Registrado novo ato de vandalismo em sistema de abastecimento no Agreste Pernambucano

Registrado novo ato de vandalismo em sistema de abastecimento no Agreste

venturosa1

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) registrou, na manhã desta terça-feira (8), um Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia de Venturosa, localizada no Agreste do estado, para que seja apurado o ato de vandalismo ocorrido na noite d0 dia (7), na Barragem Ingazeira, situada no município. Uma balsa que servia de suporte para o funcionamento de uma bomba dentro do manancial foi danificada e afundou, o que provocou a suspensão do abastecimento de água para a cidade. A previsão é que o sistema volte a funcionar amanhã (09) à tarde, após conclusão dos serviços de reinstalação da bomba.

A balsa foi instalada pela Compesa para captar água do volume morto da barragem, que está com apenas 3% da sua capacidade total – que é de 4,8 milhões de metros cúbicos de água. A bomba estava possibilitando a retirada água da barragem para a Estação Elevatória, que por sua vez é bombeada até a Estação de Tratamento de Água (ETA), e depois distribuída pela rede. A águada Barragem Ingazeira abastece cerca de 50% dos moradores do município, que no total somam 12 mil pessoas, no regime de dois dias com água para quatro sem. Para atender a outra metade da população, a Compesa instalou 15 caixas comunitárias com capacidade para armazenar de 7 mil a 10 mil litros de água, em pontos estratégicos da cidade. Hoje, Venturosa encontra-se em pré-colapso, decorrente do quinto ano consecutivo de seca em Pernambuco, tendo o Agreste como a região mais crítica de abastecimento,

“Estamos preocupados com a possibilidade do vandalismo se repetir, tendo em vista que a situação no Agreste é bastante crítica devido a estiagem prolongada. A prioridade da água disponível no manancial, neste momento, é para o abastecimento humano, e não para outros fins, como a irrigação”, informou o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Augusto César Andrade, acrescentando que a polícia local já instaurou um inquérito para investigar os responsáveis pelo ato de vandalismo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *