Suape e Porto Digital estudam parceria

Parceria entre Suape e o Porto Digital pode influenciar no crescimento do terminal portuário

Evento do Cone
Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Com a intenção de buscar estratégias para otimizar resultados e diminuir custos, dois ativos pernambucanos podem unir ideias para o Estado: o Porto de Suape e o Porto Digital. A integração entre os dois polos podem servir de base para o crescimento do Complexo de Suape a partir da logística e inovação. Hoje, o terminal apresenta boas movimentações, com um total de 23,8 milhões de toneladas de cargas alcançadas no ano passado, e a nova parceria ajudará a melhorar o resultado. A proposta foi apresentada ontem durante o evento “Logística e Inovação: uma estratégia para Pernambuco”, realizada pelo Cone.

O presidente de Suape, Marcos Baptista, defende um diálogo firme com o parque tecnológico. “Precisamos ouvir um ao outro e pensar de que forma a tecnologia pode nos ajudar a ter resultados ainda melhores. Um tipo de produto que pode ser desenvolvido em conjunto para unificar o pagamento das tarifas que incidem sobre a movimentação portuária. No Brasil, impostos e taxas são pagas separadamente a cada órgão federal e estadual, como o Ministério da Agricultura e a Anvisa”, disse Baptista. Para ele, o sistema que o Panamá desenvolveu ao longo de dois anos é uma boa opção. “No caso deles, o pagamento das taxas é feito em um só boleto e a empresa do Canal do Panamá faz a distribuição para os órgãos”, explicou Baptista.

O Canal do Panamá é a principal via interoceânica que serve o comércio marítimo mundial com um sistema que facilita a movimentação. “O Equador é um grande exportador de frutas e as mercadorias passam pelo terminal para facilitar os custos. Pernambuco tem muitos ativos que ajudam no processo e pode seguir ideias feitas pelo Canal do Panamá para crescer”, disse o CEO do Canal do Panamá, Jorge Quijano.

E a parceria entre Suape e o Porto Digital pode influenciar no crescimento do terminal em outro ponto. “Estamos em processo de implantação de cinco pátios de triagem de caminhões e precisamos de um sistema desenvolvido perfeitamente para integrar os terminais do porto e os próprios pátios”, contou Baptista.

Segundo o governador Paulo Câmara, é preciso se discutir mais fortemente ações de médio e longo prazo. “A ampliação do Complexo de Suape com novos terminais e contêineres e a tecnologia da informação desenvolvida pelo Porto Digital podem formar uma integração para Pernambuco dar saltos mais rápidos”, destacou Câmara. As discussões para o futuro do setor foram realizadas no Teatro do RioMar, com a presença de especialistas. Participaram ainda o presidente do Cone, Marcos Roberto Dubeux, e o diretor do Centro de Transportes e Logística do Massachusetts Institute of Technology (MIT), Yossi Sheffi.

Por: Eduarda Barbosa, da Folha de Pernambuco


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *