Estado de Pernambuco busca retomada de investimentos

Roberto Abreu e Lima diz que inovação está entre os pontos que devem ser favoráveis à atração de investimentos. Foto: Divulgação/AD Diper (Foto: Divulgação/AD Diper)

Roberto Abreu e Lima diz que inovação está entre os pontos que devem ser favoráveis à atração de investimentos. Foto: Divulgação/AD Diper

Integração, inovação e tecnologia. É com base nesses três pilares que o governo do estado quer voltar a atrair investimentos, ampliar o networking entre indústrias e fornecedores locais e, ainda, garantir a consolidação dos projetos industriais já instalados. Não é tarefa das mais simples. Em tempos de crise econômica e arrocho financeiro, os grandes investimentos minguaram.

Prova disso está nas últimas aprovações do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic), que aprova os incentivos fiscais para projetos industriais em Pernambuco. Para se ter ideia, em 2015 foram 84 projetos aprovados em reuniões do conselho na Região Metropolitana do Recife (RMR) e 56 no interior. Em 2017, foram 82 na RMR e 62 no interior. Já no ano passado, foram 49 na RMR e 26 no interior. Para 2019, a expectativa é positiva e de uma retomada nos investimentos.

“Os contatos estão voltando. Os empresários estão tendo mais confiança na economia e, inclusive, temos reuniões agendadas com alguns investidores na próxima semana e acreditamos que já teremos resultados”, conta o novo presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), Roberto Abreu e Lima. Segundo ele, localização geográfica, infraestrutura e inovação são alguns dos atrativos que estão sendo apresentados como favoráveis a atração de investimentos.

“A proposta agora é colocar o ecossistema de inovação e a área de logística como diferenciais. Estamos perseguindo uma complementariedade maior. Suape tem um enorme potencial de importação. Já há muita movimentação, mas tem um espaço enorme de crescimento. Queremos trabalhar mais a parte de distribuição de importador por cabotagem para que os produtos cheguem e daqui sigam para outros estados por cabotagem ou que descarreguem aqui e sigam para o Nordeste”, relata o presidente da Agência.

Segundo Abreu e Lima, em paralelo às conversas com os investidores, estão sendo tocados projetos de desenvolvimento de tecnologias que possam garantir mais celeridade nas negociações e uma maior base de dados de informações. “Eu quero que o investidor de São Paulo possa, de lá mesmo, ter acesso ao ecossistema que estamos apresentando. Quero que ele possa ver de lá o terreno que estamos falando, ter um ambiente de visitação virtual”, conta. A tecnologia utilizará, por exemplo, inteligência artificial, informações georeferenciadas, além de fotos de drone e satélite.

Outra proposta que está sendo estudada é a questão da aproximação de clusters e Arranjos Produtivos Locais (APLs) da inovação. “Ideia que a indústria captada para Pernambuco tenha, por exemplo, um match day com setor de inovação pernambucano para entender o que já temos localmente, o que podemos agregar ao projeto ou até mesmo o que pode ser desenvolvido em parceria”, detalha.

Entrevista – Roberto Abreu e Lima (presidente AD Diper)

Os Centros de Distribuição (CDs) seguirão sendo incentivados?

Devemos continuar tendo aumento dos CDs. Isso faz parte do DNA do estado. Sempre fomos um estado mercantil. Tem produtos e situações que é mais vantagem tributária e logística realizar por aqui. Então, continuaremos incentivando este tipo de operação no estado.

As câmaras setoriais continuarão operando?

Estamos buscando formas de otimizar este modelo. Já acertamos que é possível ter uma racionalidade. Conseguiremos reduzir o número de câmaras, tornando o modelo mais enxuto, porém, ainda mais eficiente.

Para as indústrias já instaladas o que será realizado?

Temos um monitoramento para verificar se as contrapartidas acertadas foram realmente atendidas. Os nossos técnicos também estão identificando os gargalos logísticos que as empresas estão enfrentando, o que a empresa busca fora do estado, o que precisa em termos de capacitação… Um levantamento para melhorar o negócio e o networking local.

DP Empresas


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *