Prefeitura do Recife apresenta projeto da Nova Conde da Boa Vista

img_altVia será humanizada e mais segura para pedestres e passageiros do transporte público. Obras terão início em 2019 e duram um ano (Foto: Divulgação)

Principal corredor de ônibus e de pedestres do Recife, a Avenida Conde da Boa Vista passará por uma grande requalificação promovida pela Prefeitura do Recife. A humanização da via guiou os estudos, que tiveram início em 2016 e foram realizados pela Secretaria de Infraestrutura e Habitação e Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano (Semoc). Os detalhes da intervenção foram anunciados nesta quita-feira (8), em um coletiva de imprensa. O investimento da gestão municipal na requalificação será de cerca de R$ 15 milhões.

Para viabilizar o início das mudanças, duas licitações foram publicadas no Diário Oficial do Município, nos dias 1º e 6 de novembro, referentes aos passeios públicos e à iluminação, respectivamente. A obra será realizada pela Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb). Com a Nova Conde da Boa Vista, os pedestres, passageiros do transporte coletivo e condutores de veículos particulares vão ter uma avenida mais acolhedora, arborizada e eficiente no seu dia a dia. Ciclistas também vão ser beneficiados e poderão chegar à avenida com mais segurança pelas rotas instaladas no entorno.

O secretário de Infraestrutura e Habitação e presidente da Emlurb, Roberto Gusmão, destaca que, “para a melhoria da Avenida Conde da Boa Vista, a Prefeitura do Recife realizou inúmeros estudos, pesquisas e simulações. Essa intervenção tem uma importância fundamental para que a via volte a ser um grande corredor não só de transporte, mas também um indutor de desenvolvimento e da recuperação de todo o bairro da Boa Vista”, comenta. Além dos estudos realizados, o novo projeto foi discutido com diversas entidades.

A Avenida Conde da Boa Vista tem 1,6 km de extensão e conecta o centro da cidade às zonas Norte e Oeste. As obras vão acontecer em toda a via e terão início em março de 2019, com prazo estimado de um ano. Enquanto os trabalhos na Avenida Conde da Boa Vista estiverem em andamento, esquemas de mobilidade serão colocados em prática à medida que o cronograma da obra for avançando.

A premissa do estudo é moderna e inovadora. Iluminação em LED – inclusive com postes específicos para o pedestre; canteiro central ajardinado e floreiras nas calçadas; 90 árvores serão plantadas; as calçadas terão mais de 2.000m² de ampliação e receberão esquinas alongadas; as paradas de ônibus serão instaladas nas calçadas e serão mais modernas e confortáveis. Duas estações de BRT serão construídas no canteiro central, substituindo as seis existentes atualmente.

Dando continuidade às novidades, bicicletários e bancas para vendedores ambulantes cadastrados serão colocados ao longo da avenida. Rampas e pisos acessíveis serão instalados, além de nova sinalização nas travessias dos pedestres – também com piso elevado; ilhas de travessia; mais lixeiras e nova programação semafórica, com foco também nos pedestres. Os que caminham na via, inclusive, vão ter mais oportunidades de atravessar com segurança. Hoje, eles têm cinco locais voltados para esse fim e, com o projeto, passarão a ter 13.

O secretário de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, comemora mais essa melhoria. “Esse é um momento importante para toda a cidade. Discutimos bastante essas mudanças e o nosso objetivo é resgatar o centro da cidade e o bairro da Boa Vista. O projeto é um convite para as pessoas viverem a cidade, valorizando o centro, sem esquecer a mobilidade dos pedestres e da eficácia do transporte público.”

Durante os estudos e pesquisas feitos para a concepção do projeto, foi identificado que cerca de 310 mil pessoas passam pela Avenida Conde da Boa Vista por dia. Dessas, mais de 50% utilizam as 49 linhas de ônibus e as quatro de BRT que passam na via, cerca de 40% são pedestres, menos de 10% estão nos veículos particulares. Em alguns pontos, passam mais de 180 ônibus/hora. A partir daí, os arquitetos e engenheiros da Emlurb e CTTU trabalharam em um projeto para dar mais conforto aos usuários do sistema de transporte. Também participaram da discussão do projeto, a URB, as secretarias de Planejamento Urbano do Recife, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos do Recife. No Governo do Estado, o debate envolveu a Secretaria das Cidades e o Consórcio Grande Recife.

“Esse é um projeto bastante inovador, que traz vários aspectos relacionados a urbanismo para a via, considerada a mais importante da cidade e que merece receber esse tratamento cuidadoso. Questões como a acessibilidade, a iluminação e a vegetação foram priorizadas, o que vai dar mais conforto e segurança ao cidadão”, frisa a diretora de Manutenção Urbana da Emlurb, Fernandha Batista.

ROTAS CICLÁVEIS – O projeto da Nova Conde da Boa Vista receberá em seu entorno uma nova malha cicloviária. Dessa forma, todo o centro da cidade ficará interligado, com circuitos que conectam os bairros da Boa Vista, Soledade, Santo Amaro, Santo Antônio, São José, Ilha do Leite, Coelhos e o Bairro do Recife. De acordo com o projeto, bicicletários serão instalados e permitirão que os ciclistas coloquem as suas bicicletas e, assim, caminhem pela via arterial.

Os ciclistas poderão acessar a Avenida Conde da Boa Vista através da Rua da Aurora, do Beco do Estudante e das ruas Gonçalves Maia e José de Alencar. O percurso em paralelo com a Avenida Conde da Boa Vista será realizado através da Rua João Fernandes Vieira, Avenida Oliveira Lima e Rua do Riachuelo (chegando até a Rua da Aurora). Através desta última, será realizada a conexão com o Eixo Estruturador Camilo Simões.

Além da integração em rota paralela com a Avenida Conde da Boa Vista, a nova rota permitirá a conexão com o Eixo Estruturador Camilo Simões, inaugurado em abril de 2017. Também haverá ligação com a ciclovia permanente da Avenida Mario Melo, já projetada pela CTTU. A ligação com a futura ciclovia da Avenida Mario Melo será realizada através de Rua Bispo Cardoso Ayres. Também faz parte da malha proposta uma nova estrutura cicloviária, essa ao longo da Rua José de Alencar até a Praça Miguel de Cervantes, que atenderá o bairro de Coelhos e Ilha do Leite.

CIRCULAÇÃO – No sentido cidade/subúrbio, não haverá restrição de circulação. Já no sentido subúrbio/cidade, veículos particulares vão poder trafegar na via para acesso local, com possibilidade de prosseguir apenas por uma quadra e, então, sair da avenida. Essa medida vai permitir a redistribuição do espaço público: pedestres vão ter mais espaço nas calçadas, os abrigos de ônibus e estações de BRT serão mais confortáveis e o importante corredor de transporte público será fortalecido, com mais efetividade na operação dos ônibus e BRT. No total, quatro novos equipamentos de fiscalização eletrônica serão instalados para coibir a passagem irregular de veículos.

COMÉRCIO POPULAR – Essa será mais uma questão que o projeto da Nova Conde da Boa Vista vai priorizar. Os ambulantes cadastrados pela Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano (Semoc) poderão trabalhar nos fiteiros dispostos ao longo da Conde da Boa Vista ou nos centros de comércio localizados nas ruas da Saudade e 7 de Setembro, que serão entregues em 2019. Todos deverão comercializar em equipamentos e locais definidos pela pasta, com o objetivo de preservar a mobilidade dos pedestres.

PRINCIPAIS OBJETIVOS DO PROJETO

1. Tornar a via mais acolhedora e arborizada

2. Proporcionar conforto e segurança para o pedestre

3. Melhorar a fluidez do transporte coletivo e dar mais conforto ao usuário

4. Assegurar a infraestrutura para os ciclistas

5. Garantir a infraestrutura urbana necessária

6. Respeitar a arquitetura, a história e o valor simbólico da via

NÚMEROS DA CONDE DA BOA VISTA

– 1,6 km de extensão

– 310 mil pessoas circulam na via por dia

– Mais de 50% está nos ônibus

– Mais de 40% são pedestres

– Menos de 10% está nos veículos particulares

– Menos 1% é usuário de bicicletas

– 49 linhas de ônibus

– 4 linhas de BRT

– Mais de 180 ônibus por hora no horário de pico

– Cruzamentos com até 6.800 pedestres/hora

– Transporte coletivo: 80% nos ônibus convencionais e 20% usuários do BRT

– 1.500 unidades habitacionais

– Cerca de 370 estabelecimentos comerciais

NÚMEROS DO PROJETO

– 13 será o número de travessias de pedestres. Hoje são 5

– 13 sinais sonoros serão instalados na via. Hoje são 4

– 50% será a redução do tempo de espera na travessia dos pedestres

– 6 vezes mais oportunidades de travessia dos pedestres, de 157 para 936

– 15 travessias elevadas para pedestres serão implantadas

– 2 mil m² de calçadas serão implantados

– 20 novas paradas de ônibus serão construídas. Hoje são 14

– 50% é a expectativa de redução do tempo de viagem dos ônibus

– 135 floreiras nas calçadas serão colocadas nas calçadas

– 90 árvores serão plantadas

– 18 vezes de aumento da área verde pública da via

– 2.361 m² de canteiro central ajardinado serão implantados

– 6 bicicletários estará dispostos ao longo da via

– 70 novas lixeiras do tipo papeleira e 13 do tipo coletiva serão instaladas

– 7 circuitos interligados de rede semafórica serão instalados. Hoje, o circuito é isolado

– 271 luminárias de LED, com foco nos pedestres e na via, serão implantadas

– 700m novos de rede de drenagem

– 86 novos pontos de captação de drenagem

CONSULTE O PROJETO AQUI


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *