DIA DO OVO:Um ovo, dois ovos, milhões de ovos em Pernambuco

Segundo dados da Avipe, Pernambuco é o maior produtor de ovos do Norte e Nordeste; conheça mais do setor no Dia Mundial do Ovo

Em média, 10 milhões de ovos são produzidos em Pernambuco todo santo dia / Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC
Em média, 10 milhões de ovos são produzidos em Pernambuco todo santo dia
Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC

Ângela Fernanda Belfort

Não tem para ninguém. Entra ano e sai ano e nada muda. Pernambuco continua sendo o maior produtor de ovos do Norte e Nordeste. A nível nacional, só ficamos atrás de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. Segundo dados atualizados da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe), são cerca de 10 milhões de ovos produzidos por dia e 14 milhões de frangos por mês no Estado.

E a expectativa, segundo afirmou o vice-presidente da Avipe, Edival Veras, é que 2019 termine com crescimento de 13% na produção de ovos e 3% na de frangos. Este resultado deve-se, muito, ao Agreste. A região, sozinha, responde por metade dos empreendimentos, empregos e produção da avicultura pernambucana.

Neste 11 de outubro, data que comemoramos o Dia Mundial do Ovo, vamos, abaixo, relembrar um pouco da importância do setor para o Agreste e Pernambuco.

As cidades do Agreste que mais se destacam na avicultura são: São Bento do Una, Caruaru, Garanhuns, Bezerros, Lajedo e Belo Jardim, que também abriga grandes produtores de frango de corte. “Somente em São Bento do Una, que é considerada a ‘capital do ovo’ do Norte e Nordeste, temos uma produção diária de 5 milhões de ovos”, explicou o presidente da Avipe, Giuliano Malta.

“Essa produção (no Agreste) vem desenvolvendo tecnologia, automação e propagando novos modos de produção que incorporam novidades nas áreas sanitária, de nutrição e genética”, afirma Edival Veras, da Avipe. No Agreste, são cerca de 50 empresas e 1.000 granjas gerando emprego para aproximadamente 75 mil pessoas, segundo a associação. 

A nível estadual, para a produção de ovos são necessárias 12 milhões de aves. Elas precisam ter uma dieta rígida, saudável e equilibrada de milho, soja e trigo. 

Capital do ovo

Uma parte dessa produção se concentra em São Bento do Una, o segundo maior PIB agrícola de Pernambuco, perdendo apenas para Petrolina, no Sertão, que é um dos maiores polos de fruticultura irrigada. O primeiro município responde por 8,5% da agropecuária pernambucana. Mesmo com a crise e a estiagem, o setor tinha uma participação de 41,76% do PIB daquele município em 2010. Em 2014, esse percentual passou para 55,16%. São produzidos cerca de 5 milhões de ovos por dia na cidade conhecida como a capital do ovo, de acordo com a Avipe e a Prefeitura de São Bento do Una.

É lá que o maior produtor de ovos do Estado está instalado. É a Granja Almeida, que produz cerca de 3 milhões de ovos por dia. “A cidade vem tendo aumento no PIB por causa da avicultura, principalmente pela produção de ovos”, disse a prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida (PSB). 

Ainda de acordo com a prefeita, o clima de São Bento do Una é muito sadio para a criação de animais, porque é estável e não apresenta variações bruscas. Ao contrário do frango de corte, o ovo tem um mercado de preço mais estável e, como é um produto mais barato, continua com o consumo aumentando mesmo em períodos de recessão econômica, segundo os produtores. Comparando 2016 com 2015, o consumo de ovos no País cresceu 15%, enquanto que o de frango aumentou 7,5% no mesmo período.

Os números da avicultura em Pernambuco

  • 100 empresas
  • 2 mil granjas
  • 10 milhões de ovos por dia
  • 14 milhões de frangos por mês
  • 150 mil pessoas trabalham no setor

*Estão no Agreste a metade dos empreendimentos, empregos e produção do setor

Fonte: Associação Avícola de Pernambuco (Avipe)

JC Economia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *