Livraria abre no Recife Antigo com cem mil títulos, papelaria, cafeterias, vinoteca e espaço infantil

Livraria abre no Recife Antigo com cem mil títulos, papelaria, cafeterias, vinoteca e espaço infantil
Projeto arquitetônico da Livraria Jaqueira do Recife Antigo prezou por verde – Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem

Desde o fechamento da unidade da Livraria Cultura no Recife Antigo que muitos de nós, recifenses, sentimos que, ali, ficara um vazio. Não só físico, mas também afetivo, cultural, intelectual. A Livraria Jaqueira – que nesta terça (8) abriu as portas para convidados, e na quinta (10) recebe o público – esmera-se em preencher essa lacuna; ou melhor, em oferecer uma experiência similar à antiga ocupante. Nesse tempo em que livrarias bambeiam e livros são “atacados”, os sócios buscaram redefinir o que seria uma livraria hoje, e montaram um espaço de convivência – ou, como se disse no corte da fita, “uma comunidade de serviços que gera um espaço de encontros”.

Livraria atual remete à antiga, a Livraria Cultura – Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem

Os livros estão lá (e são cerca de cem mil títulos), mas outros produtos têm tanto apelo quanto, em outros espaços – os livros, no entanto, sempre ligando esses espaços. No térreo, próximo à entrada, há uma cafeteria rápida, para atendimento a quem está dentro e aos passantes, por uma janela para a rua lateral que dá para o Paço Alfândega. Café rápido, mas tirado de torrefação própria de grãos de diferentes origens. Ainda no térreo há papelaria e espaços dedicados ao público geek e às crianças – este, muito variado, abastecido de livros infantis a brinquedos e roupas.

Brinquedos na sessão geek, que se une ao espaço infantil – Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem

No primeiro andar, mais livros. De outro lado, uma vinoteca com cerca de 300 rótulos de três distribuidores, além de auditório, gráfica, espaço de música (com vitrolas e vinis, inclusive) e a cafeteria principal, numa proposta bistrô. Com cardápio da chef Taci Teti, servirá tanto lanches quanto refeições. São 150 lugares equipados com tomadas, para sentar e ficar. Banheiros, que não existiam na Livraria Cultura, foram incluídos no projeto.

Mais livros, dispostos no primeiro andar – Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem
Vinoteca terá sommeliers à disposição – Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem
Cafeteria oferece também refeições – Dayvison Nunes / JC Imagem

As arquitetas Fernanda Zerbone, Mariana Magalhães e Taciana Gomes, do escritório Ponto 5, primaram por deixar iscas de como era a Cultura, e assim pescam a nossa memória afetiva. Há também partes estruturais do prédio que remetem à antiga livraria, como as escadas, que continuam onde sempre estiveram. Logo à entrada, assumindo o espírito do novo locatário, banco de praça, uma kombi-revisteiro graciosa e uma árvore (que não é jaqueira e não é natural, mas que funciona no propósito de deixar o espaço “verde”). Sob ela dá pra ter uma prosa, ler uma poesia.

Kombi-revisteiro estacionada no térreo da livrara – Foto: Dayvison Nunes / JC Imagem

Uma programação musical também está entre os atrativos da livraria. No dia 18, apresenta-se o grupo Clave de Fá.

Social1 – JC


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *