Quando empresários, políticos e altos funcionários andarão de ônibus e metrô?

Políticos brasileiros precisavam sentir as dificuldades que a população sente todos os dias. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Faço minhas as palavras do Marcos de Souza. Confiram e reflitam…

Por Marcos de Sousa
Editor do Mobilize Brasil

Em 2015 circulou pelas redes sociais do mundo inteiro uma foto do então primeiro-ministro britânico, David Cameron, em pé no metrô de Londres, calmamente lendo um jornal. No mesmo ano, Cameron foi fotografado viajando com a família na classe econômica em um avião que seguia da capital britânica para Portugal. Também em Londres, o ex-prefeito Boris Johnson costumava ir ao trabalho e deslocar-se pela cidade usando uma prosaica bicicleta speed ou uma bike pública.

 

Aprende-se muito sobre a vida real em uma viagem de ônibus, numa estação de metrô ou simplesmente caminhando na cidade. Seria uma universidade para Suas Excelências”

Mobilize

 

Ano passado, em Brasília, durante seminário nacional das empresas de transportes, o arquiteto e ativista Nazareno Affonso arrancou aplausos da plateia ao questionar: – Quando é que os empresários de ônibus e as autoridades públicas passarão a andar de ônibus, de metrô…? A provocação de Nazareno está até hoje sem resposta.

 

Ex primeiro-ministro britânico David Cameron, flagrado andando de metrô. Por que os políticos brasileiros não são assim? Foto: Reprodução Mobilize

 

Os fatos políticos divulgados esta semana, depois de dois anos de revelações envolvendo todos os grandes partidos políticos do País, confirmam a velha impressão de que políticos, juízes e outros funcionários públicos ainda se sentem superiores ao cidadão comum, esse que paga seus altos salários. Eles nunca são vistos na fila do ônibus, do supermercado, ou mesmo na sala de embarque dos aeroportos. Pensam fazer parte de uma casta superior, intocável, inalcançável.

Esta semana, o jornalista Alexandre Pelegi, da ANTP, publicou uma perguntinha simples nas redes sociais, depois que a Câmara paulistana anunciou medidas para reduzir os gastos com os carros oficiais: – Por que não oferecer um bilhete único aos vereadores?

Aprende-se muito sobre a vida real em uma viagem de ônibus, numa estação de metrô ou simplesmente caminhando na cidade. Seria uma universidade para Suas Excelências.

De Olho no Trânsito – JC


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *