AV. CAXANGÁ CONTINUA A MAIS LONGA TOTALMENTE EM LINHA RETA DO BRASIL

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre

Foto: Thales Paiva Fotografia

Uma das importantes vias arteriais da cidade do Recife, capital estado de Pernambuco, Brasil. É a segunda mais longa avenida em linha reta do Brasil, apresentando percurso totalmente reto de aproximadamente 6,2 km.

Foi superada com a construção da Avenida Teotônio Segurado na capital do Tocantins, Palmas, que possui um trecho de 10,2 km em linha reta num total de 19,7 km de extensão[1].

Contudo, a avenida Caxangá continua sendo a mais longa avenida cuja extensão total se desenvolve numa linha reta.

História

A avenida Caxangá teve sua construção iniciada em 1833, tendo o engenheiro francês Louis Léger Vauthier, em 1843, em um relatório, enumerado as vantagens de estradas no Recife.

Em 1845 foi concluída a construção da Ponte pênsil da Caxangá (a primeira desse tipo no Brasil), que abria caminho para o interior de Pernambuco.

Anteriormente denominada de Estrada de Paudalho, foi também chamada de Estrada de Ambolê. No entanto, foi no tempo do Estado Novo, na administração do prefeito Novaes Filho, que a avenida Caxangá foi calçada com paralelepípedos rejuntados com cimento sobre concreto, alargada por meio de aterros e protegida por obras (estruturas como bueiros, pontes, muros de arrimo, necessárias à construção de estradas), e teve a sua inauguração em 25 de maio de 1940. Na terceira administração de Pelópidas da Silveira foi novamente ampliada, e, em 1966, foi inaugurada a construção de uma segunda faixa de rolamento em cimento armado.

Depois de ter sido criado o corredor exclusivo de ônibus pelo centro da avenida, foi aumentada sua capacidade e hoje faz parte do projeto do Corredor Leste-Oeste do Recife.

Percurso totalmente reto

A avenida Caxangá tem início na Praça João Alfredo, onde se encontra o Sobrado da Madalena, do antigo engenho da Madalena, que deu origem e nome ao bairro.

Em seguida, atravessa os bairros do Zumbi, Cordeiro, Iputinga, terminando no bairro do Caxangá, na Ponte da Caxangá (Ponte Marechal Castello Branco), sobre o Rio Capibaribe.

No bairro da Iputinga, atravessa por baixo a BR-101, Viaduto da Caxangá, que corta a cidade no sentido norte-sul.

Atualmente, com as edificações e a arborização, além do trânsito intenso ao longo do dia, já não é mais possível visualizar os extremos. Porém, até os anos 1970, estando o observador no centro da ponte da Caxangá, podia ver perfeitamente o Sobrado da Madalena, distante 6 km.

Edificações

Ao longo da Avenida Caxangá (e nas suas proximidades) são encontradas as seguintes edificações mais importantes:

– Antiga garagem dos bondes da Pernambuco Tramways, hoje escritório da Celpe;
– Igreja de São Sebastião, no bairro do Cordeiro;
– Hospital Getúlio Vargas, no cruzamento da Avenida Caxangá com a Avenida General San Martin;
– Colégio Pio XII (atual ETE-Escola Técnica Estadual);
– Parque de Exposições de Animais;
– Hospital Barão de Lucena;
– Caxangá Golf Country Clube.


4 Comments:

  1. Markus Vinicius

    Gente, vamos ter responsabilidade em passar informação. Essa é uma mentira histórica. Essa informação só procede quando o texto é de humor. Em 2 minutos de procura em mapas pelo Brasil, já achei uma rua mais longa: av. beira-mar em Tramandaí-RS, medindo 6,8km. A av. caxangá é apenas a via em linha reta mais longa da zona oeste de Recife.

  2. Markus Vinicius

    Ai, Jesus. A via que falei é tecnicamente reta como a Caxanga – use uma régua. Estamos falando de via. Via é via, tanto faz se é rua, avenida, rodovia estadual, rodovia federal. O que importa é ser uma via urbana. Inclusive, a avenida caxanga é uma PE. Mas se quer uma “avenida”, olhe a avenida Marechal Floriano Peixoto em Curitiba, mede 10km. Aliás, só em Curitiba, tem umas 20 vias em linha reta maiores que a Caxanga. Poderia perder um tempinho pesquisando antes de publicar algo falso. Desculpa ser chato. Raramente comento em blogs. Só comentei nesse porque adoro o blog e sempre acompanho. Mas, nesse caso, sinto muito, você pisou na bola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *