Cabo de Santo Agostinho é a oitava cidade a receber implantação de esgotamento sanitário pelo Programa Cidade Saneada

cidade saneada

O Cabo de Santo Agostinho, um dos principais polos industriais de Pernambuco, e que reúne atrativos turísticos como as praias do Paiva e de Gaibu, está recebendo uma importante obra estruturadora de implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) do município.

Estão sendo investidos R$ 45 milhões na implantação da primeira etapa do SES que beneficiará mais de 30 mil pessoas moradoras dos bairros da Charnequinha, Cohab, Centro e Vila Social Contra Mocambo (São Judas Tadeu).

O Cabo é a oitava cidade da Região Metropolitana do Recife contemplada com obras de implantação de serviços de coleta, transporte e tratamento de esgoto por meio do Programa Cidade Saneada, a Parceria Público Privada (PPP) do Saneamento executada pelo Governo do Estado. O prazo de conclusão do empreendimento é julho de 2021.

A obra conta com quatro frentes de serviços atuando nas escavações e no assentamento de rede coletora de esgoto em ruas dos bairros da Charnequinha e Vila Social Contra Mocambo.

No total, está prevista a implantação de 24 quilômetros de tubulações nos quatro bairros, além da melhoria operacional de outros 21 quilômetros de redes já existentes nessas localidades. A primeira etapa do sistema também será composta por quatro estações elevatórias de esgoto (unidades de bombeamento) e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

“Essa obra é muito importante para o Cabo de Santo Agostinho, porque além de melhorar e expandir a infraestrutura de esgotamento sanitário, também contribuirá para a melhoria da saúde pública e o desenvolvimento da cidade”, pontua a presidente da Compesa, Manuela Marinho, informando que é esperado, durante o período da obra, a geração de 330 empregos diretos e indiretos, como vagas de carpinteiro, pedreiro, servente e operador de retroescavadeira. 

Ao longo da obra, as intervenções serão realizadas sempre de segunda a sexta-feira, no horário das 7h às 17h, e caso haja necessidade de ultrapassar esse período, a população do entorno será informada pelas equipes do Plantão Social.

Outras medidas também são empregadas para minimizar os impactos da obra, como uso de plataformas em aço para garantir a mobilidade de pedestres e veículos, sinalização de desvios no trânsito e prioridade no fechamento de valas. 

Com a conclusão da primeira etapa da obra, o Cabo de Santo Agostinho terá 20% da cidade com serviços de coleta e tratamento de esgoto.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *