguns regulamentos listados como metas no Plano Nacional de Banda Larga, que pretende universalizar a internet rápida no Brasil.
“Teremos que acelerar uma série de temas, pelos quais o governo manifestou interesse”, afirmou Sardenberg, depois de participar da abertura de seminário em Brasília.
Segundo o executivo, a Anatel vai fazer uma reunião, ainda sem data definida, com seus funcionários para avaliar as repercussões no trabalho da agência do decreto presidencial que institui o plano.
Serão ouvidos também representantes das empresas e dos usuários.
A maioria das metas listadas pelo governo já vêm sendo discutidas na agência, mas sem serem concluídas, como as licitações das frequências de 450 megahertz, para a banda larga rural, e a de 3,5 gigahertz para a banda larga sem fio, com a tecnologia WiMAX, que é a conexão sem fio e com alta capacidade de transferência de dados.
O presidente da Anatel não informou as datas em que serão feitos os leilões de concessão da rede prevista pelo plano.
Mas destacou a nova situação em que se encontram as tramitações do caso.
“Agora chegamos a uma situação diferente, há um decreto”, afirmou.
O pregão da frequência de banda larga sem fio com frequencia de 3,5 gigahertz é aguardado desde 2006.

Fonte: Agência Estado – 16/05/10


ESTRADA – DER com R$ 100 mi para obras em Pernambuco

PAULO MARINHO

O Departamento de Estradas e Rodagens de Pernambuco (DER-PE) teve acesso a crédito suplementar no valor de R$ 100.365.600 para investir em projetos novos e obras em andamento, a exemplo da PE-08, conhecida como Estrada da Batalha, em Jaboatão dos Guararapes, que levará R$ 57 milhões desse “bolo”.
Já em relação às novidades, de acordo com o presidente do DER, Eugênio Morais, são 10a 15 projetos que somam R$ 5 milhões.
Sessenta a setenta projetistas, além de engenheiros e topógrafos, já estão trabalhando nos estudos de restauração e de acesso a distritos.
Na prática, a construção das obras deve empregar 80 a 100 pessoas em cada intervenção.
“Por exemplo, a restauração da PE-58 (que tem início no entroncamento da PE-71, em Pombos, com a BR-232) custará R$ 200 mil”, afirmou Morais.
Outro plano que está sendo executado é o de pavimentação do acesso de Vertentes do Lério até a divisa da Paraíba, estando orçado em R$ 650 mil.
Outros dois projetos são o da estrada de Pesqueira até o distrito de Butuca e o acesso às vicinais do leite, que é a área da Perdigão, em Bom Conselho.
“No geral, as obras variam em torno de R$ 500 a R$ 600 mil e estão devidamente licitadas, havendo a contratação de 10 a 12 consultorias para elaborar os projetos”, explicitou o presidente.
O aeroporto de Fernando de Noronha é outro empreendimento que está na lista daqueles “em andamento”. Nesse caso, consta a reforma da área de embarque e atendimento de passageiros, custando R$ 500 mil. Espera-se que o serviço termine em junho.

TAMANDARÉ

Também foi publicado o aviso de licitação para a pavimentação da duplicação do acesso a Tamandaré, que terá extensão de 1.500 m², ficando na rodovia PE-076.
O valor da obra é R$ 90.786,85 e o prazo de execução são de 30 dias corridos a partir da ordem de serviço.

Fonte: Folha PE – 16/05/10


Fundarpe incentiva fotógrafos de São José do Belmonte em Pernambuco

Fotógrafos da região são convocados para fazer registros do Festival Pernambuco Nação Cultural
A cidade de São José do Belmonte, no Sertão pernambucano, recebe, entre os dias 24 e 30 deste mês, o Festival Pernambuco Nação Cultural. A Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) lançou uma convocatória para que fotógrafos da região registrem imagens do evento.Quem quiser participar deve enviar as propostas entre os dias 28 e 30 de maio, das 9h às 17h, na sede da Associação da Pedra do Reino, no próprio município. Poderão se inscrever pessoas físicas e jurídicas dos seguintes municípios: Cedro, Mirandiba, Parnamirim, Salgueiro, São José do Belmonte, Serrita, Terra Nova e Verdejante.Além da documentação exigida, é preciso anexar, no mínimo, cinco fotos e, no máximo, 15. Elas devem estar ampliadas no tamanho 20x30cm, sem margem, ou digitalizadas no formato JPG. O regulamento pode ser lido no site da Funderpe.No final do processo de seleção, duas fotos serão escolhidas para fazer parte de uma exposição coletiva sobre todas as etapas do festival, na Torre Malakoff, no bairro do Recife. O resultado será divulgado no dia 14 de junho.Fonte: Da Redação do pe360graus.com – 16/05/10


India to set up its first BPO behind bars

A Bangalore based IT firm Radiant Info Solutions, which is one of the key sponsors of 20-20 cricket tournament is set for a public private partnership with the prison authorities to start the first ever BPO behind bars.
The idea developed from a conversation between G N Gopinath Reddy, the director general of prisons and C Narayanacharyulu, director of the Radiant Solutions.
The officials believes that providing jobs to the inmates in the IT sector can help find jobs easily after their release.
Research shows that there are about 40% of the prisoners in the Cherlapally Central jail of Hyderabad who are educated and can contribute to the working of this project.
With two to three months of training, the prisoners are likely to earn about 120Rs per day replacing the average per day wage of 15Rs for a traditional worker in a prison.
Radiant Officials states that the prisoners would be initially allowed to work on the back end processes like data entry for bank related queries.
The BPO behind bars would operate in three shifts and round the clock.
Though the company is planning to take about 200 to 250 inmates, at the beginning they would focus on 70 prisoners capable for this job depending upon their aptitude and interest levels.
The company is expecting to have British as well as US clients in future.
With this news widespread, there is havoc in the minds of customers about their information theft. B
ut banks like Goldmans Sach, Royal bank of Scotland and Marks and Spencers states that it is completely safe as sensitive data is not being shared with the prisoner. Moreover, the convicts of fraud and robbery would not be allowed to work in the project.

Fonte: The First Reporter – 16/05/10


622 euros para ‘adoptar’ um idoso em Lisboa

por CATARINA CRISTÃO

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa vai lançar no final do mês uma campanha de acolhimento familiar para pessoas idosas ou adultos com deficiência que vivam sós.

“Às vezes passo dias sem quase falar com ninguém. Troco apenas meia dúzia de palavras no café ou na mercearia, quando vou comprar o pão.” José Mendonça, de 72 anos, viúvo desde há cinco, vive num apartamento de três quartos, que outrora acolheu quatro filhos, uma nora e um neto. Agora vive sozinho “naquele casarão”, como lhe chama, na zona da Penha de França, em Lisboa.
É a pensar em casos como o de José e de outras pessoas com mais de 65 anos que vivem sós existem 18 mil só no concelho de Lisboa, um dos mais envelhecidos do País que a Santa Casa da Misericórdia vai lançar no fim deste mês uma campanha inédita de acolhimento familiar para pessoas idosas ou adultos com deficiência, à semelhança do que já acontece com crianças. Segundo o Instituto Nacional de Estatística, há 321 mil idosos a morar sozinhos em Portugal. Na maioria, mulheres viúvas.
As famílias que se disponibilizarem a entrar no programa recebem, no mínimo, 622 euros por mês. I
sto porque quem acolher um idoso bem de saúde recebe 447 euros, mais 70% da pensão da pessoa acolhida. Situando-se a pensão mínima em Portugal nos 246, a família receberia ainda mais 175 euros (70% da pensão) a somar aos 447.
Se as famílias aceitarem receber em casa pessoas com elevado grau de dependência, o valor sobe e a Misericórdia paga 700 euros. A este valor acresce 70% da pensão da pessoa acolhida.
“É uma estratégia de resposta para pessoas com perda de autonomia, em isolamento ou com insuficiente apoio familiar”, enumera Anabela Sousa, subdirectora da Acção Social da Santa Casa, que acrescenta que a situação pode ser permanente ou transitória.
O objectivo, esse, é evitar a sua institucionalização. “É preferível incluir um idoso numa família e não numa instituição. No seio familiar terá um acompanhamento mais personalizado, viverá num ambiente mais afectivo e estará mais próximo das rotinas diárias”, diz a responsável da Santa Casa.
José Mendonça gostaria de estar entre os idosos referenciados para o programa. “Estão sempre a dizer-me para ir para um lar. Mas não quero.
Quem lá entra já não sai”, garante.
Viver com desconhecidos também não lhe parece um inconveniente. “Se os meus filhos não podem, pode ser que outros não se importem de aturar um velho como eu”, desabafa.
Os idosos a “adoptar” já estão referenciados, as famílias de acolhimento é que se candidatam. Com isso, evita-se que aqueles que vivem com familiares idosos queiram recorrer ao projecto para receber dinheiro (ver caixa).
Além de se candidatarem, as famílias têm de cumprir requisitos rígidos e aceitar o compromisso de participar em acções de formação contínuas.
“Temos de nos certificar de que quem acolhe os idosos são pessoas idóneas, responsáveis, com estabilidade familiar e capacidade afectiva e económica”, sublinha Anabela Sousa.
Os candidatos deverão apresentar-se numa das delegações da Santa Casa Lisboa Norte, Sul, Oriental e Centro Ocidental e submeter-se a uma entrevista.
“Feita a selecção, cabe às equipas de apoio técnico proceder ao cruzamento dos dados e tentar encontrar uma família tão próxima quanto possível da residência da pessoa referenciada”, explica Anabela Sousa, acrescentando: “É fundamental que este não perca as suas referências, como os locais que frequenta habitualmente, o café ou as lojas de bairro.”
Nesta nova dinâmica familiar, os candidatos terão de saber respeitar a identidade e privacidade do idoso.
E “para este, será uma oportunidade de viver em família e em comunidade”, sustenta Anabela Sousa, que espera receber muitas candidaturas: “Procuramos pessoas com sentido de solidariedade e responsabilidade social, sensíveis à problemática do envelhecimento e da deficiência.”
O apelo será lançado no final do mês em 657 entidades da cidade de Lisboa.

Fonte: Diário de Notícias – PT – 16/05/10


Jovens árabes vão discutir clima no Brasil

O governo brasileiro promove em junho uma conferência internacional infantojuvenil sobre meio ambiente. Vão participar adolescentes de 52 países, entre eles do Catar, Egito, Iêmen e Palestina.

São Paulo – Jovens de 52 países, entre eles de quatro nações árabes, participam de uma conferência sobre meio ambiente no Brasil em junho. Segundo informações do Ministério da Educação e Ministério do Meio Ambiente, autores da iniciativa, o encontro deve reunir 400 adolescentes com idades entre 12 e 15 anos.
A Conferência Internacional Infantojuvenil – Vamos cuidar do planeta, acontece de 5 a 10 de junho na cidade de Luziânia, no estado de Goiás.
Os países árabes que estarão representados serão Catar, Egito, Iêmen e Palestina.
De acordo com os organizadores, além de discutir meio ambiente, os jovens terão a missão de pedir a seus governantes, após o encontro, que adotem políticas em defesa do clima e do planeta.
Esse evento já aconteceu, em âmbito nacional, nos anos de 2003, 2006 e 2009, envolvendo 13 milhões de jovens de 20 mil escolas brasileiras. Agora o governo resolveu torná-lo internacional.
O projeto ocorre no âmbito da Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2005 a 2014.
O objetivo da conferência é fazer com que os adolescentes se apropriem localmente de compromissos globais e assumam responsabilidades na construção de sociedades sustentáveis, além de criar uma rede de cuidados com o planeta.
Os participantes vão aprender a produzir peças de comunicação para divulgar sua mensagem, terão atividades culturais sobre o meio ambiente e oficinas a respeito das mudanças socioambientais globais. Por meio das atividades, eles vão elaborar o documento final do encontro – a Carta das Reponsabilidades – Vamos cuidar do Planeta -, na qual serão assumidas responsabilidades por ações locais e globais.

Fonte: ANBA – 16/05/10


Abrasel capacitará três mil pessoas em Pernambuco

Junto com Ministério do Turismo, Projeto Copa na Mesa será lançado em junho

ROCHELLI DANTAS

Pensando nos benefícios que podem ser trazidos para o Estado com a realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Pernambuco (Abrasel/PE) junto com o Ministério do Turismo irão lançar, em junho, o projeto “Copa na Mesa”.
A ideia é capacitar os donos de bares e restaurantes, assim como funcionários desses estabelecimentos para que eles aprendam qual a melhor forma de tratar o turista.
Em Pernambuco, a previsão é de que, até 2014, cerca de três mil pessoas participem dos cursos oferecidos pelo projeto.
De acordo com o presidente da Abrasel/PE, Nuncio Natrielli, a princípio serão realizadas capacitações com membros da associação para, em seguida, dar início as treinamentos junto aos bares e restaurantes do Estado.
“Depois que esses membros estiverem capacitados, nós iremos abrir as inscrições para o setor”, explicou.
Segundo Natrielli, o conteúdo dos treinamentos ainda estão sendo desenhados mas englobarão desde o primeiro contato com o visitantes até o setor administrativo da empresa. “A Copa do Mundo tem duração de 30 dias, mas o legado perpetua.
O setor tem que estar bem preparado para atender as pessoas que chegam ao Estado”, ressaltou. Entre os assuntos que devem ser incluídos no programa estão noções básicas de inglês e espanhol.
Além dessa capacitação, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Turismo do município, está treinando, desde o ano passado, profissionais de todo o trade turístico.
Até agora, a pasta já qualificou 236 trabalhadores, entre artesãos e recepcionistas.
A meta é que, até o fim do ano, cerca de 1900 trabalhadores sejam qualificados.
Os cursos serão destinados a barraqueiros, permissionários dos mercados públicos, taxistas, garçons, recepcionistas, guias de turismo e guardas municipais.

Fonte: Folha PE – 16/05/10


Recife renasce com o Porto Urbanização

Orçado em 25 milhões, armazéns hoje desocupados darão espaço às áreas de lazer e cultura, numa extensão de 1,3 km

Tânia Passos

Para uma cidade que nasceu e cresceu no entorno do seu porto, não há como ignorar a importância desse marco urbano. A história do Porto do Recife está intimamente ligada ao surgimento e ao desenvolvimento da cidade, entre os séculos 16 e 20.
Hoje, no entanto, é quase uma lembrança de uma era que ficou para trás.
O espaço privilegiado no centro histórico e com uma das melhores vistas da cidade poderá, enfim, ser utilizado como ponto turístico, cultural, de lazer, e de serviços.
O projeto de urbanização do Porto do Recife em um trecho de 1,3 quilômetro, entre a antiga Ponte Giratória e o Museu do Brum, está concluído e pronto para entrar em licitação. Orçado em R$ 25 milhões, com recursos do governo do estado, aguarda apenas o sinal verde do governador Eduardo Campos para ser iniciado ainda este ano. Foto: Inês Campelo/DP/D.A Press

Não é a primeira vez que são pensados projetos para o aproveitamento da área portuária. Mas talvez seja a primeira vez que todos os projetos dessa área poderão ser incorporados ao traçado urbano do Bairro do Recife.
A proposta é criar uma conexão entre o porto e o bairro com equipamentos atrativos e melhorias da acessibilidade.
“Concluímos o termo de referência para lançarmos o edital da obra de urbanização ainda este mês”, revelou o presidente do Porto do Recife, Sileno Guedes.
A integração urbana prevê, por exemplo, a remoção da grade que hoje separa a área portuária da Avenida Alfredo Lisboa.
No lugar da grade, um calçadão para os pedestres. Para fazer a ligação do bairro com a área do porto, vão ser construídas passagens de nível para o pedestre, em vários trechos da via, que irão funcionar também como redutores de velocidade da Alfredo Lisboa.
“Será um espaço de travessia pela avenida em direção ao porto.
Por ser construído em um nível mais elevado, o carro será obrigado a reduzir a velocidade”, explicou o arquiteto Zeca Brandão, do Núcleo Técnico de Operações Urbanas (Ntou), da Secretaria de Planejamento e Gestão.
O arquiteto também participou da elaboração do projetoda Cidade da Copa, em São Lourenço da Mata.
“Para o projeto do porto, o governador definiu um grupo de trabalho com a missão de apontar soluções urbanísticas e descobrimos que já haviam outros projetos, mas com soluções pontuais e sem conexão”, revelou Zeca Brandão.
Entre os projetos já previstos para a área está a própria construção do terminal marítimo de passageiros, que irá ocupar os armazéns 7 e 8.
O projeto inicial, previa apenas a ocupação do armazém 7.
“Identificamos que o terminal iria nascer já com sua capacidade limite e pedimos ao governador que o armazém 8 também fosse destinado ao terminal”, explicou o arquiteto.
Além do terminal, também estão previstas a construção do museu Luiz Gonzaga (verba federal) e uma central de artesanato no armazém 10, com recursos estaduais.
“Estes equipamentos já estão definidos”, afirmou Zeca Brandão.
Já os armazéns 11,12, 13, 14 e 15 vão ser destinados à iniciativa privada para serviço e lazer.
“Estamos aguardando que o Tribunal de Contas da União libere o edital para o arrendamento dos armazéns”, revelou o presidente do Porto do Recife.
De acordo com o projeto, os armazéns vão oferecer um mix de serviços.
“No piso superior, a proposta é de funcionar como escritórios e no térreo restaurantes ou cafés”.
A urbanização de 1,3 km da área do porto e a implantação do terminal marítimo, do museu Luiz Gonzaga e da central de artesanato, é apenas uma etapa do projeto de Revitalização de Áreas Portuárias (Rvap).
Segundo Sileno Guedes, uma outra etapa, entre a Ponte Giratória e as torres gêmeas, será feita com recursos da iniciativa privada.
“Para aquele trecho estão previstos projetos da construção de um hotel e uma marina internacional”, revelou Sileno Guedes. Segundo ele, os projetos já foram aprovados pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), faltando apenas a liberação do TCU.

Fonte: Diário PE – 16/05/10


Qatar Airways investe US$ 1 bi em vôo ao Brasil

Esse é o valor dos dois aviões que a empresa comprou para a rota entre Doha e São Paulo, que será inaugurada em 24 de junho. A companhia crê em forte demanda por destinos no Oriente Médio e Ásia.

Alexandre Rocha, enviado especial

Doha – A Qatar Airways vai inaugurar um vôo diário direto entre Doha, capital do país árabe, e São Paulo, em 24 de junho. Em entrevista exclusiva à ANBA, o CEO da companhia, Akbar Al Baker, disse que foram investidos US$ 1 bilhão na compra de dois Boeing 777-200 que serão utilizados na rota.
Além da busca por destinos no Oriente Médio, Baker acredita na demanda de passageiros que querem viajar para outros destinos servidos pela empresa, especialmente na Ásia, como China, Índia e Japão. Hoje a Qatar Airways voa para 89 cidades.
A companhia vai concorrer diretamente com a Emirates Airline, que tem um vôo direto entre Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e São Paulo, e também oferece várias conexões para a Ásia. “A concorrência é uma coisa boa para o Brasil e para o público, não deve haver monopólios”, afirmou o executivo.
Como diferencial, ele destacou a qualidade dos serviços da empresa e a promessa de oferta de vôos de conexão para a Ásia que partem apenas uma hora depois da chegada do avião vindo do Brasil. “É menos tempo de viagem”, declarou.
Apesar de apostar no interesse pela Ásia, Baker disse que a maior parte dos clientes deverá ser de pessoas que buscam destinos no Oriente Médio.
Nesse sentido, ele destacou que o Brasil concentra um grande número de pessoas de origem árabe e que os negócios entre as duas regiões têm crescido bastante.
Estes são dois dos fatores que levaram a companhia a decidir pela criação da rota.
Além disso, o executivo ressaltou que o Brasil é um país importante sob diferentes pontos de vista, especialmente o econômico, e já faz tempo que a empresa pretendia lançar o vôo. “Mas ainda não tínhamos os aviões”, declarou. A viagem entre Doha e São Paulo vai demorar de 16 a 17 horas.

Buenos Aires

Outro diferencial, segundo Baker, é que as aeronaves vão fazer também o trecho de ida e volta entre São Paulo e Buenos Aires. Com isso, a companhia vai vender passagens para essa rota. “Há uma grande demanda para essa rota não totalmente servida pelas empresas locais. Nosso timing é perfeito e temos direito de fazer isso”, destacou.
A criação do vôo, segundo Baker, vai incentivar também o fluxo de passageiros do Oriente Médio para a América do Sul.
Ele destacou que isso já ocorreu quando a companhia abriu rotas para outros destinos como, por exemplo, Madri, na Espanha, Ilhas Maldivas, Ilhas Seicheles e África do Sul.
“O turista não gosta de trocar de avião [para chegar ao destino]”, disse.
Ele acrescentou que as operadoras de turismo do Catar vão vender o Brasil como destino de férias e negócios.
Baker disse ainda que a Qatar Airways vai fazer transporte de carga, coisa que a Emirates Airline já faz, pois cada avião tem capacidade para 35 toneladas.
A empresa terá escritório no Brasil e inicialmente criará 15 empregos diretos.

Fonte: ANBA – 15/05/10


Organizações realizam eventos contra a exploração sexual infantil em Pernambuco

Panfletos serão entregues em postos de combustíveis da BR-101 Sul, na manhã desta segunda-feira (17)

A Unidade do SEST/SENAT Recife participará de uma ação de Combate a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, juntamente com a Rede de Combate, que reúne entidade em prol da conscientização da sociedade civil.
Panfletos serão entregues em postos de combustíveis da BR-101 Sul, na manhã desta segunda-feira (17).

Já para a terça-feira (18), está programada uma caminhada para as 15h. A concentração acontece no parque 13 de maio, e segue para o Pátio do Carmo.
No dia 24, às 14h30, haverá um debate sobre o vídeo “Cinderela, Lobos e um Príncipe Encantando”.

No bloco G da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), no dia 28, acontece o Seminário Estadual de Enfrentamento à Pornografia envolvendo Crianças e Adolescentes.

Outras informações: 2119.0200.

Fonte: Da Redação do pe360graus.com – 15/05/10


Revitalização aumentou qualidade de vida em Chattanooga nos EUA

A cidade de Chattanooga, no Tennessee, Estados Unidos, já foi considerada a mais poluída do país. Mas, após 40 anos de trabalho, conseguiu reverter essa situação e se transformar em exemplo de qualidade de vida até para cidades brasileiras.
“Com planejamento urbano, começamos a criar uma cidade bonita, plantando árvores, revitalizando o rio, criando parques, restaurando áreas públicas e, assim, atraindo pessoas e investimentos”, resume o prefeito de Chattanooga, Ron Littlefield, que participou em março da Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2010, realizada em Curitiba
Chattanooga cresceu com base na ferrovia. Nada menos que 14 linhas de trem cruzavam seu território, de 370 quilômetros quadrados de área. Com o transporte sobre trilhos vieram as indústrias, que aumentaram a poluição do ar.
“A cidade era recoberta de cinzas. Era uma paisagem sem vida.
A indústria pesada contribuiu para a reputação de gigante industrial da nossa cidade. Mas era muito ruim para nosso meio ambiente”, conta o prefeito.
Os diferentes níveis de dióxido de nitrogênio emitidos, nos anos de 1972 e 1973, por exemplo, levaram a um alto índice de doenças respiratórias agudas nas famílias locais.
Tão rápido quanto cresceu, a pujante Chattanooga decaiu. As indústrias deixaram a cidade. O Rio Tennessee ficou poluído. Seu entorno acabou degradado. Os prédios antigos foram abandonados. E a criminalidade, a violência e a pobreza aumentaram.
Para tentar reverter a situação e começar a revitalização, os governantes locais prepararam um projeto e foi criada uma organização sem fins lucrativos.
A população foi envolvida em todas as etapas e discussões.
O poder público promoveu mudanças sociais, ambientais e econômicas, sem aumentar impostos.
Um dos principais órgãos nessas tarefas foi o Conselho Nacional para Parcerias Público-Privadas (National Council for Public-Private Partnerships), um fórum para o desenvolvimento local.
Só o projeto de obras de despoluição do Rio Tennessee e as melhorias no entorno custaram US$ 356 milhões. Do total, 82% vieram de entidades privadas.
“Havia uma estação elétrica da General Electric, fechada por ser velha e desatualizada. Nós a compramos e transformamos num parque. Também pegamos artistas e instalamos seus ateliês ao longo do rio. Foi impressionante o ritmo de recuperação”, conta Littlefield.

TURISMO – Barracões foram demolidos e se criou o maior aquário de água doce do mundo, que atrai milhões de turistas anualmente. A cidade tem o turismo atrelado ao desenvolvimento.
O modelo de sucesso de Chattanooga serviu de inspiração à cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul.
Com quase 1 milhão de habitantes, o município está investindo em tecnologia, infraestrutura, desenvolvimento rural e educação.
“Nós envolvemos a população para construir o futuro da cidade”, diz Cézar Schirmer, prefeito de Santa Maria. “Não temos ainda os problemas das grandes cidades.
Mas vamos aprender com elas a evitá-los”, conclui.

» As cinco mais poluídas do mundo:

1. Chernobyl (Ucrânia) – Local do maior acidente nuclear da história, em 86.
2. Dzerzinsk (Rússia) – Resíduo químico da Guerra Fria contaminou o solo.
3. Kabwe (Zâmbia) – Poluição ligada a uma megafundição de chumbo
4. La Oroya (Peru) – Riscos ligados à mineração de chumbo, zinco e cobre.
5. Norilsk (Rússia) – Neblina poluída criada pela fundição de metais.

Fonte: Agência Estado – 15/05/10


Projeto transforma basquete em cidadania em Recife

O futebol pode até ser a paixão nacional, mas os sonhos das crianças e dos adolescentes que se reúnem todos os sábados no colégio Helena Lubienska, no bairro da Torre, Recife, estão voltados para outro esporte: o basquete. Eles fazem parte do projeto social Nosso Clube, que tem como objetivo promover a cidadania através do esporte. O Nosso Clube nasceu há um ano, a partir de um grupo de amigos apaixonados pelo basquete que formaram um time para praticar a modalidade. “A partir daí a gente achou que deveria agregar um valor para a nossa sociedade dentro daquilo que a gente gosta, que é o basquete”, afirma um dos diretores do projeto, Affini Júnior. 25 voluntários ensinam aos meninos e meninas as técnicas do basquete. Eles são membros do time adulto no Nosso Clube. A crianças são alunas de escolas públicas de comunidades próximas à escola Lubienska. As aulas acontecem todos os sábados, das 7h30 ao meio-dia, e são separadas por faixas etárias: dos 7 aos 8 anos, dos 8 aos 10, dos 10 aos 12, dos 12 aos 14 e dos 14 aos 16.
Para os alunos de idade entre 14 e 16 anos, além das aulas de basquete, são oferecidos cursos de inglês, de informática e oficina de jornalismo. As aulas de informática acontecem nas sextas-feiras, nas dependências da escola especializada Microcamp, que é parceira do projeto. As demais acontecem nos sábados, depois que os meninos terminam o treino. No final da manhã, é fornecido almoço para os atletas mirins.
O coelho é o mascote do time. “Nós escolhemos o coelho porque ele é um animal multiplicador. E a nossa ideia é essa: a de multiplicar a prática do esporte e a cidadania”, ressalta Affini. “O nosso objetivo não é só formar atletas. É formar cidadãos”, completa.Entre os meninos e meninas, quase todos sonham em ser atletas profissionais. A pequena Fernanda Michaela, de 12 anos, diz que está treinando duro para realizar o sonho. “Eu queria ser jogadora e viver viajando por aí”, conta. Já sua colega Rayane Cássia, de 10 anos, tem outro bom motivo para praticar o esporte “É anti-stress”, acredita. As crianças gostam e os pais também. Elizabete dos Santos é mãe de um dos pequenos atletas, e diz que percebeu mudanças importantes no seu filho depois que ele começou a jogar basquete. “Ele melhorou bastante o comportamento depois do projeto. Para mim foi uma bênção de Deus”, destaca.Tudo no projeto é realizado através de doações e trabalho voluntário. Por isso, o Nosso Clube precisa, por exemplo, de alimentos e materiais esportivos. No site do projeto, é possível saber de que formas empresas e cidadãos podem ajudar o Nosso Clube. A página também tráz várias informações sobre o trabalho.Fonte: Priscila Muniz / Do JC Online – 15/o5/10


Brasil pode economizar R$ 8 bilhões se reciclar todo o lixo

Um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que o Brasil poderia economizar cerca de R$ 8 bilhões por ano se reciclasse todos os resíduos que são encaminhados aos lixões e aterros sanitários.

Atualmente a economia gerada com a atividade de reciclagem varia de R$ 1,5 bilhões a R$ 3 bilhões anualmente. As informações são do Ministério do Meio Ambiente. Além dos benefícios econômicos, o estudo apontou as vantagens ambientais da reciclagem.

Os dados foram apresentados nessa sexta-feira (14), durante uma reunião com as ministras Izabella Teixeira, do Meio Ambiente, Márcia Lopes, do Desenvolvimento Social, e representantes do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal.

No encontro, também foram discutidas a elevação do nível de renda dos catadores de lixo e a necessidade de estímulo à profissionalização da mão de obra. Foi anunciada ainda a criação de um grupo de trabalho para discutir as medidas legais para a implementação do Pagamento por Serviços Ambientais Urbanos.

Atualmente, apenas 14% da população brasileira conta com o serviço de coleta seletiva, e somente 3% dos resíduos sólidos urbanos são destinados à reciclagem.

Fonte: Agência Brasil – 15/05/10


Maior acervo de cobras do País e um dos maiores do mundo é destruído em incêndio no Butantan

Um dos principais acervos de cobras, aranhas e escorpiões para pesquisas do mundo e o maior do Brasil foi destruído durante incêndio, ocorrido na manhã deste sábado (15), no laboratório de répteis do Instituto Butantan, na Zona Oeste de São Paulo. Mais de 70 mil espécies conservadas foram queimadas. Os bombeiros foram chamados e controlaram as chamas.
Quando o fogo começou, o prédio estava vazio, por isto, não houve feridos.
Os bombeiros suspeitam que a causa do acidente possa ter sido um curto-circuito.
As investigações devem se prolongar por semanas.
Fundado em 1901, o Instituto Butantan é um centro produtor de vacinas e um importante centro de pesquisa biomédica, que depende do Governo regional de São Paulo.
O laboratório trabalha em vários projetos sobre o uso de venenos de répteis, que estavam sendo provados no combate a doenças como a leishmaniose e o mal de Chagas.
Recentemente, o Butantan também foi o órgão público encarregado de desenvolver no Brasil a vacina contra a gripe H1N1, a partir da cepa fornecida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur.

Fonte: Folha PE – 15/05/10


TI no Brasil vence desconfianças e mira mercado globalizado

O mercado mundial, cada vez mais interligado, oferece perspectivas favoráveis à exportação de produtos brasileiros de tecnologia da informação (TI), sobretudo a partir de países da Península Ibérica, como Portugal e a Espanha.
A avaliação foi feita pelo presidente da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação Regional Rio de Janeiro (Assespro-RJ), Ilan Goldman.
“Não é impossível que empresas que tenham soluções interessantes façam parcerias com empresas europeias, no caso portuguesas e espanholas”, disse em entrevista à Agência Brasil.
Para ele, a imagem do Brasil como um país de maior relevância no cenário externo pode diminuir uma eventual barreira inicial de desconfiança de que uma empresa brasileira possa deter tecnologias.
Ele observou, contudo, que nesse ambiente cada vez mais globalizado, as empresas brasileiras precisam deter de fato essas tecnologias avançadas, ou seja, “trazer uma novidade”.
O mercado brasileiro está aquecido e esse é um ponto extremamente positivo, avaliou Goldman. “Isso é um estímulo. Porque, se você não tem um mercado interno mais ativo e comprador, se você não consegue fazer aqui dentro, fica difícil fazer lá fora.”
A percepção da Assespro-RJ é de crescimento do setor este ano. No estado do Rio de Janeiro, o faturamento das empresas deve ultrapassar R$ 4 bilhões, o que representará aumento entre 15% e 20% em relação ao ano passado.
O governo é um grande alavancador de trabalhos na área de TI no Brasil, na medida em que é um demandador de tarefas que têm de ser cumpridas pelo setor, destacou Goldman. Ele citou o exemplo da nota fiscal eletrônica.
“São regras que o governo estabelece e as empresas têm que passar por um processo de transformação, com prazo definido para cumprir.”
Segundo o presidente da associação, isso fez com que a crise internacional não tivesse sobre a área de TI um efeito inibidor, porque havia demandas obrigatórias a serem cumpridas.
“A empresa tinha que fazer esse investimento”. A demanda observada atualmente no país ocorre em todos os níveis. “As empresas acordaram para melhorar seus processos, ficaram mais organizadas, mais enxutas e produtivas.”
Segmentos específicos como o e-commerce (comércio eletrônico) e a venda de softwares como um serviço e não como um produto (o chamado SaaS, na sigla em inglês) vêm crescendo no Brasil, de acordo com Goldman.
Pesquisa feita pela Assespro-RJ com 30 empresas do setor apontou que todas confiam nesse novo modelo de negócio. A sondagem revelou, ainda, que 70% dessas empresas já tinham produtos voltados para esse mercado.
Ilan Goldman acredita que produtos e soluções na área de petróleo e gás podem representar um importante nicho para exploração pelas empresas brasileiras aqui e no exterior.
Ele lembrou que a Inglaterra passou por esse processo e acabou se transformando em um polo de exportação de soluções de software, por conta do crescimento da região do Mar do Norte. “Eu acho que a gente vai experimentar isso aqui também.”
O Brasil tem muito espaço para crescer, inclusive em termos salariais, no setor de TI. Segundo o presidente, o que não pode ocorrer é o Brasil “insistir” em se tornar um exportador de matéria-prima.
Para ele, é preciso exportar produtos ou processos com valor agregado, valorizando os profissionais internamente, por meio de salários condizentes com sua especialização.
“Quando você acredita nisso, cria um circulo virtuoso de novo. As empresas contratam, criam tecnologia, desenvolvem produtos. Aí você começa a construir conhecimento. Se você só exportar mão de obra, matéria-prima, não fica nada aqui. Esse é o perigo.”
Para Goldman, o software brasileiro sempre foi de boa qualidade, o que o país nunca teve foi um “bom marketing” sobre isso.
A internacionalização das empresas brasileiras de tecnologia da informação é o tema da Missão Portugal que a Riosoft, braço fluminense do Programa Softex, do Ministério da Ciência e Tecnologia, realiza na Cidade do Porto, naquele país, na próxima semana.

Fonte: Agência Brasil – 15/05/10