Com obras iniciadas, Hospital do Idoso do Recife ofertará 5 mil consultas por mês

Promessa de campanha do prefeito, em 2016, a unidade tem as obras de construção iniciadas num momento em que assistência à saúde é esmagada pela crise (Foto: Filipe Jordão/JC Imagem)
Promessa de campanha do prefeito, em 2016, a unidade tem as obras de construção iniciadas num momento em que assistência à saúde é esmagada pela crise (Foto: Filipe Jordão/JC Imagem)

“Vai ter tomografia. Vai ter ressonância magnética. Vão ter cirurgias de vesícula e de próstata. Nós vamos fazer o que o povo precisa.” Esse foi um dos trechos do discurso feito ontem, pelo prefeito Geraldo Julio, durante a solenidade assinatura da ordem de serviço do Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa, localizado na Avenida Recife, no bairro da Estância, Zona Oeste do Recife, numa área em frente ao Hospital Geral de Areias (HGA). Promessa de campanha do prefeito, em 2016, a unidade tem as obras de construção iniciadas num momento em que assistência à saúde no País, especialmente a atenção básica, apresenta reflexos de uma crise que esmaga a prevenção e o tratamento de problemas comuns no envelhecimento, como diabetes e hipertensão.

“A meta é qualificar a atenção ao idoso em 360 graus, incluindo atendimento, promoção à saúde e reabilitação (de consequências) das doenças crônicas”, destacou o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia. O hospital terá capacidade para ofertar 5 mil consultas por mês, 300 internações e 300 cirurgias mensais. A previsão de entrega, segundo o prefeito, é para o segundo semestre do próximo ano. A construção será feita com recursos da prefeitura, especialmente do Fundo Municipal da Pessoa Idosa, instituído em 2016. “O Recife tem hoje mais de 200 mil pessoas a partir dos 60 anos e, consequentemente, tem uma necessidade grande de oferecer consultas, exames de diagnóstico e cirurgias para essa faixa etária. É uma obra importante para atender uma demanda do Sistema Único de Saúde”, disse Geraldo.

O ambulatório do hospital contará com especialidades de cirurgias geral, vascular e plástica, clínica geral, geriatria, neurologia, cardiologia, anestesiologia, urologia e proctologia entre outras. No local, também serão ofertados exames de patologia clínica, ultrassonografia, ecocardiograma, eletrocardiograma, eletroencefalograma, endoscopia, colonoscopia, tomografia, ressonância magnética, urodinâmica, eletroneuromiografia e radiologia. “Vamos atender com a afetividade e o carinho que o idoso merece. O hospital terá uma regulação: as pessoas serão encaminhadas, pelo posto de saúde ou qualquer outro serviço, caso precisem de internamento, tratamento cirúrgico e exames”, explicou Jailson.

O secretário informou também que a unidade terá um olhar voltado para os cuidadores dos idosos em acompanhamento. As pessoas que acompanham o paciente, durante atendimento ou internamento, receberão orientações e treinamentos capazes de auxiliar o cuidado quando o idoso tiver alta hospitalar. “Isso é um exemplo de humanização na assistência”, acrescentou Jailson.

Expectativa

Moradora do Engenho do Meio, na Zona Oeste do Recife, Jacira Pontes, 67, estava no palco para representar os idosos durante a cerimônia. “Estamos felizes porque Geraldo Julio anuncia o início das obras. Esperamos que o hospital atenda com respeito e que seja um espaço de valorização da vida. E que ele não funcione como o Hospital da Mulher, que pede que a gente vá a um um posto médico para ser encaminhado. Queremos ser atendidos diretamente no hospital”, relatou Jacira, expressando o desejo de uma unidade porta aberta – como é chamada aquelas com urgências e ambulatórios que atendem a população de acordo com a capacidade, sem necessidade de encaminhamento por outros serviços de saúde.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *