Zona Azul digital começa nesta segunda no Recife

Agora, os usuários que fizerem o download do aplicativo “Zona Azul Recife” podem comprar os créditos usados para ativar o serviço digitalmente

O período de transição das folhas de papel para os cartões de Zona Azul digital será de 1º a 31 deste mês / Foto: Diego Nigro/Arquivo JC Imagem
O período de transição das folhas de papel para os cartões de Zona Azul digital será de 1º a 31 deste mês
Foto: Diego Nigro/Arquivo JC Imagem

O Zona Azul Digital começa a ser oferecido aos usuários via aplicativo nesta segunda-feira (1º/07) pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) que pertence à Prefeitura da Cidade do Recife (PCR). Agora, os usuários que fizerem o download do aplicativo “Zona Azul Recife” podem comprar os créditos usados para ativar o serviço digitalmente. Isso vai acabar com a venda dos papeizinhos do Zona Azul feitos por flanelinhas que sempre cobram mais do que o valor do tíquete ( R$ 3). Nessa primeira fase, serão aceitas tanto o papelzinho comprado nos locais de estacionamento quanto a ativação digital do serviço.

“Quando o usuário for estacionar, ativa o serviço. Ele pode escolher entre ativar o serviço por duas horas ou por cinco horas”, explica o gerente geral de Engenharia de Tráfego da CTTU, Gustavo Sales. Segundo ele, no mesmo aplicativo, tem uma área própria para os fiscais do Zona Azul que vão usar o smartphone para ler a placa dos carros estacionados, identificando aqueles que estão com o cartão Zona Azul ativados digitalmente. Serão multados os veículos que estiverem sem o cartão digital ativado ou o papel impresso.

Transição

O período de transição das folhas de papel para os cartões de Zona Azul digital será de 1º a 31 deste mês. Durante esse intervalo de tempo, os usuários poderão usar as folhas de papel antigas ou então trocá-las por “créditos digitais” que vão ficar dentro do próprio aplicativo. Essa troca pode ocorrer na sede da CTTU, localizada no Bairro de Santo Amaro.

A partir de 1º agosto, a ativação da vaga do estacionamento será feita exclusivamente por meio do pagamento no formato digital. “Quem não gosta de usar aplicativo, poderá comprar em pontos de venda físico. Mas essa compra ocorrerá via um terminal do aplicativo que ficará disponível em alguns fiteiros”, afirma Gustavo. Quem comprar dessa maneira, vai receber um comprovante de pagamento impresso.

Atualmente, são 140 fiteiros cadastrados para vender as folhas do Zona Azul. “Acreditamos que vai haver uma migração grande para o digital e não será necessário cadastrar todos os fiteiros”, argumenta Gustavo, acrescentando que a relação comercial entre o fiteiro e o serviço digital será feito pela empresa que venceu a concorrência para prestar o serviço, a Serttel. Em outras cidades em que os serviço passou a ser oferecido digitalmente, cerca de 20% a 30% dos usuários continuaram comprando o serviço em pontos físicos. A CTTU estima que será implantado um ponto de venda físico para cada 50 vagas do Zona Azul.

“A venda do Zona Azul por aplicativo é mais prático. É muito ruim comprar esses papeizinhos aos flanelinhas. A folha do Zona Azul custa R$ 3,00, mas eles só vendem por R$ 5,00. Isso vai acabar com essa prática abusiva. Também é difícil encontrar um ponto de venda físico”, conta o vendedor Leandro Ramos, que usa o serviço somente quando vem ao centro. Apesar de usar pouco o serviço, profissional de Finanças Flávio Eduardo Teti acredita que a digitalização do serviço vai facilitar a vida do usuário. “Isso vai tornar mais fácil comprar e pagar pelo servbiço, porque pode usar os cartões de débito e crédito, usando o celular”, afirma. Ele estava ontem no Bairro do Recife participando de uma exposição de fuscas antigos.

Os idosos residentes no Recife têm direito a 20 vagas de Zona Azul gratuitas por mês. Eles continuarão a receber os cartões digitais gratuitos presencialmente na sede da Autarquia, de acordo com um agendamento realizado no site cttu.recife.pe.gov.br. Os idosos que instalarem o aplicativo no telefone, receberão um código de gratuidade para ativação do Zona Azul digital via aplicativo. 

Para aqueles que já passaram dos 60 anos e não usam o aplicativo, vai ser fornecido um código QR impresso para apresentação nos pontos de venda físicos. Lá, o idoso deve apresentar o documento da credencial de estacionamento especial emitido pela CTTU, um documento de identificação com foto, como por exemplo a carteira de identidade, e a CRLV de um veículo. Esse tipo de gratuidade das vagas de Zona Azul é fornecida apenas para uma placa.

JC Cidades


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *