Sinal verde para navios maiores em Suape

Resultado de imagem para suape porto

Líder em movimentação de contêineres no Norte/Nordeste, com 454 mil TEUs (medida equivalente a um contêiner de 20 pés) movimentados em 2018, o Complexo Industrial Portuário de Suape acaba de receber a aprovação da Marinha do Brasil para viabilizar o recebimento de navios porta-contêineres de até 336 metros.

Atualmente, a capacidade permitida é até 305 metros. Com essa sinalização positiva, segundo Leonardo Cerquinho, presidente do Complexo, até dezembro de 2019, o Porto de Suape poderá receber os navios com as maiores dimensões da América do Sul.

Os ajustes necessários exigidos pela Marinha antes da liberação dizem respeito ao calado dinâmico do local, que deve considerar variações de profundidades causadas pelos ventos e ondas.

Com o sinal verde final da Marinha, esperado no segundo semestre deste ano, expectativa é que até 2023, o movimento do porto passe para 700 mil TEUs e, até 2053, junto a outros investimentos como o Terminal de Contêineres II (Tecon II), chegue a dois milhões de TEUs.

“Iremos ganhar de longe da capacidade dos nossos concorrentes que são os portos da Bahia e do Ceará”, ressalta Cerquinho. A novidade é uma das vantagens que o porto apresentará na 25ª edição da Intermodal South America, maior feira internacional de logística, transporte de cargas e comércio exterior, que acontece até amanhã, em São Paulo.

“Na feira, com este posicionamento positivo da Marinha, já começamos a articular possíveis investidores para o Tecon II, que terá licitação aberta em julho desde ano e deverá ficar pronto até 2022”, completa o presidente do complexo industrial.

Ainda de acordo com Cerquinho, o equipamento ampliará a capacidade do terminal atual para 1,7 milhão de TEUs por ano e deve receber investimentos de R$ 1,2 bilhão. Ele terá 770 metros de cais e dois berços de atracação, numa área de 269 mil metros quadrados, com possibilidade de expansão de mais de 160 mil metros quadrados. O contrato de arrendamento será de 25 anos, prorrogável até 70 anos, e seu valor global estimado é de R$ 5,4 bilhões.

“A indústria naval vem se aprimorando e precisamos acompanhar esse desenvolvimento. Receber esses megaconteineiros é condição primordial para que Suape exerça sua vocação de Hub port no segmento. E as parcerias com a Praticagem de Pernambuco e a Capitania dos Portos de Pernambuco foram fundamentais para habilitar o porto nesse processo”, destaca.

Até então, Suape estava apto a receber navios de contêiner de até 305 metros de comprimento e 48 metros de largura, com capacidade de até 8 mil TEUs. Com as mudanças, passará a receber a classe Sammax, com 335 metros de comprimento por 48 metros de largura que tem capacidade de 9,7 mil TEUs e a New Panamax, tamanho similar, com capacidade para 14 mil TEUs. “Isso é um atrativo para quem precisa movimentar um número maior de mercadorias para o Brasil ou a região”, completa o gestor do porto.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *