CONHEÇA UM POUCO DA HISTÓRIA DO POÇO DA PANELA NO RECIFE

Parte do Engenho de Casa Forte. Os médicos receitaram banhos nesse trecho, nas águas do Rio Capibaribe, para combater uma febre maligna epidêmica por volta de 1746. Esse fato motivou a ocupação da área. Constituiu-se em um dos melhores locais de veraneio da cidade. Ainda hoje, preserva edificações do século XIX.

O nome Poço da Panela vem de um poço lá existente e que serviu para a lavagem de roupas, no fundo do qual se colocou uma panela de barro. 
A Igreja Nossa Senhora da Saúde foi construída na metade do século XIX. Ao lado da igreja, está a casa do abolicionista José Mariano Carneiro da Cunha e de sua esposa Olegarinha Cunha. Um busto do grande tribuno e fundador do Clube do Cupim – instituição que defendia os escravos fugidos – encontra-se em frente à igreja.

Carrega, esse recanto, a glória de ter sido utilizado para esconder escravos que dali partiam, levados pelas águas do Rio Capibaribe, em barcaças de capim para alcançar o Ceará, estado onde a escravidão não mais existia. Ainda no bairro, a Praça Mano Teodósio, homenagem ao militante político e ligado aos segmentos de esquerda em Pernambuco.

QUEM FOI JOSÉ MARIANO?

Um dos momentos mais emocionantes acontecidos no Poço da Panela foi quando da chegada do líder José Mariano após ser libertado da Ilha das Cobras. Junto a amigos, José Mariano assistia a uma corrida de cavalos no Prado Pernambucano, quando chegou a notícia da assinatura da Lei Áurea. O povo reuniu-se à sua frente, saindo em passeatas pelo centro da cidade, com o entusiasmo e a emoção explodindo no coração de todos. Valeu, Mariano! Mas, como disse Machado de Assis, “emancipado o preto, resta emancipar o branco”.


Hotel Vila Galé Touros, maior resort do RN, já está funcionando

A Vila Galé, maior rede de resorts do país, abriu sua oitava unidade no Brasil, em caráter de soft opening. Trata-se do Vila Galé Touros Hotel Resort Conference & Spa, localizado a poucos quilômetros de Natal (RN). Com 514 acomodações, o empreendimento possui piscinas, Clube Nep (voltado para as crianças), Spa Satsanga e seis restaurantes ao longo de uma área paradisíaca de 113 mil metros quadrados. O resort vai funcionar no sistema all inclusive. Além disso, o hotel abriga o maior Centro de Convenções do estado, com capacidade para até 1200 pessoas.

“Mais do que nunca, temos a preocupação de criar algo diferente e inovador, valorizador da oferta hoteleira e turística do país. Acreditamos no poder do turismo de transformar a vida das pessoas ao nosso redor. Portanto, é com muito orgulho que iniciamos mais este novo projeto: Vila Galé Touros, para diversificar ainda mais a oferta hoteleira na região. O resort terá seis restaurantes das mais diversas gastronomias disponíveis, piscinas, Spa Satsanga e tudo isso enquadrado neste cenário maravilhoso que é a região de Touros. Estamos confiantes de que será um sucesso”, explica Jorge Rebelo de Almeida, presidente da Rede Vila Galé.

A inauguração oficial está prevista para 1˚ de setembro e deverá contar com diversas autoridades e personalidades brasileiras. As reservas já estão abertas e podem ser feitas através do site www.vilagale.com, pelo email touros.reservas@vilagale.com ou pelo telefone 71 3263 9999.

Sobre o Grupo Vila Galé

Vila Galé é responsável pela gestão de 31 unidades, sendo vinte e três em Portugal e oito no Brasil (Angra dos Reis (RJ), Rio de Janeiro (RJ), Cumbuco (CE), Fortaleza (CE), Guarajuba (BA), Salvador (BA), Cabo do Santo Agostinho (PE) e Touros (RN). Atualmente com cerca de 3.200 funcionários, o Grupo detém a maior rede de resorts do país. Em 2017, o Grupo teve faturamento de ‎€ 173 milhões de euros, considerando todas as unidades hoteleiras no mundo. A rede ainda prevê a abertura de unidades hoteleiras  em Portugal, nomeadamente Vila Galé Elvas, no Alentejo  e Vila Galé Serra da Estrela, em Manteigas. Saiba mais sobre os hotéis Vila Galé no Brasil e Portugal em www.vilagale.com .

Comunicação e Marketing Brasil – Vila Galé


Azul anuncia voos para cidades do Paraná e Pernambuco

Flickr/ Rafael Luiz Canossa

A Azul acrescentará novos voos à sua malha regional ainda este ano. A empresa presidida por John Rodgerson abrirá duas bases de operação em Pato Branco e Toledo, ambas no Paraná, e de lá voará para Curitiba, confirmou a aérea à reportagem.

Ainda, a transportadora confirmou que seu hub em Recife será reforçado com uma rota para Serra Talhada, a cerca de 400 quilômetros da capital pernambucana.

Nenhum dos voos confirmados tem data de estreia anunciada, mas as operações devem ser iniciadas até dezembro. A conexão em voos mais curtos geralmente é feita com modelos ATR 72 e Embraer 190. O Airbus 320neo também é um forte investimento.

Para o primeiro trimestre de 2019, os planos são de abrir a venda de bilhetes para voos entre Guarapuava, no Paraná, e Campinas, o principal da hub da Azul, de onde voa para Fort Lauderdale e Orlando (Estados Unidos) e Lisboa, além de fazer codeshare com a Aigle Azur para Paris. A expectativa é que rota entre Recife e Caruaru também seja aberta até março do próximo ano.

A ida a novas praças faz parte do plano de regionalização da Azul. A empresa informou no início deste ano a intenção de desembarcar em 25 novas cidades consideradas “carentes” de companhias aéreas nos próximos anos.


Cartório Andrade Lima chega ao Empresarial RioMar Trade Center

Detentor de um acervo centenário, o tradicional 1º Ofício de Notas do Recife ganha novas instalações em um dos centros comerciais mais modernos do Recife

Modernidade, praticidade e agilidade. O Cartório Andrade Lima, fiel guardador do legado do centenário 1º Ofício de Notas do Recife, estará de casa nova a partir do dia 3 de setembro. Para melhor atender aos clientes, passa a funcionar, já em formato soft opening, na Torre 2 do Empresarial RioMar Trade Center, no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife.

A missão do Cartório Andrade Lima continua a de fornecer segurança jurídica aos clientes solucionando problemas em assuntos notariais ou registrais e os orientando sempre com mais qualidade, agilidade e gentileza. No Empresarial RioMar Trade Center esses objetivos serão cumpridos com mais conforto e maior facilidade.

O 1º Tabelionato de Notas do Recife deu início a suas atividades há 164 anos, em 5 de maio de 1854. Por esse dado é possível entender a responsabilidade da guarda e conservação desse acervo, um dos mais antigos de Pernambuco. Há livros que datam de meados do século 19, contendo escrituras de compra e venda, doações, testamentos e até compra e venda e constituição de hipotecas sobre escravos.

Em 13 de outubro de 2008 – quase sete anos após a realização do concurso público para a função – Filipe Andrade Lima Sá de Melo assumiu a titularidade do 1º Ofício de Notas do Recife. Durante essa década, o Cartório Andrade Lima vem colecionando sucesso no crescimento de clientela, na melhoria da qualidade de seus serviços e no estabelecimento da notoriedade de sua marca.

A mudança do Cartório Andrade Lima para o Empresarial RioMar Trade Center é mais um passo importante para a consolidação de um estilo moderno de gestão e foco em resultados para os funcionários e visitantes: a de um cartório sem cara de cartório, mais parecido com um escritório de advocacia ou mesmo uma agência bancária premium. O ambiente proporciona bem-estar a clientes e funcionários com uma estrutura prática e sofisticada. E, de quebra, uma vista encantadora.

Serviço:

Cartório Andrade Lima | 1º Ofício de Notas do Recife

Empresarial RioMar Trade Center, Torre 2, salas 1203 e 1204

Avenida República do Líbano, 251, Pina, Recife-PE, CEP 51.110-131

Data da abertura em novo endereço: 3/9/2018

Encerramento das atividades para clientes na antiga sede: 30/8/2018


Recife vai ganhar empresa de entrega de correspondências, documentos e produtos

Crédito: Loggi.com/Divulgação

O Recife vai ganhar, ainda neste ano, uma unidade da Loggi, empresa de entregas com motoboys autônomos que fará entrega de correspondências, documentos e encomendas em até 24horas, mas claro, priorizando rapidez em alguns casos, como o delivery de alimentos.

Esquema já funciona, com sucesso, em Curitiba, Rio de Janeiro e Campinas e estará em outras nove cidades além da nossa até dezembro.


Projeto José Estelita, Novo Recife, está totalmente liberado pela Prefeitura

O prefeito Geraldo Julio revela que o projeto do Cais José Estelita, que inclui edifícios residências e empresarias, hotel e espaço de lazer, está totalmente aprovado pela Prefeitura do Recife e podem ter sua sobras iniciadas ainda neste ano.


Waze Carpool começa a funcionar no Recife nesta quarta-feira

Serviço começa a funcionar nesta quarta-feira (22)
Crédito: Divulgação/Waze

A Waze, plataforma que reúne usuários para troca de informações sobre o trânsito local, lança novo sistema de carona, o Waze Carpool, que começa a funcionar a partir de amanhã na Região Metropolitana do Recife e em todo o Brasil. Com o objetivo de diminuir o trânsito e os congestionamentos, o serviço busca encorajar motoristas a completarem os lugares vazios de seus carros.

“Com Waze Carpool, nós tornamos mais fácil a carona entre usuários enquanto tiramos alguns carros da rua. Combater o trânsito pede a colaboração de todos – usuários, orgãos municipais e empresas privadas. Sabemos que os brasileiros são os primeiros a adotar novas tecnologias e estamos animados para apresentar uma nova e econômica forma de se movimentar pela cidade, transformando os nossos usuários em apaixonados por carona”, afirma Noam Bardin, CEO do Waze, em comunicado emitido pela empresa.

Para utilizar o serviço, basta baixar o Waze (para quem quer dar carona) e o Waze Carpool (para quem quer pegar carona) no iOS ou no Android. Para celebrar a chegada do serviço ao Brasil, a Waze está promovendo uma promoção para o lançamento: a carona custa R$ 2 para quem a pede. Já os motoristas receberão o valor normal: R$ 4 para trajetos com menos de 5 km, e R$ 10 para rotas com menos de 40 km. Confira algumas funcionalidades do Waze Carpool:

  • Escolha seu parceiro: Quem dá e quem recebe carona pode escolher seus parceiros com base no perfil, avaliação por estrelas, número de amigos em comum, e filtros customizáveis como gênero, local de trabalho, e proximidade do caminho.
  • Rotas otimizadas: Usando as atualizações em tempo real de tráfego do Waze, os usuários chegam mais rápido aos seus destinos.
  • Caminhos mais baratos: Com todos os pagamentos concentrados com segurança no app, quem pega carona paga por uma viagem econômica enquanto os motoristas recebem uma ajuda de custo para a gasolina (até R$15 por viagem).
  • Agende viagens com até 5 dias de antecedência: Isso ajuda a organizar mais facilmente as idas e vindas do trabalho.

Recife receberá feira de franquias

Nova no mercado, a feira de franquias traz um modelo importado da Europa e adaptado para o País: em vez de estandes, o interessado encontrará mesas de negócios, onde as empresas vão atender os candidatos individualmente.

Detroit Steakhouse
Foto: divulgação

Para quem pretende abrir uma franquia, vem aí uma boa oportunidade. A Franchise4U aporta no Recife no próximo dia 30 com pelo menos 69 marcas dispostas a firmar negócios com investidores locais. Nova no mercado, a feira de franquias traz um modelo importado da Europa e adaptado para o País: em vez de estandes, o interessado encontrará mesas de negócios, onde as empresas vão atender os candidatos individualmente.

Os empreendedores podem escolher as marcas de acordo com o quanto estão dispostos a investir, e agendar o horário de atendimento pelo site do evento. “Quem realmente está interessado vem para a feira”, afirma Ricardo Branco, diretor executivo da Franchise4U. As franquias ofertadas têm os mais variados valores de investimento, de R$ 5 mil a R$ 1 milhão. A organização espera que de 40 e 50 negócios sejam fechados nesta edição.

É a primeira vez que a feira vem ao Nordeste depois de quatro edições no Sudeste e Centro-Oeste. “Estamos com expectativa muito grande porque o Nordeste tem o 3º faturamento do País em termos de franquia. E Recife é um mercado que figura entre os mais expressivos entre as capitais. A gente acredita que vai haver bastante retorno”, diz.

A perspectiva das marcas participantes é igualmente otimista. A Rei do Mate, cafeteria consolidada na área de franquias, vem atraída pelo potencial do Estado. “Recife é um dos principais pontos geradores do Nordeste”, revela João Baptista da Silva, diretor de franquias e expansão da Rei do Mate.

“Nossa intenção para os próximos dois anos é ter mais três operações no Recife”, diz. A Detroit Steakhouse também tem altas expectativas para o evento. A meta da rede é abrir 25 franquias no Recife até 2030, segundo Fábio Marques Jr, sócio-diretor da empresa.


REC’n’Play acontecerá em novembro e está com inscrições abertas

Segunda edição do festival de experiências digitais Rec’n’Play acontecerá entre os dias 7 e 10 de novembro. As atividades serão definidas em três trilhas: tecnologia, economia criativa e cidades inteligentes

Coletiva sobre o Rec’n Play no Porto Digital da rua do Apolo
Foto: Gustavo Glória/ Folha de Pernambuco

A segunda edição do festival de experiências digitais Rec’n’Play vai acontecer entre os dias 7 e 10 de novembro deste ano. O festival é realizado pelo Porto Digital em parceria com a Prefeitura do Recife e promete ser ainda maior que o do ano passado, sempre buscando soluções tecnológicas para os problemas urbanos.

Na primeira edição, o evento atraiu mais de oito mil pessoas para o Bairro do Recife com atividades de internet das coisas (IoT), robótica, fabricação digital, games, audiovisual, fotografia, design, música, sustentabilidade e clima. A expectativa é atrair de 15 a 20 mil pessoas nesse ano. “Será um carnaval de conhecimento que vai animar o centro do Recife”, brincou Silvio Meira, dizendo que o Rec’n’Play deve consolidar o Recife no roteiro global de entretenimento digital.

O número de atividades cresceu, saindo de 260 para 300. “São oficinas, workshops, dinâmicas, conferências e shows. Dezenas de coisas vão acontecer simultaneamente ao longo de quatro dias”, contou o presidente do Porto Digital, Francisco Saboya, prometendo mais convidados internacionais nesse ano. As atividades serão definidas em três trilhas: tecnologia, economia criativa e cidades inteligentes. As inscrições serão gratuitas e já estão abertas no site.

A programação completa, porém, só será apresentada entre setembro e outubro. Segundo Saboya, a primeira versão da programação será apresentada em 13 de Setembro. E a versão definitiva em 18 de outubro.

O que já se sabe é que as atividades serão realizadas em 18 lugares diferentes do Bairro do Recife, como a Jump, o Cais do Sertão, o Paço do Frevo, a Softex, a Accenture, o Apolo Beer Café e o Centro Cultural dos Correios. Uma das novidades é a presença da igreja A Ponte nos espaços do Rec’n’Play.

Outro ponto de atividades será o Espaço Sebrae, que será montado na Praça do Arsenal com o intuito de promover palestras que aproximem a tecnologia dos negócios tradicionais e também de orientar os empreendedores que precisam de mentoria para poder inovar em seus negócios.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio, também participou do anúncio da segunda edição do Rec’n’Play, realizado nesta terça-feira (21) no Apolo 235, prédio do Porto Digital no Bairro do Recife, e reforçou o apoio da prefeitura para o evento.

“A atividade intelectual, inovadora e tecnológica será o futuro da nossa cidade e a administração pública precisa estar integrada a isso. Por isso, o Rec’n’Play será uma forma de integração entre a máquina pública e a sociedade”, afirmou Geraldo Julio, que foi ao evento junto do secretário de desenvolvimento sustentável do Recife, Bruno Schwambach.

Por: Marina Barbosa, da Folha de Pernambuco


Recife Antigo ganha 40 mudas de árvores

A ação faz parte de uma compensação ambiental da Celpe após uma intervenção em um Setor de Sustentabilidade Ambiental no bairro de Tejipió

A ideia é diminuir as ilhas de calor no centro do Recife. Foto: Mariana Fabrício/DP.

Começaram a ser plantadas na manhã de hoje (21), dez mudas de Massaranduba e Ipês na Avenida Rio Branco, no bairro do Recife Antigo. Nos próximos cinco dias, será a vez do Cais do Apolo, localizado no mesmo bairro, receber 36 árvores da espécie Pau-Ferro. A ação faz parte de uma compensação ambiental da Celpe e está sendo executada pela Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (SDSMA).

A compensação ambiental ocorreu por conta de uma intervenção realizada em uma área classificada como Setor de Sustentabilidade Ambiental, como prevê a Lei Municipal nº 16.243, no bairro de Tejipió, na Zona Oeste da cidade, para construção de uma subestação de tratamento de água da Companhia Energética de Pernambuco. A recomposição vegetal é obrigatória quando alguma obra tem impacto significativo na natureza.

O plantio seguiu o Projeto de Revitalização/Implantação de Áreas Verdes (PRAV) da cidade. Foto: Mariana Fabrício/DP.

“Foi realizado todo o projeto de pedestrianização da Avenida Rio Branco e ficou faltando um plantio adequado. As espécies têm cerca de três metros de altura por se tratar de uma área que tem muito vento e ser perto do mar, o que torna a adaptação um pouco mais difícil, necessitando um porte maior e mais resistente. Então a gente escolheu com cuidado essa compensação para fazer o sombreamento do boulevard”, explicou o secretário da pasta, Bruno Schwambach. Como se trata de uma compensação, não há recursos do município empregados no plantio.

A Prefeitura indicu o local para o plantio através do Projeto de Revitalização/Implantação de Áreas Verdes (PRAV). As avenidas Rio Branco e Cais do Apolo foram escolhidas com o propósito de ampliar a arborização da área central do Recife e reduzir as ilhas de calor. O plantio das mudas atende ao Manual de Arborização do Recife e de acordo com o órgão, uma área de aproximadamente 1.280 metros será beneficiada.

Por: Diario de Pernambuco


Parcerias público-privadas e facilitação do comércio na América Latina e Caribe: oportunidades e desafios

Natalia Guerra

A América Latina e Caribe (ALC) é a região mais dinâmica em termos de parcerias público-privadas (PPPs) para o desenvolvimento de infraestrutura – seja nas áreas de energia, transporte, tecnologia da informação e comunicação (TICs) ou água e saneamento. Embora a região seja pioneira em PPPs em infraestrutura, a escassez global e regional de investimentos persiste como um desafio, principalmente no que toca aos objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS)[1]. Diante desse quadro, serão necessários mais recursos públicos, tais como ajuda para o desenvolvimento (e para o comércio), além de recursos próprios dos países em desenvolvimento[2]. De todo modo, as fontes privadas de financiamento, tanto nacionais quanto estrangeiras, também devem desempenhar um papel importante na superação desses desafios.

Segundo a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD, sigla em inglês), a participação atual do setor privado na infraestrutura de países em desenvolvimento está entre 25 e 50%, ao passo que, nos países desenvolvidos, essa média é de 55-90%. As políticas e estratégias necessárias para promover, regular e facilitar o investimento privado na infraestrutura essencial ao comércio (por exemplo, via PPPs) podem fazer uma grande diferença na geração de capacidade comercial para os países em desenvolvimento.

A facilitação do comércio consiste fundamentalmente na simplificação, harmonização, padronização e modernização dos procedimentos de comércio internacional. Ela compreende um grande número de atividades que conectam as empresas e o governo para definir aspectos como custos de transação, combate à corrupção, redução de tarifas e eliminação de barreiras não tarifárias. Facilitar o comércio exige ainda melhorar a infraestrutura de transporte, pela importância que portos (aéreos e marítimos) e estradas têm para o comércio internacional. Como a infraestrutura funciona em redes, o investimento em eletricidade e em TICs também possui um impacto positivo na facilitação do comércio. Por exemplo, portos e aeroportos não funcionam bem sem fontes seguras de eletricidade, acesso à Internet e telecomunicações em geral.

Além disso, segundo organizações como a Corporação Andina de Fomento (CAF) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), o desenvolvimento das indústrias digitais (inclusive dos serviços modernos) depende da digitalização global da produção[3]. Esse processo é condicionado por quatro fatores: i) penetração das TICs nas empresas; ii) digitalização da cadeia de suprimento; iii) utilização de tecnologias digitais na indústria; e iv) digitalização dos canais de distribuição. Nesse sentido, a facilitação do comércio com vistas a uma participação expressiva no mercado internacional exige uma infraestrutura eficiente de telecomunicações, que facilite a produção e simplifique e modernize os procedimentos para exportar e importar.

É por isso que as PPPs para o desenvolvimento e manutenção de infraestrutura podem contribuir para a agenda de facilitação do comércio. Essas PPPs não devem ser vistas como uma panaceia: sua implementação exige expertise no desenho e na negociação de projetos de amplas e variadas envergaduras. Além disso, a execução dessas parcerias exige a capacidade de compromisso institucional para administrá-las no longo prazo.

Prevalência das PPPs na ALC

A região da ALC começou a utilizar PPPs para o desenvolvimento e manutenção de infraestrutura de serviços públicos no marco das recomendações de políticas públicas do Consenso de Washington. Em 2012, a região concentrou 48% do total mundial de investimentos privados em PPPs[4], mas em virtude do rápido aumento da participação relativa do Sudeste Asiático, esse percentual passou para 27% do total global já no primeiro semestre de 2017[5]. Na região, o Brasil é o maior promotor de PPPs em infraestrutura, com 47% do total, seguido pelo México, com 15%.

O setor energético, sobretudo o elétrico, responde pelo maior número de PPPs na região, com 48% do total, seguido de estradas e água e saneamento, com 16% cada um. Já os aeroportos e portos respondem por 11% do total.

 

Se somarmos estradas, ferrovias, portos e aeroportos, as PPPs na área logística equivalem a 30% do total na ALC. Argentina, Brasil e México são os três países com mais investimentos e PPPs – o que se justifica pelo tamanho de seus mercados. Em princípio, isso daria mais viabilidade econômica e financeira a esse tipo de projeto. As TICs são menos estruturadas como PPPs porque, com frequência, o investimento privado entra nos mercados sem parceria com o setor público, via privatizações ou novos investimentos.

A nível mundial, entre 2000 e 2016, os portos atraíram o terceiro nível mais alto de investimento, depois de estradas, ferrovias e metrôs. A ALC foi a região que mais recebeu investimentos privados em portos marítimos, com 87 projetos, 31% do total mundial. Os investimentos incluem infraestrutura portuária, superestrutura, terminais e canais para contêineres, granel seco, granel líquido e terminais multipropósito. Dos 10 projetos registrados em 2016 no mundo, seis eram na ALC e, destes, quatro no Brasil[6].

Soma-se a isso a Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-americana (IIRSA). No ano 2000, um comunicado de Brasília afirmou que o propósito da Iniciativa é “impulsionar a integração e modernização da infraestrutura física sob uma concepção regional do espaço sul-americano”. Em 2011, a IIRSA foi incorporada como Fórum Técnico do Conselho Sul-americano de Infraestrutura e Planejamento (COSIPLAN) da União de Nações Sul-americanas (UNASUL), com o objetivo de apoiar esse Conselho no planejamento da infraestrutura de conectividade regional. Na 22ª reunião do Fórum, o Brasil ressaltou que “é necessário promover uma maior convergência entre os projetos de infraestrutura e os fluxos reais de comércio. É preciso justificar os projetos com base não apenas nas dinâmicas locais e sociais, mas também nos fluxos de logística e comércio, para alcançar a sinergia infraestrutura-logística-comércio e sobretudo para reforçar o financiamento privado de obras públicas”[7].

É bom ver que um projeto da envergadura da IIRSA incorpora o papel que o investimento privado pode desempenhar no desenvolvimento de uma rede adequada de infraestrutura, tanto para a integração regional como para a facilitação do comércio intra- e extrarregional. É necessário, entretanto, estudar o papel que o setor privado pode ter em cada caso, pois nem sempre lhe caberá a função de provedor financeiro. Com frequência, a contribuição do setor privado envolve prover tecnologia ou conferir uma maior credibilidade ao projeto, na medida em que facilita a obtenção de crédito.

Riscos operacionais e financeiros relacionados às PPPs

Qualquer projeto de investimento público ou privado envolve riscos operacionais e financeiros. Geralmente, as PPPs funcionam como monopólios ou oligopólios na prestação de serviços públicos. São também altamente vulneráveis às mudanças políticas e de políticas públicas – razão pela qual os investidores privados exigem maiores garantias e segurança. Em alguns casos, mudanças de políticas públicas causaram graves problemas para as populações nas imediações em que o projeto estava sendo implementado.

Além disso, atualmente a ALC possui a taxa mais alta do mundo de controvérsias investidor-Estado pautadas em tratados bilaterais de investimento (TBIs). A Argentina lidera a lista, com 59 controvérsias em arbitragem internacional, 35 delas relacionadas ao desenvolvimento de infraestrutura básica na modalidade PPP. Na maioria dos casos, para invocar a arbitragem internacional, foi utilizado o que a UNCTAD chama de “a antiga geração de TBI que morde” (“bite”, em inglês), tanto que 77% de todos os casos conhecidos de arbitragem internacional se sustentam em acordos firmados entre 1990 e 1997[8].

O número total de PPPs na ALC que constituíram objeto desse tipo de controvérsias (73) não parece ser muito alto em relação ao total mundial de PPPs em andamento. Contudo, representa 40% das 182 controvérsias relacionadas a PPPs registradas no mundo, segundo estimativas da UNCTAD de julho de 2017[9].

Os países da região que estão desenvolvendo e implementando PPPs devem levar em conta a legislação nacional e os compromissos internacionais bilaterais, plurilaterais e multilaterais. Em alguns casos, os ambientes políticos são mais limitados, e a administração de uma PPP com participantes de um ou de vários investidores estrangeiros pode enfrentar importantes desafios político-administrativos.

Atualmente, a ALC conta com uma ampla rede de acordos de comércio e investimento, sobretudo quando consideramos a velha geração de TBIs – repertório este que precisa ser levado em consideração na hora de definir políticas e estratégias para as PPPs. No entanto, a atual tendência mostra a negociação de tratados modernos de comércio e investimento, que incluem a dimensão de sustentabilidade. Esses acordos buscam proteger o investidor estrangeiro, mas também contêm cláusulas sobre promoção do investimento e responsabilidade social das empresas e, em geral, dão mais margem política aos Estados.

Por exemplo, o Brasil firmou 14 TBIs tradicionais entre 1994 e 1999, mas o Congresso não ratificou nenhum devido à discriminação do investidor nacional e às limitações que a arbitragem internacional impunha em termos de margem política. Recentemente, o Brasil aprovou um novo modelo de TBI, chamado Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI), que oferece benefícios tanto para o investidor quanto para o Estado, promovendo e protegendo os investimentos. Além de desenhar modelos mais modernos de acordo, alguns países têm considerado modernizar o stock de TBIs de antiga geração, com vistas a homogeneizar o regime internacional de investimentos estrangeiros.

Uma agenda para o futuro

 O ODS 17, que prevê “Revitalizar a aliança global para o desenvolvimento sustentável”, possui 19 metas ou objetivos específicos. A meta 17 consiste em fomentar e promover alianças eficazes nas esferas pública, público-privada e da sociedade civil para atingir as metas dos ODS de modo geral. As possibilidades de contribuição das PPPs para esse processo são infinitas, e os países devem levar em conta suas especificidades culturais locais para tais efeitos. Ainda, podem desempenhar um papel importante as organizações sem fins lucrativos e as não governamentais e, no caso específico das PPPs de infraestrutura, o setor privado nacional.

A CEPAL também destaca que a competitividade dos países na exportação de serviços depende das estratégias de desenvolvimento público-privadas para o fomento de serviços modernos. Destaca os programas nacionais do Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai para fomentar, juntamente com o setor privado, o desenvolvimento de capacitação em serviços e, assim, aumentar a competitividade e a exportação, fixando inclusive metas de exportação de serviços baseadas nos resultados esperados da cooperação público-privada. Essas também são formas de PPPs mencionadas na Agenda 2030.

A UNCTAD desenvolveu o Marco de Políticas de Investimento para o Desenvolvimento Sustentável e um espaço virtual específico dedicado às PPPs para os países e os responsáveis pela formulação das políticas de investimento[10]. Ambos têm como objetivo facilitar e apoiar o trabalho dos responsáveis por criar as políticas públicas, a fim de garantir a participação do investimento privado nacional e estrangeiro no âmbito dos ODS e, ao mesmo tempo, a facilitação do comércio.

 * Natalia Guerra é oficial de Assuntos Econômicos da UNCTAD.


[1] Este trabalho é resultado de uma pesquisa feita durante um período sabático, entre 2017-2018, com o apoio do SELA. Reflete exclusivamente a opinião da autora e em nenhum momento representa a postura da UNCTAD ou do SELA.

[2] Ver: UNCTAD. Boosting Investment in Productive Capacities for Trade. In: Policy Brief No 34, dezembro de 2015.

[3] Ver: CEPAL. Perspectivas del Comecio para America Latina 2017.

[4] Ver: Ahmad, E.; Bhattacharya, A.; Vinella, A.; Xiao, K. Involving the private sector and PPPs in Financing Public Investments: some opportunities and challenges. In: Asia Research Working Paper 67. Londres: LSE, outubro de 2014. Fonte: <https://bit.ly/2v9qd4C>.

[5] Disponível em: <https://bit.ly/2A0ReMS>.

[6] Disponível em: <https://bit.ly/2i8ku8O>.

[7] 23ª Reunião do Fórum Técnico da IIRSA, Buenos Aires, 5 de dezembro de 2017.

[9] Disponível em: <https://bit.ly/2ms0bFR>. Cálculos próprios.

[10] Ver: <https://bit.ly/1QypVJS> e <https://bit.ly/2uXmyaf>, respectivamente.

ICTSD


Grupos culturais de Brasília Teimosa e do Pina movimentam o Festival ReConhecer

O evento acontece no próximo dia 1º de setembro com apresentações gratuitas de teatro, dança e música na Praça de São Pedro

Berços de manifestações da cultura popular do Recife, as comunidades de Brasília Teimosa e do Pina, na Zona Sul da cidade, tem muito em comum: uma diversidade de grupos que trabalham para espalhar arte e resistência. E é com o intuito de valorizar e incentivar quem movimenta o cenário artístico local, que o Festival ReConhecer, idealizado por produtores das duas localidades, ganha a sua primeira edição na Praça de São Pedro. O evento no próximo dia 1º de setembro vai unir as linguagens de teatro, dança e música, em dois palcos, com apresentações de 15 grupos. A expectativa de público é mais de três mil pessoas.

Na programação está o Balé Deveras, fundado em Brasília Teimosa no ano de 1980. Com um portfolio composto por espetáculos de danças populares, o grupo realiza o trabalho de formação com crianças, jovens e adultos das duas comunidades, resgatando da vulnerabilidade social e formando profissionais para atuar no mercado das artes cênicas. O público poderá conferir a apresentação do Maracatu Estrela do Mar, com repertório de canções cantadas por pescadores no ritmo de baque virado, o Maracatu Nação Erê, formado para alfabetização de meninos e meninas do Centro de Educação Popular Mailde Araújo (Cepoma), a Orquestra de Frevo do Rubinho e a Cia de Danças Angelita Karollaine, que atua há mais de 20 anos com atividades relacionadas às danças folclóricas.

As apresentações são gratuitas e acontecem simultaneamente em dois palcos, no Maré e no Praia, a partir das 17h. Passa pelo palco Maré, a Banda Flora, com o repertório no estilo indie rock, o grupo teatral Achyles Coqueijo, Panthers e o grupo de dança de rua Hunthers, criado há três anos. No outro, o bailarino e coreógrafo Richard Thompson com as suas performances contemporâneas, a cantora e compositora Dani Buckman, o rapper O2 MC, que lançou em 2017 o projeto Nunca Desista com 12 faixas e participação de artistas locais e regionais, 2D MC dono do hit “Melhor do Verão” com quase 11 mil visualizações nas redes sociais, e o cantor Denilson Vieira.

“O festival nasce da necessidade dos próprios moradores em reconhecer a riqueza cultural de Brasília Teimosa e do Pina, que juntas possuem mais de 40 grupos culturais. Grande parte é de caráter social, o que ajuda na prevenção da violência e na promoção da Cultura de Paz”, afirma o coordenador geral do Festival ReConhecer, Rogério Ferreira.

A ideia de montar o evento surgiu durante o segundo módulo do Laboratório de Projetos Culturais, promovido pelo Instituto JCPM e ministrado pela Proa Cultural. “Após vários exercícios de imersão, debates e análise da cultural local, o grupo participante dessa turma, que é bem heterogêneo e formado por atores, dançarinos, publicitários, cantores e designers, chegou até o formato do projeto. Depois disso, foi realizada a etapa de seleção das atrações, onde tivemos mais de 25 inscritos”, explica o coordenador geral Stone Silva.

Serviço:

Festival ReConhecer

Data: 1º de setembro

Local: Praça de São Pedro, em Brasília Teimosa.

Horário: 17h

Acesso gratuito

Programação:

Palco Maré

17:50 – Maracatu Estela do Mar

18:15 – Banda Flora

18:55 -GTAC

19:30 – Hunthers

20:00 – Deveras

20:35 – Panthers

21:00 – Michelle Monteiro e Angelita

Palco Praia

17:35 – Maracatu Nação Erê

18:05 – Richard Thompson

18:30 – Dani Buckman

19:40 -Orquestra de Frevo do Rubinho

20:20 – O2 MC

20h20 – MC D2

20:50 – Denilson Vieira

Crédito: Milena Ferreira


A era da inovação é tema de debate com empresários pernambucanos

O VI Ciclo Empresarial acontece nos dias 22 e 23 de agosto em Vitória de Santo Antão

Atualmente a inovação é um tema obrigatório dentro das organizações que pretendem estar presentes no varejo em um futuro que não está tão longe. E os empresários pernambucanos poderão debater sobre o assunto, durante os dias 22 e 23 de agosto, no Vitória Park Shopping, no VI Ciclo Empresarial – A Era da Inovação. O evento é realizado pela Fecomércio-PE, em parceria com o Sebrae e o Senac de Vitória de Santa Antão, e já está com as inscrições abertas.

“Inovar é uma obrigação em um momento em que o consumo vem se tornando cada vez mais rápido com a utilização de produtos com maior nível de tecnologia. O Ciclo pretende mostrar aos empresários da Mata Sul e entorno que o momento de inovar já chegou e que todas as empresas precisam ficar atentas a este processo de mudança, sabendo que criar novas estratégias voltadas a um novo perfil de consumo exige o domínio de técnicas de vendas inovadoras”, explica a chefe de gabinete da Fecomércio-PE, Cleide Pimentel.

O Ciclo Empresarial propõe quebrar o medo ou receio de entrar no mundo mais tecnológico, apresentando aos empresários soluções que eles podem utilizar sem precisar de um grande setor de tecnologia. O evento irá trazer os palestrantes Fred Rocha , Flammarion Cysneiros e Adriana Cavalcanti para abordar sobre “Negócios do Futuro”, “Inovações que estão revolucionando o varejo e Inovação” e “Estratégia de vendas para aumentar a lucratividade”, respectivamente.

Para Fred Rocha, por exemplo, o evento será uma oportunidade de mostrar como o crescimento das empresas é possível utilizando a inovação presente no mercado e aplicar imediatamente no seu negócio. “A palestra mostra a nova forma de se fazer negócios. Nós fazemos comércio da mesma forma desde o início da humanidade e com as mudanças tecnológicas, o consumidor culturalmente não precisa mais sair de casa para comprar. Vamos debater, entender como era o comércio e o que essa mudança representa hoje”, explica o palestrante.

As inscrições podem ser feitas no Senac de Vitória, na Câmara de Dirigentes Lojistas de Vitória ou na Associação Comercial Industrial e Agropecuária Vitória de Santo Antão – ACIAV e custam R$ 50,00 o combo para os dois dias ou R$ 30,00 por dia. Para mais informações, os telefones são (81) 3526 7600 (Senac), (81) 3526-7601 (Senac) e (81) 3231-6175 (Fecomércio-PE).


Cervejaria Ambev terá mais de 1/3 da frota parceira composta por caminhões elétricos até 2023

Parceria com a Volkswagen Caminhões e Ônibus envolve 1.600 veículos movidos a energia limpa; é o maior anúncio do tipo já feito no mundo

A Cervejaria Ambev, dona de marcas como Skol, Brahma, Antarctica e Guaraná, anunciou que, até 2023, irá passar a utilizar 1.600 caminhões elétricos da Volkswagen Caminhões e Ônibus no transporte de bebidas. Com a parceria, cerca de 35% da frota que atende a cervejaria será composta por veículos movidos a energia limpa, deixando de emitir mais de 30,4 mil toneladas de carbono em sua cadeia logística por ano. A negociação é a maior da VWCO no ano para o segmento de cargas.

O primeiro caminhão a integrar essa frota será o VW e-Delivery e chegará às ruas ainda este ano, inaugurando assim a primeira fase de testes para determinar a tecnologia mais adequada para atender as operações da Cervejaria Ambev. O modelo será recarregado com 100% de energia elétrica comprada de fontes limpas, como eólica e solar.

A parceria é um marco na história das duas empresas: esse é o maior anúncio do tipo já feito no mundo. O trabalho em conjunto representa um passo importante em direção a um futuro cada vez menos dependente de combustíveis fósseis e tem por objetivo reduzir ainda mais as emissões de gases de efeito estufa na frota que atende a Cervejaria Ambev. Entre 2014 e 2017, a companhia já reduziu esse índice em 33,9%.

“O nosso sonho é unir as pessoas por um mundo melhor. Por isso, estamos sempre buscando parceiros engajados nas mesmas causas, como a Volkswagen Caminhões e Ônibus, para prover novas tecnologias e processos que tenham um impacto positivo no meio ambiente. Temos certeza que esse projeto contribuirá muito para a construção do legado sustentável que queremos deixar para as próximas gerações” afirma Guilherme Gaia, diretor de sustentabilidade e suprimentos da Cervejaria Ambev.

Esse é o primeiro caminhão leve 100% elétrico da América Latina com zero emissão de CO2. A solução está alinhada à política de desenvolvimento e promoção de tecnologias limpas do Grupo VW Truck & Bus, do qual a VW Caminhões e Ônibus faz parte.

“Nosso centro mundial de desenvolvimento da Volkswagen Caminhões e Ônibus, localizado no Brasil, investigou e aplicou as melhores soluções mundiais e locais disponíveis para atender às necessidades de nossos clientes em veículos de baixas emissões em países emergentes. Graças à nossa parceria com a Ambev, que já dura mais de vinte anos, fomos os primeiros a desenvolver veículos vocacionais para distribuição de bebidas. E agora, mais uma vez, saímos juntos na frente, ingressando na era elétrica”, destaca Roberto Cortes, presidente e CEO da VW Caminhões e Ônibus, fabricante das marcas Volkswagen Caminhões e Ônibus e MAN.

Desenvolvidos no Brasil, os veículos trazem soluções de última geração para logística verde, como sistemas inteligentes para ajustar a demanda da bateria conforme a operação e para recuperar a energia da frenagem. Os caminhões podem chegar a uma autonomia de até 200 quilômetros, de acordo com a aplicação e a configuração do veículo. O nível de ruído é extremamente baixo quando comparado aos modelos tradicionais, melhorando o conforto do motorista e seus ajudantes na operação.

A sustentabilidade socioambiental é um pilar central do negócio da Cervejaria Ambev. Nos últimos cinco anos, a companhia destinou mais de R$ 1 bilhão para projetos voltados a esse fim em sua operação. O montante contribuiu para a superação de seis das sete metas anunciadas em 2013 para serem atingidas em 2017. Agora, a cervejaria anunciou mais um passo importante nesse trabalho, com novos compromissos, que tem previsão de atingimento até 2025. As metas, definidas pela AB InBev globalmente, são divididas em quatro pilares, sendo que um deles se refere especificamente à redução das emissões de carbono em suas operações e à compra de eletricidade de fontes renováveis:

Ações Climáticas: 100% da eletricidade comprada pela Cervejaria Ambev deve ser advinda de fontes renováveis. Além disso, a cervejaria vai reduzir em 25% as emissões de carbono ao longo da nossa cadeia de valor.

Embalagem Circular: 100% dos produtos da Cervejaria Ambev devem estar em embalagens retornáveis ou que sejam majoritariamente feitas de conteúdo reciclado.
Gestão de Água: melhorar de forma mensurável a disponibilidade e a qualidade da água para 100% das comunidades em áreas de alto estresse hídrico com as quais a cervejaria se relaciona.

Agricultura Inteligente: 100% dos agricultores parceiros da cervejaria devem estar treinados, conectados e com estrutura financeira para desenvolver um plantio cada vez mais sustentável.

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão.

A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas. Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos e sucos, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro.

Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade. Esse compromisso inclui metas claras, divulgadas publicamente, e se traduz em quatro pilares: consumo inteligente, água, resíduo zero e desenvolvimento. Esse trabalho é feito com uma rede de parceiros, pois acreditamos que a construção de um mundo melhor se torna mais rica quando feita em conjunto.

Sobre a VW Caminhões e Ônibus

Fabricante dos veículos comerciais Volkswagen e MAN, a VW Caminhões e Ônibus é uma das maiores montadoras de caminhões e ônibus da América Latina. Inovadora, a VW Caminhões e Ônibus produzirá o VW e-Delivery junto com seus parceiros no Consórcio Modular, na fábrica instalada em Resende (RJ).

Desde 1981, quando iniciou suas operações, chegar ao topo do mercado, respeitando e satisfazendo as necessidades dos clientes, sempre foi o foco da montadora. E é exatamente isso que oferece a seus clientes: produtos sob medida e um excelente serviço de pós-vendas.

Sua produção já ultrapassou o marco de 800 mil veículos, com mais de 100 mil unidades exportadas para mais de 30 países. A empresa também é referência em inovações tecnológicas. Desde 2003, a montadora conduz estudos com combustíveis renováveis e alternativos, mesmo antes de obrigações legais.

A VW Caminhões e Ônibus é pioneira na utilização de biodiesel e no desenvolvimento no Brasil de caminhão dotado com sistema híbrido diesel-hidráulico. A empresa busca sempre soluções que reduzam o impacto ambiental e ajudem a preservar o meio ambiente.

Há mais de 35 anos, a fabricante mantém seu compromisso de desenvolver veículos que superem as exigências dos clientes – onde quer que eles rodem, seja pelas estradas brasileiras, latino-americanas ou africanas.


Praça do Arsenal de cara nova após revitalização de fonte

Com estrutura em concreto armado, gradil de proteção e nova instalação hidráulica e elétrica, o espaço de lazer deve reconquistar os admiradores


Novidade foi inaugurada na sexta-feira após requalificação. Foto: Wesley D’Almeida/PCR/Divulgação

Quem passeia pelo Recife Antigo deve se surpreender com uma novidade na Praça Artur Oscar, conhecida carinhosamente como Praça do Arsenal. Após uma obra de requalificação, o espaço de lazer recuperou sua fonte, que agora está mais moderna e luminosa. A nova estrutura foi inaugurada na última sexta (17).

O equipamento foi refeito com uma estrutura em concreto armado, ganhou um gradil de proteção e ficou mais atraente com a modernização da instalação hidráulica e elétrica. À noite, é possível perceber as modernas luminárias de LED colorido, que garantem um espetáculo de luzes multicoloridas que são projetadas na água do chafariz.

PRAÇA DO ARSENAL

A Praça do Arsenal é uma construção do século XIX assinada pelo arquiteto paisagísticos Burle Marx, um dos mais célebres artistas plásticos do Brasil. Agora, a praça ganhou ainda mais um motivo para constar na lista de atrativos imperdíveis de qualquer viajante que chega à cidade. A requalificação foi assinada pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb). O investimento está orçado em R$ 79,9 mil.


Ciclofaixa Estrada do Bongi é inaugurada pela CTTU nesta segunda-feira (20)

img_alt

Com o novo equipamento, que tem 2,66 km de extensão, a zonas Oeste e Sul do Recife passam a contar com uma malha cicloviária de 22 km conectados. (Foto: Luciano Ferreira/PCR)

A Prefeitura do Recife, por meio da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), implanta a Ciclofaixa Estrada do Bongi, que contará com 2,66 km de extensão e será bidirecional. O trecho se conectará com as rotas cicláveis Antônio Curado, Cavouco, Inácio Monteiro, Tiradentes, Arquiteto Luiz Nunes, Jardim São Paulo e Compaz Ariano Suassuna, além das futuras prospecções da II e III perimetral, que serão implantadas pela Autarquia de Urbanização do Recife (URB). O novo equipamento entra em operação nesta segunda-feira (20), após o serviço de sinalização ser concluído. A Ciclofaixa Estrada do Bongi compõe a Rede Cicloviária Complementar, implantada pela Prefeitura do Recife em consonância com o Plano Diretor Cicloviário da Região Metropolitana do Recife (PDC/RMR), que registra 52 km de rotas existentes, sendo 27,86 (53%) implantados desde 2013.

A Ciclofaixa Estrada do Bongi terá início na Rua Carlos Gomes, e seguirá pela Estrada do Bongi, Rua Pedro Américo, que passará a ser mão única, pela Rua Isaac Markman, Rua Itapemirim até a Rua Cônsul Vilares Fragoso, atendendo diretamente os bairros do Prado, Bongi e  San Martin. Uma vez que o novo equipamento se conecta com outras rotas implantadas nas zonas Oeste e Sul da cidade, compondo uma malha cicloviária de 22 km, também serão atendidos os bairros do Engenho do Meio, Iputinga, Cordeiro, Torrões, Mangueira, Afogados, Mustardinha, Jardim São Paulo e Imbiribeira.
De acordo com a presidente da CTTU, Taciana Ferreira, os projetos de implantação de rotas cicláveis têm o objetivo de atender os pontos de interesse da população. “A Ciclofaixa Estrada do Bongi faz conexão com sete outras rotas, beneficiando 12 bairros e atendendo áreas muito frequentadas pelos cidadãos, como o Compaz Ariano Suassuna, hospitais, parques, praças, centros comerciais e terminais de ônibus”, afirmou.
Para regulamentar a implantação, a CTTU realizou a manutenção de toda sinalização vertical e horizontal das vias, incluindo 168 placas de sinalização. Além disso, a maior parte do percurso da nova rota passa a ter velocidade regulamentada de 40 km/h. A CTTU também disciplinou o estacionamento nas ruas Pedro Américo e da Isaac Markman, que não terão permissão de estacionamento nos dois lados, e na Rua Itapemirim, que terá estacionamento permitido em um dos lados por horário.

Durante as semanas seguintes do início da operação do novo equipamento, serão destacadas equipes de agentes e orientadores de trânsito para realizar o trabalho de monitoramento e orientação aos condutores, ciclistas e também pedestres nos locais que receberam a nova rota. É importante ressaltar que aqueles que insistirem no descumprimento da sinalização, transitando ou estacionando veículos na ciclofaixa, estarão passíveis de notificação. As multas podem variar de grave a gravíssima vezes três, com valores de R$ 195,23 (mais 5 pontos na CNH) a R$ 880,41 (mais 7 pontos na CNH).


Revival da Over Point, Hippopotamus e das boates no Mirage

A baladinha promete reunir muitos baladeiros saudosos

Detalhe do restaurante que guarda uma arquitetura elegante
Foto: Divulgação

O restaurante Mirage, do Atlante Plaza, reviverá os tempos áureos da era das boates. No dia 14 de setembro, realiza a 1ª edição do “Mirage Sessions”, projeto que leva DJs que marcaram época na cidade.

A ideia é unir gastronomia, drinks e música de qualidade em clima de nostalgia para relembrar como Over Point, Fun House, Fashion Club e Hippopotamus.


Hospital Santa Joana no Recife ganhará prédio de 15 andares

Uma série de atividades estão previstas para o lançamento da pedra fundamental

O hospital, fundado em 79, é reconhecido como um importante complexo hospitalar do país
Foto: Divulgação

Eustácio Vieira, presidente do Santa Joana Recife, e Cláudio Lottenberg, presidente da United Health Group-Brasil comandam a 1ª etapa da expansão do Hospital dia 29, às 17h.

Na ocasião, haverá o descerramento de placa inaugural e lançamento da pedra fundamental de uma nova torre com 15 andares.

A aposição do busto de Joana Fernandes Vieira, matriarca da família que dá nome ao hospital, também está previsto. Coquetel no refúgio Vovô Zerinho sela a noite.


Plaza Shopping Casa Forte promove uma Estação do Café durante dez dias

O Plaza Shopping promove, de 24 de agosto a 2 de setembro, a Estação do Café. Deltaexpresso, FriSabor, São Braz Coffee Shop, The Brownie Factory e Vero Caffè e Vino participam da ação, prepararam um menu especial de combos e sobremesas em que a estrela principal é o café.

Durante 10 dias serão ofertados desde espressos a cafés com blends de acordo com a escolha do cliente. Os combos custam R$ 10 e R$ 15.

Foto ilustrativa – Crédito: Pixabay/Divulgação


Veja Comer & Beber divulga os melhores restaurantes e bares do Recife

André Saburó venceu a categoria Chef do ano e seu restaurante Taberna Japonesa Quina do Futuro levou prêmio de Melhor da cidade – Crédito: Marlon Diego/Esp.DP

A revista Veja Comer & Beber Recife divulgou a lista dos melhores estabelecimentos gastronômicos da capital pernambucana em três categorias: bares, comidinhas e restaurantes. Cada uma delas foi subdividida em outras categorias, resultando em 18 vencedores, ao todo.

Os destaques vão para Cia do Chopp, Apolo Beer Café e Armazém Centenário, na categoria Bares; e na categoria restaurante, André Saburó levou o prêmio de chef do ano, enquanto sua Taberna Japonesa Quina do Futuro venceu na categoria O melhor da cidade.

O restaurante ainda aparece na lista mais uma vez, dividindo o ranking com outro de seus quatro estabelecimentos, o Sushi Yoshi, no quesito restaurante japonês. A browneria Docecleta levou primeiro lugar na categoria Novidade, enquanto o Faaca ganhou na categoria Revelação. Confira as listas completas:

Bares

Atendimento

1º lugar: Cia do Chopp

2º lugar: Apolo Beer Café

3º lugar: Armazém Cenetenário

Carta de cervejas

1º lugar: Beerdock

2º lugar: A caverna

3º lugar: Apolo Beer Café

Carta de drinks

1º lugar: Pina Cocktails & Co.

2º lugar: Pisco Lounge Bar

3º lugar: Ursa Bar e Comedoria

Cozinha

1º lugar: Central

2º lugar: Armazém Centenário

3º lugar: Cia do Chopp

Revelação

1º lugar: Faaca Bar e Parrilla

2º lugar: Relaxa o Bigode

3º lugar: Cervejaria Laborada

Comidinhas

Bolo de Rolo

1º lugar: Casa dos Frios

2º lugar: Sabor da Casa

3º lugar: Sabor de Beijo

Café

1º lugar: Kaffe Torrefação e Treinamento

2º lugar: Castigliani Cafés Especiais

3º lugar: Borsoi

Hambúrguer

1º lugar: Dom Black

2º lugar: Brasa no Quintal

3º lugar: Kangaroo Australian Burger

Padaria

1º lugar: Galo Padeiro

2º lugar: Diplomata

3º lugar: Vila Amizade

Sorveteria

1º lugar: Romeo Giulietta

2º lugar: Santo Doce

3º lugar: San Paolo

Novidade

1º lugar: Docecleta

2º lugar: Madero Steak House

3º lugar: Bacio di Latte

Restaurantes

Chef do ano

1º lugar: André Saburó (Taberna Japonesa Quina do Futuro, Sumô e Sushi Yoshi)

2º lugar: Joca Pontes (Ponte Nova e Villa Cozinha de Bistrô)

3º lugar: Yuri Machado (Ca-Já)

O melhor da cidade

1º lugar: Taberna Japonesa Quina do Futuro

2º lugar: Ponte Nova

3º lugar: Nez Bistrô

Brasileiro/Regional

1º lugar: Oficina do Sabor

2º lugar: Ca-Já

3º lugar: Parraxaxá

Carne

1º lugar: Pobre Juan

2º lugar: Spettus

3º lugar: Tapa de Cuadril

Japonês

1º lugar: Taberna Japonesa Quina do Futuro

2º lugar: Kojima

3º lugar: Sushi Yoshi

Pizzaria

1º lugar: Tomaselli

2º lugar: Forneria 1121

3º lugar: Armazém Guimarães

Variado/Contemporâneo

1º lugar: Ponte Nova

2º lugar: Le Chef Bistrô

3º lugar: Nez Bistrô

Menu Executivo

1º lugar: Douro In

2º lugar: Mingus

3º lugar: Toscana Trattoria

Blog JA – DP