Vale do São Francisco em Pernambuco exporta manga para África do Sul

Produtores do São Francisco realizaram primeiras operações com o envio de 142 toneladas da fruta para o novo mercado internacional

Manga

Manga
Foto: Divulgação

O Vale do São Francisco iniciou as exportações de manga para a África do Sul. Aprovada em julho do ano passado, a operação para o novo mercado já possibilitou o envio de 142 toneladas da fruta nos últimos meses do ano passado. Duas empresas foram responsáveis por enviar o volume, que foi exportado por um porto do Rio de Janeiro. E, a partir de agora, o setor já começa a se preparar para uma nova exportação, prevista para o segundo semestre deste ano. O valor da operação não foi revelado.

As mangas foram transportadas de caminhão para o Porto do Rio de Janeiro, e depois enviadas de navio para a África do Sul. “As frutas foram pelo Rio de Janeiro porque lá tem uma linha marítima direta para a África do Sul. No Nordeste, ainda não tem esse destino direto”, informou o gerente executivo da Associação dos Produtores e Exportadores de Hortigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport), Tassio Lustoza. Dez empresas foram aprovadas para exportar as mangas, mas duas delas já realizaram a operação, a Finobrasa e a Argofruta.

“A exportação foi possível devido ao tratamento hidrotérmico, uma tecnologia que consiste em mergulhar as frutas em água aquecida sem utilizar químicos”, explicou Lustoza. De acordo com o Ministério da Agricultura, o método permite contemplar exigências dos principais mercados importadores, que não aceitam a aplicação de produtos químicos no controle da praga da mosca-das-frutas. Essa tecnologia também possibilita o envio das frutas da região do Vale para os Estados Unidos, Chile, Japão, Argentina e Coreia do Sul.

Para Lustoza, o novo destino deve ser comemorado, já que estava em negociação há anos. “É mais uma opção de destino e já enxergamos um saldo positivo na primeira exportação. Isso vai gerando confiança dos exportadores para conseguir aumentar a demanda”, disse o gerente.

Como a África do Sul produz manga até o mês de maio, a expectativa é de que a partir de junho já sejam iniciadas as novas exportações. “O Vale produz manga durante o ano todo, com concentração no segundo semestre. Então vai ser ótima a abertura desse mercado para as empresas”, comentou Lustoza, ao complementar que o próximo passo será a aprovação das empresas produtoras, processo que precisa ser repetido.

“Estamos planejando o cadastramento de novos produtores. Têm empresas interessadas, mas que precisam se credenciar”, informou. Para o exportador ser aprovado, o Ministério da Agricultura realiza a inspeção nos locais de produção e depois certifica as áreas para o governo da África do Sul. Após esse processo, o próprio governo africano aprova as empresas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *