Mão de obra reeducanda cada vez mais atuante na limpeza urbana do Recife

Atualmente  quase 200 reeducandos do regime aberto e livramento condicional trabalham limpando ruas no Recife e em atividades internas na Emlurb. Só esta semana, 12 foram contratados.

A mão de obra reeducanda está cada vez mais atuante na limpeza urbana da capital Pernambucana. É que a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), através do Patronato Penitenciário, aumentou a equipe de reeducandos que atua na Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), com a contratação de mais 12 trabalhadores em regime aberto e livramento condicional. Eles iniciaram os trabalhos neste mês de setembro, juntando-se aos outros 168 que já prestam serviço à empresa.

Agora, a Emlurb conta com 180 reeducandos que realizam serviços de varrição, capinação, ascensorista de elevador nas passarelas, atendimento ao público em cemitérios e serviços de manutenção e programação de computadores na empresa. Para Josafá Reis, superintendente do Patronato Penitenciário, “o objetivo principal das parcerias é a ressocialização desses reeducandos, tendo como base dois pilares: o da qualificação e o da empregabilidade”.

A parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura do Recife para absorção da mão-de-obra reeducanda do regime aberto e livramento condicional iniciou em 2015. De acordo com a coordenadora de Empregabilidade do Patronato Penitenciário, Glauce Cavalcanti, “por conta do estigma e do preconceito, conseguir um trabalho é o maior desafio enfrentado pelos reeducandos que almejam reconstruir a vida. Oportunizar a inclusão social pelo trabalho é a missão do órgão, que por meio de convênio com Entidades Públicas e Privadas ajuda a criar oportunidades para uma parte da população que provavelmente nunca as teve”.

Pelo trabalho, os reeducandos recebem um salário mínimo (R$ 937,00), vale-transporte, vale refeição, fardamento e equipamento de proteção individual (para os que ficam na limpeza das ruas).

“Os reeducandos mostram qualidade no serviço e disposição para se ressocializar. Eles limpam as ruas, fazem manutenção de brinquedos em praças, pintura, serviços de hidráulica, entre outros. Essa mão de obra já está agregada a empresa”, conclui diretor Administrativo e Financeiro da Emlurb, Adriano Freitas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *