O fim de um tradicional hotel fundado por grupo pernambucano

O hotel Othon Palace de São Paulo, construído pela família pernambucana Bezerra de Mello, inaugurado em 1954, foi durante muitos anos o principal da capital paulista, os preferidos dos pernambucanos e que hospedou muitos chefes de estado e artistas famosos.

Com 267 apartamentos, tinha no 25º andar o restaurante Chalet Suisse, um dos melhores da cidade. Acabou entrando em decadência e fechado em 2008. Prédio de 26 andares, foi comprado pela Prefeitura de São Paulo e partir de hoje será sede da Secretaria de Fazenda.


Compaz Escritor Ariano Suassuna é eleito um dos três melhores projetos no Prêmio PMI

Compaz Escritor Ariano Suassuna – Crédito: Andrea Rêgo Barros/PCR

O Centro Comunitário da Paz Escritor Ariano Suassuna (Compaz), foi eleito um dos três melhores projetos na premiação concedida pela associação Project Management Institute (PMI/PE). A instituição é considerada a maior associação mundial sem fins lucrativos, voltada ao Gerenciamento de Projetos, atuando em 185 países. A Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Planejamento, Administração e Gestão de Pessoas, apresentou o Compaz dentro da IX Conferência de Gestão, Projetos e Liderança, que aconteceu na Universidade Federal de Pernambuco.

O objetivo do evento era estimular os debates, definindo o gerenciamento de projetos considerando limitações e variações. Os projetos que otimizavam estas variantes foram premiados. Atualmente, o Compaz Escritor Ariano Suassuna, no bairro do Cordeiro, tem mais de 9 mil pessoas cadastradas para participar de suas ações. São quase 2,4 mil vagas nas atividades esportivas e práticas integrativas e outras 1,5 mil atividades educacionais. A Biblioteca Jornalista Carlos Percol conta com uma média diária de acesso de 315 pessoas.

A ideia do Compaz é oferecer um espaço voltado para o combate à violência por meio de ações preventivas, reunindo em um único espaço lazer, esporte, educação e oferta de serviços. O Compaz Escritor Ariano Suassuna foi o segundo centro construído. O primeiro, Compaz Governador Eduardo Campos, está localizado no Alto Santa Terezinha.


Espaço que trabalha com ginástica cerebral abre em Piedade

Piedade vai ganhar um espaço que trabalha com ginástica cerebral. A doutora Ana Leão inaugura uma filial da rede Supera, no dia 30 de setembro. A partir das 9h, convidados renomados da área de saúde e nomes do cenário político de Pernambuco serão recebidos no coquetel de inauguração.

A rede trabalha com ginástica para o cérebro – Crédito: Divulgação / Supera

Durante o evento, também haverá uma palestra sobre Alzheimer. Com a proposta de conscientizar e informar sobre a doença, um certificado de conclusão será entregue para os alunos.


Evento fala debate sobre investimento em obras consorciadas

Encontro com construtoras, secretários municipais e estaduais discutiu sobre as novas oportunidades de investimento

Evento aconteceu no Sinduscon-PE
Evento aconteceu no Sinduscon-PE – Foto: Divulgação
O evento “Oportunidades de Investimento em Operações Consorciadas”, discutiu sobre as oportunidades de investimentos de empresas da construção civil em obras urbanas consorciadas. O encontro foi promovido pelo Sindicato das Indústrias da Construção Civil de Pernambuco (Sinduscon-PE), em parceria com Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal, Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e Conselho Curador do FGTS.O evento aconteceu no auditório do Sinduscon-PE, e contou com a presença de representantes de empresários da construção civil, secretários municipais e estaduais, além de representantes da Caixa e do FGTS, onde assistiram palestras sobre os benefícios das obras urbanas consorciadas, modelagem financeiras, experiências em obras e estruturação de parcerias público privadas para as obras consorciadas.Recife foi a primeira capital brasileira a receber o evento, por ser uma cidade importante no ramo de obras consorciadas. Segundo o presidente do CBIC, José Carlos Martins, “o evento é muito importantes para promover a comunicação entre os órgãos e as construtoras. As obras consorciadas apresentam um ganho muito alto na qualidade dos serviços”, destaca Martins.

Por: Matheus Jatobá, da Folha de Pernambuco


Sada inaugura pátio para cegonheiros em Goiana

Chamado de Complexo Goiana, o pátio fica a seis quilômetros da Fábrica da Jeep

Por: Marina Barbosa

Novo pátio para caminhões-cegonha

Novo pátio para caminhões-cegonhaFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Operadora logística que contrata os caminhões cegonha para a Fábrica da Jeep, a Sada Transportes e Armazenagem S/A inaugura um pátio logístico em Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, nesta terça-feira (19). A ideia é disponibilizar o espaço, que recebeu investimentos da ordem de R$ 120 milhões, como um centro de apoio para os cegonheiros que transportam os carros produzidos no Estado.

Na ocasião, a Sada comentou também os protestos de cegonheiros no Recife – os motoristas passaram um mês estacionados em ruas como protesto por falta de oportunidades de trabalho e cerca de 35 deles continuam parados na frente da Fábrica da Jeep. A categoria se diz preterida por trabalhadores de outros estados, quando a promessa era, à época da inauguração da fábrica, de priorizar mão-de-obra pernambucana para transportar os carros da Jeep.

Atualmente são 600 cegonheiros pernambucanos mais 30 contratados na Sada. E a empresa garante que o percentual firmado com a FCA está sendo cumprido. “Aqui temos hoje 95% dos nossos contratados diretos são de Goiana. De Minas Gerais só tem um, o gerente”, disse o presidente da Sada, Vittorio Medioli.

“O compromisso que firmamos com a FCA foi de gerar o máximo de progresso possível e contratar o maior número de pessoas possível no entorno da fábrica”, disse.

Chamado de Complexo Goiana, o pátio fica a seis quilômetros da Fábrica da Jeep e tem capacidade para receber 140 caminhões cegonha nos seus 134 mil metros quadrados. Este é o primeiro pátio logístico construído pela Sada em Pernambuco, mas outro empreendimento deste tipo pode ser construído no próximo ano em Ipojuca, perto do Porto de Suape, caso haja necessidade de mais apoio para as exportações dos carros da Jeep. Segundo a empresa, este segundo pátio já tem terreno adquirido e deve ser das mesmas dimensões que o de Goiana.

Ainda de acordo com a empresa, que tem sede em Minas Gerais, o complexo de Goiana é uma espécie de cidade dormitório que conta com estacionamento, área de manutenção, restaurante, dormitório, vestiário, área de lazer e suporte psicológico.

O espaço é necessário porque os cegonheiros não tinham um espaço para aguardar os carregamentos e descansar entre as viagens e, por isso, ficavam com os caminhões no pátio da Fábrica da Jeep.

Novo pátio para caminhões-cegonha

Novo pátio para caminhões-cegonha – Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco
Folha de Pernambuco

Doria mente: jato que usou é de advogado com contrato milionário sem licitação no governo Temer..

Por Joaquim de Carvalho

Doria chega a Palmas no avião do escritório de Nélson Willians e é recebido como candidato a presidente (Foto: Carlos Amastha/Facebook)

Esta reportagem é fruto de projeto de crowdfunding do DCM e está sendo republicada à luz da seguinte declaração do prefeito de São Paulo num vídeo: “Viajo com meu dinheiro, com meu avião”.

O avião utilizado pelo prefeito João Doria para ir em agosto a Palmas, no Tocantins, pertence ao escritório de Nélson Willians, advogado com ligações muito próximas de Michel Temer e o PMDB.

O escritório de Nélson Willians foi contratado, no ano passado, pela diretoria do Porto de Santos, antigo feudo político de Temer, para arbitrar uma disputa com a empresa Libra, uma das arrendatárias do porto para operações de contêineres, ao qual a empresa estaria devendo R$ 2,3 bilhões.

Não houve licitação para a escolha do escritório e sua contratação chamou a atenção também porque a Libra tem ligações com Temer.

Seus sócios doaram R$ 1 milhão para sua campanha a vice-presidente, em 2014. Pelo de arbitragem, o escritório pode receber R$ 23 milhões, 1% do valor da dívida.

A vinculação do escritório de Nélson Willians com os interesses de Temer também passa pelo processo de impeachment que tirou Dilma Rousseff do Palácio do Planalto.

Dois sócios de Nélson Willians prepararam o pedido de impeachment de Dilma Rousseff que Alexandre Frota levou a Brasília em 2015 – Cunha recebeu, mas colocou para votar outro pedido, o de Janaína Pachoal.

O avião do escritório de Nélson Willians também levou Frota para participar das manifestações pró-impeachment de Dilma, no dia da votação.

No governo Temer, além do contrato milionário com o Porto de Santos, Nélson Willians assinou contrato com o Banco do Brasil para administrar quase metade da sua carteira de processos na Justiça, depois de uma disputa rumorosa, que começou em 2014 e foi parar na polícia e no TCU, com a acusação de que o escritório teria cometido fraude para somar pontos na licitação.

Nélson na frente do Learjet: voo de ida e volta no mesmo dia, em avião inferior, sai por R$ 43 mil

Em maio, outro avião do escritório, o Citation PR-ARA, foi usado para levar Doria a Pirenópolis, em Goiás, no casamento da filha do governador Marconi Perillo. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, acompanhou o prefeito.

Procurado pelo DCM, Nélson Willians confirmou que cedeu o avião a Doria, de quem se diz advogado.

“Eu sou advogado e amigo dele há muito tempo e ele estava impossibilitado de usar o avião dele hoje. Em emprestei e agora, quando eu precisar, uso o avião dele, que é maior. A gente faz um banco de horas, isso é comum na aviação”, afirmou.

O senhor é advogado de João Doria em que casos? “Sabe aquele de Campos de Jordão (invasão de área pública)? Eu sou advogado dele nesse processo. Também em processos trabalhistas, e em processos dele e da Bia (mulher de Doria)”, disse.

Nélson Willians frequenta os eventos do grupo Lide, onde foi fotografado ao lado de Doria e do juiz Sérgio Moro.

Um voo de ida e volta entre São Paulo e Palmas em táxi aéreo está cotado a R$ 43 mil reais (este é o preço do frete em um King Air, inferior ao Learjet, modelo usado na viagem).

O compromisso de Doria em Palmas não era de interesse da prefeitura. Ele foi para lá a convite do senador tucano Ataídes Oliveira, para participarem juntos do 2.º Encontro Estadual do PSDB do Tocantins.

Em Palmas, Doria foi recebido por um grupo de pessoas com camisetas anunciado a candidatura dele a presidente. Em ruas da cidade, foram vistas faixas com  mensagens como “Tocantins quer Doria presidente” e “O Brasil precisa de gestão”.

A visita a Palmas faz parte de um circuito de viagens do prefeito. Ele também vai ao Recife (PE), Vila Velha (ES), Campina Grande (PB), Aracaju (SE) e Fortaleza (CE).

O que ele vai fazer nesses lugares? Campanha, claro — embora diga que o motivo é outro –, no avião do amigo que conseguiu bons negócios no governo Temer. Um sem licitação e outro com uma licitação em que o escritório de Nélson Willians foi acusado de fraude.

Advogado diz que é amigo e advogado de Doria, que o apresentou ao juiz Moro: ele e Doria trocariam horas de voo


Clientes podem trocar desconto nas compras por bônus no celular

Ao passar pelo caixa, o cliente é informado do valor economizado em razão das ofertas nos itens adquiridos e pode optar se quer o desconto diretamente no saldo final da compra ou receber o dobro do valor em crédito no celular

O Extra passa a oferecer aos seus clientes a opção de aproveitar os descontos oferecidos no final da compra em crédito no celular. O “Economia em Dobro”, disponível em todas das lojas Extra Hiper e Extra Super da região, é mais uma ação da marca que tem como objetivo oferecer alternativas para garantir o poder de compra de seus clientes e reforçar a economia gerada nas compras feitas nas lojas da rede. Por meio dele, o cliente pode ter o dobro do economizado na compra diretamente em bônus no celular, utilizando esse valor para fazer ligação, usar a internet ou enviar mensagens. O benefício está disponível para clientes pessoas físicas que possuem um número de celular ativo das operadoras Claro, Oi, TIM e Vivo de qualquer DDD.

Ao finalizar as compras, o operador de caixa informa ao cliente o valor do desconto, que poderá ser trocado pelo dobro em bônus de celular. Por exemplo, se ao final da compra for indicado no visor do caixa que o cliente economizou R$ 10, ele poderá escolher R$ 20 em crédito no celular. Para realizar essa troca, o interessado deve informar o número do celular pré-pago ou controle com DDD em que deseja receber o bônus digitando no diretamente no caixa. O crédito é concedido em até 24 horas após a realização da compra. O cliente receberá, também nesse prazo, um SMS confirmando a operação, que terá validade de 30 dias para utilização. Se preferir, em vez disso, o cliente pode optar pelo desconto real e ter o valor abatido no total da compra.

“O Extra tem como premissa oferecer as melhores ofertas, condições de pagamento e ações promocionais para o brasileiro garantir seu poder de compra. O ‘Economia em Dobro’ é mais uma ação com esse objetivo, pensada para que o cliente possa escolher qual a melhor forma de economizar e utilizar o seu dinheiro”, explica Jorge Pretz, diretor de marketing do Extra.

O cliente pode acompanhar o saldo de bônus e se informar sobre o regulamento do “Economia em Dobro” em https://economiaemdobro.com.br.


Sebrae apresenta projeto de empreendedorismo nas escolas

15º Congresso Internacional de Tecnologia na Educação abre as portas para o empreendedorismo

A inovação nas práticas educacionais como vetor para o começo de uma nova era na educação brasileira ganha amplo espaço de discussão dentro do Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, que chega à 15ª edição sob o tema “Educação e Tecnologia em Tempos de Mudança”. Para dar sua colaboração ao tema, o Sebrae em Pernambuco monta estande para apresentar seu projeto de Educação Empreendedora. O evento acontece entre os dias 20 e 22 de setembro, no Centro de Convenções, em Olinda.

O Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae é voltado para gestores de escolas e professores. Um dos propósitos do projeto é capacitar esses profissionais para identificar empreendedores em potencial e formá-los, incluindo o ensino na grade curricular das escolas. Dessa forma, a parceria é fechada entre a instituição e escolas públicas, através de prefeituras e o Governo do Estado, e privadas, por meio de contratação. Mais de 25 municípios pernambucanos já receberam essa capacitação, que já formou 612 professores e alcançou 5.255 estudantes, agora empreendedores em potencial.

“Nós estamos levando o projeto de Educação Empreendedora para o congresso para incentivar os professores e gestores de escolas públicas e privadas do estado a comprarem a ideia, e inserirem o empreendedorismo na grade curricular. Queremos que o estudante aprenda a empreender desde pequeno e leve isso até à universidade e sua atuação profissional no mercado”, explica Lívia Santos, analista do Sebrae, sobre a participação do Sebrae no congresso. O perfil do público do congresso é de gestores e professores e, mais de três mil deles, de todo o país, devem circular pelo Centro de Convenções e conhecer o projeto de Educação Empreendedora.

“A educação brasileira ainda possui fortes marcas de atraso associadas às estruturas do século passado. É preciso pensar e discutir a educação que queremos daqui para frente e os caminhos que devemos trilhar para isso. Maduro e consolidado, em sua 15ª edição, o Congresso contempla diversas atividades que motivam esse urgente processo de mudança”, pontua Josias Albuquerque, presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE, responsáveis pela realização do congresso.

Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae

A proposta do Programa está conectada com a missão do Sebrae que é a de “Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a Economia Nacional”. Assim, o projeto vem estreitar as relações com instituições de ensino formal, tanto no campo da expansão da oferta de educação empreendedora no ensino fundamental, médio e superior e técnico, como para a aplicação de soluções educacionais que abordam temas afins ao campo de atuação do SEBRAE.

SERVIÇO

Sebrae – Educação Empreendedora no 15º Congresso Internacional de Tecnologia na Educação

Onde: Centro de Convenções de Pernambuco| Av. Prof. Andrade Bezerra, s/n, Olinda.

Quando: 20 a 22 de setembro

Horário: 08h às 22h

Mais informações pelo site www.pe.senac.br/congresso.


Tradição e contemporâneo juntos na Casa Cor 2017 no Recife

Sebrae monta loja de artesanato ambientada na mistura temporal dos produtos desenvolvidos por pernambucanos

Desde 2001 na Casa Cor, o Sebrae promove o artesanato local no evento. Este ano, o Armazém Sebrae, como é nomeado espaço que foi montado, foi ambientado numa linha do tempo, misturando o artesanato de tradição com o contemporâneo e vai funcionar como loja e vitrine do artesanato local para arquitetos e público em geral.

A intenção do Sebrae no evento é divulgar o trabalho feito por artesãos locais, abrindo portas  e possibilitando novas negociações entre o artesão e o arquiteto. Para Fátima Gomes, analista do Sebrae, a Casa Cor é um espaço muito importante para o artesão se lançar no mercado. “O olhar do arquiteto para o artesão contemporâneo é muito importante, porque o produto dele vai se adequando e modificando a partir da demanda e das necessidades do mercado. A Casa Cor é o momento e o espaço ideal para esse contato acontecer”, pontua.

O Armazém Sebrae ocupa uma área de 31 metros quadrados e deve receber vinte e oito mil pessoas durante a realização do evento, entre arquitetos, decoradores, designers, artistas populares, artistas plásticos e artesãos, empresários dos segmentos da indústria, comércio, gastronomia, cultura e turismo, além do público geralO espaço recebeu curadoria e ambientação da arquiteta Roberta Borsoi e teve um investimento de R$ 80.000,00 do Sebrae em Pernambuco.

A CASA COR é um evento abrangente e diversificado, que movimenta o mercado de fornecedores e prestadores de serviço de arquitetura, paisagismo, decoração, design, construção civil, com possibilidades de aquecer diversos outros nichos de mercado. Desde 1987, a Casa Cor apresenta tendências e serve de palco para lançamentos de produtos. Costuma ser uma grande oportunidade para empresários fazerem negócio.

Artesãos selecionados para o Armazém Sebrae:

1 – José Abias – ( Igarassu)

2 – Roberto Vital (Igarassu)

3 – Jaime Nicola  – ( Jaboatão dos Guararapes)

4 – Marcos  Paulo ( Sertânia)

5 – Tapeçaria Timbi ( Camaragibe)

6 – Luiz Benicio ( Garanhuns)

7 – Ceramistas do Cabo – Mestre Nena ( Cabo de Santo Agostinho)

8 – Cestaria Cana Brava – Maria Adélia ( Pontas de Pedra (Goiana)

9 – Tiago Amorim ( Olinda)

10 – Projeto Ária Social ( Piedade)

11 – José Alves ( Recife)

12 – Marcelo Monteiro Lins ( Camaragibe)

13 – Emilio Saad Filho ( Camaragibe).

SERVIÇO

Armazém Sebrae na Casa Cor Pernambuco 2017

Quando: Quinta-feira, 21 de setembro até 12 de novembro de 2017

Onde: Avenida Rui Barbosa, 471, Graças.

Ingressos: R$40,00 inteira | R$20,00 meia


Museus do Recife participam da 11ª Primavera dos Museus

Pixabay

Para celebrar a arte e seu constante florescer, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura Cidade do Recife, mais uma vez se engaja na Primavera dos Museus, ação promovida, em todo o país, pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). A partir de hoje (18) até o dia 24, equipamentos culturais da cidade irão oferecer uma programação especial.

Com o tema Museus e Suas Memórias, o evento, promovido anualmente pelo Ibram, sempre no mês de setembro, tem o intuito de aproximar o público das instituições, fomentando atividades culturais e de lazer. A ação chega este ano à sua 11ª edição, com 900 museus participantes e mais de 2,5 mil atividades culturais sendo oferecidas, como exposições, visitas mediadas, palestras, oficinas e exibição de filmes, em 417 cidades de 25 estados mais Distrito Federal.

O objetivo do projeto é a valorização da memória institucional como elo essencial na memória construída e compartilhada a partir de diferentes perspectivas sociais, que têm no museu um importante ponto de conexão. A programação completa pode ser acessada aqui.

Confira o que estará em cartaz nos museus da Prefeitura do Recife:

MUSEU DA CIDADE DO RECIFE

Dia 20 – Oficina de aquarela experimental para crianças: Para crianças a partir dos 8 anos. Das 15h às 17h

Dia 23 – Oficina de Pintura Soprada: Para crianças a partir dos 8 anos. Das 10h às 12h

De 19 a 24 – Exposição 1817: Revolução Republicana: Estará aberta à visitação a exposição que marca o bicentenário da Revolução de 1817, retratando os acontecimentos da época e sua relação com o presente. Com opção de oficina de confecção de bandeiras. Para todas as idades. Das 9h às 17h

Serviço: O Museu da Cidade do Recife fica no Forte das Cinco Pontas, Bairro de São José. Informações: (81) 3355-9540 (81) 3355-9558 ou museucidaderecife@gmail.com

MUSEU DE ARTE MODERNA ALOÍSIO MAGALHÃES (MAMAM)

Dias 19 e 23 – Contação de história: Para pequenos recifenses conhecerem mais sobre a história do museu e da cidade. Para crianças. Das 14h às 15h no dia 19 e das 15h às 16h, no dia 23.

Dia 20 – Stencil, destacando a concepção dos Ladrilhos do Mamam: Oficina será dedicada a estudantes e interessados em técnicas artísticas. Das 14h às 17h

Dia 22 – Visita ao acervo permanente: Com mais de 1,1 mil trabalhos de artistas como João Câmara, Vicente do Rego Monteiro, Aloísio Magalhães, Gil Vicente, Lula Cardoso Ayres, Abelardo da Hora, Gilvan Samico e Vik Muniz, o acervo do museu estará disponível. A visita deve ser agendada pelo e-mail: educmamam@gmail.com. Das 14h às 15h

Dia 23 – Carimbo e memória: Uma oficina para brincar e testar materiais e fontes diversas para carimbos. Para crianças de 6 a 12 anos. Das 14h às 15h. Na mesma data e horário, será oferecida a oficinaAloisio Magalhaes e os Cartemas. Para crianças de 6 a 12 anos

Dias 19 a 24 – Exposição Carimbos, de José Claudio, e 30 Capas do Suplemento Pernambuco: Abertas à visitação de terça a sexta, das 12h às 18h e sábado e domingo, das 13h às 17h

Serviço: O Mamam fica na Rua da Aurora, nº 265. Entrada também pela Rua da União, nº 88, Boa Vista. Informações: 3355-6871ou educmamam@gmail.com

(PCR)


Santo Amaro ganha espaços públicos requalificados

img_alt

O prefeito Geraldo Julio inaugurou, na noite desse domingo (17) duas praças que vão atender a um dos bairros mais movimentados do centro do Recife. (Foto: Andréa Rêgo Barros)

O bairro de Santo Amaro recebeu dois de seus espaços públicos de cara nova. O prefeito Geraldo Julio inaugurou, neste domingo (17), a praça Vereador Carlos Duarte, localizada na Rua da Veiga, no cruzamento com a Rua Capitão Lima, e a Praça Monsenhor Guedes, ao lado da Paróquia Nossa Senhora da Piedade, na Rua Capitão Lima, que foram totalmente requalificados para o uso da população. A reforma e ordenamento dos locais é fruto de parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, com um investimento total de 170 mil reais.

“São dezenas de pessoas que passam por essas praças, todos os dias, e que agora terão um espaço mais adequado para circular, fazer seus lanches. Um espaço organizado, bonito e limpo, como a cidade merece”, destacou o prefeito Geraldo Julio.

As obras tiveram início em maio deste ano, e incluíram toda a pavimentação dos locais, com implantação de área verde, rampa de acessibilidade e estacionamento com vaga para pessoas com deficiência. Equipamentos como postes de iluminação pública, bancos de praça e lixeiras também foram instalados. Além disso, o quiosque de água de coco que funciona na Praça Vereador Carlos Duarte e os dois fiteiros localizados no canteiro da Rua Capitão Lima, na Praça Monsenhor Guedes, foram substituídos por estruturas mais modernas, construídas com material sustentável, beneficiando os comerciantes da localidade.

“Pra gente foi maravilhoso. Temos agora um espaço amplo, pra atender e servir nossos clientes melhor. A iluminação também favorece a segurança e a visibilidade do nosso quiosque, já que abrimos tão cedo para atender os jornalistas que circulam desde cedo aqui na região”, afirmou Elizabete  Batista, comerciante que atua há mais de vinte anos no local e que foi uma das beneficiadas com um quiosque reformado do local.


PCR entrega Praça Souto Filho na Jaqueira revitalizada e com o mais novo ParCão da cidade

img_alt

Mais conhecida como Praça dos Cachorros, o espaço público, localizado no bairro da Jaqueira, recebeu diversas melhorias e agora vai contar com uma área dedicada aos cães, iluminação em LED e brinquedos novos para a criançada. (Foto: Andréa Rêgo Barros)

Os frequentadores da Praça Souto Filho, já popularmente conhecida como Praça dos Cachorros, terão um motivo a mais para comemorar. A praça, agora completamente revitalizada, também fará jus ao apelido e abrigará o mais novo ParCão da cidade para os animais brincarem livres e soltos. O prefeito Geraldo Julio esteve na manhã deste domingo (17) no espaço público localizado no bairro da Jaqueira para realizar a entrega do equipamento, que teve suas obras executadas pelo município, através da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), em parceria com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), em um investimento de R$ 446 mil.

“Fizemos a recuperação de toda a praça, brinquedos, iluminação, e o segundo ParCão da cidade, tudo isso fruto de uma parceria com a Celpe, já que p Brasil está passando por um momento delicado de crise, é importante mantermos, firmar e fortalecer parcerias. O nosso primeiro ParCão no Parque Santana é um sucesso, esse com toda certeza também será”, destacou o preferido Geraldo Julio.

A Celpe, além de apoiar na reforma, também será a adotante da praça, com exceção da área destinada aos cachorros, que será cuidada pelo Plantão Veterinário. As empresas ficarão responsáveis pela execução dos serviços de limpeza e conservação do espaço. Já o paisagismo, as manutenções dos brinquedos e da iluminação pública permanecem sob a gestão da administração municipal, por meio da Emlurb.

A Praça Souto Filho teve sua iluminação completamente renovada. As antigas luminárias de vapor metálico foram trocadas por 44 modernas luminárias de LED, que representa um ganho significativo na projeção e na potência da luminosidade no espaço público, contribuindo, inclusive, para melhoria da segurança dos frequentadores durante a noite. A reforma do equipamento, que ocupa uma área de 5.582,46 m², entre a Rua do Futuro e a Av. Rosa e Silva, também abrangeu a construção de um novo passeio público com calçadas feitas em concreto e blocos intertravados; rampas de acesso para pessoas com deficiência; novos bancos de madeira; instalação de parque infantil com brinquedos de ferro e manutenção da arborização.

“O espaço ficou muito bonito e está agregando famílias e diversos donos de cães. Além de um espaço de lazer para os bichinhos é um espaço de interação entre os animais, entre os donos e ainda entre as crianças, que também podem brincar nos brinquedos novos”, falou Regina dos Santos, administradora que foi ao local com o seu cãozinho.

O parque destinado aos cachorros ganhou um circuito agility, que consiste em fazer o cão percorrer um circuito de obstáculos no menor tempo possível e com o menor número de faltas. Além do espaço para os cães, o lugar recebeu uma atenção especial no paisagismo. Foram plantadas novas mudas de palmeiras, além de gramado novo e plantas forrageiras ornamentais, e ainda o antigo gradil que cercava a praça foi removido e as grades foram restauradas, reaproveitadas e protegem agora as áreas do ParCão e do parque infantil.

Todas as melhorias no espaço público foram discutidas juntamente com os moradores do bairro da Jaqueira em consultas públicas realizadas no final do ano passado. Durante o processo, os moradores puderam trazer suas sugestões para o projeto desenvolvido.

INVESTIMENTO – Desde 2013, a Prefeitura do Recife requalificou aproximadamente de 150 áreas verdes, incluindo praças e parques. O total investido foi de aproximadamente R$ 18,2 milhões. Atualmente existem 94 praças adotadas na capital.


Estudo: mais de 80% das empresas brasileiras têm irregularidades

No comércio, há irregularidades em 96% dos estabelecimentos

A pesquisa foi feita a partir de uma amostra de 2.550 companhias em todos os estados brasileiros / Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A pesquisa foi feita a partir de uma amostra de 2.550 companhias em todos os estados brasileiros

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Um estudo aponta que 86% das empresas brasileiras estão com algum tipo de irregularidade perante os órgãos de controle. A organização internacional Endeavor, que publicou o levantamento, faz ações para fomentar o empreendedorismo no Brasil e em outros países. As pendências incluem atrasos no pagamento de impostos ou não cumprimento de exigências de prefeituras ou da Receita Federal.

No comércio, há irregularidades em 96% dos estabelecimentos, enquanto na indústria, 92% das empresas não estão completamente regularizadas. A pesquisa foi feita a partir de uma amostra de 2.550 companhias em todos os estados brasileiros.

O estudo atribui os altos índices de irregularidade à complexidade da burocracia no país. “Esse valor ilustra a complexidade e as dificuldades impostas pelo ambiente regulatório e a disparidade entre as exigências impostas pelo Estado e a realidade das empresas”, diz a publicação.

A entidade chama atenção para o fato de que os índices de irregularidade são elevados mesmo entre os escritórios de advocacia (80%) e de contabilidade (88%), ramos que, em tese, deveriam estar mais preparados para lidar com burocracia e normas.

Como exemplo da dificuldade em manter as empresas regulares, o estudo cita que o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) teve 558 atualizações em quatro anos. “Ou seja, cerca de uma atualização a cada três dias. Além da mudança constante na legislação dos impostos, as empresas precisam cumprir uma série de obrigações acessórias para comprovar ao Fisco que o pagamento e as exigências legais estão sendo feitos da forma correta”, destaca.

Empresas inativas

As dificuldades causadas pelo excesso de normas e obrigações também gera, segundo a pesquisa, um número elevado de empresas que continuam existindo sem funcionar. A estimativa do estudo é que 20% dos inscritos no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) estejam inativos, representando 3,7 milhões de empresas.

“O alto número de empresas que não ‘fecharam as portas’ formalmente geram um custo de ineficiência para a economia, pois há muitos recursos – tangíveis e intangíveis – paralisados pela situação inconclusiva e que poderiam ser realocados em formas mais produtivas, seja em um novo empreendimento ou em um já existente”, acrescenta o documento.

Soluções

O estudo aponta ainda algumas medidas que poderiam reduzir a burocracia e facilitar a abertura e fechamento de empreendimentos. Entre as propostas defendidas estão as de integrar os diferentes órgãos e secretarias, simplificar e automatizar as cobranças tributárias e inverter a lógica de fiscalização, dando mais valor nas autodeclarações dos empreendedores.

ABr


Real Hospital Português do Recife comemorou 162 anos neste sábado

Sessão solene marcou o aniversário – Crédito: Divulgação/Hospital Português

O Real Hospital Português comemorou, neste sábado, os 162 anos da instituição. O evento, comandado pelo provedor Alberto Ferreira da Costa, teve início às 9h, com missa de ação de graças na capela do Hospital. A celebração foi do bispo-emérito de Petrolina Dom Manoel Reis. O governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife Geraldo Júlio prestigiaram o ato litúrgico.

Governador e prefeito prestigiaram a missa ao lado do provedor Alberto Ferreira da Costa – Crédito: Divulgação/Hospital Português

Após a missa, os convidados participaram de sessão solene no Salão Nobre, com participação do Coral Encanto, formado por colaboradores do hospital, com regência do maestro Tarek Bispo. O coral apresentou os hinos do Brasil e Portugal. A desembargadora e presidente da Academia Pernambucana de Letras Margarida Cantarelli foi a oradora do evento, fazendo a saudação ao aniversário da instituição. Depois, ela e o empresário Marcos Ramos receberam o título de sócios beneméritos do RHP.

Margarida Cantarelli e o empresário Marcos Ramos receberam título de sócios beneméritos –
Crédito: Divulgação/Hospital Português

Por fim, houve a entrega da Comenda de Excelência Médica, ao médico nefrologista Pedro Feitosa, que tem mais de 40 anos de trabalho no hospital. A comemoração se encerrou com o tradicional corte do bolo e coquetel com comidas portuguesas. Veja algumas fotos:

Celebração inicou com missa de ação de graças na capela do RHP – Crédito: iDivulgação/Hospital Português

Prefeito Geraldo Julio assistiu a missa ao lado da primeira-dama Cristina Mello e do provedor Alberto Ferreira da Costa- Crédito: Divulgação/Hospital Português

Crédito: Divulgação/Hospital Português

Crédito: Divulgação/Hospital Português

Crédito: Divulgação/Hospital Português

Crédito: Divulgação/Hospital Português

Crédito: Divulgação/Hospital Português

Crédito: Divulgação/Hospital Português

Margarida Cantarelli foi a oradora do evento – Crédito: Divulgação/Hospital Português


Primeiro hotel da rede Four Seasons no Brasil será em São Paulo

Crédito: Four Seasons/Divulgação

O centenário Grupo Cornélio Brennand, por meio do seu braço de desenvolvimento imobiliário Iron House, anuncia para 2018 a inauguração do luxuoso Four Seasons Hotel and Private Residences São Paulo at Nações Unidas, o primeiro hotel da rede Four Seasons no Brasil.

O empreendimento inovador tem 28 andares com 154 quartos de hotel nos primeiros 15 pavimentos e 84 Private Residences estrategicamente localizados nos 12 andares mais altos.

Com infraestrutura que une segurança, gestão impecável, elegância e sofisticação, o projeto foi desenvolvido pelo escritório de arquitetura norte-americano HKS Architects em parceria com o brasileiro Aflalo/Gasperini Arquitetos.

Os interiores dos apartamentos são assinados pelo premiado arquiteto Arthur Casas. O complexo multiuso Parque da Cidade, onde o Four Seasons Hotel and Private Residences São Paulo at Nações Unidas está inserido, é desenvolvido pela Odebrecht Realizações.


Casa Cor Pernambuco será lançada com festa para 700 convidados

Carla Cavalcanti e Isabela Coutinho – Crédito: Gleyson Ramos/Divulgação

Isabela Coutinho e Carla Cavalcanti comandam festão para 700 convidados, quinta-feira, a partir das 19h, para a abertura da CASACOR PE 2017, no casarão tombado na Av. Rui Barbosa, 147. A superintendente nacional da CASACOR, Lívia Pedreira, já confirmou presença.

A mostra vem com 45 ambientes assinados por 85 profissionais da decoração do estado. As franqueadas antecipam que a sustentabilidade e a integração de ambientes inspiraram muitos projetos. A abertura para o público será na sexta, dia 22, com programação até dia 12 de novembro.

A mostra seguirá até o dia 12 de novembro – Crédito: Divulgação/Casa Cor


Competição de duathlon Power34 Recife reunirá entusiastas da bicicleta e do ciclismo

Por Caio Wallerstein/Especial para o Blog João Alberto – DP

Crédito: Power34/Divulgação

Ciclismo e corrida podem ser mais do que um hobby. Exemplo disso é o duathlon, esporte que une ambas as atividades físicas em uma só, combinando velocidade, força e resistência. Em crescimento no estado, a modalidade terá no dia 8 de outubro um grande evento no Recife. Trata-se da segunda edição do Power34 Recife, competição que deve reunir cerca de 500 atletas de alto rendimento e amantes da modalidade na Via Mangue.

Segundo o organizador do evento, Carlos Alexandria, a intenção da prova é agregar todos os interessados no esporte, independente da experiência. “Temos distâncias que podem ser percorridas por pessoas de qualquer idade e condicionamento físico. Pode-se dizer que nosso evento serve como uma porta de entrada para o universo do duathlon, para que pessoas que não são iniciadas também possam ter o primeiro contato”, explica.

Carlos Alexandria, organizador do Power34 Recife – Crédito: Gabriel Melo/ Esp.DP

As provas de duathlon contam sempre com dois percursos de corrida, intercalados por um de ciclismo. As diversas categorias da corrida abrangem tanto os atletas de rendimento quanto aqueles que buscam no esporte uma maneira de manter a saúde em dia. A distância mais longa, a Standard, conta com 55 km de distância (sendo 40 km deles de bicicleta), enquanto a mais curta tem 15 km, sendo 10 km de bicicleta.

A Secretária Executiva de Esportes do Recife, Yane Marques, destaca o crescimento das modalidades no estado. “Este evento representa muito o novo momento do esporte que estamos vivendo no Recife. É também o atendimento às demandas da comunidade esportiva, especialmente de grupos de ciclistas, que é um grupo muito unido e que sempre clama por competições e eventos desse esporte na cidade”, coloca.

A Secretária Executiva de Esportes do Recife, Yane Marques, destacou o crescimento do Duathlon em Pernambuco – Crédito: Peu Ricardo/DP

Para o presidente da Federação Pernambucana de Triathlon (Fepetri), Victor Lima, a competição é uma oportunidade de valorizar os competidores locais. A prova, inclusive, contará pontos para o ranking pernambucano do esporte. “O Power34 Recife possibilita que atletas que não tem disponibilidade de viajar participem de uma prova de alto nível, que não deixa nada a desejar com relação a outros eventos mais consolidados”, diz o presidente.

Inclusão

Além das categorias Standard, Sprint e Mini-Sprint, o Power34 Recife ainda contará com outras que promovem inclusão. Uma é a PNE Sprint, voltada para pessoas com deficiência. Uma conquista elogiada pelo paratleta Geison Rodrigues, que fez a demanda junto à organização da corrida. “Vi a necessidade de levantar a bandeira da inclusão na corrida. A proposta foi recebida com muito entusiasmo e é uma oportunidade muito boa de enriquecer o evento e ajudar os paratletas”, elogia.

Paratleta Geison Rodrigues – Crédito: Arquivo Pessoal

Outra série que será oferecida é a infantil, destinada para crianças a partir de 7 anos. Nesta modalidade, crianças de baixa renda, treinadas pelo projeto social Rolnan Esportes, participarão sem pagar inscrição. “Temos notado que o Power34 Recife tem uma preocupação com o social. Alexandria sempre teve preocupação com a base do triathlon”, pontua Rolnan Gueiros, treinador do projeto social.

Serviço

Power34 Duathlon
Local: Via Mangue
Data: 8 de outubro, a partir das 5h
Inscrições: Até 04 de outubro
Preços: R$ 55 (Duathlon Kids), R$ 175 (Duathlon Mini-sprint), R$ 195 (Duathlon Sprint), R$ 225 (Duathlon Standard e Contra-relógio em equipes), R$ 350 (Revezamento masculino e feminino)

Distâncias:

Standard – 10 km corrida | 40 km ciclismo | 5 km corrida
Sprint – 5 km corrida | 20 km ciclismo | 2,5 km corrida
Mini-sprint – 2,5 km corrida | 10 km ciclismo | 2,5 km corrida

Infantil:

7 a 9 anos – 500m corrida | 1 km ciclismo | 500m corrida
10 a 12 anos – 1 km corrida | 2km ciclismo | 1 km corrida
13 a 15 anos – 1 km corrida | 3 km ciclismo | 1 km corrida


Congresso Brasileiro de Mastologia será no Summerville

No mês de conscientização e luta contra o Câncer de Mama, denominado “Outubro Rosa”, Pernambuco sediará a 20° edição do Congresso Brasileiro de Mastologia, que acontecerá entre os dias 18 e 21 de outubro, no Hotel Summerville, em Porto de Galinhas, município de Ipojuca, no Litoral Sul do estado, onde serão discutidos vários temas relacionados à prevenção do câncer de mama, com a presença dos maiores nomes nacionais e internacionais da área.

As inscrições podem ser feitas no site www.mastologia2017.com.br  ou  no local do evento. O 20° Congresso Brasileiro de Mastologia é uma realização da Sociedade Brasileira de Mastologia, Regional-Pernambuco e Sociedade Brasileira de Mastologia


Muro de vidro blindado começa a ser construído em volta da Torre Eiffel

As obras chegam após uma série de ataques jihadistas na cidade nos últimos dois anos, que deixaram mais de 200 mortos

Torre Eiffel

Torre EiffelFoto: Divulgação

Paris começou, nesta segunda-feira (18), a construir um muro de vidro blindado em volta da Torre Eiffel para reforçar a segurança, perante o medo a um eventual ataque terrorista, informou a prefeitura da capital francesa.

As obras chegam após uma série de ataques jihadistas na cidade nos últimos dois anos, que deixaram mais de 200 mortos.

Será instalada uma parede de vidro à prova de balas em torno dos jardins do monumento, no valor de 30 milhões de euros. As obras serão concluídas em maio de 2018, indicou à AFP o responsável de Turismo do governo local, Jean-François Martins.

O monumento, visitado por entre seis e sete milhões de pessoas por ano, já conta com uma patrulha de polícia permanente, mas em março os vereadores de Paris aprovaram por unanimidade um aumento da segurança no local devido à “ameaça terrorista especialmente alta”.

No mês passado, um jovem de 19 anos com antecedentes psiquiátricos se lançou contra um cordão de segurança segurando uma faca e dizendo que queria atacar um soldado.

Quase 7.000 soldados foram mobilizados no âmbito de uma operação antiterrorismo chamada Sentinela, para manter a segurança nas ruas, principalmente nos lugares turísticos, desde o ataque jihadista contra a redação da revista Charlie Hebdo, em janeiro de 2015.

Martins afirmou que as obras “não dificultarão a chegada de visitantes de nenhum modo”, e que os turistas ainda poderiam visitar a torre após passar pelos controles de segurança.

Em 2018 a torre de ferro, construída há 128 anos, começará a ser pintada e seus elevadores serão renovados – uma obra que levará dois anos. Além disso, será construído um novo centro de recepção a partir de 2021, disse Martins, acrescentando que o controverso projeto que previa a construção de um shopping center subterrâneo tinha sido descartado.

As autoridades buscam melhorar esse ponto turístico sem provocar uma redução no número de visitantes, tendo em vista os Jogos Olímpicos de 2024, que serão realizados na cidade.

No total, foram reservados 300 milhões de euros para melhorar a experiência dos visitantes da Torre Eiffel nos próximos 15 anos, sendo metade desse valor destinado à manutenção do monumento, inscrito no Patrimônio Mundial da Unesco.

Por: AFP


A nova corrida espacial – que agora é disputada por empresas

Cientistas trabalham em satélite
Image caption Em 2016, indústria espacial movimentou US$ 329 bilhões (R$ 1,02 trilhões) no mundo – e as empresas já respondem por 75% do total / Foto: Nasa

Desde os seus primórdios, com o lançamento do primeiro satélite Sputnik, em 1957, e o voo de Yuri Gagarin, em 1961, a exploração do espaço foi dominada pela rivalidade entre a União Soviética e os Estados Unidos. Nesta disputa tumultuada, empresas ficaram em segundo plano. Eram governos que custeavam os esforços.

Ainda que o primeiro satélite comercial do mundo, o Early Bird, tenha sido lançado em 1965, até recentemente a exploração comercial do espaço ainda estava praticamente limitada às grandes empresas de telecomunicações. Mas uma revolução está em curso.

Avanços tecnológicos estão transformando a forma tradicional da humanidade operar no espaço, e uma série de empresas estão prometendo viagens mais baratas, usando inovações como foguetes reutilizáveis e plataformas de lançamento horizontais.

Satélites estão ficando menores e custando menos para serem produzidos – hoje, há cerca de 1,5 mil orbitando sobre nós. Por meio deles, um grande volume de dados e imagens está vindo do espaço, e novos participantes desse mercado agora processam, interpretam – e vendem – essas informações.

“Hoje, conseguimos fazer com um equipamento que cabe em uma caixa de sapato o que só era possível com um aparelho do tamanho de um ônibus”, diz Stuart Martin, presidente da Satellite Applications Catapult, uma incubadora que ajuda empresas iniciantes, ou start-ups, do mercado espacial.

Subsídios

Foguete Electron
Image caption Empresa da Nova Zelândia é a única fabricante de foguetes que tem seu próprio complexo para lançamentos / Foto: Rocket Labs

O setor vem atraindo muitos investimentos. Em 2016, essa indústria movimentou US$ 329 bilhões (R$ 1,02 trilhões) no mundo – e as empresas já respondem por 75% do total.

Veja por exemplo o segmento de foguetes, nossa forma de chegar ao espaço. São os bilionários que estão à frente na área. Elon Musk e sua Space X usam foguetes Falcon 9 para levar suprimentos para a Estação Espacial Internacional, enquanto Jeff Bezos desenvolve com a Blue Origin os foguetes New Shepard e New Glenn.

Ambas as companhias já fizeram demonstrações de técnicas revolucionárias que permitem o pouso vertical de espaçonaves, algo fundamental rumo aos foguetes reutilizáveis. Enquanto isso, a Virgin, de Richard Branson, trabalha em uma forma de lançar satélites a partir do ar, junto com planos de realizar voos turísticos suborbitais.

Até agora, nenhuma das empresas da área opera apenas de forma comercial. “Todas têm muitos subsídios do governo, de uma forma ou de outra”, diz Stuart Martin.

Pequenos satélites

Refinaria em Taiwan
Image caption Ainda que o desenvolvimento de foguetes e satélites chame mais atenção, principais mudanças estão nos usos da informação coletada a partir do espaço / Foto: Planet Labs

Uma empresa da Nova Zelândia tenta mudar a forma como usamos o espaço. A Rocket Lab ainda está só começando a operar, mas é a única fabricante de foguetes que tem seu próprio complexo para lançamentos, na península Mahia, na Ilha Norte do arquipélago neozelandês.

Apesar de foguetes não terem mudado muito desde o Sputnik – ainda é necessário levar sua carga além do alcance da gravidade da Terra para colocá-la em órbita -, seria um erro pensar que a Rocket Lab é uma fabricante de foguetes comum, diz seu fundador Peter Beck.

O custo atual do lançamento de um foguete é de cerca de US$ 200 milhões, um fator decisivo para que, nos Estados Unidos, tenham ocorrido, por exemplo, apenas 22 lançamentos no ano passado. Beck diz que, quando seu novo foguete Electron estiver operacional, ir ao espaço custará US$ 5 milhões e será algo que ocorrerá “com frequência semanal”.

No centro da proposta da Rocket Lab está o foguete criado especialmente para colocar satélites pequenos em órbita. Ele é feito basicamente com fibra de carbono, e seus motores são produzidos com impressão 3D. Enquanto um motor comum demanda normalmente meses para ser produzido, “nós podemos fazer um em 24 horas”, diz Beck.

No primeiro teste, realizado em maio, o Electron atingiu com sucesso o espaço, mas não entrou em órbita. Dois novos testes estão programados.

Mais barato

Imagem infravermelha de plantações em Idaho
Image caption Imagens espaciais permitem informar agricultores sobre as condições do solo para melhorar sua colheita / Foto: Planet Labs

No momento, fabricantes de pequenos satélites pegam carona em lançamentos já previstos que têm um grande satélite como carga principal e espaço de sobra. Mas, com a demanda em alta pela observação da Terra, para fins meteorológicos, de turismo e na confecção de mapas, as empresas precisam de nova formas de chegar ao espaço.

Beck diz a Rocket Lab busca aproveitar essa oportunidade. Em vez de esperar por um lugar adequado em um grande foguete, “elas podem ir na internet, clicar em alguns botões e comprar um lançamento”.

Uma empresa disposta a usar o Electron é a Planet Labs, empresa de São Francisco que fabrica minisatélites que pesam apenas 4kg. “Há um grande mercado para satélites pequenos que podem ser usados em diversas missões”, diz o presidente da companhia, Will Marshall.

Diferentemente de satélites de telecomunicação comuns, que ficam em órbita geoestacionária a 35,7 mil km sobre a Terra, os satélites da Planet Labs, chamados Doves, voam muito mais baixo, a apenas 500 km. Isso significa que o satélite pode usar câmeras menores – o que reduz seu peso e custo a uma fração dos satélites tradicionais – e ainda assim conseguir imagens com uma boa resolução.

Ser pequeno e relativamente barato ainda permite que novos designs sejam testados e construídos rapidamente, diz a empresa. Em fevereiro, ela colocou 88 Doves em órbita. Em julho, foram 48. Agora, a Planet Labs afirma que pode fotografar cada ponto do planeta – todos os dias.

Marshall explica que reduzir o custo não implica apenas em um preço mais baixo para clientes, mas torna os dados coletados por satélites mais acessíveis. “Não só governos e grandes empresas podem comprar nossos dados. Qualquer pode fazer isso, seja um negócio pequeno ou médio ou uma ONG, um pesquisador, uma universidade.”

Novos usos de dados

Mina de ouro no Uzbequistão
Image caption Novas formas de processamento de imagens ‘permitem determinar se uma mina ficou mais profunda ou se sua pilha de resíduos cresceu’ / Foto: Planet Labs

Ainda que o desenvolvimento de foguetes e satélites chame mais atenção, as principais mudanças estão nos usos da informação que é coletada.

Fazendeiros e empresas de mineração já utilizam dados assim. Os agricultores podem ser alertados sobre as condições do solo para melhorar sua colheita. Pescadores são informados sobre a temperatura do oceano para saber onde achar peixes. Com fotos cada vez mais detalhadas, é possível identificar uma árvore específica, algo valioso para monitorar o desmatamento.

Uma empresa que está aproveitando esse grande volume de dados é a Terrabotics, do Reino Unido. “Em uma imagem normal, você fica limitado ao tamanho de um pixel, mas há muita informação entre os pixels capturados”, afirma seu presidente, Gareth Morgan.

“Processamos imagens em sub-pixels antes de ser feita qualquer análise. Criamos imagens com super-resolução, criamos uma base de dados 3D e colocamos isso em sistemas de inteligência artificial. Transformamos imagens em sinais, como ocorre com as ondas de rádio. Isso nos liberta das restrições do pixel.”

Morgan explica que isso permite, por exemplo, “ver uma mina e determinar como ela mudou – se ficou mais profunda ou se a pilha de resíduos cresceu”.

Competições e prêmios também estimulam inovações radicais. O desafio Ansari Xprize pediu que inventores desenvolvessem uma espaçonave tripulada reutilizável. Agora, o Google Lunar Xprize oferece US$ 20 milhões para a primeira equipe que levar um robô à Lua capaz de percorrer 500 metros e enviar imagens de volta à Terra.

Trata-se de criar incentivos à inovação e a novas formas de pensar sobre o espaço, diz Rahul Narayan, fundador da equipe Indus, de Bangalore, que não tinha qualquer experiência na área antes de decidir participar do desafio do Google.

“Nenhum de nós tinha trabalhado com ciência espacial, engenharia ou tecnologia. E isso foi bom, porque, se tivéssemos, nunca teríamos decidido fazer algo tão complexo assim.”

Passo enorme

Satélite Dove
Image caption Satélite Dove pode usar câmeras menores, o que reduz seu peso e custo a uma fração dos equipamentos tradicionais / Foto: Planet Labs

Sua equipe agora refina seu veículo lunar, que pesa 6 kg – se pousar na Lua, será um dos mais leves a fazer isso. O lançamento ocorrerá nos próximos meses. “Foi uma longa jornada para nós”, diz ele, destacando sua gratidão à Organização de Pesquisa Espacial Indiana, já que alguns dos pesquisadores aposentados da instituição estatal estão ajudando nesta missão.

Levar um veículo não tripulado à Lua pode não gerar um retorno comercial imediato, mas Narayan argumenta que, se conseguir tal feito, será “um passo enorme para que toda e qualquer empresa espacial privada do mundo tente fazer coisas assim no futuro”.

É a visão de um mundo em que satélites de baixo custo são transportados por foguetes mais baratos que podem ser lançados quando se quiser – tudo com o clique em um botão, sem precisar esperar por uma missão espacial governamental.

Mas essa nova corrida espacial tem seus próprios desafios, diz Gareth Morgan, da Terrabotics. O imenso volume de dados e imagens espaciais significa que os sistemas de inteligência artificial usados para analisá-los automaticamente precisam melhorar.

“Os sistemas atuais precisam receber um treinamento extensivo para serem capazes de reconhecer diferentes características por conta própria. Precisamos mudar a forma como a inteligência artificial funciona. O progresso está ocorrendo, mas ainda é muito recente.”

Mais informação pode ser algo bom, mas há aspectos éticos a serem considerados – afinal, todo mundo pode ser fotografado diariamente a partir do espaço. “Uma coisa importante para nós é que nossas imagens não permitam enxergar ou reconhecer uma pessoa”, reconhece Marshall, da Planet Labs.

E quem tem acesso a esses dados? Conforme satélites privados se proliferam e a revolução dos dados avança, seus críticos apontam ser necessário debater sobre os papéis dos setores público e privado no espaço. “Nós, tecnólogos, temos que ser os principais guardiões desses dados”, diz Marshall.

Rahul Narayan e seu veículo lunarDireito de imagem Getty Images
Image caption Rahul Narayan participa do desafio do Google, que oferece US$ 20 milhões à equipe que levar robô à Lua

Há ainda a questão dos detritos espaciais – já existem cerca de 30 mil objetos, grandes e pequenos, em órbita. “Teremos que lidar com esse problema”, afirma Marshall. “A indústria terá de começar a trazer essas coisas de volta, e não será fácil.”

Se o retorno em potencial para investidores é grande, também há muitos riscos. Foguetes podem explodir, falhar no lançamento ou colocar satélites na órbita errada. “Foguetes não são a melhor forma de faturar com o espaço”, diz Matt Perkins, que foi por dez anos o presidente da Surrey Satellites e hoje chefia a Oxford University Innovation, uma empresa de tecnologia da universidade britãnica de mesmo nome.

“A melhor forma de fazer dinheiro está no fim da cadeia – usando toda essa informação que vem do espaço. Conforme isso fica mais barato, surgirão oportunidades comerciais, com dados sendo utilizados de formas que nunca ninguém tinha pensado antes.”

Se o espaço é a nova fronteira de negócios, caberá à inventividade humana tirar proveito disso.

 –