Compesa investe em esgotamento sanitário de Bezerros

Companhia vai investir R$ 44 milhões em obras de esgotamento sanitário no município. A primeira etapa das obras tem duração de 18 meses, e vai beneficiar 35% da população.

Rio Ipojuca

Com um investimento de R$ 44 milhões, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai realizar obras de esgotamento sanitário no município de Bezerros, no Agreste Central. A previsão é que as obras tenham duração de 18 meses, a partir da assinatura da ordem de serviço, que será feita nos próximos dias, e deve beneficiar 35% da cidade.

O aporte financeiro vem de recursos do Governo de Pernambuco e financiados junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Do total investido, o aporte assegura a primeira etapa da obra, que contempla os bairros de São Pedro, São Sebastião, Cruzeiro, além do Centro da cidade. 

Esse foi o primeiro anúncio de obras da gestão de Manuela Marinho, que assumiu a presidência da Compesa na última segunda-feira. A gestora destacou que essa obra vai beneficiar boa parte da cidade. “Esse é mais um passo importante para o saneamento das cidades que estão inseridas na bacia do Rio Ipojuca, o que vai representar um ganho imensurável para o meio ambiente. Com essa primeira etapa do sistema concluída, a Compesa passará a se responsabilizar pela coleta e tratamento do esgoto de 35% da cidade de Bezerros, cidade que integra o polo têxtil de Pernambuco”, destacou a presidente. 

Com as obras de esgotamento sanitário no município, a expectativa é de que quando concluída, os moradores tenham uma qualidade de vida melhor, e que ela contribua de forma direta com a recuperação e despoluição da bacia hidrográfica do Rio Ipojuca. 

O investimento prevê a construção de uma Estação Elevatória de Esgoto, com um sistema de bombeamento, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e a implantação de 45 quilômetros de rede coletora. 

PSA IPOJUCA
A obra faz parte do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do rio Ipojuca (PSA Ipojuca), que prevê obras de implantação de sistemas de esgotamento sanitário em 11 cidades banhadas pelo Rio Ipojuca, com um investimento de R$ 1,2 bilhão, com recursos do governo do Estado e do BID. O PSA já tem obras concluídas em Tacaimbó, e fases de testes em Gravatá. As obras ainda estão em andamento em Caruaru, Belo Jardim e Sanharó. Em breve o PSA também deverá chegar ao município de Escada. O Programa tem previsão de encerrar as obras em 2020. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *