Workhall Coworking abre segunda unidade

Daniela de Melo Mariana de Melo Maria Carolina Pimentel e Marcelo Wanderley Filho. Um dos primeiros espaços compartilhados abre nova operação no bairro do Parnamirim.

Um dos primeiros coworkings a abrir no Recife, o Workhall Coworking, localizado no bairro dos Aflitos, expande e ganha uma segunda unidade. A nova operação funcionará no bairro do Parnamirim, consolidando a marca na Zona Norte do Recife. O espaço conta com 15 salas privativas, mesas individuais e sala de reunião. A inauguração acontece nesta quarta-feira (09.10).

Com a nova unidade, a rede pretende aumentar o faturamento em 50% até o final deste ano e dobrar o número de atendimentos. O Workhall se instalou no Shopping ETC, no bairro de Aflitos, em 2016. Em 2018, a unidade Rosa Silva ganhou uma expansão que aumentou o espaço em 50%. Em três anos de operação, o primeiro espaço recebeu quase 2 mil clientes, entre pessoas físicas e jurídicas.

Seguindo o padrão da Rosa Silva, a unidade Parnamirim conta com espaços integrados e otimizados. Como diferencial, a unidade Parnamirim do Workhall, situada na Avenida Parnamirim, 416, primeiro andar, traz espaços inusitados como uma varanda gourmet inteiramente climatizada, favorecendo a integração e atendimento.

“Além de diminuir custos e oferecer várias praticidades aos empreendedores, os coworkings têm se consolidado como espaço propício à difusão da economia colaborativa. Ao formatar o projeto da nossa nova unidade pensamos em um ambiente que estimule a criação e produção com conforto e integração”, explica Daniela de Melo, sócia do empreendimento ao lado das empresárias Mariana de Melo e Maria Carolina Pimentel. No novo projeto contam com a parceria da Trois Barbearia, dos sócios Marcelo Wanderley e Marcelo Wanderley Filho.

MERCADO – O compartilhamento de espaços entre empresas já é uma realidade. Esse é um movimento irreversível. Só no Brasil, o mercado de escritórios compartilhados cresceu 500% nos últimos três anos. Fincado em números que estimam uma economia de até 50% se comparado ao modelo tradicional de trabalho, a perspectiva é que a tendência de busca e ocupação desses espaços continue ascendente.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *