EXÚ TERRA DE LUIZ GONZAGA E MUITA HISTÓRIA

A imagem pode conter: 1 pessoa
Nenhuma descrição de foto disponível.
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

Nos primeiros anos do século XVIII teve início a povoação de Exu, decorrente do contato da tribo indígena Ançu com a Fazenda da Torre, à margem do Rio São Francisco. As terras onde moravam os índios eram cheias de fontes de águas e os terrenos de muito boa qualidade para o cultivo e criação de animais. A região foi ocupada por fazendas de gado tendo à frente Leonel de Alencar Rego e posteriormente seu filho Joaquim Pereira de Alencar.

Conhecida a região, outros fazendeiros se transferiam para lá. Logo após chegaram os jesuítas e construíram uma capelinha ao Senhor Bom Jesus dos Aflitos, que tornou-se o padroeiro da cidade. Assim, em 1734 era criada a freguesia do Senhor Bom Jesus dos Aflitos de Exu. O nome Aflitos de Exu alude à aflição que os cristãos novos sentiam por serem perseguidos desde Espanha e Portugal até ao Brasil. 
Para fugir da Inquisição aqueles judeus se instalavam cada vez mais no interior de Pernambuco. Para a denominação Exu existem duas versões, uma advinda do nome da tribo Ançu da Nação Cariris e outra relativa a um tipo de abelha de ferrão, denominada Inxu.

DADOS DO MUNICÍPIO
Exu é um município do Sertão de Pernambuco, na divisa entre os estados de Pernambuco e Ceará. A cidade, distante 630 Km do Recife, está localizada no Polígono da Seca e um de seus filhos mais importantes foi o músico Luiz Gonzaga, conhecido como O Rei do Baião. A principal parada na cidade é no Parque Asa Branca, onde estão o Museu e Mausoléu do Gonzagão. No museu pode-se ver um extenso acervo fotográfico, o famoso fole de ouro, peças de vestuário, entre outras coisas. Exu tem ainda outros encantos como as ruínas da Casa Grande do Barão de Exu, Exu Velho, na Fazenda Gameleira, no sopé da Serra do Araripe, picos, pedras, o Santuário Ecológico do Cantarino e o Desfiladeiro da Serra das Camarinhas, onde se avista o vale onde existia a antiga cidade de Exu.

Fontes: IBGE, AMUPE e CONDEPE/FIDEM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *