Caruaru ganha parque ambiental para preservar o rio Ipojuca

Projeto prevê intervenções para preservar o meio ambiente e valorizar o espaço público. Obras devem terminar em nove meses

Parque ambiental prevê preservação do rio

Com o objetivo de preservar o meio ambiente e valorizar o espaço público, está sendo implantando em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, o Parque Ambiental Janelas para o Rio. O projeto prevê uma série de intervenções para beneficiar o rio Ipojuca, protegendo suas margens e potencializando o papel do rio na paisagem urbana. Para a realização das obras, será feito um investimento de R$ 6 milhões, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O governador Paulo Câmara assinou a Ordem de Serviço e as construções já começaram.

O espaço será construído no terreno da Escola Municipal Altair Nunes Porto, no bairro do Cedro. As obras devem ser concluídas em um período de nove meses. Além de proteger as margens de usos indevidos, o projeto incentiva a recuperação dos afluentes, a convivência social e o exercício da educação ambiental.

O parque ocupará uma área aproximada de 6,65 hectares, sendo 1,58 hectares no lado norte e 5,06 hectares no lado sul, sendo 3,06 hectares de áreas reflorestadas. A estrutura contará com passeios (calçadas), arborização e vegetação paisagística, pista de corrida, passarela de pedestres sobre o rio, quadras esportivas, playgrounds, portaria, administração, quiosque, sanitários, bloco destinado à educação ambiental, área de reflorestamento, mobiliário urbano, sinalização e iluminação pública.

Para a secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, o projeto também integra o Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Rio Ipojuca (PSAIpojuca), o que pode garantir um melhor serviço de saneamento, além de melhora na qualidade da água. “Os municípios que fazem parte do rio e seus afluentes têm que ter uma melhor valorização do patrimônio ambiental. Caruaru é o primeiro a receber, e Gravatá já está em licitação para ter o seu parque. É um projeto para bem-estar social, educação ambiental, integração das localidades com a área de entorno, mais de 300 mil pessoas serão beneficiadas, e podemos comparar com o Parque da Jaqueira em Recife, pela questão da área. É uma forma de fazer controle urbano, e serão plantadas 5 mil mudas e mil árvores”, afirmou a secretaria
.
Todos os projetos da ação do PSAIpojuca estão orçadas em R$ 1 bilhão, e Fernandha conta que a ação pretende ainda reduzir o grau de poluição da bacia do Rio. “É uma ação de revitalização de bacia. Onde se tinha área de poluição ambiental, melhoram-se as margens e a questão quantitativa e qualitativa. E, quando se faz isso, melhora a gestão hídrica em quantidade e qualidade, e isso traz um benefício para os bairros do entorno e até mesmo do Estado. Dentro do PSA integramos ações de esgotamento sanitário.Essa bacia do Ipojuca nasce em Arcoverde e segue até Ipojuca, é uma bacia importante, que tem uma alta poluição, e esses projetos são positivos”, destacou.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *