Governo de Pernambuco dá início à 29ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns

Solenidade realizada nesta quinta-feira (18), no Teatro Luiz Souto Dourado, foi marcada pelo desejo de um FIG de paz e da valorização da cultura

Leo Caldas/Secult-PE

Leo Caldas/Secult-PE

Solenidade contou com a presença de diversos secretários de estado e outras autoridades, como Izaías Régis, prefeito de Garanhuns, e Paulo Câmara, governador de Pernambuco

“Estamos dando inicio ao 29º Festival de Inverno de Garanhuns. Um festival feito com a ajuda de muitos artistas, mas, principalmente, pela presença de vocês, o povo de Pernambuco. Essa é uma das maiores festas da cultura que acontece no país”. Com essas palavras, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, deu início nesta quinta-feira (18) à programação do 29ª Festival de Inverno de Garanhuns. A fala aconteceu durante a solenidade realizada no Teatro Luiz Souto Dourado antes da apresentação do espetáculo “O som e a sílaba”, escrito e dirigido por Miguel Falabella. A abertura contou com a presença de várias autoridades, dentre elas Gilberto Freyre Neto, secretário de Cultura; Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe; e o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis.

Leo Caldas/Secult-PE

Leo Caldas/Secult-PE

A noite de abertura também contou com a participação de Geralda Miranda, sobrinha de Jackson do Pandeiro, um dos homenageados do FIG deste ano

Paulo Câmara também reforçou o envolvimento e dedicação do Governo de Pernambuco, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, para a realização do FIG 2019. “Nós planejamos e programamos essa edição do Festival de Inverno de Garanhuns para que tenhamos um belíssimo festival. Uma festa que abrace todas as expressões culturais do nosso estado. Como governador de Pernambuco, me sinto honrado em estar mais uma vez no FIG. Que tenhamos um festival da paz, da alegria e da cultura”.

A solenidade teve a participação de Geralda Miranda, sobrinha de Jackson do Pandeiro, um dos homenageados do Festival de Inverno de Garanhuns deste ano. “Sou muito grata por essa homenagem que o FIG faz ao meu tio, um homem que lutou para que a música brasileira fosse valorizada”, disse ela.

Leo Caldas/Secult-PE

Leo Caldas/Secult-PE

Devido à grande procura pelos ingressos do espetáculo “O Som e a Sílaba” nesta quinta-feira (18), o Governo de Pernambuco promoveu uma sessão extra da peça, às 21h30, no Teatro Luís Souto Dourado.

O secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto, fez questão de enumerar a enorme operação para a realização do Festival. “São mais de 500 funcionários de varias secretarias, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, empenhadas em transformar Garanhuns no centro cultural de todo estado. Um festival que traz na economia uma injeção muito forte. É a partir dele que se estabelece a economia desse território”.

Já Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe, ressaltou que o FIG “não é só o maior festival de cultura por conta dos mais de 20 polos e milhares de artistas envolvidos. Mas também porque valoriza a cultura pernambucana e brasileira. O FIG tem um vetor da cultura porque aqui circularam milhares de artistas. Tem também um viés econômico e hoteleiro, o que faz dele um importante aglutinador de iniciativas turísticas e culturais”.

O prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, aproveitou para agradecer, em novo do povo de Garanhuns, ao Governo de Pernambuco por mais uma edição do Festival de Inverno na sua cidade. “Quero agradecer a Paulo Câmara pela escolha de Gilberto e Marcelo Canuto para gerir a cultura do nosso estado. O senhor está de parabéns por esse grande evento que teremos em Garanhuns”.

Leo Caldas/Secult-PE

Leo Caldas/Secult-PE

Escrito e dirigido por Miguel Falabella, especialmente para Alessandra Maestrini e Mirna Rubim, “O som e a sílaba” retrata a história de Sarah Leighton, uma mulher com diagnóstico de autismo com habilidades musicais e sua relação com Leonor Delis, sua professora de canto

Devido à grande procura pelos ingressos do espetáculo “O Som e a Sílaba”, às 19h, o Governo de Pernambuco promoveu uma sessão extra da peça, às 21h30, no Teatro Luís Souto Dourado. As duas sessões, com tradução em libras, contaram com mais de 600 pessoas presentes.

“O som e a sílaba”, escrito e dirigido por Miguel Falabella especialmente para Alessandra Maestrini e Mirna Rubim, retrata a história de Sarah Leighton, uma mulher com diagnóstico de autismo com habilidades musicais e sua relação com Leonor Delis, sua professora de canto.

“Muito obrigada pela presença de todas. A gente soube que tinha muita gente esperando é isso fez toda a diferença pra gente. Estamos muito felizes em honrados de estar aqui. Queríamos agradecer ao Governo de Pernambuco pelo convite”, agradeceu Alessandra Maestrini após uma das sessões.

O primeiro dia do FIG teve também na Catedral um Tributo a Luiz Vieira no Polo Catedral, um pernambucano de Caruaru que nos anos 50 e 60 fez sucesso em todo país. O tributo teve a participação de nomes como Altemar Dutra Jr., Claudette Soares e Eliana Pittman, entre outros.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *