Copagaz vence licitação em Suape para envasar gás de cozinha

Contrato tem valor estimado em R$ 33,9 milhões e prazo de 20 anos


Granéis líquidos lideram a movimentação de cargas em Suape

A Copagaz Distribuidora de Gás venceu licitação para operar o envase e a distribuição de gás liquefeito de petróleo (GLP) no Complexo de Suape. Com contrato no valor de R$ 33,9 milhões, a empresa terá a concessão de uma área de 24 mil metros quadrados por um período de 20 anos e será responsável pela ampliação e desenvolvimento da infraestrutura. A licitação foi homologada na última sexta-feria, pelo presidente de Suape, Carlos Vilar.

Desde a publicação da nova Lei dos Portos, em 2013, Suape foi o primeiro porto público do Brasil a desenvolver o projeto e ter o pedido de outorga aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). “Nosso desejo é tornar o Porto de Suape ainda mais competitivo e organizado para receber novos investimentos. Com esta homologação novos empregos serão gerados além disso, resultará diretamente em mais desenvolvimento para o empreendimento. Todos ganham com a iniciativa”, destaca Vilar.

De acordo com o contrato, a operação da Copagaz em Suape deverá ter uma produção mínima de 60 mil toneladas de GLP por ano para atender o mercado residencial (com os botijões de 13 kg) e o consumo a granel de indústrias, comércio, serviços e condomínios. “A Copagaz considera estratégica sua operação em Suape pelos ganhos logísticos que representa e pela geração de oportunidades. Vencer a licitação possibilita a nossa companhia a realizar novos investimentos e apostar ainda mais no potencial da região Nordeste e na nossa expansão”, diz o presidente da companhia, Caio Turqueto.

TECON 2

Outra licitação que promete movimentar Suape é a do segundo terminal de contêineres. Hoje a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) realiza audiência presencial sobre o Tecon 2 e o pátio de combustíveis, no Auditório do Edifício-Sede de Suape. O início será às 15h, e o término quando da manifestação do último credenciado, sendo 17h30 o seu horário limite.

Com discussões iniciadas em 2011, a implantação do Tecon 2 é apontada pela diretoria do porto como alternativa para preparar a infraestrutura do complexo antes da retomada da economia e do aumento da demanda de movimentação de cargas. O projeto tem valor estimado em R$ 1,2 bilhão e com capacidade de movimentação de 1 milhão de TEUs (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés).


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *