Porto Digital ganha certificação internacional e abre porta para empresas europeias

Parque tecnológico foi classificado como um ‘hub de soft landing’ – isso é, um ‘ponto de pouso suave’ – pela Rede Europeia de Centros e Polos de Pesquisa e Inovação (Enrich)

Porto Digital

Porto Digital
Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco/arquivo

Por: Marina Barbosa

O Porto Digital pode se transformar em uma porta de entrada para as empresas europeias de tecnologia que pretendem fazer negócios no Brasil. É que o parque tecnológico foi classificado como um ‘hub de soft landing’ – isso é, um ‘ponto de pouso suave’ – pela Rede Europeia de Centros e Polos de Pesquisa e Inovação (Enrich).

É uma classificação que só foi concedida a outros dois centros de inovação brasileiros – o Tecnopuc, de Porto Alegre (RS), e o Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro – e que pode ampliar a atração de empresas da União Europeia para o Recife.

“A acreditação da Enrich significa que o Porto Digital é um bom hub de desembarque para empresas e startups que queiram testar o mercado brasileiro”, explicou a gerente de Cooperação e Captação de Recursos do Porto Digital, Joana Sampaio, contando que, com isso, os empresários europeus passam a entender o parque tecnológico pernambucano como um espaço favorável para a internacionalização de seus negócios.

“Um espaço que oferece as condições e os serviços de infraestrutura necessários para que as empresas acessem o mercado brasileiro da melhor maneira possível”, acrescentou Joana, concluindo que esse reconhecimento da Enrich viabiliza novas parcerias entre o Porto Digital e a Europa.

“A certificação nos permite atrair empresas europeias, mas também acessar novos mercados, levando empresas daqui para a Europa. Fortalece e estreita os nossos laços com instituições relevantes e estratégicas da Europa”, garante Joana, explicando que a Enrich é uma iniciativa da União Europeia, executada no Brasil pelo Centro Brasil-Europa para Cooperação em Inovação e Negócios (Cebracic).

“É uma rede que visa a facilitar a movimentação, pesquisa e inovação entre instituições, empresas e centros de pesquisa do Brasil e União Europeia. Por isso, mapeia ambientes de inovação que facilitam a internacionalização de empresas do Brasil e Ruropa”, disse.

Receber esse reconhecimento internacional, no entanto, não foi fácil. O Porto Digital foi avaliado por quase seis meses, através de formulários e visitas dos técnicos da Enrich, antes de receber a classificação de ‘soft landing’. E foi a estrutura de apoio ao empreendedorismo que o parque montou no Bairro do Recife que permitiu a parceria.

“Algumas características foram essenciais, como a identificação de espaços de coworking que servem como área de trabalho para as empresas que estão chegando à cidade; conexão com atores estratégicos locais, já que o Porto Digital pode fazer a articulação das empresas com o governo e universidade; e a realização de consultorias e mentorias de entendimento do mercado local”, detalhou Joana, lembrando que o Porto Digital também já tem acordos de cooperação com países europeus como França, Reino Unido, Alemanha e Portugal e é um dos membros do Incobra – consórcio pensado para identificar tópicos de interesses entre o Brasil e a União Europeia.

Folha de Pernambuco


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *