Nova gestão de Suape visa autonomia

Ao assumir na última sexta, presidente do Porto, Leonardo Cerquinho, afirmou que independência será meta no início de sua direção

Por: Marina Barbosa

Novo presidente de Suape, Leonardo Cerquinho

Novo presidente de Suape, Leonardo Cerquinho
Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Principal polo de desenvolvimento de Pernambuco, o Complexo Industrial e Portuário de Suape está sob nova gestão. Leonardo Cerquinho, ex-presidente da AD Diper e ex-diretor de gestão portuária de Suape, assumiu a presidência do empreendimento após ser indicado para o cargo durante a reforma do segundo escalão do governo Paulo Câmara.

E ele já assume com a missão de destravar a autonomia do porto, cujo processo foi iniciado pelo Governo Federal no fim do ano passado. “O decreto que regula a autonomia foi publicado e lista as condições necessárias para a autonomia, como índices financeiros, operacionais e ambientais. Então, só precisamos demonstrar ao Governo Federal que cumprimos todas essas exigências para solicitar a autonomia. E nossa equipe já está levantando os índices de Suape para levarmos isso a Brasília. Então, a autonomia já pode acontecer no começo do segundo semestre”, explicou Cerquinho, que quer apresentar esse material em breve.

“Acreditamos que não teremos dificuldade para atingir os índices. Mas o Governo Federal tem até seis meses para avaliar isso. E nós queremos ter um retorno entre julho e setembro. Então, é nossa prioridade”, declarou, revelando que já está agendando reuniões com a Secretaria Nacional dos Portos para tratar dessa questão.

Concluir esse processo é importante para agilizar os processos licitatórios de Suape. Os projetos de arrendamento do Pátio de Veículos e do Segundo Terminal de Contêineres (Tecon 2), por exemplo, estão prontos há mais de um ano, mas ainda não foram efetivados porque passaram um bom tempo parados depois que o Governo Federal tirou a autonomia dos portos, concentrando o poder de arrendamento das áreas portuárias do País.

O processo só foi retomado no ano passado e, segundo informou à época a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), devem ser leiloados agora em janeiro. Por isso, o Estado deve tocar esse processo com o Governo Federal em paralelo com a autonomia.

Cerquinho explicou que a intenção é efetivar os arrendamentos o mais rápido possível, porque esses projetos podem trazer outros negócios para Suape. “Com o novo terminal de contêineres, teremos mais competitividade e novas linhas de navegação”, afirmou, dizendo que isso pode atrair novas cargas para Suape, inclusive as frutas do Vale do São Francisco, que hoje são exportadas para a Europa pelo Porto de Pecém, no Ceará. Esse incremento de movimentação ainda pode baratear as taxas portuárias.

“E com o Pátio de Veículos podemos conseguir novas operações de veículos”, acrescentou Cerquinho, dizendo que, além de exportar os carros da Jeep, Suape hoje importa carros da Toyota e da Chevrolet. “Mas temos espaço para receber novas marcas”, disse Cerquinho, que ainda espera contar com a ajuda da recuperação da economia nacional para ampliar a movimentação portuária de Suape.

Cerquinho é formado em Relações Internacionais e mestre em economia e assumiu a presidência do Complexo de Suape na última sexta-feira (18), em cerimônia que contou com a presença do secretário de desenvolvimento econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach; do ex-presidente de Suape e atual presidente do Porto do Recife, Carlos Vilar; e de uma série de empresários. Para Schwambach, o momento é de otimismo.

“O novo Governo Federal está sinalizando que pretende fazer um novo pacto federativo, direcionando mais dinheiro para estados e municípios. Se ele tomar as medidas corretas, Pernambuco está preparado para aproveitar as oportunidades de crescimento”, detalhou.

Folha de Pernambuco


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *