Unidade de Referência de Atenção ao Idoso do Hospital Geral de Areias abre as portas em junho de 2020

“Vamos retomar a obra em outubro e, em junho do próximo ano, devemos inaugurar a Unir. Esperamos que isso aconteça no mesmo momento em que o Hospital do Idoso seja inaugurado. Ambos serão complementares”, destaca André Longo (Foto: Filipe Jordão/JC Imagem)

Paralelamente à construção do Hospital do Idoso, será dada continuidade às obras da Unidade de Referência de Atenção ao Idoso (Unir) do Hospital Geral de Areias (HGA), referência no atendimento à população dessa faixa etária. A unidade contou com investimento de R$ 7,1 milhões, sendo R$ 5,6 milhões do tesouro estadual e R$ 1,5 milhão do Ministério da Saúde. Para o trabalho de recuperação da construção, serão investidos R$ 4,6 milhões, segundo informou, na quinta-feira (20), o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo. “Vamos retomar a obra em outubro e, em junho do próximo ano, devemos inaugurar a Unir. Esperamos que isso aconteça no mesmo momento em que o Hospital do Idoso seja inaugurado. Ambos serão complementares e integrados”, destacou André Longo.

O secretário ainda informou que a Unir contará com um centro de estudos e um ginásio esportivo para a população a partir dos 60 anos. “Seremos um polo reprodutor de boas práticas e linha de cuidado para atenção aos idosos.” Também presente na cerimônia de assinatura da ordem de serviço do Hospital do Idoso, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, reforçou a intenção de Estado e prefeitura trabalharem juntos “para fazer deste complexo hospitalar uma referência de saúde, de cuidado para essas pessoas que precisam de atenção”.

O governador frisou que a Unir atuará tanto na parte ambulatorial quanto no trabalho de reabilitação. “A partir da área cedida pelo governo do Estado, o prefeito Geraldo Julio terá oportunidade de fazer um centro de referência do idoso no Recife, que vai ter média e alta complexidades”, completou Paulo Câmara.

Ainda participaram da solenidade vários grupos de idosos, que acompanharam os discursos das autoridades e voltaram para casa com a esperança de que a faixa etária da qual fazem parte receberá mais cuidados por parte dos gestores públicos. “Estou acreditando que tudo isso que foi apresentado aqui será uma bênção para todos nós. O atendimento não está só ruim para os idosos; é ruim para todas as idades. Quando a gente vai a uma emergência, espera tanto que adoece ainda mais”, criticou a dona de casa Maria do Carmo Silva, 68 anos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *