Joana Lira leva Carnaval pernambucano ao Instituto Tomie Ohtake

Peças produzidas pela artista gráfica para a decoração da folia no Recife serão expostas a partir do dia 23 de janeiro

Joana Lira, artista gráfica pernambucana
Foto: Divulgação

O Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, abre espaço, a partir do dia 23 de janeiro, para a exposição “Quando a vida é uma euforia”, da artista gráfica pernambucana Joana Lira, que foi responsável pela identidade visual do carnaval pernambucano por dez anos.

A curadoria é de Mamé Shimabukuro e visa uma aproximação sensorial do visitante com a festa pernambucana, trazendo personagens, ritmos e sentimentos. A exposição é uma oportunidade de ampliar o conhecimento nacional sobre o carnaval do pernambucano que, apesar de ser considerado uma das maiores festas populares brasileiras, ainda tem muito de sua diversidade desconhecida.

Para fortalecer esta ideia de conhecimento e experimentação, a exposição foi dividida em três núcleos e traz trilha sonora de Maurício Badé. O primeiro núcleo apresenta conteúdos e registros de manifestações como o Frevo, Maracatu Rural, Maracatu Nação e Caboclinhos, juntos a intervenções artísticas de Joana, permeando a ideia de pertencimento.

O segundo núcleo dá ao visitante a experiência de sentir a pulsação carnavalesca através de grandes projeções e sons dos variados ritmos. Por fim, o último núcleo leva o espectador à transcendência, exibindo personagens em tamanhos monumentais, característicos do trabalho de Joana.

A pernambucana Joana Lira tem trabalhos aplicados em produtos e materiais de comunicação para clientes como Organização das Nações Unidas (ONU), L´Occitane, Banco do Brasil, Ambev, Alpargatas, Tok & Stok, Prefeitura do Recife e Governo do Estado de São Paulo. Em 2009, foi premiada pelo Pearl Awards, em Nova York, na categoria Best Use of Illustration, com a ilustração de capa da revista Audi (editora Trip). Em 2015 e em 2016, recebeu junto com a equipe da L´Occitane au Brésil o primeiro lugar no Prêmio da Associação Brasileira de Embalagem (Abre), respectivamente com as linhas Olinda e Água de Coco. Vive e trabalha em São Paulo desde 1999.

Mamé Shimabukuro, paulistana. Estudou Interior Construction na Parson’s School e Lighting Design na School of Visual Arts em New York, em 1992. Atualmente está envolvida com o roteiro e direção do documentário Minha Sorte é o Olho que eu Tenho, apresentando uma grande coleção de arte popular que contrapõe o erudito e o popular.

Serviço:

Exposição: Quando a vida é uma euforia
Abertura: 23 de janeiro de 2018, às 20h
Até 04 de março de 2018 – grátis
De terça a domingo, das 11h às 20h
Instituto Tomie Ohtake, Av. Faria Lima 201

Joana Lira no carnaval pernambucano
Foto: Divulgação

Folha PE


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *