Salvador:Obras de revitalização do Rio Vermelho começam terça-feira

As obras de revitalização irão beneficiar o Mercado do Peixe, que será modernizado.
Salvador – A Prefeitura de Salvador deslancha a partir desta segunda-feira (11), o projeto de revitalização do bairrro do Rio Vermelho, através de uma Parceria Público-Privada (PPP) com a cervejaria.
Ás 17 horas desta segunda, na Paróquia da Igreja de Santana, será realizada a solenidade de assinatura do termo de adoção da extensão, com a presença do prefeito João Henrique, do secretário municipal de Serviços Públicos, Fábio Mota e representantes da Schincariol.
O projeto foi desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira.
As obras do projeto que prevê a instalação de um mirante, um memorial, restaurante panorâmico e até a construção de um anfiteatro serão iniciadas na terça-feira (12).
De acordo com o secretário Fábio Mota, a ideia é dar uma cara nova ao local.
A primeira etapa, segundo ele explica, será a construção do memorial Caramuru, que contará não só com um monumento em homenagem ao português Diogo Álvares Caramuru que desembarcou no Rio Vermelho no começo do século XVI mas também aos índios tupinambás.
“O objetivo é construir um módulo para exposição de artesanato indígena, um mirante, uma área para shows folclóricos, restaurante e estacionamento.
Isso sem falar na construção de um anfiteatro no estilo da Concha Acústica.
Tudo isso com intuito de proporcionar maior infraestrutura, assim como resgatar a cultura que faz do Rio Vermelho um dos maiores cartões postais do nosso estado”, destacou.
Em seguida, conforme Mota, as obras irão se concentrar no tradicional Mercado do Peixe.
“As paredes de concreto serão trocadas por lonas tencionadas, que transmitem uma iluminação natural.
Além disso, iremos padronizar os boxes”, explicou, complementando que no projeto está previsto reforçar a segurança e a iluminação externa. E não para por aí.
Além dos comerciantes do mercado, os membros da colônia União dos Pescadores da Mariquita, que fica em frente ao Mercado do Peixe, também serão beneficiados pelo projeto de reestruturação.
“Não podemos esquecer que o grupo de pescadores está ligado à história do mercado.
Na década de 50, eles iniciaram a venda dos frutos do mar no meio da rua, o que deu origem ao nome do estabelecimento.
Portanto, não seria justo deixá-los de fora”. O total da área a ser revitalizada é de 14.253m2.

Fonte : Jornal da Mídia – BA – 09/01/10


Fabricantes de produtos de limpeza apostam em consumo consciente

Na esteira da crescente conscientização do consumidor brasileiro a respeito do tema sustentabilidade, a indústria de produtos de limpeza vem reforçando o portfólio de itens que agridem menos o meio-ambiente. Se antes esses produtos eram fabricados basicamente por empresas menos tradicionais, hoje já é possível encontrar opções dos gigantes do setor, como Unilever e Procter & Gamble.

Pesquisa inédita da ESPM revela que 76% das pessoas das classes A, B e C têm interesse em comprar produtos de uma marca que esteja envolvida em questões ambientais, ainda que o preço seja um pouco mais elevado. Motivo forte o suficiente para estimular o desenvolvimento de novos produtos com foco em sustentabilidade.
Em 2008, a Unilever lançou o Comfort Concentrado, que usa menos água, energia e plástico em sua composição. Já o sabão em pó Ariel Ecomax, desenvolvido pela Procter & Gamble e comercializado exclusivamente na rede Walmart, utiliza 30% menos água por fazer menos espuma durante as lavagens. A 3M, por sua vez, anunciou a substituição de solvente por um adesivo à base de água em toda a linha de esponjas Scotch-Brite, além da utilização de fibra reciclada de garrafas PET.
Vice-presidente da Ingleza , tradicional empresa mineira de produtos de limpeza, Antônio Novaes aposta na recém-lançada linha Amo o Verde para conquistar consumidores nas capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo, mercados em que a Ingleza tem pouca participação.
Ele conta que o desenvolvimento da Linha Amo o Verde tomou quatro anos de trabalho.
Além de utilizar matérias-primas biodegradáveis, os produtos não foram testados em animais e as embalagens são feitas de material reciclado. “Fizemos uma série de pesquisas em países da Europa para conhecer as leis em que se baseiam para criar estes itens”, diz.
Empresa com maior número de produtos de limpeza listados no catálogo sustentável do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a Cassiopeia foi uma das precursoras desse movimento.
Dona da linha Biowash, elaborada com produtos biodegradáveis à base de coco de babaçu e aloe vera, a Cassiopeia projeta para 2010 um aumento de 20% na receita da linha, puxado pelo “contínuo aumento de conscientização da população quanto à importância da proteção ao meio ambiente”.
Preço pode barrar consumo
Mas, apesar do crescente interesse das pessoas por produtos verdes e da disposição das empresas em investir no segmento, os preços geralmente mais altos das linhas sustentáveis dificultam o aumento deste tipo de consumo. “O mercado está achando que é o consumidor que tem que ser consciente e pagar mais, mas é a empresa que precisa absorver os custos”, afirma Fábio Mariano, professor em Ciências do Consumo Aplicadas da ESPM.
Na opinião de Mariano, as empresas erram em apostar que a escolha pelo produto ocorra somente por ideologia.
Novaes, da Ingleza, faz coro com o professor. “As pessoas simpatizam com o produto. Mas, no momento da compra, elas olham o preço”, diz. A Amo o Verde é em média 5% mais cara do que linhas normais, diferença que, segundo Novaes, não chega a pesar no bolso do consumidor.
Com os novos produtos a preços competitivos, a empresa espera que em quatro anos a linha verde aumente em R$ 30 milhões o faturamento da marca, representando 30% do valor total. “O objetivo é crescer e inspirar as pessoas a investirem mais no verde. Não só nós, como também a concorrência”.
Novaes afirma ainda que a tendência é de que todos os produtos da Ingleza sejam sustentáveis, mas admite que o processo será lento, já que, além do fator ecológico, é preciso que o preço seja acessível. “Estamos desenvolvendo novos produtos que ainda não se tornaram viáveis porque seriam mais caros ou porque não são tão eficientes quanto os normais”.
A socióloga Maria de Fátima Portilho, autora do livro “Sustentabilidade ambiental, consumo e cidadania”, acredita que o processo de conscientização vai demorar a ocorrer de forma efetiva no País. “As práticas de compra sempre foram vistas como individuais, de certa forma alienadas do contexto coletivo”, afirma. Mas, o cenário começa a mudar, de acordo com a socióloga. “Cada vez mais a chamada ‘ambientalização’ aparece nos discursos e nas práticas de consumo”.

Fonte: Juliana Kirihata, iG São Paulo – 09/01/10


Olinda ganha estacionamento para os foliões

Para facilitar a vida dos visitantes durante as prévias do Carnaval, a Prefeitura de Olinda inicia amanhã a operação Estacionamento Legal, oferecendo espaço para deixar o carro e transporte alternativo a baixo custo em áreas próximas ao Sítio Histórico.
A ação é pioneira e também visa ordenar o trânsito e diminuir o número de infrações.
No último domingo, 284 veículos foram multados por estacionar em calçadas e praças na entrada da cidade.
No mesmo dia, segundo estimativa da Secretaria de Transportes e Controle Urbano, cerca de 100 mil pessoas participaram dos festejos.
Em parceria com a Cooperativa de Permissionários de Transporte Complementar de Pernambuco (Cootraol), a prefeitura vai disponibilizar, além das 400 vagas de estacionamento, vans, das 12h às 24h, para levar quem parar nas ruas próximo às Praças dos Milagres e do Jacaré.
Será cobrada uma taxa de R$ 5 por veículo, independentemente da quantidade de passageiros. Os carros vão transportar os foliões até a Cidade Alta e os conduzirão de volta.
A ação vai ocorrer todos os domingos do mês de janeiro.
As Ruas Santos Dumont, Siqueira Campos, A. Ramos, Barão do Rio Branco, Manoel Borba e Jenner de Souza serão monitoradas por seguranças.
“A intenção é oferecer o serviço que seja o mais confortável possível aos nossos visitantes, para que todos possam aproveitar os ensaios das troças e dos blocos sem sobressaltos”, afirma o secretário de Transportes de Olinda, João Luiz da Silva Júnior.
Nos dias de festa haverá também intensificação das ações preventivas nas fiscalizações do trânsito, para tentar diminuir o fluxo de veículos e orientar os motoristas.
MULTAS – Assim como no último fim de semana, quem for flagrado estacionando sobre calçadas, faixas de pedestre, canteiros centrais, praças ou jardins públicos será multado, de acordo com o previsto no artigo 181, inciso VIII, do Código de Trânsito Brasileiro.
Os motoristas poderão ter o veículo rebocado e encaminhado para o depósito municipal, além de cometer penalidade grave e ter que pagar a multa de R$ 127,69.
Já quem for flagrado transitando em calçadas (infração gravíssima) será punido com uma multa de R$ 574,72.

Fonte: De Cidades / JC – 09/01/10


E.U.A. :Private partnerships aim to boost science, math education

Earlier this week, President Obama announced more than $260 million in public-private partnerships to improve the nation’s math and science education.
The 10-year commitment is part of Obama’s “Educate to Innovate” campaign to train teachers and improve student participation and performance in science, technology, engineering and math (STEM).
The president named some partners, including Intel Corp., Xerox Corp., Eastman Kodak Co. and Time-Warner Cable Inc., who will help in his mission to regain America’s competitive edge globally.
The partnerships will help prepare 10,000 new math and science teachers and train more than 100,000 existing teachers.
Intel, Oregon’s largest employer, said it will commit $200 million over the next 10 years to train teachers including an 80-hour professional development math course for elementary teachers and online tools for science teachers.
This year, the company also plans to train 1,000 Oregon college students preparing to become teachers. That funding is in addition to what Intel already pumps into Oregon.
In 2008, Intel contributed $6.3 million to Oregon schools and nonprofit organizations, including $1.9 million to K-12 education and $1.5 million to colleges and universities, according to Intel spokesman Bill MacKenzie.
The company supports many education programs, including the Intel Northwest Science Exposition and FIRST LEGO League.
Intel’s employee volunteer contribution program also donates $200 to schools or nonprofits for every 20 hours an employee volunteers.
The benefit of public-private partnerships to improve science and math education is twofold if it can help companies grow a future well-trained workforce.
Should more companies and organizations step up to the plate to help improve education? If so, what other school subjects could benefit?

Fonte: Melissa Navas/Oregon Live – 08/01/10


Curitiba garante R$ 237 milhões para obras de mobilidade urbana

Valor integra o PAC da Mobilidade Urbana, que será oficializado no dia 13, em Brasília

Na próxima quarta-feira (13/1), a prefeitura de Curitiba assinará um termo de cooperação com o governo federal para o PAC da Mobilidade Urbana visando à Copa de 2014.
O acordo vai garantir R$ 237 milhões para financiamento de obras de infraestrutura na malha viária da cidade. A informação é do jornal “Gazeta do Povo”.
Segundo a prefeitura, o município já tem garantidos R$ 152 milhões. O valor inclui as obras da Avenida Cândido de Abreu, no Centro Cívico, o Sistema Integrado de Mobilidade e a ligação Aeroporto-Rodoviária, com a revitalização da Avenida Comendador Franco e da Avenida das Torres.
Os R$ 85 milhões restantes serão aplicados na revitalização da rodoferroviária, na continuação do trecho sul da Linha Verde de ônibus, a reforma do terminal Santa Cândida e a implantação de ciclovias. Estas propostas ainda dependem da aprovação do governo federal.
Ciclovias
A recuperação das ciclovias da capital paranaense prevê alargamento das vias, melhorias na pavimentação, nova sinalização e ampliação de 20 Km da malha.
Mas a prefeitura ainda não confirmou se a reforma poderá ser incluída no PAC da Mobilidade.
Se isso não acontecer, a revitalização da Avenida Marechal Floriano Peixoto entrará na proposta.
Para esta reforma, além dos recursos da prefeitura, seriam necessários R$ 10 milhões do governo do estado.
Se não entrar no PAC, a prefeitura pretender revitalizá-la com recursos próprios.

Fonte: Portal da Copa 2014 – 08/01/10


Portugal: Mota-Engil recebe nova auto-estrada segundo as regras do Tribunal de Contas

Elisabete Felismino
O Executivo anuncia amanhã a entrega da concessão rodoviária do Pinhal Interior ao consórcio liderado pela Mota-Engil.
O Governo anuncia amanhã o vencedor da concessão do Pinhal Interior, que será o consórcio liderado pela Mota-Engil.
A adjudicação será já feita segundo as regras definidas pelo Tribunal de Contas, de forma a evitar um novo chumbo por parte deste órgão de soberania, apurou o Económico.
“A cerimónia que terá lugar no próximo domingo é apenas uma intenção de adjudicação pelo que não vai ser assinado nenhum documento”, referiu fonte próxima ao processo.
“Quando vier a ser feita a respectiva adjudicação já deverá ser nos moldes que contemplem as novas orientações do Tribunal de Contas, pelo que a questão de um chumbo a esta concessão não se coloca”, acrescentou ainda a mesma fonte.
A entrega do Pinhal Interior ao consórcio liderado pela Mota-Engil há muito que está decidida. Porém, os chumbos do Tribunal de Contas às concessões da Auto-Estrada Transmontana, Douro Interior, Baixo Alentejo, Algarve Litoral e Litoral Oeste, levaram o ministério das Obras Pùblicas e a Estradas de Portugal a fazer um compasso de espera para encontrar uma solução para este imbróglio jurídico.

Fonte: Económico – PT – 09/01/10


Pernambuco: CPRH capacita catadores de Tamandaré

A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) capacitou 44 catadores de material reciclável que operam no município de Tamandaré.
A Oficina de Educação Ambiental, que ocorreu entre 5 e 7 de janeiro, é o primeiro passo para a criação de uma cooperativa no município, que já conta com a Associação de Artes e Reciclagem de Resíduos Sólidos de Tamandaré (Artam), e que aliará o beneficiamento de recicláveis a atividades de artesanato.
A oficina, que aconteceu na Escola Municipal Rinaldo Silva de Oliveira, abortou questões ambientais, o tratamento de resíduos sólidos e ainda explicou o importante trabalho realizado pelos agentes da Área de Proteção Ambiental (APA) de Guadalupe, sediada em Tamandaré.
O programa buscou estabelecer um maior nível de organização destes trabalhadores.
A Oficina de Educação Ambiental é apenas um dos eventos do projeto Meio Ambiente e Lazer, promovido pela CPRH e pela Prefeitura de Tamandaré, que durante o mês de janeiro pretende incrementar a consciência ambiental da população local e dos veranistas através de iniciativas lúdicas e culturais, como oficinas de reciclagem e leitura, peças teatrais, exibições de filmes e gincanas ambientais.

Fonte: Portal PE – 08/01/10


BARRA MANSA Programa de Parcerias Público-Privadas é sancionado pelo prefeito

O Programa Municipal de Parcerias Público-Privadas será realidade no município. O prefeito Zé Renato (PMDB) sancionou o projeto de lei de autoria do presidente da Câmara de Vereadores, Luiz de Barros, o Lula (PMDB), criando esse programa.
Segundo o vereador, a iniciativa será muito importante para o desenvolvimento municipal sustentado, pois sua intenção é promover, fomentar, coordenar, disciplinar, regular e fiscalizar a atividade de agentes do setor privado.
Sobre esse último ponto, o objetivo é a atuação em parceria com a prefeitura para implantação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento e o bem-estar da população.
O prefeito Zé Renato revelou que o programa é importante para o futuro do município, pois se trata de uma ferramenta que possibilitará meios para alavancar o progresso.
Especialistas também entendem da mesma maneira.
Eles afirmam que abrirá perspectivas de parcerias com o poder privado, obedecendo ao que preconiza a Lei Federal 11.079/04 e a Lei Estadual 5.068/07.
Com essa lei municipal Barra Mansa poderá firmar convênios com a iniciativa privada na implantação, ampliação, melhoramento, reforma, manutenção ou gestão de infraestrutura pública; a prestação de serviço público; a exploração de bem público; e a execução de obra para alienação, locação ou arrendamento à administração pública municipal; e a construção, ampliação, manutenção, reforma e gestão de bens de uso público em geral, incluídos os recebidos em delegação do Estado ou da União.
Para Lula, o prefeito soube compreender o objetivo do projeto de lei e não teve dúvidas ao sancionar o projeto. Segundo ele, uma janela para o futuro foi aberta.

Fonte: Jornal A Voz da Cidade – 09/01/10


Recife: Acordo entre PCR e Metrô garante obra do viaduto Capitão Temudo

Depois de muita polêmica, o poder municipal e o Metrô do Recife (Metrorec) chegaram a um acordo em relação à continuação da duplicação do Viaduto Capitão Temudo, na Ilha Joana Bezerra, uma das principais obras viárias da cidade, responsável pela ligação do Centro à Zona Sul.
O impasse foi criado no fim do ano passado porque o projeto original, elaborado em 1976, previa a construção de oito pilares nas proximidades dos trilhos do metrô, sendo que dois deles ficariam justamente entre as linhas de ferro.
Quando o plano foi elaborado não havia metrô no local e, 30 anos depois, a prefeitura havia esquecido de atualizar o projeto. Agora, apresentou a solução técnica e o Metrorec deu o sinal verde.
Para construção da fundação, os cabos subterrâneos entre as linhas vão ser remanejados e colocados numa vala provisória, mais afastada dos trilhos.
Ainda vai ser construído um pilar provisório entre as duas vias.
Na terça-feira, os técnicos da prefeitura vão apresentar o plano de execução das obras. “Acreditamos que, uma semana depois, o metrô nos retorne positivamente para começarmos o trabalho”, explicou o presidente da Empresa de Urbanização do Recife (URB), Jorge Carrero.
Ele comunicou que o custo adicional “em virtude do metrô no meio do caminho” vai ficar em aproximadamente R$ 3 milhões.
No fim do ano passado, a superintendência do Metrô do Recife havia informado à prefeitura que, para levantar os pilares e tocar a obra, os operários só poderiam trabalhar três horas e meia por dia, por questão de segurança.
Paralisar todo o sistema para construção dos dois pilares acarretaria 200 mil pessoas sem transporte público enquanto o trecho da duplicação estivesse sendo erguido.
O horário diário proposto seria entre meia-noite e 3h30, período em que é possível desligar a rede de energia com 3 mil volts.
A prefeitura descartou a proposta do Metrorec.
CONCLUSÃO
Ontem, o secretário de Planejamento Participativo, Amir Schvartz, assegurou que o prazo para a conclusão da obra é junho deste ano. A intervenção vai custar R$ 35 milhões aos cofres municipais.
O gerente de Projetos do Metrorec, João Batista, informou que, tanto para o remanejamento dos cabos quanto para a instalação do pilar provisório, não será necessário paralisar a operação. “Foi uma premissa que definimos.
O metrô não vai ser paralisado. Segue o horário normal.”O trecho que está sendo duplicado tem 580 metros de extensão, do Centro em direção a Boa Viagem.
No sentido contrário, serão 480 metros. A área do impasse tem 60 metros.
Duas alças complementam o projeto, ligando o viaduto à Rua Imperial e permitindo acesso direto a bairros como Afogados, Areias, Estância e Imbiribeira.
Com as alças, quem trafegar pela Rua Imperial poderá subir o viaduto e acessar a Avenida Agamenon Magalhães.
Os que forem em direção a Boa Viagem, poderão descer do viaduto e entrar na Rua Imperial, ganhando tempo para chegar a Zona Oeste.
Oito faixas de rolamento comportarão o fluxo de veículos nos dois sentidos do novo viaduto. Hoje, são quatro.

Fonte: De Cidades / JC – 09/01/10


Costa Rica: A população mais feliz do mundo

SAN JOSE, Costa Rica – Hmmm. Você acha que é coincidência? A Costa Rica é um dos poucos países que dissolveram seu Exérico e talvez seja a nação mais feliz do planeta.
Existem muitas maneiras de medir a felicidade dos países, todas inexatas, mas essa pérola da América Central se sai impressionantemente bem em qualquer sistema usado. Por exemplo, o Banco de Dados Mundial sobre a Felicidade, compilado por um sociólogo holandês com base em pesquisas de institutos como o Gallup, coloca a Costa Rica no primeiro lugar entre 148 nações.
Golfo de Nicoya, na Costa Rica, durante entardecer
Os costa-riquenhos dão nota média de 8,5, em uma escala de 1 a 10, para sua felicidade. A Dinamarca vem em seguida com nota 8,3, os Estados Unidos ficam em vigésimo, com 7,4, e Togo e Tanzânia ficam em último, com 2,6.
Estudiosos também calculam a felicidade determinando “anos de vida felizes”.
Esse índice resulta da combinação da felicidade autorelatada, como na pesquisa acima, com a expectativa de vida. Usando este sistema, novamente a Costa Rica encabeça a lista.
Os Estados Unidos ficam em décimo nono lugar e o Zimbábue em último.
Uma terceira abordagem é o “índice do planeta feliz”, desenvolvido pela New Economics Foundation, um “think thank” liberal. Trata-se da combinação de felicidade com longevidade, ajustada ao impacto ambiental como o carbono que os países emitem.
De novo, a Costa Rica sai vencedora, por atingir contentamento e longevidade de forma ambientalmente sustentável.
A República Dominicana fica em segundo lugar, os Estados Unidos em 114º (por causa de sua enorme “pegada” ecológica) e o Zimbábue em último.
Talvez o contentamento dos costa-riquenhos tenha algo a ver com a chance de explorar lindas praias nos dois lados do país, ou admirar as preguiças na floresta (descobri que preguiças realmente são preguiçosas, são as tartarugas das árvores).
A Costa Rica realizou um trabalho notável na preservação da natureza, e é sem dúvida mais fácil ser feliz estendendo-se sobre o sol e as árvores do que tremendo de frio no Norte e sofrendo “síndrome de déficit de natureza”.
Depois de arrastar minha filha de 12 anos por favelas de Honduras e vilas da Nicarágua durante essa viagem, ela ficou maravilhada ao ver uma praia costa-riquenha e passear por um parque nacional. Entre seus animais favoritos agora estão iguanas e preguiças.
(Nota ao chefe: deveríamos ter um colunista na Costa Rica?)
O que diferencia a Costa Rica é sua notável decisão, tomada em 1949, de dissolver suas Forças Armadas e investir em educação. Níveis de escolaridade cada vez mais altos criaram uma sociedade mais estável, menos propensa a conflitos que ocorreram em outras partes da América Central.
A educação também impulsionou a economia, permitindo que o país se tornasse um grande exportador de chips para computadores e melhorasse o inglês entre a população, como forma de atrair “ecoturistas” americanos.
Eu não sou antimilitarista. Mas é forte a evidência de que a educação costuma ser um investimento muito melhor que a artilharia.
Na Costa Rica, níveis educacionais cada vez melhores também promoveram uma impressionante igualdade entre os sexos, tanto que o país está acima dos Estados Unidos no índice sobre diferença de gêneros do Fórum Econômico Mundial.
Isso permite que a Costa Rica use sua população feminina de forma mais produtiva do que na maior parte da região. Da mesma forma, a educação provocou melhorias no sistema de saúde, de modo que a expectativa de vida do país é quase a mesma que a dos Estados Unidos, um pouco mais longa de acordo com alguns dados, um pouco mais curta de acordo com outros.
Níveis educacionais cada vez melhores também levaram o país a preservar seu exuberante meio ambiente como um bem econômico. A Costa Rica é pioneira na ecologia, introduzindo o imposto do carbono em 1997.
O Índice de Performance Ambiental, uma colaboração entre as universidades de Yale e Columbia, coloca a Costa Rica no quinto lugar em todo mundo, o país mais bem colocado fora da Europa.
Essa ênfase no meio ambiente não sabotou a economia da Costa Rica, mas a impulsionou.
A Costa Rica é um dos poucos países que está observando migração vinda dos Estados Unidos. Os americanos estão se mudando para cá para aproveitar uma aposentadoria de baixo custo. Meu palpite é que, em 25 anos, veremos um maior número de comunidades de aposentados que falam inglês ao longo do litoral da Costa Rica.
Países latinos geralmente se saem bem em enquetes sobre felicidade. O México e a Colômbia estão à frente dos Estados Unidos no ranking de contentamento autodeclarado.
Talvez uma explicação seja a ênfase cultural em familiares e amigos, no capital social e não no capital financeiro mas, novamente, os mexicanos às vezes vão aos Estados Unidos, presumivelmente em busca tanto de felicidade quanto de bens.
Comparações entre a felicidade dos países são controversas e incertas. Mas o que parece muito claro é que a decisão da Costa Rica de investir em educação e não em armas pagou altos dividendos.
Talvez a lição para os Estados Unidos seja a de que o país deveria dedicar menos recursos para enfrentar exércitos estrangeiros e mais recursos para melhorar escolas tanto em casa quanto no exterior.
Enquanto isso, encorajo você a fazer suas próprias pesquisas na Costa Rica, explorando aquelas magníficas praias ou admirando as preguiças preguiçosas. Com certeza isso o fará feliz.

Fonte: Por Nicholas D. Kristof/The New York Times – 09/01/10


Para Planalto, compra de Rafale é questão fechada

O governo Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que o caça Rafale-C, da companhia francesa Dassault, se encaixa em um projeto maior de defesa e, portanto, deve ser o escolhido do programa F-X2, para aquisição de 36 aviões para a aviação de combate. A palavra final depende dos últimos acertos sobre o preço desse lote, estimado em R$ 10 bilhões.
França propõe plataforma industrial ao Brasil se comprar caça “Rafale”
Com base nessa escolha já consolidada, o Palácio do Planalto decidiu descartar qualquer referência favorável aos outros dois caças concorrentes da americana Boeing e da sueca Saab – que constar do segundo relatório do Comando da Aeronáutica, entregue na quarta-feira ao ministro da Defesa, Nelson Jobim. O documento não estabelece ordem de preferência.
Segundo um colaborador direto do presidente Lula, o F-X2 está inserido em um projeto mais amplo do governo para a área de defesa, que contempla a padronização de toda a frota de caças do País, inclusive uma versão embarcada para guarnecer um futuro porta-aviões a ser construído em parceria com a França.
O pacote que começa com 36 unidades envolverá a compra de um total de 120 caças.

Fonte: Agência Estado – 09/01/10


Portugal: A reincidência

Joaquim Ferreira do Amaral
O estudo apresentado esta semana pelo dr. Fernando Ulrich sobre o estado actual da dívida pública consolidada não deixa qualquer margem para optimismos.
O que em si mesmo é bom. Quanto mais cedo enfrentarmos de frente a realidade, que é muito negra, menor será o risco de atingirmos a situação explosiva referida pelo Presidente da República.
O estudo e os dados que fornece, não são surpreendentes. Infelizmente já todos sabíamos de antemão que era mais ou menos isso o que estava a ocorrer. Mas o seu carácter técnico e a abordagem integrada conferem-lhe uma credibilidade que é muito útil numa altura em que muitos se procuram refugiar em ilusões.
A história do crescimento galopante das responsabilidades do Estado fora do Orçamento através de estratagemas criativos, desde que assumimos compromissos para contenção do ‘deficit’, é uma história triste de irresponsabilidade pela qual esta e as futuras gerações pagarão bem caro.
Quanto a mim tudo começou com as famigeradas SCUT. Aí o Estado descobriu uma fórmula para se endividar a fazer auto-estradas à margem do Orçamento e dos limites de Bruxelas. A verdadeira dívida que dessa forma assumiu teve de ser disfarçada para fingir que não era dívida e saiu naturalmente caríssima ao Estado, muito mais cara do que se a tivesse assumido directamente. Era o preço que tinha que pagar para se endividar mais do que podia. O Estado incorreu portanto em custos extra para fazer mal a si próprio.
Descoberto o truque, o céu é o limite. Virtualmente qualquer despesa do Estado pode ter intermediação semelhante e ser integrada nas chamadas PPP – parcerias público-privadas.
A ideia das SCUT tem cerca de uma década e já começou a doer. Chegou a altura de pagar os compromissos assumidos e o Estado chega à conclusão de que não pode dispor facilmente de recursos para isso. O que era de prever, quando as contas apontavam para que, em velocidade de cruzeiro, os custos das SCUT deveriam ser superiores a todo o orçamento da antiga Junta Autónoma de Estradas. A situação alivia-se, mas não se resolve integralmente, reintroduzindo portagens, isto é, negando o próprio conceito de SCUT. Com a introdução de portagens as SCUT são oficialmente revogadas.
Esta é a melhor prova de que as SCUT foram um erro que nunca deveriam ter começado. Espanta por isso que na situação em que estamos e com a evidência à nossa frente embarquemos novamente em programas semelhantes, agora em bastante maior dimensão e de compromissos significativamente mais pesados.

Joaquim Ferreira do Amaral, Engenheiro
Fonte: Económico – PT – 09/01/10


Angola:Kwanza Norte vai implementar projecto de exploração mineira

Ndalatando – Um projecto de exploração mineira será implementado na província do Kwanza Norte, pela Empresa Nacional de Ferros de Angola (FERRANGOL) no quadro de parcerias público-privadas a serem estabelecidas, ainda este ano, disse hoje à imprensa, em Ndalatando, o presidente do conselho de administração da instituição, Diamantino Pedro Azevedo.

O responsável fez tais declarações no final de um encontro entre delegações do ministério de Geologia e Minas e do governo da província, encabeçadas pelo ministro de tutela e pelo governador do Kwanza Norte, Mankenda Ambroise e Henrique André Júnior, respectivamente, para avaliar a situação actual das concessões mineiras na região.

De acordo com o responsável da FERRANGOL a empresa detém os direitos de concessão para a prospecção, extracção e transformação de minerIos como o ferro, manganês e ouro, numa área de 37 mil quilómetros quadrado no Kwanza Norte.

O projecto, cujos custos não revelou, será implantado na reserva de Kassala Kitungo que incluem ainda as jazidas de Saia no município do Cazengo, Kitungo e Novo Oeiras em Kambambe, através de estabelecimentos de parcerias, esclareceu.
O arranque do projecto, que no ano passado já mereceu no ano passado, do parecer favorável do ministério de Geologia e Minas, aguarda apenas pela aprovação, em Conselho de Ministros, frisou o responsável.
O arranque do projecto aguarda apenas pela aprovação, em Conselho de Ministros, tendo o projecto beneficiado, o ano passado, do parecer favorável do ministério de Geologias e Minas que o submeteu ao órgão colegial do governo para a sua homologação, acrescentou.

Ligado ao projecto mineiro de Kassinga, na província da Huíla, na qual a empresa FERRANGOL detém igualmente os direitos de exploração, o Kassala Kitungo perspectiva arrancar na fase inicial com a extracção e transformação de ferro para a obtenção de aço e de manganês para a produção do ferro-liga, mediante a instalação de uma siderurgia na região que vai possibilitar a transformação, localmente, destes minérios.

Segundo o PCA da Ferrangol, estudos feitos ainda na época colonial, indicam que Kassala Kitungo possui reservas de ferro estimados em 600 milhões de toneladas, dos quais foram provados 100 milhões, e 35 milhões de toneladas de manganês.
Acrescentou que, paralelamente aos recursos minerais, a província do Kwanza Norte possui também capacidade energética suficiente, factores que podem tornar promissora e atractiva os investimentos para o sector mineiro na região.
Diamantino Azevedo referiu não estarem ainda definidas as quotas de participação financeira para os futuros parceiros, mas garantiu que a empresa quer reservar para si o direito de maior accionista.

A FERRANGOL é uma empresa do ramo mineiro com capitais público, detentora de direitos de concessões para exploração de recursos minerais nas províncias do Kwanza Norte e Huíla.

Fonte: Angola Press – 09/01/10


PE ganha 1ª regional do Sinaval

Desfrutando de prestígio no cenário econômico nacional graças a grandes investimentos, como a Refinaria Abreu e Lima e o Estaleiro Atlântico Sul (EAS), Pernambuco vem ganhando espaço em questões nas quais anteriormente atuava como ator secundário.
Ontem, durante evento na Casa da Indústria, foi inaugurado o escritório do Sindicato Nacional de Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval), regional Norte e Nordeste.
“O Estado tem mais dois estaleiros sendo encaminhados e tivemos uma recepção muito boa da Fiepe (Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco), que disponibilizou um espaço para ficarmos aqui”, salientou o presidente do Sinaval nacional, Ariovaldo Rocha.
A unidade é a primeira regional criada pelo Sinaval em 50 anos de atuação.
O órgão fará a ponte de relacionamento com os empregados da área e com o Governo Federal no tocante a investimentos e financiamentos. “Esse escritório é um claro sinal da descentralização no polo naval brasileiro”, salientou o coordenador do sindicato regional e presidente do EAS, Angelo Bellelis.
O presidente da Fiepe, Jorge Côrte Real, comemorou a parceria e informou que o Sinaval passa a ser o 38° sindicato associado à Federação, pagando uma taxa mensal de contribuição para a instituição.
O escritório passa a funcionar na próxima segunda-feira e fica localizado no quarto andar.

Fonte: Folha PE – 09/01/10


Ronaldo e Zidane participam de jogo contra pobreza

O PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) e a Fundação Benfica vão organizar o sétimo jogo contra a pobreza no dia 25 de janeiro em Lisboa, com a participação de Ronaldo e Zinedine Zidane, segundo anunciou nesta sexta-feira o clube português.
Patrocinado pela Fifa, o amistoso, organizado a cada ano desde 2003, terá pela primeira vez o apoio da UEFA.
“Este evento mostra como o futebol pode ajudar a combater alguns fatores que contribuem para as desigualdades sociais, a pobreza, a exclusão e o analfabetismo”, declarou o presidente da UEFA, o francês Michel Platini, citado em um comunicado do Benfica.
A arrecadação da partida será dividida entre o PNUD e diversos projetos da Fundação Benfica na África lusófona.
Ao contrário dos anos anteriores, Zidane e Ronaldo, embaixadores de boa vontade do PNUD, jogarão no mesmo time, que enfrentará um combinado de estrelas do Benfica atuais e do passado.

Fonte: Diário do Grande ABC – 08/01/10


Grupo de alunos da rede pública participam de intercâmbio nos EUA

Trinta e cinco alunos da rede pública de ensino embarcam nesta sexta-feira (8) para os Estados Unidos para participar da oitava edição do Programa Jovens Embaixadores.
O intercâmbio cultural é uma iniciativa de responsabilidade social da Embaixada dos EUA no Brasil em parceria com os setores público e privado em ambos os países.
Os estudantes selecionados para o programa têm entre 15 e 18 anos de idade e são de baixa renda.
Além disso, têm um perfil de liderança, envolvimento com atividades de responsabilidade social, bom desempenho acadêmico e conhecimento da língua inglesa.
César Augusto dos Santos é de Floriano (PI) e vai participar do intercâmbio. Ele conta que foram muitos os processos de seleção, que incluíam prova oral e escrita. Ele reconhece que um dos fatores que contaram para sua aprovação foi o de já ter participado de trabalhos voluntários.
O estudante de 18 anos dava aula de reforço para crianças da sua comunidade.
O piauiense que nunca tinha viajado de avião teve sua primeira experiência ao voar de Teresina a São Paulo e diz que não ficou com medo. Agora, está ansioso para chegar aos Estados Unidos. “Estou ansioso, mas espero extrair o máximo de conhecimento da viagem para poder passá-lo adiante quando voltar”.

Fonte: Agência Brasil – 08/01/10


UPA de Igarassu será inaugurada na próxima segunda-feira

Esta será a segunda unidade da área Norte da RMR junto com a de Olinda; pacientes começam a ser atendidos na terça

Nesta segunda-feira (11), às 15h, será inaugurada Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Igarassu.
A UPA está localizada na BR-101 Norte, no bairro de Rubina, e foi batizada de Honorata de Queiroz Galvão, em homenagem a uma famosa enfermeira e parteira do município.
Mas a unidade, que vai trabalhar integrada ao Hospital Metropolitano Norte Miguel Arraes (HMA), só iniciará suas atividades na terça-feira (12).
Essa é a segunda das 12 UPAs que deverão estar em pleno funcionamento até o final do primeiro semestre de 2010.
De acordo com o Governo, a UPA de Paulista será entregue no próximo dia 18.
No último dia 4, a UPA de Olinda foi inaugurada.
A UPA Honorata de Queiroz Galvão terá capacidade para atender até 500 pacientes diariamente, nas especialidades de clínica médica, pediatria e traumato-ortopedia.
A unidade irá funcionar 24h, nos sete dias da semana, com a missão de resolver até 90% das demandas que chegarem à unidade.
Segundo o secretário executivo de Gestão e Coordenação Geral, Frederico Amancio, casos graves que requerem cuidados de alta complexidade serão encaminhados de lá para o HMA ou para os outros seis grandes hospitais da rede, o que vai depender do tipo de especialidade que o paciente necessita.
“A UPA de Igarassu, assim como a de Olinda, será uma das responsáveis por encaminhar os pacientes da área norte da RMR e, também, da Zona da Mata Norte, ao HMA”, explicou.
A UPA de Igarassu, assim como todas as outras unidades, tem aproximadamente 1,3 mil metros quadrados de área construída, dividida entre sete consultórios, área de acolhimento com classificação de risco, 18 leitos de enfermaria.
O Governo alerta a população que antes de procurar atendimento nas UPAs, busque os serviços das Unidades de Saúde da Família e das policlínicas.
UPAS
De acordo com o Governo, até o final de março também serão concluídas as obras das demais UPAs: as unidades da Imbiribeira, Caxangá, Torrões e Curado (todas no Recife), a UPA do Engenho Velho e a de Barra de Jangada (ambas em Jaboatão) e as do Cabo de Santo Agostinho e de São Lourenço da Mata. A última UPA a ficar pronta é a de Caruaru, no final do primeiro semestre.

Fonte: Da Redação do pe360graus.com – 08/01/10


Confirmada cooperação Brasil-Alemanha para Copa e Olimpíada

Acordo engloba áreas de infraestrutura e segurança
A edição de hoje (7/1) do Diário Oficial da União publicou memorando de entendimento firmado pelos governos do Brasil e da Alemanha sobre cooperação econômica, sobretudo no que diz respeito à infraestrutura e segurança, para a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, em 2016.
O acordo de cooperação foi firmado pelos dois governos durante visita oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Berlim, no final do ano passado.
Na ocasião, o governo alemão garantiu ajuda ao Brasil, entre outros pontos, na modernização da rede de transportes públicos e na ampliação de aeroportos.
A Alemanha também pretende ajudar o Brasil a incrementar as forças de segurança e a implementar medidas de proteção e combate à criminalidade.

Fonte: Agência Brasil – 07/01/10


Portos do Norte podem ser alternativa para escoamento da produção de MT

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja/MT) Glauber Silveira, diretores da associação e representantes do Movimento Pró-logística participam na próxima terça-feira (12) de audiência e reunião técnica sobre o Projeto do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram).
O encontro será realizado no Porto de Itaqui, em São Luis, empreendimento alvo do projeto.
A previsão é que o porto receba cerca de R$ 800 milhões em investimentos, que aumentará a capacidade de movimentação de grãos de 2 milhões de toneladas por ano (atualmente) para até 13 milhões de toneladas/anuais a partir de 2013.
O porto de Itaqui é um dos portos estrategicamente importantes para o escoamento da produção de grãos de Mato Grosso.
Glauber Silveira, afirma que a ampliação na capacidade de movimentação, com a construção de infraestrutura para grãos no porto, e obras estruturantes de transporte para se chegar até ele, aumentará o fluxo de cargas com produtos mato-grossenses nessa estação portuária, que por enquanto está limitada à movimentação de 2 milhões de toneladas vindas de todo o país.
“Os portos do Norte e Nordeste são muito importantes para o escoamento da produção de Mato Grosso, beneficiando principalmente os municípios localizados nas regiões Norte e Médio-Norte do Estado”.
Ele complementa dizendo que cerca de 15% das exportações brasileiras saem pelos portos dessas regiões, e que com os investimentos previstos no Projeto Tegram e em modais de transportes, que aumentarão o fluxo para os portos do Norte, esse percentual subirá para até 25% nos próximos 10 a 15 anos.
Glauber diz ainda que os embarques ao mercado externo pelos portos dessa região do Brasil proporcionam um ganho de um a quatro dias de navegação, dependendo do país de origem e de destino. Isso porque, embarcando o produto nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR), os navios têm que percorrer todo o trajeto rumo ao Norte, o que seria desnecessário saindo direto do Norte.
Os investimentos que estão cotados para serem aplicados na ampliação do porto de Itaqui serão provenientes de parcerias público-privadas (PPPs).
Do total estimado para o aporte financeiro (R$ 800 milhões), R$ 300 milhões serão investidos pelo governo federal, sendo uma parte com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o restante será de investidores do setor privado.
“É um grande projeto e que será fundamental para aumentar as exportações pela região Norte do país, usando tecnologias e proporcionando mais eficiência no transporte até o destino final”.
E entre os benefícios para o produtor, o presidente da Aprosoja já calcula que haverá redução nos custos com o transporte.
Como parâmetro, ele cita o porto de Santarém, no Pará. Conforme Glauber, cada tonelada exportada por esse terminal significará uma redução do custo logístico de 30% até 50%, do que o produto enviado aos portos do Sul e Sudeste, valor que vai depender do município no Estado onde o grão foi embarcado e do modal utilizado.
Na pauta dos diretores da Aprosoja e do Movimento Pró-logística estão também visitas na quarta-feira (13) e quinta-feira (14) a outros dois portos, o de Santarém e o de Vila do Conde, ambos no Pará.
Esse segundo ainda não opera com grãos, mas a perspectiva é que no futuro, com a conclusão da eclusa de Tucuruí e ramais de transporte, a exemplo da conclusão da ferrovia Ferronorte até Belém, o porto passe a receber soja e milho.
“Temos que trabalhar com projetos paralelos, para que se tenha estrutura portuária e de infraestrutura de acesso aos portos”, diz ao complementar que esses três portos serão estratégicos para aumentar e otimizar as exportações mato-grossenses de grãos.

Fonte: AgroNotícias – 08/01/10


Salvador cria ouvidoria para Copa

Cidadãos poderão fazer sugestões sobre obras de infraestrutura
A prefeitura de Salvador promete lançar em março próximo um canal de diálogo com o cidadão sobre o projeto da Copa 2014 na cidade, através da Ouvidoria Geral do Município (OGM).
Por meio do telefone 156, da internet e pelos balcões da Cidadania espalhados por pontos estratégicos da cidade, o cidadão poderá dar sugestões em relação ao projeto da Copa, informa a “Rádio Sociedade”, de Salvador.
A OGM realizará também audiências públicas, por meio do programa “Salvador em Debate”, que visa à realização de debates com a participação de representantes de todos os órgãos municipais envolvidos na organização do Mundial.
O objetivo principal da prefeitura é perceber o impacto das obras na vida dos cidadãos baianos. Segundo o coordenador municipal da Copa 2014, Leonel Leal, o foco do projeto são: mobilidade urbana, obras estruturantes, requalificação de equipamentos e serviços públicos, entre outros.

Fonte: Portal da Copa 2014 – 08/01/10