VAMOS VOTAR NA UPTOWN BLUES BAND, A MELHOR DO BRASIL

OS MELHORES SÃO NOSSOS PERNAMBUCO!!!

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, texto

Estamos concorrendo ao Prêmio Profissionais da Música mais uma vez na categoria
Artistas | Intérpretes – Blues.

A votação popular começou  dia 15/03 às 17h e finaliza dia 24/3, basta acessar o site http://ppm.art.br

Como votar?

Os que já possuem cadastro, basta logar no site, clicar em VOTAÇÃO, e o sistema permitirá você vote.
Já os que não possuem, precisarão se cadastrar com nome, email, estado e instagram, para em seguida clicar em VOTAÇÃO e votar.

Pedimos o apoio de todos para conseguirmos nos classificar para a etapa final desta Premiação .
Muito obrigado!!


A REFORMA DE FAZ DE CONTA DA PREVIDÊNCIA DOS MILITARES – Por Augusto Saboia

Resultado de imagem para REFORMA DE FAZ DE CONTA DA PREVIDÊNCIA

Com essa proposta de reforma ridícula que o governo quer colocar para os militares vai fazer com que as outras corporações nefastas como a Justiça, Ministério Público, Políticos e funcionários públicos em geral vão querer a mesma mamata que o governo deu para os militares, afinal nossos governantes hoje são militares e não iam deixar raivosa a caserna.

Resultado, como sempre vai sobra para nós de regime geral que já não podemos nos aposentar.

Governo Ridículo, Corporações Nefastas, Políticos Corruptos = Adeus Reforma da Previdência, que na realidade eu nunca acreditei que aconteceria.


Polo Têxtil do Agreste aposta em design

E&E Empresas do setor no Agreste fazem o “upgrade” da simples produção de confecção para produtos elaborados por designers de moda com maior valor agregado.

“Aproveitar o bom momento do mercado para ampliar a capacidade de competir, modernizando a gestão, diversificando a oferta e elevando a competitividade”. Esse desafio-síntese para o setor de moda e confecções no Agreste pernambucano foi escrito há 10 anos no livro Pernambuco Competitivo, elaborado pela Pesquisa Empresas & Empresários, que é uma iniciativa da TGI e do INTG com patrocínio do Governo de Pernambuco. O contexto de crise atual é um contraste ao vivido pelo País naquela época caracterizada pela economia aquecida, baixo desemprego e alto volume de investimentos. Mas, passada uma década, algumas alternativas propostas na pesquisa começam a ser implantas.

Wamberto afirma que boa parte da produção do polo destina-se às classes C e D, mas mesmo nesse segmento a concorrência é grande e só se diferenciam as empresas que inovam.

Uma das transformações do Polo de Confecções foi a entrada no mercado local de profissionais formados em design e em outras áreas relacionadas ao setor. Eles são oriundos dos cursos superiores e técnicos criados no Agreste. A qualificação da mão de obra já mostra impactos no produto final das empresas. “Os empresários estão investindo mais em design. Isso é consequência dos investimentos em educação em Caruaru e em Santa Cruz do Capibaribe nos últimos anos. Essa estrutura educacional criou uma massa crítica que começa a render frutos. Muitos varejistas afirmam que o produto pernambucano tem amadurecido muito”, ressalta Wamberto Barbosa, vice-presidente da Acic (Associação Comercial e Empresarial de Caruaru) para Assuntos de Câmara Setoriais e Núcleos Especiais.

A produção, em boa parte, ainda se destina ao mercado popular, das classes C e D, segundo Barbosa. Ele salienta, porém, que mesmo nesse segmento de consumo a concorrência nacional é grande e é preciso oferecer peças de qualidade. “Só se diferencia quem está inovando em design”, alerta Wamberto.

Para o presidente da CDL-SCC (Câmara de Dirigentes Lojistas de Santa Cruz do Capibaribe), Bruno Bezerra, o Polo de Confecções de Pernambuco vem evoluindo a cada ano com uma nova geração de empreendedores. “Eles estão em busca do conhecimento necessário para enfrentar os desafios da transformação digital que vem redesenhando mercados aqui e mundo afora”, comenta o empresário.

O amadurecimento e a qualificação da produção do polo coincidem com um momento atual mais otimista por parte dos empresários. O diretor do Grupo Avil, Verysson Ferreira, afirma que o setor tem uma expectativa de crescer 8% em 2019. As projeções de sua empresa são de avançar 15% em faturamento no ano. A Avil, que já possui 10 lojas em operação, abrirá uma nova unidade neste ano, onde contratará em torno de 60 novos profissionais, alcançando o total de 800 funcionários no seu quadro.

“O Polo de Confecções sempre foi conhecido por comercializar produtos baratos, antes marcados também pela baixa qualidade. Hoje, com mais acesso à informação por parte dos consumidores, mesmo das classes mais populares, o setor se vê obrigado a entregar um produto com inovação e melhor acabamento de peças, tingimento e modelagem”, observa Ferreira. “Passamos a notar que as empresas de confecção migraram as compras de tecidos já estampados para os brancos, para que eles produzam as suas estampas exclusivas. Isso é sinal de que mesmo o pequeno confeccionista se mexeu para seguir no mercado”, salienta.

Essa necessidade de investir em novos produtos criou mercado para que as designers Aurijanne Arruda e Jessica Souza, formadas em Caruaru, criassem a Line Ateliê Criativo. A empresa presta serviços na área de design de moda, com expertise para desenvolver coleções de vestuário, modelagem, pilotagem e editorial. Apesar de sentirem ainda resistência por parte das empresas em enfrentar processos de modernização, as diretoras da Line Ateliê Criativo afirmam que uma grande fatia desse mercado tem investido em inovação. “Muitos empresários entenderam que os velhos hábitos de produção estão se tornando obsoletos e que os consumidores se mostram mais exigentes. Essa perspectiva se reflete em ótimas oportunidades para designers e outros profissionais da área. Apontamos a adesão ao design como estratégia mercadológica para conferir diferencial aos produtos e processos das indústrias”, indica Aurijane.

Jessica Souza e Aurijane Arruda são sócias da Line Ateliê Criativo. A empresa está crescendo com o investimento do setor em design. Foto: Tom Cabral

A empresa conta com clientes fixos e alguns que demandam trabalhos mais pontuais. As jovens empresárias afirmaram que têm recebido indicações de clientes até de fora do Estado e planejam acelerar sua atuação em 2019 com projetos de cunho industrial, social e sustentável. “Ressaltamos esses investimentos em design como uma grande tendência que abre espaço para o crescimento do setor têxtil da região, fazendo a moda do Agreste pernambucano alcançar novos níveis”, acredita Jessica Souza.

Chegar a outros mercados é o desafio apontado pela Acic para o setor. De acordo com Wamberto, mais de 60% da produção pernambucana destina-se ao Nordeste, região responsável por 30% da capacidade de consumo do País. “Nosso produto tem todo um mercado ainda para conquistar. Isso demonstra que as nossas empresas precisam investir em novas estratégias de comercialização que alcancem dimensões nacionais”.

O dirigente avalia que o modelo concentrado na venda por meio de visita de compradores ao Estado, principalmente aos centros comerciais de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama, foi responsável pelo avanço do setor, mas tem uma limitação de crescimento. “Precisamos de uma maior profissionalização de forma a dar a Pernambuco um braço comercial mais longo”, propõe Wamberto. Ele cita que as empresas do Estado ainda participam de forma incipiente do fornecimento de produtos para as grandes redes varejistas de moda e dos supermercados, os quais respondem por um volume relevante das compras de roupas no País.

O dinamismo do Polo do Agreste e a capacidade dos empresários locais de se reinventarem diante dos desafios do mercado são fatores que deixam Wamberto otimista. A fraqueza do setor seria a limitação de investimentos. “Como a maioria são pequenas e médias empresas, há uma dificuldade de se autofinanciar ou de captar recursos. Isso é uma barreira para alcançar novos mercados, o que custa caro e não dá retorno imediato”, analisa. O caminho proposto por ele para solucionar esse entrave seria desenvolver estratégias conjuntas ou associadas, que possam fortalecer a presença nacional da indústria pernambucana.

Bruno Bezerra afirma que nos dois últimos anos houve um expressivo ganho de competitividade no polo com a construção de uma nova plataforma tributária por intermédio de um diálogo bem-sucedido entre Secretaria da Fazenda de Pernambuco com o setor têxtil e de confecções. Na gestão passada, o Governo do Estado simplificou o regime tributário das empresas, reduzindo a informalidade na região. No entanto, o presidente da CDL-SCC considera que o ambiente de negócios ainda segue dispendioso e hostil. Além disso, o cenário de desemprego é um dos responsáveis por atrofiar a retomada do crescimento.

“Precisamos de ousadia nas gestões públicas em todas as esferas para promover e priorizar a geração de vagas. Mas isso só é possível com medidas concretas que facilitem a vida de quem de fato tem a capacidade de gerar os empregos de que o País tanto precisa: as empresas privadas, sobretudo as pequenas e médias”, defende o presidente do CDL-SCC.

*Por Rafael Dantas é repórter da Revista Algomais


Boom de investimentos turísticos em Bonito/Pernambuco

Josa Monteiro e seu sócio investiram R$ 1,3 milhão na reforma do Bonito Hotel Plaza, que tem tido 100% de ocupação nos fins de semana.

Prestes a completar um ano de inauguração, o Teleférico Governador Eduardo Campos atraiu mais turistas e investidores para o município de Bonito. O novo atrativo foi fruto de um investimento de R$ 5,2 milhões do Prodetur (Programa de Desenvolvimento do Turismo). Com o início da sua operação, após quatro anos de espera, empresários da cidade e de outras regiões começaram a aportar recursos tanto na ampliação dos equipamentos hoteleiros já existentes como em novos empreendimentos ligados ao segmento de turismo e lazer.

“Há diversos novos investimentos surgindo no município e estamos impressionados também com a expansão dos que já existem. Há uma confiança inclusive dos próprios moradores da cidade no setor de turismo que estão abrindo pousadas, hotéis, lojas de artesanato e receptivos turísticos”, comemora o secretário de Turismo do município Paulinho de Devá. “Escutamos falar de investimentos de R$ 1 milhão, R$ 3 milhões e até R$ 7 milhões. Estamos muito felizes com esse momento”, completa.

Paulino de Devá: “Há diversos novos investimentos surgindo no município e estamos impressionados também com a expansão dos que já existem”.

O equipamento turístico mais tradicional da cidade, o Bonito Plaza Hotel, inaugurou recentemente 20 novos apartamentos e está requalificando a estrutura dos mais antigos. Para isso, os sócios Josa Monteiro e Rosael Monteiro investiram em torno de R$ 1,3 milhão. “Começamos a construir no embalo do teleférico. Havia uma grande expectativa da sua inauguração, que aumentou muito o número de visitantes na cidade”, conta Josa.

Com 22 anos de operação, o Bonito Plaza Hotel conta com 88 apartamentos. Os pacotes para o período de Carnaval, por exemplo, foram comercializados com seis meses de antecedência. “Nos finais de semana temos tido 100% de ocupação e entre dezembro e janeiro, a taxa média é de 85%”, comemora o empresário Josa Monteiro. O hotel conta atualmente com quadra, minicampo, pesque e pague, passeios de cavalo e até saunas.

Um dos maiores empreendimentos em execução na cidade é o Monte Imperial Park Hotel Residence, do empresário recifense Júlio Miranda. Já foram investidos em torno de R$ 2 milhões ainda na primeira fase do projeto, que está em torno de 20% executado. O complexo contará com hotel, chalés, SPA, parque aquático, restaurante, mirante e uma grande estrutura de lazer em esportes radicais. A previsão de inauguração é em 25 de outubro de 2020. A data coincide com os 200 anos do Massacre do Rodeadouro, considerado o primeiro movimento sebastianista do Brasil. Um episódio histórico que, segundo a Secretaria de Turismo, pode ser explorado turisticamente.

Nos planos do empresário estão a construção da maior tirolesa do Brasil, instalada numa altitude de mil metros e com quase dois quilômetros de extensão. Outro projeto é transformar uma pedreira desativada numa cachoeira artificial. “Tenho uma área de 40 hectares, com uma vista privilegiada para a mata atlântica da região. Minha intenção é trazer mais pessoas para investir em Bonito. Estou confiante na administração pública local para que surjam parcerias público-privadas nesse sentido, com menos burocracia e iniciativa para atração de novos empresários. Sem dúvida, a cidade terá um grande avanço nos próximos anos”, estima Júlio Miranda.

Até o final de 2019 o município deve ver inaugurado outro grande empreendimento, o Bonito Water Park, um arrojado empreendimento do empresário Adilson Azevedo. O complexo aquático possui uma área de quase dois hectares no bairro Arlindo Cavalcanti. Terá seis piscinas, uma delas com nada menos que 76 m de comprimento. Três restaurantes e uma sorveteria serão instalados na área interna e uma churrascaria será erguida logo no acesso ao parque.

Bonito Water Park será um complexo aquático numa área de dois hectares, com seis piscinas, três restaurantes e será inaugurado neste ano.

Adilson, que atua no setor de venda de materiais de construção, conta que tomou a decisão de fazer o investimento ao ver o “estouro” da cidade após a chegada do teleférico. “Será mais um atrativo para o município que está passando por um grande momento. O espaço terá capacidade de receber até três mil pessoas. Esperamos inaugurar até o final do ano”. Além da estrutura que está sendo erguida, o espaço tem uma vista privilegiada para os morros Macaco de Pedra e Araticum.

*Por Rafael Dantas, repórter da Revista Algomais (rafael@algomais.com)


História e arquitetura da cidade serão exploradas pelo Olha! Recife no rio e a pé

img_alt

Rio Capibaribe, Esculturas de Ferro e Revolução Pernambucana são os temas nos próximos roteiros, que acontecem nos dias 23, 24 e 27 (Foto: Andréa Rêgo Barros/Arquivo PCR)

Toda semana, a Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer do Recife planeja passeios guiados e gratuitos para a população e para os turistas. Desta vez, o projeto Olha! Recife realiza três opções de roteiro. No próximo dia 23, os participantes poderão passear de catamarã. Já no dia 24, a caminhada abordará as histórias das esculturas de ferro da cidade. E no dia 27, o passeio é pela Revolução de 1817. As inscrições abrem na próxima sexta-feira (22), às 9h, pelo site: www.olharecife.com.br.

No sábado (23), o passeio de catamarã será dedicado às pontes do Capibaribe. No trajeto, desfilarão sobre os participantes as pontes da região central da cidade, cercadas de palácios, edificações históricas, igrejas, monumentos e manguezais.

No Olha! Recife a Pé do domingo (24), os inscritos realizarão um roteiro com destaque para os monumentos e esculturas em ferro que estão espalhados pelo centro do Recife. Dentre os pontos visitados estão: a Praça da República, com seu conjunto de estatuetas greco-romanas e o monumento à abolição, na Praça Joaquim Nabuco.

Por fim, na quarta-feira (27), o passeio a pé do Olha! Recife mergulhará na história da Revolução de 1817. Evento esse, que ficou conhecido como revolução dos padres, e se tornou famoso na história do Brasil por ter culminado no rompimento com o império Português. O roteiro utilizará algumas das placas do projeto História nas Paredes, realizado em parceria com o Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambuco (IAHGP) para mostrar locais e contar fatos importantes sobre a história da Revolução.

Serviço

Olha! Recife no Rio (Sábado)

Tema: Volta à Ilha

Dia: 23/03

Hora: 9h

Saída: Restaurante Catamaran (Próximo ao Forte das Cinco Pontas)

Olha! Recife a pé (Domingo)

Tema: Esculturas de Ferro do Centro da Cidade

Dia: 24/03

Hora: 9h

Saída: Praça do Arsenal (Posto de Informações Turísticas)

Olha! Recife a pé (Quarta-feira)

Tema: História na Parede – Revolução Pernambucana

Dia: 27/03

Hora: 14h

Saída: Praça do Arsenal (Posto de Informações Turísticas)


Inovabra chega ao Recife aproximando Porto Digital do ambiente de inovação de São Paulo

img_alt

Recife é a primeira cidade fora da capital paulista a receber a atuação direta do centro de inovação do Bradesco que reúne startups e clientes investidores interessados no ambiente de inovação (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

Na tarde desta quarta-feira (20), o prefeito Geraldo Julio participou da assinatura do termo de parceria entre o Porto Digital e o inovabra habitat – espaço de coinovação do Bradesco – para fomento dos negócios entre as empresas residentes no espaço, em São Paulo, e o ecossistema de inovação do Recife. O acordo é a primeira ação no sentido de expandir esse espaço de inovação do Bradesco para fora de São Paulo e o Recife foi a cidade escolhida, se consolidando como um polo atrativo de investimentos na área de tecnologia e inovação.

“Estamos conectando o Porto Digital com o InovaBra, que é um prédio onde funcionam muitas startups e investidores lá em São Paulo, na Avenida Paulista. Um prédio que é comandado pelo Bradesco e que portanto tem uma capacidade de mobilização de negócios muito grande. As empresas que estão lá instaladas cresceram 54% no ano passado, então a gente está conectando aqui o nosso Porto Digital ao que há de mais forte do ponto de vista da inovação. Teremos a oportunidade dos empreendedores do Porto Digital poderem ter postos de trabalho neste ponto, se conectando com investidores, com oportunidades, com clientes, para poder vender serviços para o mundo inteiro”, destacou o prefeito Geraldo Julio sobre a importância da parceria firmada.

O inovabra habitat é um laboratório colaborativo que reúne 190 startups e 70 empresas em um prédio no centro econômico e cultural de São Paulo, cujo principal objetivo é acelerar o desenvolvimento de inovações do banco juntamente com parceiros de tecnologia. A partir do acordo, o Porto Digital pode indicar startups para atender as demandas de negócios das empresas habitantes e do próprio Bradesco. Além disso, as startups selecionadas passam a ter posições disponíveis no espaço físico, localizado em São Paulo e acesso aos cerca de mil eventos que acontecem lá por ano. As empresas habitantes do inovabra também poderão utilizar as dependências e instalações do Porto Digital, no Recife

Luca Cavalcanti, diretor executivo de canais digitais e inovação do Bradesco, comentou a importância do acordo. “O Porto Digital já é um símbolo de excelência e maturidade no ambiente de tecnologia e vem a se somar com o que o Bradesco já desenvolve hoje no eixo de tecnologia. Estamos rompendo fronteiras e a partir disso poderemos oferecer às empresas, as startups, gerando mercado e um bom ambiente de negócios. Estamos integrando essas modernidades para que nossos o projetos e processos sejam mais fluídos. Hoje no universo digital nós precisamos cada dia renovar e inovar, e a relação com as startups traz essa capacidade e essas competências, assim como ajudamos a essas startups a se conectarem e levarem essas competências para as grandes corporações”, afirmou.

“Isso possibilita a chegada das nossas mais de 300 empresas em São Paulo de uma forma muito organizada, profissional e bem sucedida, abrindo mercado, possibilitando a troca entre essas corporações, e permitindo que nossas empresas utilizem o espaço de lá para gerar negócios e fazer suas atividades também em São Paulo”, completou Pierre Lucena, presidente do Porto Digital que atualmente conta com mais de 300 empresas, organizações de fomento e órgãos de Governo, com nove mil profissionais e 800 empreendedores localizados no Bairro central da capital pernambucana.


Festival Bom de Mesa promove intercâmbio gastronômico entre chefs no Recife

César Santos, do Oficina do Sabor, recebe a chef Joana Gallo, do Donna Jô (RJ). Ao lado, o chef Fabrício Lemos, do Origem (BA), participará da elaboração dos pratos no Oleiro, de Claudemir de Barros – Crédito: Divulgação dos chefs

A partir desta quinta-feira (21), o festival Pernambuco Bom de Mesa, coordenado pelo chef César Santos, sedia um intercâmbio gastronômico entre chefs de várias cidades do Brasil e os responsáveis por 17 restaurantes do Recife, Olinda, Porto de Galinhas, Fernando de Noronha e Garanhuns. De hoje a sábado, os estabelecimentos vão oferecer cardápios exclusivos realizados a quatro mãos. Entre os destaques, o Oficina do Sabor, de César Santos, recebe a chef Joana Gallo, do Donna Jô RJ). Já o chef Fabrício Lemos, do Origem (BA), participará da elaboração dos pratos no Oleiro, de Claudemir de Barros. A chef Barbara Verzola (ES) é o nome à frente do menu especial do Cacimba Bistrô, em Fernando de Noronha, realizado em parceria com o anfitrião Auricélio Romão. No Cá-Já, o convidado por Yuri Machado será Léo Gonçalves, conhecido como O Mar Menino (CE).

Quem pedir os menus especiais nos restaurantes participantes do evento irá receber os tradicionais pratos da Associação de Restaurantes da Boa Lembrança, elaborados tematicamente de acordo com a cidade do estabelecimento. Essa é a segunda etapa do Festival Gastrô Pernambuco Bom de Mesa que ofereceu aulas-shows no Shopping Recife.

Confira os restaurantes participantes:

Recife:

Wiella Bistrô – Chef convidado: Sandro Mota (Dom Mani – Santarém-PA)
Nez Bistrô – Chef convidado: Beth Beltrão (Viradas do Largo – Tiradentes-MG)
Chiwake – Chef convidado: Chef Paulão (Alvorada – Petrópolis-RJ);
Tio Pepe – Chef convidado: Don Fabrizio (Fabrizio Gastronomia – Arraial D’Ajuda-BA);
Ponte Nova – Chef convidado: Flávio Trombino (Xapuri – Belo Horizonte-MG);
Oma Patisserrie – Chef convidado: Clovis Viana (Patuscada – Belo Horizonte-MG);
Kojima – Chef convidado: Marcones Deus (Complexo Victoria – Rio de Janeiro-RJ);
Oleiro – Chef convidado: Fabrício Lemos (Origem – Salvador-BA);
Cá-Já – Chef convidado: Léo Gonçalves (O Mar Menino – Fortaleza-CE);
Reteteu – Chef convidado: Adriana Lucena (Natal – RN);
Beijupirá Paiva – Chef convidado: Jaime Barcelos (Ostradamus – Florianópolis-SC)

Olinda:
Beijupirá – Chef convidado: Angela Sicília (Famiglia Sicilia – Belém-PA);
Oficina do Sabor – Chef convidado: Joana Gallo (Donna Jô – Búzios-RJ);

Fernando de Noronha:
Cacimba Bistrô – Chef convidado: Barbara Verzola (Soeta – Vitória/ES);
Varanda – Chefes convidados: Alexandre Merino (Sharin – Porto Alegre-RS);

Garanhuns:
Empório Dom Pedro – Chef convidado: Maria Victoria (Rio de Janeiro-RJ);

Ipojuca:
Porto Mix – Chef convidado: Ana Robéria (Bella Gourmet – Salvador-BA).


Recife Antigo recebe Festival Cervejeiro e Gastronômico de St. Patrick’s Day neste sábado

Henrique Lima/Divulgação

O Recife Antigo recebe, neste sábado, a primeira edição do Festival Cervejeiro e Gastronômico de St. Patrick’s Day, que acontece na Rua da Guia, em frente a Praça do Arsenal, das 16hs às 23hs.

A realização do Sinspire Cultural em parceria com a Heineken e a Secretaria de Turismo do Recife é gratuito e tem a expectativa de atrair mais de mil pessoas.

A festa, que conta com a temática inspirada na cultura irlandesa, terá abundância de tons de verde, além de cervejas, chopps, hambúrguer e pizza a preços especiais.

As bandas que comandam os shows são: Papa Ninfa, Tio Fred com a participação especial de Michelle Melo, além dos DJs Mozão, Claudinha Summer, Evandro Q?.


Caruaru ganha cinco novas áreas de lazer

A nova praça do Salgado tem 894,42 metros quadrados. Foto: Jorge Farias/Divulgação.

A nova praça do Salgado tem 894,42 metros quadrados. Foto: Jorge Farias/Divulgação.

Caruaru, no Agreste do estado, ganhou novos espaços de lazer. Nesta quinta-feira (21), no bairro do Salgado, foi inaugurada a Praça Arlindo João de Moura. Esta foi a quinta área de lazer entregue à população nos últimos 15 dias. Outras quatro estão em construção, totalizando nove equipamentos novos neste primeiro semestre.

A nova praça do Salgado tem 894,42 metros quadrados, com piso em intertravado em toda a área de passeio, pista de cooper, equipamentos de ginástica, bancos, playground, brinquedos, iluminação e paisagismo. “Nosso bairro, além de muito populoso, é muito habitado por moradores de localidades vizinhas, o que irá aumentar ainda mais o movimento depois da entrega desta praça”, disse o morador do bairro Antônio Martins.

O investimento foi de R$ 150 mil, com um total de quase R$ 1,2 milhão do conjunto das cinco novas áreas de lazer da cidade. “Oferecer para população mais espaços de lazer é garantir, automaticamente, mais qualidade de vida, lazer e vida saudável para toda comunidade. Tudo foi planejado e feito diretamente para a população. Juntos, vamos cuidar e preservar cada ambiente novo que nossa cidade possui”, ressaltou a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra.

Os bairros já contemplados com novas praças foram José Carlos de Oliveira, Cidade Jardim, Indianópolis, Santa Rosa e Salgado. A previsão é que mais quatro áreas sejam entregues. São elas: praça no Alto do Moura, praça São José, área de convivência em frente à UPAE e praça de Peladas, zona rural da cidade.


Ciclofaixa de Turismo e Lazer do Recife completa seis anos

Foto: Andréa Rêgo Barros/Divulgação.

Foto: Andréa Rêgo Barros/Divulgação.

A partir deste domingo (24), a orla de Boa Viagem passa a contar com um novo atrativo: a Ciclofaixa de Turismo e Lazer do Recife. Dentro das ações comemorativas dos seis anos do percurso exclusivo para bicicletas, também será inaugurado um letreiro que forma a expressão “Oxe”, no Segundo Jardim de Boa Viagem. Assim como o letreiro “Recife”, do Marco Zero, o novo equipamento ficará disponível para compor fotografias e garantir a diversão de todos, recifenses ou viajantes de passagem pela cidade.

As ações comemorativas pelos seis anos da ciclofaixa contará ainda com apresentações musicais. A partir das 8h, tem atração cultural na Praça do Marco Zero, com o Bloco Lírico Damas e Valetes. Será servido, ainda, um café da manhã para quem estiver presente. O Caminhão da Malhação estará no Bairro do Recife, animando o público com aulão de dança, das 9h30 às 10h30.

Durante toda a manhã, o evento vai contar ainda com ações educativas que serão realizadas por arte-educadores e também com walkimidias distribuindo pochetes alusivas ao aniversário da ciclofaixa. Para ganhar o brinde, será necessário apenas seguir e curtir a última publicação da página @VisitRecife no Instagram. As intervenções acontecem na Jaqueira, no Segundo Jardim de Boa Viagem e no Marco Zero.

Outra novidade é a implantação de cinco bicicletários que serão instalados ao longo do percurso da ciclofaixa. O primeiro será colocado em frente ao Palácio do Campo das Princesas. Nos Parques Santana e Macaxeira serão instalados parklets, que passarão a compor as áreas de convivências. Na semana passada, também foi inaugurado um parklet no Espaço R.U.A., que fica na Avenida Barbosa Lima, no Bairro do Recife.

A cada domingo e feriado, sempre das 7h às 16h, mais de 15 mil pessoas utilizam a Ciclofaixa de Turismo e Lazer. O projeto teve início em 2013 e já são 36,5km divididos entre três rotas que têm como ponto de convergência a Praça do Marco Zero. O projeto é referência, servindo de exemplo para outras cidades do Nordeste, e incentiva a ocupação dos espaços públicos para práticas saudáveis e ao ar livre.


Agência UM inaugura nova sede no Recife

Luiz Augusto é CEO da empresa. Foto: Ademar Filho

A Agência UM inaugurou uma das agências de publicidade mais descoladas do Brasil, com 930 metros quadrados, projetos ousados de iluminação e design inspirados no conceito de navegabilidade e na estética dos contêineres, mobiliários originais, monitores suspensos, e espaços de trabalho, convívio, descanso e lazer para 150 funcionários.

A sensação que se tem quando você entra na nova Agência UM é a de estar num aquário suspenso em que a vista panorâmica do Recife e de Olinda (inclusive da Praia de Boa Viagem) está por todos os lados.

“A antiga sede da Agência UM já não traduzia a jovialidade e ousadia de toda nossa equipe. Além disso, passamos a maior parte do dia dentro do trabalho e precisávamos de um lugar assim para resgatar a felicidade e estimular a capacidade criativa do pessoal”, afirma Luiz Augusto, CEO da Agência UM. Quem deseja conhecer a nova Agência UM de perto, basta entrar em contato e agendar um cafezinho.

A nova sede, localizada no 28° andar de um edifício empresarial moderno e igualmente recém-inaugurado, chega em um momento em que a marca já ocupa lugar de destaque em Pernambuco e no Nordeste. A empresa foi eleita Agência do Ano no Prêmio Pernambuco de Propaganda e no Prêmio Colunistas do Norte/Nordeste.


Sheraton Reserva do Paiva privilegia hóspedes nordestinos

Hotel Sheraton Reserva do Paiva/Divulgação

O Sheraton Reserva do Paiva privilegia os hóspedes residentes em Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

Passam a ter tarifa reduzida, check out até as 18h, dependendo da ocupação do hotel e 20% de desconto da próxima hospedagem e no Shine SPA.


Suape tem aval para navios de maior porte

Marinha autorizou o porto a receber as embarcações com as dimensões disponíveis na América do Sul. A?medida viabiliza a licitação do Tecon 2

Por: Eduarda Barbosa

Porto de Suape

Porto de Suape
Foto: Arquivo/Folha de Pernambuco

Uma das demandas mais importantes para conseguir licitar o segundo terminal de contêineres (Tecon 2) do Complexo Industrial Portuário de Suape era viabilizar a entrada de navios de contêineres de maior capacidade no ancoradouro.

Ontem, foi anunciado que a Marinha do Brasil autorizou o porto a receber os navios regulares porta contêineres com as maiores dimensões disponíveis na América do Sul, além de embarcações previstas para chegar ao Brasil no início do próximo ano.

A partir de agora, com o estudo apresentado, Suape precisará resolver algumas questões operacionais, que devem ser concluídas de três a quatro meses. “Passamos pela aprovação mais difícil. Agora, iremos resolver algumas questões mais simples, como a implantação de um sistema de controle de calado dinâmico e realização de treinamentos com os profissionais.

Depois estaremos prontos para receber navios maiores”, explicou o presidente do Porto de Suape, Leonardo Cerquinho, ao complementar que o complexo se torna mais competitivo. “Esse é um ponto nevrálgico para o Tecon 2, caso contrário, não conseguiríamos servir como um hub”, destacou Cerquinho.

Suape conseguiu a aptidão depois de estudos recentes realizados pela Universidade de São Paulo (USP). A partir da aprovação, o porto receberá navios classe Sammax, de até 336 metros de comprimento, 48 metros de largura, calado máximo de 14,5 metros e capacidade de 9,7 mil TEUs.

Já as embarcações que chegarão ao País no início de 2020 é o New Panamax, de 366 metros de comprimento, 52 metros de largura, calado máximo de 15,2 metros e capacidade de 14 mil TEUs. Até então, o porto só estava autorizado a receber embarcações de contêineres de até 305 metros de comprimento e 48 metros de largura, com capacidade de até oito mil TEUs.

As operações do Tecon 2 devem ser iniciadas em três anos. No momento, não há demanda para esses navios maiores no Tecon 1, mas o terminal pode receber as embarcações nestes próximos anos. “Essa viabilidade é uma garantia aos investidores para o novo terminal.

Neste momento, não temos ainda a demanda para o Tecon 1, mas o terminal pode receber os navios também”, disse o presidente de Suape. Em 2018, Suape movimentou 454.721 TEUs (medida equivalente a um contêiner de 20 pés), sendo líder em contêineres no Norte/Nordeste.

Neste momento, o Tribunal de Contas da União (TCU) está analisando o documento de licitação do Tecon 2. Após essa etapa, o documento seguirá para análise na Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

A expectativa da administração de Suape é que em julho seja publicado o edital de licitação e até novembro seja anunciado o vencedor. O equipamento deve receber investimento de R$ 1,2 bilhão e mais que dobrará a capacidade do terminal atual, de 700 mil TEUs, para 1,7 milhão de TEUs.

Folha PE


Aumenta prazo para reforma da Conde da Boa Vista

A requalificação deve começar em abril e terminar em dezembro de 2020. Imagem: Prefeitura do Recife/Divulgação

A requalificação deve começar em abril e terminar em dezembro de 2020. Imagem: Prefeitura do Recife/Divulgação

Aumenta em dois meses o prazo para conclusão das obras de reforma da Avenida Conde da Boa Vista, de acordo com determinação da Prefeitura do Recuf. A requalificação da avenida de 1,6 quilômetros de extensão e uma das mais movimentadas da capital pernambucana deve começar em abril de 2019 e terminar em dezembro de 2020.

O prazo foi ampliado para ajustar as modificações da última fase do projeto. Mais detalhes serão informados em coletiva de imprensa na próxima semana.

A reforma

Principal corredor de ônibus e de pedestres do Recife, a Avenida Conde da Boa Vista passará por uma grande requalificação. A humanização da via guiou os estudos, que foram iniciados em 2016 e realizados pelas secretarias de Infraestrutura e Habitação e de Mobilidade e Controle Urbano do Recife (Semoc). O investimento será de cerca de R$ 15 milhões. Para viabilizar o início das mudanças, duas licitações foram publicadas no Diario Oficial do município, nos dias 1° e 6 deste mês, referentes aos passeios públicos e à iluminação, respectivamente. Com a nova Conde da Boa Vista, os pedestres, passageiros do transporte coletivo e condutores de veículos particulares vão ter uma avenida mais acolhedora, arborizada e eficiente no seu dia a dia. Ciclistas também vão ser beneficiados e poderão chegar à avenida com mais segurança pelas rotas instaladas no entorno.

A premissa do estudo é moderna e inovadora. Iluminação em LED – inclusive com poste específícos para o pedestre; canteiro central ajardinado e floreiras nas calçadas; 90 árvores serão plantadas; as calçadas terão mais de 2 mil metros quadrados de ampliação e receberão esquinas alongadas; as paradas de ônibus serão instaladas nas calçadas e serão mais modernas e confortáveis. Duas estações de BRT serão construídas no canteiro central, substituindo as seis existentes atuamente.

Dando continuidade às novidades, bicicletários e bancas para vendedores ambulantes cadastrados serão colocados ao longo da avenida. Rampas e pisos acessíveis serão instalados, além de nova sinalização nas travessias dos pedestres – também com piso elevado; ilhas de travessia; mais lixeiras e nova programação semafórica, com foco também nos pedestres. Os que caminham na via, inclusive, vão ter mais oportunidade de atravessar com segurança. Hoje, eles têm cinco locais voltados para esse fim e, com o projeto, passarão a ter 13.

A Avenida Conde da Boa Vista tem 1,6 quilômetros de extensão e conecta o centro da cidade às zonas Norte e Oeste. As obras vão acontecer em toda área. Enquanto os trabalhos durarem, esquema de mobilidade serão colocados em prática à medida que o cronograma da obra for avançando.

Durante o estudo e pesquisa feitos para a concepção do projeto, foi identificado que cerca de 310 mil pessoas passam pela via por dia. Dessas, mais de 50% utilizam as 49 linhas de ônibus e quatro de BRT que rodam na avenida, cerca de 40% são pedestres, menos de 10% estão em veículos particulares.


Debates avançam na busca de modelo de PPP para resíduos sólidos

Resultado de imagem para PPP para resíduos sólidos

A cooperação técnica de Regulação de PPPs em Resíduos Sólidos feita com os governos do Brasil e da França já conta com cinco projetos-piloto no Brasil e com recursos do Fundo de Estruturação de Parcerias Público-Privadas.

O presidente da Associação Brasileira de Agências de Regulação (ABAR), Fernando Franco, participou na segunda-feira (11/3) de reuniões no Ministério do Desenvolvimento Regional com integrantes da Secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (SPPI) e do próprio MDR para o desenvolvimento de modelos de investimento privado e regulação em resíduos sólidos.

Esses pilotos serão avaliados para a criação de modelos de regulação para PPPs de resíduos sólidos, que também contam com apoio da Caixa Econômica.

Nas reuniões, foram definidos cronogramas de ação para a continuidade dos projetos. Nos próximos dias, o Brasil enviará uma delegação à França para promover uma interlocução mais intensa de conhecimento. O convênio conta com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e a Expertise France.

Apoio do governo

Segundo Franco, ficou claro durante as reuniões que o novo governo brasileiro manterá o seu apoio ao convênio com a França, que continua evoluindo para uma fase de envolvimento de outros participantes do tema, como Ministério Público e Tribunais de Contas, além da própria Caixa.

“Estamos desenvolvendo uma nova metodologia que deverá indicar a viabilidade econômico-financeira para a atuação da iniciativa privada na área de resíduos sólidos”, disse Franco.

Portal do Saneamento Básico


Escolas públicas de Pernambuco podem concorrer a R$ 30 mil

Instituto MRV e Fundação Pitágoras se vão selecionar instituições municipais e estaduais para o Educar para Transformar – 6ª Chamada Pública. Inscrições estão abertas

Resultado de imagem para Instituto MRV

São mais de 12 milhões de brasileiros analfabetos. Metade dos adultos entre 25 e 64 anos não concluiu o Ensino Médio. Cerca de dois milhões de crianças e jovens entre 4 e 17 anos não frequentam as escolas. Diante dessa triste realidade nacional, o Instituto MRV, em parceria com a Fundação Pitágoras, realizará o Educar para Transformar – 6ª Chamada Pública. Com a temática ‘Uma escola aberta para novas ideias é uma escola aberta para o futuro’, esta edição do programa tem como foco as escolas municipais e estaduais da rede pública de ensino fundamental e/ou médio. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas até o dia 5 de abril por meio do site https://www.institutomrv.com.br/pt/.

“Diferente das outras edições em que acompanhamos projetos voltados para a educação de jovens e crianças desenvolvidos por organizações não governamentais e pessoas físicas, na 6ª edição pretendemos apoiar 10 projetos de escolas municipais e estaduais. Nossa parceria inédita com a Fundação Pitágoras busca por soluções criativas e inovadoras em educação favorecendo o empoderamento das relações humanas, contribuindo para o convívio social e o desenvolvimento do senso de comunidade, para a formação de uma sociedade igualitária e comprometida”, explica Raphael Lafetá, diretor do Instituto MRV.

As escolas interessadas em participar do programa devem propor ações que visam atrair e reter os alunos, ampliando suas visões sobre os benefícios da educação e as diversas possibilidades de futuro que se pode alcançar. Além disso, elas devem atuar em cidades onde o Instituto e a Fundação tem atuação. Esses municípios estão nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. A lista completa de cidades está no edital do Educar para Transformar.

A avaliação dos projetos acontecerá de 8 de abril a 6 de maio e será realizada por uma comissão que levará em conta critérios como adequação com o foco do programa, engajamento e motivação do corpo escolar e potencial de redução da evasão escolar. As iniciativas selecionadas serão disponibilizadas para votação popular a partir do dia 13 de maio. Os 10 projetos mais votados pelo público serão apresentados no dia 28 de maio e cada um deles receberá um aporte de R$ 30 mil para ser revertido em materiais ou serviços. A partir de junho os projetos vencedores serão acompanhados e receberão o apoio do Instituto MRV e da Fundação Pitágoras para a troca de conhecimento e a verificação do desenvolvimento do projeto.

Sobre o Instituto MRV

Fundado em 2014 pela MRV Engenharia, o Instituto MRV é uma organização sem fins lucrativos, voltada para promoção da transformação social do país por meio da educação. Somente em 2018, foram investidos mais de R$ 6 milhões em projetos como Educar para Transformar – Chamada Pública de Projetos, MRV Voluntários e Seu filho, Nosso futuro; além de apoio a importantes instituições como a Cidade dos Meninos, Querubins e Miguilim. Saiba mais em www.institutomrv.com.br.

Sobre Fundação Pitágoras

A Fundação Pitágoras é o braço social do Grupo Kroton e implementa há mais de três décadas programas de responsabilidade social transformadores, com foco primordial na melhoria da qualidade das escolas públicas de educação básica, por todo o Brasil. São milhares de escolas e mais de 2 milhões de alunos beneficiados nas últimas décadas. Nos últimos anos, a Fundação Pitágoras ampliou seu escopo de atuação abrangendo programas para desenvolvimento da Primeira Infância, resgate de Jovens Vulneráveis (evadidos das escolas públicas) e projetos para o Sistema Penitenciário, por entender que essas questões sociais se integram de forma indissociável. Trabalhamos de forma incansável para elevar ao máximo o potencial das pessoas mais vulneráveis, em todas as fases de sua vida, por meio da educação.


Reutilização é caminho para um mundo sustentável

Às vésperas do Dia Mundial da Água, relatório mostra que escassez é crescente em todo o mundo. Cenário exige práticas sustentáveis pelas empresas

Resultado de imagem para mrv sustentavel

Em um contexto de grandes mudanças climáticas, a água é um elemento fundamental para tornar o planeta mais sustentável. No entanto, às vésperas do Dia Mundial da Água, 22 de março, este recurso natural sofre uma escassez crescente em todo o mundo. Segundo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2050, cerca de 40% da população mundial viverá em áreas de grave estresse hídrico (quando a demanda por água é maior do que a sua disponibilidade e capacidade de renovação). Diante desse cenário, empresas e organizações têm adotado práticas voltadas para a economia de água, sem perder de vista a manutenção da qualidade para consumo.

Em Pernambuco, a construtora MRV Engenharia mantém, em condomínios e canteiros de obras, sistemas de economia e reaproveitamento. Nas construções, toda a água é coletada para ser reutilizada de diversas maneiras. Uma delas é pela captação de água da chuva, que, após ser armazenada em tubos instalados no telhado, passa por um processo de filtragem, sendo redirecionada para vários usos, como a irrigação da horta mantida pelos funcionários e lavar os equipamentos. Nos banheiros, também há a instalação de tubulação que transporta a água da pia para a descarga de vasos sanitários. No Grande Recife, essas medidas são adotadas na construção dos empreendimentos Villa das Seringueiras, em Jaboatão dos Guararapes, e Parque Real Garden, em Camaragibe.

Já nos apartamentos, são utilizados produtos economizadores, como redutores e arejadores, que diminuem a vazão de água nas torneiras e bacia sanitária dual flush de 3 e 6 litros. “Acreditamos e investimos em iniciativas que respeitam o meio ambiente. Com essas ações todos saem ganhando, pois, além de contribuir para a preservação dessa fonte, também traz uma economia para a empresa e para os clientes”, conta o gestor executivo de Segurança, Saúde e Meio Ambiente (SSMA) da MRV, José Luiz Esteves da Fonseca.

A MRV

Fundada em outubro de 1979, em Belo Horizonte, a MRV é líder nacional no mercado de imóveis econômicos e a primeira construtora da América Latina a oferecer energia fotovoltaica para seu segmento de atuação. Presente em mais de 150 cidades de 22 Estados e no Distrito Federal, a companhia tem como compromisso contribuir para o desenvolvimento e transformação social investindo nas comunidades onde atua, melhorando a qualidade de vida de seus habitantes. Somente nos últimos três anos, investiu mais de R$ 770 milhões em obras de infraestrutura, com a construção de parques, praças, escolas, creches, Unidades Básicas de Saúde, Estações de Tratamento de Esgoto, obras viárias, entre outros.


Há comparação possíveis entre as relações de trabalho nos EUA e Brasil

As relações de trabalho norte-americanas habitam o imaginário de muitos no Brasil especialmente pela força da economia daquele país.

*Por Dr. Cassio Faeddo

Resultado de imagem para trabalho nos EUA e Brasil

Depois da visita do Presidente Jair Bolsonaro, o way of life norte americano, especialmente comércio, imigração e relações de trabalho voltaram ao centro do debate no Brasil. Até que ponto as relações de trabalho norte-americanas são informais ou adequadas a realidade brasileira?

As relações de trabalho norte-americanas habitam o imaginário de muitos no Brasil especialmente pela força da economia daquele país.

A principal diferença, sem dúvida, é o salário. Mesmo com todos os acréscimos, o salário do brasileiro não se compara ao do trabalhador norte-americano.

Outra diferença importante é que o sistema jurídico norte-americano tem como fundamento o common law e precedentes dos tribunais. No Brasil, o sistema é o civil law, de direito escrito, também, em parte, com aplicação de precedentes dos tribunais.

Nos Estados Unidos, a base de negociação coletiva ocorre por meio de um sistema contratualista, com livre concorrência entre sindicatos e a possibilidade de os trabalhadores também livremente se associarem. No Brasil, até hoje, temos um modelo corporativista que nasceu com a criação da CLT, no Governo de Getúlio Vargas, e que foi em muito modificado no decorrer dos anos.

Getúlio Vargas, com inspiração fascista de Mussolini, enxergava na Consolidação uma forma de unir harmonicamente capital e trabalho em prol do desenvolvimento da nação. Assim como o Dulce acreditava que não deveria ocorrer conflitos nesta relação em prol de uma grande Itália.

Por isso havia a presença do Estado dentro dos sindicatos, que exercia, na prática o controle dos sindicatos. Essa era a tal inspiração fascista citada por muitos, mas apenas presente na CLT original. Com o passar dos anos o Estado deixou de controlar os sindicatos, e já na Constituição de 1988, não havia mais a necessidade de autorização do governo para a criação de sindicatos.

Porém, restou a unicidade sindical, e apenas um sindicato pode representar uma categoria conforme artigo 8º da Constituição. O texto constitucional veda a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau, representativa de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial, que será definida pelos trabalhadores ou empregadores interessados, não podendo ser inferior à área de um Município.

Com a reforma trabalhista de 2017 e a Medida Provisória 387/19, não só foi extirpado o imposto sindical obrigatório como totalmente proibido o seu desconto em folha, sendo permitido apenas em boleto.

Em que pese a medida controversa da MP 387, o fato é que o Brasil não resolveu o mais importante para amadurecimento das relações de trabalho. A essência do legislado sobre o negociado, nos moldes sonhados por muitos do modelo contratualista norte-americano, tem como base a existência de negociações coletivas.

Por lá, se por um lado o sistema de negociação é privado e contratualista, contrapõe-se ao modelo o interesse público e a prevalência dos interesses do empregador. Ou seja, caso seja de interesse econômico, a empresa poderá até mesmo substituir os trabalhadores (NLBR v MacKay Radio and Telegraph Company, 304 U.S 333, Gacek, Gomes, 1994).

O empregador norte-americano pode, por lei, assegurar o reconhecimento de um sindicato, se, a metade mais um dos trabalhadores da unidade de negociação autorizarem a organização sindical a representá-los para fins de negociação coletiva (Gacek, Gomes, 1994)

A importância da negociação coletiva ganhou relevo com a crise de 1929. Ocorre que a linha de produção capitalista inspirada no fordismo colidiu de frente com a desidratação das relações de emprego do início do Século XX. Não há desenvolvimento econômico sustentável sem a existência de empregos mais sólidos e protegidos.

Por isso, foi criada a Lei Nacional de Relações Trabalhistas de 1935 (49 Stat. 449) 29 U.S.C. § 151–169, conhecida como Wagner Act, uma vez que surgida por iniciativa do senador de Nova York Robert F. Wagner.

A Lei Wagner é o fundamento básico do direito coletivo do trabalho norte-americano e trata da criação de sindicatos, participação de acordos coletivos, direito de greve, dentre outros.

A Lei também criou o National Labor Relations Board (NLRB), que é uma agência independente do governo Norte-Americano. Ao órgão é atribuída a responsabilidade de verificar práticas trabalhistas que podem envolver litígios coletivos e individuais.

O NLRB é composto por um conselho de cinco pessoas e um conselheiro geral, todos os quais são nomeados pelo presidente com aprovação do Senado. Os membros do conselho são nomeados para mandatos de cinco anos e o Conselho Geral é nomeado para um mandato de quatro anos.

O Conselheiro Geral atua como promotor e o Conselho atua como um órgão quase judicial recursal a partir de decisões de juízes de direito administrativo. O NLBR tem ainda mais de 30 escritórios regionais e sub-regionais nos EUA.

Mas é tão fácil quanto parece ser o modelo norte-americano. Assim, a estrutura Norte-Americana não é o laissez faire como alguns podem equivocadamente supor.

O próprio regulamento processual do NLBR pode deixar atônitos aqueles que reclamam da CLT. Realmente, não deve ser uma boa experiência responder a uma processo administrativo norte-americano diante da extensão das regras.

Não se pode deixar de mencionar que ainda existem leis e precedentes dos tribunais norte-americano em todos as esferas: Federal, Estados e Municípios. É da natureza dos EUA a descentralização legislativa para os Estados.

E mais, grandes acordos extrajudiciais ou mesmo judiciais são realizados por meio das class actions com a adesão de centenas ou milhares de pessoas, o que pode tornar muito caro o sonho do empreendedor que por lá se aventure. Se por aqui ganhar dinheiro com processo é pecado (v. teoria do enriquecimento sem causa), nos EUA há os punitive damages, indenizações muitas vezes milionárias para os descumpridores de leis e dos precedentes dos tribunais.

O Brasil deveria optar por um sistema hibrido que agregue em parte o sistema corporativista e outra parte do contratualismo, haja vista a estrutura de Estado já existente. Para tal deve reformar o sistema sindical nacional com relativa urgência, uma vez que levará anos para que esse novo sistema amadureça.

É certo que os tempos são outros e a velha estrutura está morta.

*Sobre o Dr. Cassio Faeddo

Mestre em Direitos Fundamentais pelo UNIFIEO. Especialização em Direito do Trabalho, Processo do Trabalho. Graduado em Direito pela Universidade Paulista (1994). Graduado em hotelaria pela Faculdade de Tecnologia Hebraico Brasileira Renascenca (1987). É professor de Direito tendo lecionado no Centro Universitário Senac, Anhembi Morumbi e Unibero. Tem especialização em Direito Internacional.


Estudantes participam de programação em comemoração ao Dia Mundial da Água no Universo Compesa

Fotos : Aluísio Moreira

Com uma programação socioeducativa e lúdica pensada para levar os estudantes a reflexão do direito humano ao acesso à água e ao saneamento, assim como da importância da preservação da água, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) celebra o Dia Mundial da Água até o final deste mês – a data será comemorada oficialmente nesta sexta-feira (22). O trabalho iniciou na última segunda-feira (18) e se estende até o dia 28 de março, e propõe a visita ao Universo Compesa, que fica dentro do Centro Administrativo da empresa, em Santo Amaro, e atividades como apresentação de esquete teatral e coral, oficina de jogos educativos e sorteio de livros de educação ambiental. A previsão é receber 700 alunos de escolas públicas e privadas da Região Metropolitana do Recife, além de agentes de saúde e estudantes de Assistência Social.

A companhia em parceria com o Espaço Ciência também realiza o Roteiro da Água, uma visita ‘dobradinha” ao Universo Compesa e ao Espaço Ciência, localizado no Memorial Arcoverde, no Complexo de Salgadinho. Em um único turno, os alunos conhecem os dois espaços com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre o uso racional da água. No Espaço Ciência, eles participam de atividades como circuito ambiental, experimentos interativos e passeios de barco. O Roteiro da Água foi promovido ontem (19) e terá continuidade amanhã (21), envolvendo a participação de 400 alunos da rede pública de ensino. Ainda por meio do Espaço Ciência, foram disponibilizados ônibus para o transporte dos estudantes ao Roteiro da Água.

A Compesa também contou com a parceria da CPRH, que promoveu ontem (19) a encenação da peça teatral escrita por Franci Palhano, “Água, e eu com isso?”, que busca sensibilizar os estudantes sobre a importância da água.O Dia Mundial da Água foi criado no ano de 1992 pela ONU (Organização das Nações Unidas), que divulgou em recente relatório que mais de 2 bilhões de pessoas no mundo ainda não dispõem dos serviços mais básicos.


Camará Shopping promove festival de jazz

O Camará Jazz Fest ocorre de 28 a 30 de março, na Praça de Alimentação do centro de compras

O Camará Shopping promove, de 28 a 30 de março, um projeto que tem como objetivo inserir Camaragibe na rota dos grandes eventos musicais. Trata-se do Camará Jazz Fest, que ocorre na Praça de Alimentação do centro de compras e vai contar com a apresentação das bandas Marcos Monte Trio, HerSan Duo e Baião Jazz Trio.

As apresentações são gratuitas e abertas ao público, e ocorrem sempre das 19h às 21h. Iniciando o projeto, a banda Marcos Monte Trio sobre ao palco montado na Praça de Alimentação do Camará no dia 28 de março. O grupo, formado por Marcos Monte (bateria), Alan Amerson (trompete) e Nehemias Fernandes (guitarra), tem a proposta de levar uma instrumentação não convencional aos consagrados estilos do jazz, blues e bossa nova a partir de um repertório que privilegia os principais sucessos de cada ritmo.

No dia 29 de março, o público vai poder conhecer melhor o som produzido pelo HerSan Duo, dos músicos e irmãos Heraldo Jr. (baixo/baixolão) e Sandro Maia (violão/guitarra). A proposta da dupla é mostrar interpretações únicas de clássicos da música nacional e internacional no formato baixolão e violão. Encerrando o Camará Jazz Fest, no dia 30 de março, o centro de compras recebe a apresentação do grupo Baião Jazz Trio. Formado por piano, baixo e bateria, o grupo tem um repertório formado por músicas autorais, bem como composições consagradas do jazz, bossa nova e samba.