Cabo de Santo Agostinho vai receber R$ 65 milhões para saneamento

O Governo do Estado assinou duas ordens de serviço. Uma para saneamento e outra para melhorar distribuição de água da cidade

Inauguração da rede de distribuição de água vai beneficiar cerca de 500 moradores da comunidade de Serrota, em Petrolândia

O Cabo de Santo Agostinho vai receber R$ 65 milhões para obras em abastecimento de água e saneamento básico. Duas ordens de serviço foram assinadas nesta quarta-feira (18), sendo uma para as obras da melhoria do abastecimento de água no município e outra para aumentar a estruturação do saneamento na cidade, que tem uma das menores taxas de saneamento de toda a Região Metropolitana do Recife, com apenas cerca de 7%. As obras serão executadas pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), e juntas vão beneficiar mais de 70 mil pessoas quando concluídas.

A implantação da primeira etapa do Sistema de Esgotamento Sanitário no Cabo de Santo Agostinho tem o valor de investimento estimado em R$ 45 milhões, e vai atender cerca de 22 mil pessoas, o que deve ampliar para 20% a cobertura do serviço na região. O prazo para conclusão dessa fase é estipulado para julho de 2021, e deve atender os bairros de Cohab, Charnequinha, São Judas Tadeu e Centro, que serão beneficiadas com o assentamento de 25 quilômetros da rede coletora, a instalação de mais de 3 mil ligações domiciliares, a implantação de quatro estações de bombeamento e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

Já o sistema de abastecimento de água do Cabo de Santo Agostinho, contempla os bairros de Cidade Garapu, Santo Inácio, Jardim Santo Inácio, Destilaria, Rosário e a localidade de Vila Claudete, com investimento de R$ 21 milhões em todo o projeto. As obras tem previsão de conclusão em dezembro do próximo ano, e integram o projeto a construção e energização de duas Estações Elevatórias de Água Tratada (EEATs), construção de Torre Piezométrica, implantação de Subadutoras de Água Tratada, Rede de Distribuição e instalação e substituição de ligações domiciliares.

De acordo com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, as obras são importantes para o projeto de sanear a Região Metropolitana nos próximos 10 anos. “É importante dar esse desdobramento de obras, temos um desafio enorme nos próximos anos e a obra está começando em um município estratégico. São duas obras fundamentais, e já em 2020 vai surtir efeitos importantes no abastecimento de água, e a partir de 2021 o saneamento da cidade”, destacou o governador.

O diretor de novos negócios da Compesa, Flávio Coutinho, reforça que ainda esta semana vai acontecer uma reunião para definir os próximos passos para início das obras. “Em torno de 7% do Cabo é saneado, e as obras vão permitir que tenha 20% de cobertura. A estrutura está sendo preparada para outras áreas do município, e futuramente outras obras serão feitas já se integrando a esse sistema construído”, disse Coutinho.

A secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, o prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Keko do Armazém e a presidente da Compesa, Manuela Marinho, participaram do encontro para assinatura da ordem de serviço.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *