CONHEÇA A HISTÓRIA DO BAIRRO DA MACAXEIRA

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

Até se consolidar como bairro, no início do século 20, a Macaxeira fazia parte de Apipucos. De acordo com os moradores mais antigos, tem esse nome por conta de uma grande plantação de macaxeira que havia por lá. 😮

Em 1895, no mesmo lugar da plantação, foi construída a Fábrica de Tecidos Apipucos 🏭 que desempenhou papel importante na construção do bairro. Assim como a Macaxeira, ela começou pequena (fabricava apenas estopa). No entanto, em 1925, foi comprada pelo empresário Othon Lynch Bezerra de Melo, mais conhecido como Coronel Othon.

Natural de Limoeiro, ele comprou uma área de 55 hectares, onde estava a fábrica, seus arredores e até o Açude de Apipucos. 💲💲💲 A fábrica tinha uma posição estratégica, na margem da linha férrea 🛤 que ligava Recife a Limoeiro, facilitando o transporte dos produtos fabricados.

O bairro cresceu junto com a fábrica. Entre as décadas de 1930 e 1940 ⏳ Othon construiu duas vilas operárias: a Vila Maria Amália (mais conhecida como Vila da Carrapateira) e a Vila Regina (conhecida como Vila Buriti). 🏘🏘🏘 Todas as casas eram iguais, com o mesmo tamanho, paredes brancas e uma barra preta de piche na fachada.

Nas vilas havia igreja, praça, creche, escola, clube, lojas, posto médico e toda a infraestrutura necessária para manter os operários o máximo de tempo possível perto da fábrica. Inclusive, só podiam usar os serviços, as pessoas que se identificassem como funcionários ou parentes de funcionários da fábrica.

E vê que curioso! A Avenida Norte, que corta o bairro, foi construída justamente onde já havia a Ferrovia Recife-Limoeiro 🚂🚃🚃 que, mais tarde, foi substituída pelo bonde elétrico.

E olha outra coisa que pouca gente sabe! Mesmo com todo o crescimento e desenvolvimento, o bairro mantém alguns trechos de vegetação remanescente da Mata Atlântica. 🌳🌳🌳


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *