Nordeste brasileiro recebe o primeiro congresso internacional sobre inclusão em Porto de Galinhas

Com foco em despertar a sociedade para os direitos da pessoa com deficiência, o Inclusion acontece em Porto de Galinhas/PE, nos dias 19 e 20 de maio. Empregabilidade, direitos e tecnologias assertivas serão algumas das temáticas discutidas

Quando se fala em Inclusão Social se quer abranger muito mais que a aceitação de diferenças. Neste discurso, é necessário incluir ofertas de oportunidades e adaptações de bens e serviços para que elas, as diferenças, possam ser aceitas e transformar vidas. É com essa ideologia que acontece, pela primeira vez no Nordeste, um evento de grande porte sobre inclusão: o I Congresso Internacional Inclusion, sob o tema “Deficiência Intelectual, Auditiva, Visual, Motora e as perspectivas das Tecnologias Assistivas”. O encontro ocorrerá no hotel Armação Convention Center, na praia de Porto de Galinhas (PE), nos dias 19 e 20 de maio próximo.

A primeira edição do Congresso Inclusion reunirá expoentes da inclusão do Brasil e do mundo. Com previsão de receber 900 pessoas de diversos estados do país, ela contará com oficinas, painéis e mesas redondas. Tem como objetivo disseminar conhecimentos para as demandas das pessoas com deficiência e articular um debate com a sociedade, os gestores públicos, grupos organizados e interessados quanto a: acessibilidade, empregabilidade, empreendorismo, tecnologias assistivas, reabilitação e inclusão social desse segmento.

À frente do evento está a assistente social Emília Gama, especialista em Educação Especial e Inclusiva, em Saúde Mental com ênfase em TEA e em Síndrome de Down, e coordenadora do Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa – INESP. Segundo ela, diante dos novos desafios propostos pela Lei Brasileira da Inclusão, sancionada em 2015, e a Convenção da Organização das Nações Unidas – ONU, já são observadas, principalmente na última década, mudanças marcantes de paradigmas quanto à inclusão das pessoas com deficiências. “Há um maior rigor metodológico e científico nas pesquisas realizadas, desenvolvimento de novas estratégias e janelas de atuação no campo da Inclusão e maior produção de conhecimento teórico e prático, beneficiando os indivíduos com deficiências”, afirma Emília Gama.

Programação diversificada de palestras, mesas redondas e oficinas

Com um time que pretende apresentar os direitos das pessoas com deficiência, cases de sucesso e dividir experiências, as palestras do Inclusion serão proferidas por nomes consolidados na área, como o de Marta Gil, responsável pela elaboração da Metodologia SESI/SENAI de Gestão da Inclusão na Indústria, que explanará sobre “Autodescrição: avanços e possibilidades”. Ela apresentará, dentre outros assuntos, dados sobre o consumo do segmento. Segundo o Ministério do Trabalho e da Previdência Social, por exemplo, há mais de 400 mil pessoas com deficiência no mercado formal de trabalho. “Essa constatação nos permite deduzir que as pessoas com deficiência, ao começarem a trabalhar, contribuem para impulsionar o consumo”, revela Marta Gil.

Flávia Cortinovis, uma das idealizadoras do projeto Beleza em todas as suas formas, patrocinado pela empresa de cosméticos Alfaparf, também dará a sua contribuição, falando sobre a Lei de Cotas no Brasil. “Faremos uma reflexão sobre a metodologia empregada pelas empresas para a realização do recrutamento e da seleção dos candidatos, mostrando o valor agregado ao negócio e à humanização nas relações dentro das organizações que decidem transformar o tema inclusão como parte de uma estratégia de diversidade corporativa”, adianta Flávia Cortinovis.

Com o tema “Educador, você está preparado para a Educação Inclusiva?”, o educador espanhol Miguel Lopez fará uma abordagem dirigida aos professores. O empreendedor social, escritor e diretor do filme e projeto Cromossomo 21, Alex Duarte, será outro destaque do Inclusion e falará ao público sobre “Gestão emocional: suas emoções ao seu favor”. “Cuidando do Cuidador” será o assunto discorrido por Mônica Xavier, capacitada pelo Massachusetts Down Syndrome Congress, que tem especialização em acolhimento de famílias que recebem um bebê em situação de vulnerabilidade física.

O painel “Casa Adaptada – Acessibilidade e Autonomia” será mais um grande atrativo do evento, com a participação de Flávia Poppe, doutora em Administração Pública na Universidade de Buenos Aires, e Hamilton Oliveira, Tetraplégico C6/C7, que explicará como alcançou sua independência, tornando-se ativista e empreendedor.

A programação conta ainda com uma palestra sobre os “Direitos da Pessoa com Diversidade Funcional”, proferida pelo advogado carioca Gonzalo Lopez, que é delegado da Comissão de Defesa da Pessoa com Deficiência e da Comissão de Prerrogativas da OAB/RJ. Um das palestras internacionais será sobre “Emprego Simples e Sustentável”, com o especialista em vendas e desenvolvimento de negócios Seth Levy, do Instituto Picasso e Einstein, da Flórida (EUA).

Durante o evento, iniciativas de turismo acessível e lucrativo locais também serão apresentadas em uma mesa redonda, como um projeto desenvolvido pela Associação Rodas da Liberdade, chamado “Praia sem barreiras em Porto de Galinhas”, por meio do qual, desde 2013, são oferecidos banhos assistidos, passeios de jangada e outras atividades adaptadas, em parceria com Secretaria de Turismo do Município de Ipojuca e a Empetur. No Brasil, há apenas três praias reconhecidas como acessíveis pela Associação Internacional de Turismo, que ficam em Porto de Galinhas (PE), na ilha de Fernando de Noronha (PE) e em Socorro (SP).

Outro assunto de destaque será a palestra sobre tecnologia assistiva, com a diretora da Assistiva Tecnologia e Educação, Rita Bersch, e sua sócia, Mara Lúcia Sartoretto. Segundo Rita Bersch, foram implementadas aproximadamente 40 mil salas de recursos multifuncionais, de acessibilidade e de tecnologia assistiva em escolas públicas brasileiras. O objetivo dessa sala é identificar barreiras e prover os recursos de acessibilidade que permitam a plena participação dos alunos com deficiência nos desafios educacionais. “Vamos abordar um pouco o papel do atendimento educacional especializado nessa questão da tecnologia assistiva. Quais são as atribuições desse professor e o quanto é importante ele envolver o próprio aluno e os parceiros da escola nesse processo de construção de acessibilidade”, diz Rita.

O Congresso encerrará com luau acessível na praia. Trabalhos acadêmicos serão aceitos pela comissão organizadora do Congresso Inclusion até o dia 20 de abril. Toda a programação pode ser conferida no site do evento: www.congressoinclusion.com.

Serviço:

I Congresso Internacional Inclusion

Dias 19 e 20 de maio de 2017

No Armação Convention Center, em Porto de Galinhas (PE)

Informações:

www.congressoinclusion.com

(81) 3465.8594 | 3466.5551

cejemeventos@cejem.com.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *