Fernando de Noronha só terá carros elétricos

Projeto será um dos primeiros a serem executados na ilha para experiências com energias renováveis

A ilha de Fernando de Noronha será utilizada como laboratório para práticas de energias renováveis. Um dos primeiros projetos a serem implantados no arquipélago é a utilização de carros elétricos. A previsão é de que, até o fim do ano, todos os 450 veículos que transitam pelo local hoje utilizando combustíveis sejam substituídos pelos elétricos. A implantação do projeto será discutida hoje durante o workshop “Energia Renovável e Inovações Interconectadas – Mercados Sustentáveis do Século XXI”, cuja programação segue até a próxima quinta-feira, no Paço Alfândega.

“Estamos discutindo as melhores práticas de implantação, políticas públicas, tecnologia e mecanismos de financiamento. Tudo para avaliar as melhores propostas e apresentar à comunidade. Também temos projetos de instalar na ilha fontes de energia solar, que pode trazer bons resultados para a região”, afirmou o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, Sérgio Xavier.

Segundo informações da secretaria, Pernambuco tem um potencial bruto de mil GW (gigawatts) de energia eólica e cerca de 5,2 mil GW de energia solar.

A implantação dos carros elétricos na ilha está sendo discutida junto com empresas americanas, por meio do Consulado Geral dos Estados Unidos no Recife. O primeiro passo para o desenvolvimento desse e de outros projetos na área será a assinatura de um memorando entre o governo do estado e a instituição, cujo intuito é o de formalizar parcerias e criar novos modelos de negócios entre empresas locais e americanas.

“Noronha é um bom laboratório. Assim como Pernambuco. Se pararmos para observar, a Califórnia tem problemas similares, como os de mobilidade e a seca. Claro que em diferentes proporções. Então, as empresas americanas têm interesse e capacidade de investimento”, enfatizou o cônsul geral do Estados Unidos, Richard Reiter.

O protótipo do primeiro carro elétrico produzido com tecnologia 100% brasileira será apresentado hoje durante o workshop. Desenvolvido para o segmento “carro compartilhado”, o Veículos Alternativo para Mobilidade (VAMO) terá velocidade limitada a 60 km/h, já que será utilizado em área urbana. A duração da carga será de duas a três horas. Além de ser 100% sustentável, o carro vem com recursos de IoT – internet das coisas (dispositivos eletrônicos que conectam os objetos do dia a dia à internet) e conectado à nuvem (espaço virtual de armazenamento). A expectativa é de que a versão comercial esteja disponível daqui a nove meses. O veículo é desenvolvido pela Serttel, com o apoio do instituto Senai de Inovação no Recife (ISI).

Entre as empresas presentes no workshop estão Tesla, Bloomberg New Energy Finance, SolarCity, GM, Enel Brasil, Baterias Moura, Eletrobras, Universidade da Califórnia – Los Angeles – UCLA, Renewables 100 Policy Institute, 8minutenergy Renewables, California Energy Commissioner, Neoenergia e NREL – Laboratório Nacional de Energia Renovável, Serttel e Porto Digital.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *