Pernambuco: Turismo de sol e mar cresce como opção além do São João

Quem prefere fugir das festas juninas tem procurado curtir o turismo de sol e mar

Mesmo longe da serra pernambucana, resort em Porto de Galinhas já está com 95% das vagas ocupadas para este mês de junho / Foto: divulgação
Mesmo longe da serra pernambucana, resort em Porto de Galinhas já está com 95% das vagas ocupadas para este mês de junho
Foto: divulgação

O mês de junho não tem soprado bons ventos para o mercado de turismo. De acordo com a Associação Brasileira de Agência de Viagens em Pernambuco (Abav-PE), para este mês foi notada uma retração de 10% na procura por pacotes de viagens dentro da região Nordeste. Já a busca por destinos mais distantes, que exigem passagens aéreas, por exemplo, caíram 13% por causa do valor das tarifas.

Segundo o presidente da Abav-PE, Marcos Teixeira, a crise econômica que o País atravessa e a quebra da Avianca são os principais fatores. “Nesse período, o foco principal é nas festas juninas, claro. Mas aquelas pessoas que preferiam não curtir o São João e decidiam viajar para outros Estados têm escolhido fazer pequenas viagens de carro. Estão aproveitando o turismo de sol e mar em Maceió e Natal”, pontuou.

Marcos Teixeira disse ainda que o preço do dólar também tem adiado viagens internacionais comuns a esse período do ano. “Muitas pessoas procuram Argentina, Chile. Destinos que sofrem interferência do dólar. Isso tem feito as pessoas desistirem”, contou o presidente da Abav-PE.

Teixeira, no entanto, disse que o mercado para as festas regionais está aquecido. “O São João não é o tipo de festa que as pessoas preferem se afastar, como alguns fazem com o Carnaval. Tem muita gente procurando Gravatá, Bezerros, fazendo excursões para Campina Grande e Caruaru”, relatou.

ALÉM DO FORRÓ

Mesmo em tempos de festas juninas, há quem prefira curtir o feriadão no Litoral Sul do Estado. O Summerville Beach Resort, em Porto de Galinhas está com 95% das seus 606 leitos ocupados para este mês, movimentação 10% maior do que junho do ano passado. “Temos um pacote em que um casal pode trazer duas crianças de até 12 anos sem acréscimo. Isso tem atraído as famílias”, ressaltou Sérgio Paraíso, gerente de marketing do resort.

Já Joselma Cavalcanti, diretora de hotelaria do Grupo Rio Ave, conta que nesse período a procura maior é pelo interior, mas muitos turistas têm usado os hotéis do Grande Recife como ponto de apoio. “O Bugan Paiva é um exemplo de que as pessoas se hospedam perto das praias do Litoral Sul, mas também conseguem aproveitar outras atividades, como a noite do Recife. Tudo isso pagando uma tarifa menor, já que o foco está em outro lugar”, resumiu.

JC Economia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *