Datafolha: 58% dos brasileiros não apontam ou não sabem citar medidas positivas do governo Bolsonaro

Foto: Alan Santos/Presidência da República
Foto: Alan Santos/Presidência da República

Divulgada nesta segunda-feira (22), a mais nova pesquisa do instituto Datafolha mostra que 58% dos brasileiros não apontam ou não sabem citar nenhuma medida positiva dos primeiros seis meses de governo Jair Bolsonaro (PSL). Desse número, 39% responderam que a gestão do pesselista não fez “nada” quando perguntados sobre o que de melhor o governo tinha feito até agora. Os outros 19% não souberam responder à pergunta.

Entre as mulheres, 45% responderam que não ter o que apontar de positivo da gestão. Entre os entrevistados da região Nordeste – onde o pesselista perdeu em todos estados na eleição presidencial -, o número vai para 46%. E sobre para 52% para praticantes de religiões de matriz africana. O percentual dispara para 76% entre os que já avaliam como “ruim ou péssimo” o governo.

Dos entrevistados que disseram ter votado em Bolsonaro, 17% responderam não ter o que destacar positivamente das medidas do governo. Outros 8% dos eleitores do então candidato apontam que houve avanços na área de segurança pública.

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

No levantamento, também foram mencionadas a reforma da Previdência (7%), o combate à corrupção (4%), a iniciativa de flexibilização do porte e posse de armas (4%), a política externa (2%), a nomeação do ex-juiz Sergio Moro como ministro da Justiça e Segurança Pública (1%), o fim do horário de verão (1%), a escolha do ministério de forma geral (1%) como medidas positivas da administração federal.

Medidas negativas

Os entrevistados também foram questionados sobre medidas negativas do governo Bolsonaro. 21% dos entrevistados apontaram os decretos de armas, a reforma da Previdência foi mencionada por 12% e a “imagem pública” do presidente, por 9% e o contingenciamento de recursos da educação foi citado por 3%. Segundo o instituto, no quesito “imagem pública” foram incluídas falas polêmicas de Bolsonaro, articulação política e a influência dos filhos.

18% responderam “nada”. Entre os que já avaliam o governo como “bom ou ótimo”, esse percentual chega a 36%. Já entre os evangélicos, 22% não apontaram nenhuma medida negativa da gestão.

Pesquisa

O levantamento do Datafolha foi realizado nos dias 4 e 5 de julho e entrevistou 2.086 mil pessoas, de 16 anos ou mais, em 130 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e o índice de confiança é de 95%.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *