Parque de aventuras recém-aberto em Gravatá ganha prêmio nacional

Quase dois meses depois de iniciar sua operação, durante o São João, o Parque de Aventura Karawá tã, localizado em Gravatá, obteve nesta quinta-feira o reconhecimento nacional da entidade que reúne as empresas de ecoturismo de turismo de aventura no Brasil, a ABETA.

O Congresso que está sendo realizado em Ilha Bela, em São Paulo, premiou o parque pernambucano pela forma de implantação do projeto,  de desenvolvimento sustentável, entretenimento ao ar livre, e integração com a natureza.

O Parque Karawá tã possui como âncora uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) de caatinga de 1 milhão de metros quadrados, na zona urbana de Gravatá, do lado oposto ao centro da cidade. A área total do empreendimento é de 160 hectares.

De acordo com a empresa, esta é a primeira edição do Prêmio ABETA Brasil Natural. O parque de Pernambuco foi agraciado na categoria Cardume, para novos associados com iniciativas que condizem com a missão e a visão da Associação, de acordo com a presidente da entidade, Teriana Selbach.

“O modo como Karawá tã vem se posicionando e trabalhando, até a realização desse sonho que é o parque, é um modelo que a gente acredita como sendo o ideal”, diz Teriana.

Ela disse que o parque participa dos eventos da ABETA há cinco anos, tendo visitado também parques associados que são referências, e buscado informações sobre como tudo funciona, antes da abertura do empreendimento.

“Além disso, buscaram dentro da base de associados ABETA os fornecedores de serviços e os parceiros de qualificação, fortalecendo a rede. Temos orgulho de ter Karawá tã como associado”.

O arquiteto Paulo Roberto Barros e Silva, idealizador do parque, diz que a premiação é sobretudo ao trabalho de pesquisa antes da inauguração.

“Mas também deve ser vista como uma conquista de todos os colaboradores e parceiros que acreditaram no projeto desde a fase de concepção. Foram anos de estudos, visitas técnicas e elaboração de propostas para conseguirmos viabilizar o que agora desponta como um case de desenvolvimento sustentável”, afirma Paulo Roberto.

“A participação na ABETA foi o primeiro passo do caminho de estruturação do parque, e não poderia ser diferente. Como entidade nacional com toda a credibilidade no setor de ecoturismo e turismo de aventura, a ABETA acolheu Karawá tã com entusiasmo, abrindo as conexões necessárias para que pudéssemos colocar o projeto em prática”, diz o arquiteto.

O Parque de Aventura Karawá tã dispõe de atrações como a maior tirolesa dupla do Nordeste, com 950 metros de extensão, a uma altitude de saída de 150 metros em relação ao solo. Há ainda outras duas tirolesas, 15 pontes de arvorismo, arco e flecha, trilhas abertas na reserva de caatinga, pistas de bike e espaço para as crianças. A estrutura de apoio conta com estacionamento, restaurante, lanchonetes, lojas de souvenir e trenzinhos puxados a trator, para o deslocamento das pessoas no parque.

O investimento total foi de R$ 15 milhões, com financiamento do Banco do Nordeste e da Agefepe.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *