RECIFE: Ecobarreira é instalada no canal do ABC, na Mustardinha

Iniciativa sustentável foi desenvolvida por estudantes da rede municipal do Recife e será apresentada, em outubro, no Paraguai

Por: Guto Moraes 

Estrutura, composta por garrafas pets, foi instalada no canal do ABC

Uma projeto sustentável desenvolvido por alunos do ensino fundamental da Escola Municipal Professor Antônio de Brito Alves pode influenciar positivamente no cotidiano dos moradores do bairro da Mustardinha, na Zona Oeste do Recife.

Com suporte dos professores e apoio da Empresa de Manutenção de Limpeza Urbana (Emlurb), os estudantes desenvolveram um protótipo de barreira de contenção de lixo para o canal do ABC: a Ecobarreira. A instalação, em caráter experimental, ocorreu na segunda-feira (13).

Com 2,50m de altura e 6,50m de largura superior e 5,50 inferior, a estrutura é composta por garrafas pets conectadas umas às outras através de arames de aço até formar uma grande rede. Ao todo, cerca de 30 pessoas se envolveram na concepção do protótipo. “Nós observamos que no canal em frente à escola havia muito lixo e, como muita gente traz guaraná para cá, poderíamos usar as garrafas recicláveis para fazer a Ecobarreira”, relatou a estudante do 8º ano, Kleytiane Larissa, de 13 anos.

Desde 2015, a escola realiza o projeto Água: um bem precioso, onde são discutidas questões sobre responsabilidade social e consciência ecológica. Após um aumento na suspeita de casos de dengue e outros vírus causados pelo Aedes aegypti no bairro, os alunos miraram o canal como um dos possíveis focos de proliferação do mosquito. “Eles estudaram a extensão do ABC e realizaram um mapeamento com suporte de um drone”, explicou a professora de Geografia Maria Lopes, uma das coordenadoras do projeto.

No ano passado, a Ecobarreira alcançou o primeiro lugar na Feira de Conhecimentos do Recife. Como premiação, o projeto será apresentado pela escola na Feira Internacional de Ciências e Tecnologias (Ciencap), que ocorre em outubro no Paraguai.

A estudante do 9º ano, Maria Clara Sales, 15 anos, está entre os alunos que irão ao Ciencap e falou da importância da iniciativa. “É muito triste o que acontece com o meio ambiente e a gente vem trabalhando com ele há bastante tempo. O projeto conscientiza os alunos e a comunidade, e isso é muito gratificante”, observou.

Durante todo o período de teste do protótipo um monitoramento será feito semanalmente. “Haverá a retirada e medição do resíduo retido. Iremos verificar se, de fato, ele está conseguindo atingir o objetivo de retenção do lixo e qual o tipo de material está sendo capturado.

Ao final, daremos um diagnóstico sobre a eficácia do protótipo”, explicou a diretora da Emlurb, Marília Dantas. Caso seja aprovado, três outras unidades deverão ser implantadas também no canal do ABC.

Ainda de acordo com a diretora Marília Dantas, R$ 7 milhões são investidos por ano na limpeza dos canais. “O investimento é alto e poderiam estar sendo feitos outros serviços de manutenção urbana com esse valor. É preciso uma contribuição da sociedade; a consciência das pessoas para que minimizem o descarte irregular. Não adianta só o poder público fazer essa tarefa.”

Folha PE


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *