Cafés especiais caem no gosto dos recifenses e alteram o mercado local

No café da manhã, depois do almoço, no lanche da tarde ou em meio às reuniões, qual seu horário preferido para tomar aquele cafezinho? Considerada a segunda bebida mais consumida no país, perdendo apenas para a água, a boa e velha xícara de café tornou-se indispensável na rotina dos brasileiros, ganhando novas versões e sabores.

No Brasil, o café a segunda bebida mais consumida – Foto ilustrativa – Crédito: Gabriel Melo/Esp. DP

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), o mercado de cafés especiais ainda é pequeno em relação ao café tradicional, que ocupa 92% das vendas, mas cresce cerca de 15% a cada ano, enquanto o mercado tradicional cresce apenas 3,5% a 3,6% por ano. Ela classifica os grãos em três categorias, de acordo com uma avaliação global de todas as características sensoriais do produto: tradicional (quando recebe nota, em uma escala de 0 a 10, entre 4,5 e 5,9), superior (entre 6 e 7,2) ou gourmet (entre 7,3 e 10). O Programa de Qualidade do Café afirma que, para serem gourmet, os grãos precisam ser 100% da espécie arábica de origem única ou com blend, sendo uma combinação de origens diversas.

No Recife, este mercado está decolando, tornando-se protagonista pelas ruas da cidade. Graças à formação e investimento dos baristas locais, as cafeterias que até então existiam apenas nos centros de compra, deram espaço aos pequenos negócios que cada vez mais mudam o hábito dos recifenses na hora de tomar o famoso “pretinho”. Lidiane Santos, especialista em café e professora de 90% dos baristas na cidade, foi uma das responsáveis por modificar o cenário local. “O recifense sempre gostou de café. A diferença é que agora, ele pode escolher o tipo de café que deseja beber. Existem pessoas que gostam dos cafés mais amargos devido a tradição de muitas décadas. Isso não é um problema, apenas é uma questão de gosto”, afirma. Atualmente, a especialista ensina no Kaffe, Centro de Torrefação e Treinamento e ganhou o título nacional de melhor barista do ano pela revista Prazeres da Mesa, sendo a primeira nordestina a conquistá-lo.

Lidiane é considerada a pioneira no ramo dos cafés, em Pernambuco – Crédito – Reprodução do Instagram

Qualidade no serviço 
Além do sabor, o diferencial apresentado pelas novas cafeterias é a busca de um grão de qualidade e a atenção dada ao cliente que irá se deliciar com a bebida. A frente do Borsoi, o barista George Gepp acompanha todos os processos de perto, desde as fazendas que trabalham como suas fornecedoras, até levar essa experiência em consideração na hora de montar o cardápio do seu empreendimento.

Nas reuniões em casa, quando servíamos cafés, as pessoas sempre perguntavam onde poderiam encontrar aquele café e infelizmente não era acessível a eles, já que recebíamos o café direto do produtor. Tudo isso criou uma inquietação na gente. Queríamos um lugar para recebe-los, dividir xícaras, apresentar nosso conceito e pensamento sobre café. Um dia, no caminho para casa, passamos no Edf Califórnia e encontramos a primeira loja do Borsoi“, conta Paloma Amorim, sua esposa e sócia.

George e Paloma comemoram a expansão da marca após um ano de seu lançamento – Crédito: Paloma Amorim

Entre os pedidos mais solicitados, está o famoso capuccino. Diferente do que estamos acostumados, sua receita segue o tradicional modelo italiano, sem chocolate, canela ou creme, tendo seu charme por conta do lattee art realizado pelos baristas. Aos serem questionados sobre as características e dificuldades para manter uma cafeteria, o casal confessou seu segredo: cafés de qualidade, profissionais treinados, criatividade para estar sempre à frente lançando novidades no mercado, bons equipamentos e a satisfação de seus clientes, são os pontos principais para fazer o negocio dar certo.

Borsoi Café – Crédito: Paloma Amorim

O prazer das degustações sensoriais 
O café também pode ser apreciado pelas suas características sensoriais e não apenas pela cafeína, vivendo nessa última década sua fase de maior valorização. Atualmente, o número de pessoas que procuram estudar o grão, seu cultivo, produção e preparo, de forma mais minuciosa, cresce diariamente.
Idealizadores do Malakoff, Talita Marques e Alan Cavalcante fundaram a casa com um único proposito, proporcionar aos recifenses uma experiência totalmente diferente daquilo que eles estavam acostumados. “Quando decidimos montar a cafeteria, os dois pediram demissão dos empregos e mergulharam de cabeça no projeto. O principal objetivo era que o conceito deveria ser diferente do que já existia no Recife. Definimos que a nossa cafeteria deveria ser, acima de tudo, autoral e proporcionar ao cliente uma experiência sensorial com o café”, conta Tallita.

Tallita e Alan são os responsáveis pelo sucesso da marca – Crédito: Divulgação

Atualmente, a marca comemora três anos de sucesso, carregando títulos como: Uma das doze Cafeterias Revelação, além de receber o Certificado de Excelência do Tripadvisor. As unidades localizadas no Prado e Recife Antigo, ficaram entre as 20 Mais Bonitas do País pela Revista Expresso e entre as 15 Mais Descoladas em seleção do BuzzFeed Brasil. Em 2018, resolveram inovar apostando no “rodízio de café”. A novidade passa a funcionar a partir deste sábado, no valor de R$ 15,90. Seus clientes poderão experimentar cafés com diferentes tipos de grão e cerca de 20 métodos de extração diferentes.

Foto: Giselli Carvalho/Divulgação

Ao relembrarem o inicio da carreira, o casal admite as dificuldades presentes em tentar proporcionar um novo método de consumir a bebida. “O nosso primeiro ano foi muito difícil para convencer as pessoas de que café não era tudo igual e que ele não deve ser amargo. “Como assim experimentar café sem açúcar?” Era o que mais ouvíamos questionarem. Mas com o tempo, percebemos uma grande aceitação do público e do mercado local com a abertura de outras cafeterias com cafés filtrados e grãos especiais”.

Malakoff Café no Bairro da Jaqueira – Crédito: Giselli Carvalho/Divulgação

A valorização dos investidores locais
Outra característica primordial das novas cafeterias é o desejo de desenvolver cafés de forma sustentável, realizando torras específicas que possam exaltar o melhor de cada grão e entregar esse produto no melhor momento para consumo. Na cidade, um ônibus de 1982 transformou-se em um estabelecimento móvel. Dirigido por Mateus Alves e Sara Rangel, o Clandestino Café surgiu com o objetivo de mudar o cardápio e trabalhar com fornecedores locais, além de conhecer a fundo todas as propriedades e nuances da bebida e prepará-la de forma a ressaltar o seu sabor original.

O Clandestino foi fundado em 1982 – Crédito: Reprodução do Instagram

Verdades e Mitos sobre o café:

No topo das bebidas consumidas pelo mundo, o café não escapa dos benefícios e malefícios causados a saúde. Afinal, será que ele é de fato prejudicial? Convidamos a nutricionista Thallyne Pereira para esclarecer o assunto. Confira:

Crédito: Divulgação

Qual a composição do café e a quantidade ideal para se consumir ao dia?
O café possui de 1 a 2,5 % de cafeína e diversas outras substâncias em maior quantidade, que podem até ser mais importantes do que a própria cafeína para o organismo humano. Estudos recentes indicam que 400 miligramas diários de cafeína – o correspondente a três xícaras de 150 ml de café – da substância é o limite para adultos saudáveis.
Quais os benefícios de uma consumação correta? 
– Consumido em doses recomendadas, o café traz vários benefícios para quem o consome, como: bom para a memória e sistema nervoso central, melhora a digestão, previne diabetes, auxilia o emagrecimento, melhora o estado de alerta, melhora o desempenho físico, entre outros.
Se consumido com exagero, quais são os malefícios?
Se consumido em exagero, pode causar uma overdose (devido ao excesso de cafeína), que pode ser percebido pela irritabilidade, dor de estômago, tremores leves, insônia, nervosismo, inquietação, tonturas e ansiedade. Além de aumento dos batimentos cardíacos, o que pode ser bastante perigoso, especialmente para pessoas com problemas de coração e hipertensos.

Confira lista de cafeterias gourmet no Recife:

GrãoCheff (Torrefação própria)
Endereço: rua da hora, 497, Espinheiro
Informações: 3071.8384

Borsoi
Endereço: rua Artur Muniz, 82, Boa Viagem
Informações: 3071.6834

Apolo Beer Cafe
Endereço: rua do Apolo, 164, Recife Antigo
Informações: 3088.8091

Bogart Café
Endereço: rua Afonso Pena, 96, Santo Amaro
Informações: 3040.2243.

Café com Dengo
Endereço: rua Teles Júnior, 489, Aflitos
Informações: 3129.9030

Café do Brejo
Endereço: rua Capitão Lima, 20, Santo Amaro
Informações: 3423.6964

Cordel Cafés Especiais
Endereço: rua do Marques, 43, Parnamirim
Informações: 3877.2233

Ernesto Café
Endereço: rua Abelardo, 58, Graças
Informações: 99172.4344

Fervo Coffee Shop
Endereço: rua Sá e Souza, 878, Setúbal
Informações: 3129.8579

Kaffe Torrefação e Treinamento
Endereço: avenida Conselheiro Aguiar, 2178, Loja 1, Boa Viagem
Informações: 99525.5170

Lalá Café
Endereço: rua Amélia, 470, Graças
Informações: 3426.6708

Malakoff Café (Paço do Frevo)
Endereço: Praça do Arsenal, s/n, Museu Paço do Frevo, Recife Antigo.
Informações: 3128.0113

Malakoff Café (Prado)
Endereço: av. Abdias de Carvalho, 1142, Prado
Informações: 3128.0113

Malakoff café (Jaqueira)
Rua Xavier Marquês, 237, Graças
Informações: 31280113

Castigliani Cafés
Endereço: Estrada do Encanamento, 323, Casa Forte
Informações: 3037.6811

Blog JA – DP


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *