Semas amplia ações do projeto de combate à desertificação no Estado de Pernambuco

desertificação

Com investimento de R$ 770 mil, iniciativa beneficiará comunidades do sertão construindo fogões ecológicos, banheiros, barragens sucessivas, recuperação de nascente e mais

O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), dá início, nesta quinta-feira (16), a novas ações de combate à desertificação no semiárido do Estado. A iniciativa faz parte da segunda etapa do Projeto de Implantação de Módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade e representa um investimento total na ordem de R$ 770 mil. Entre os trabalhos previstos, estão a construção de fogões ecológicos, banheiros com fossas sépticas, unidades produtivas, barragens sucessivas e cordões de pedra, recuperação de nascente, perfuração de poço artesiano, além de promover capacitações para agricultores.

O projeto beneficiará mais 30 famílias nas comunidades de Gangorra e Chico Pereira, na área rural da cidade de Carnaíba, Sertão do Pajeú. Essas pessoas vivem próximas a áreas indicadas como prioritárias para realização de estudos para criação de Unidades de Conservação do bioma Caatinga. Por isso mesmo, os trabalhos começam pela implantação de melhorais habitacionais que vão refletir na qualidade de vida das pessoas e em menor impacto para o meio ambiente. Nesta fase, serão implantados os 30 fogões agroecológicos, que promovem a eficiência da combustão e reduzem o uso de lenha, e erguidos também 30 banheiros com fossas sépticas.

“Este projeto integra ações de segurança hídrica, energética, alimentar, saneamento básico e formação de recursos humanos. O projeto atende de forma inovadora uma parcela da população carente de serviços, criando alternativas capazes de gerar ganhos sociais, econômicos e melhorar a convivência dessas famílias com o Semiárido”, pontuou José Bertotti, que em viagem ao Sertão, nesta quinta (16) e sexta (17), dá a ordem de serviço para as primeiras obras dessa etapa do projeto.

Após as melhorias estruturais, serão instaladas 29 barragens sucessivas vinculadas a sistemas simplificados de abastecimento. Haverá ainda a criação de unidades produtivas na área de avicultura, perfuração de um poço artesiano e a recuperação de uma nascente na comunidade de Gangorra. O Projeto de Implantação de Módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade é desenvolvido em parceria com o Fundo Nacional de Mudanças Climáticas/Ministério do Meio Ambiente. Os recursos a serem investidos agora são fruto de rendimentos financeiros originários da primeira etapa da iniciativa.

Iniciado em 2011, o projeto de Módulos de Manejo Sustentável – que integra as políticas estaduais de enfrentamento às mudanças climáticas – vem mudando a realidade de 400 famílias do semiárido pernambucano. Para tanto, foram construídos 12 poços artesianos, 298 banheiros com fossa e 338 fogões ecológicos. Também se criou 12 unidades produtivas e se promoveu 36 capacitações para agricultores, professores e gestores públicos dos municípios envolvidos. 

Doze cidades participaram da iniciativa. São elas: Afrânio; Cabrobó; Exu; Floresta; Parnamirim; Santa Maria da Boa Vista; São Caetano; São José do Belmonte; Serra Talhada; Serrita; Triunfo e Carnaíba. Esse projeto foi premiado em 2014 com o Prêmio Dryland Champions, concedido pela United Nations Convention to Combat Desertification (UNCCD)/ONU), por meio do Ministério do Meio Ambiente, por fazer parte essencial do combate à degradação do solo e à desertificação para o convívio com o semiárido.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *