Campanha do McDia Feliz em Pernambuco arrecada recursos para reforma no GAC-PE

A ação ocorre no dia 24 de agosto e todo o dinheiro arrecadado será usado para reformar o sexto andar da instituição

Verba arrecadada no McDia Feliz será destinada à reforma do 6º andar do GAC-PE

A campanha beneficente McDia Feliz de 2019 vai beneficiar o Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC-PE), que assiste pacientes ambulatoriais e em situação de internamento, matriculados no Centro de Oncohematologia Pediátrica (CEONHPE) do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), em Santo Amaro. A instituição é um dos projetos por todo Brasil que está sendo beneficiado com a campanha.

Todo o valor arrecadado na venda dos sanduíches BigMac no dia da ação, que ocorre em 24 de agosto, será revertido para a reforma do sexto andar do CEONHPE. Com a reforma, o novo pavimento terá dez leitos, entre UTI, isolamento e cuidados paliativos, além de ampliar de 24 para 34 o número de leitos na enfermaria.

De acordo com a presidente do GAC-PE, Vera Morais, a ação é muito importante para a instituição. “Com a venda antecipada dos tíquetes, vamos conseguir realizar um sonho que buscamos faz tempo: a reforma da UTI do CEONHPE”, destaca.

Em Pernambuco, o GAC-PE será responsável por 11 restaurantes da McDonald’s parceiras na iniciativa: as duas do Shopping Tacaruna, as duas do Shopping Recife, Shopping Guararapes, Drive Jaboatão, Mc Donald’s Piedade, Mc Donald’s Derby, Drive Boa Viagem (área externa do Shopping Recife), Mc Donald’s Carrefour Torre e Mc Donald’s Abdias de Carvalho. 

As unidades do McDonald’s de Caruaru e Cabo de Santo Agostinho terão os valores divididos entre o GAC-PE e o Núcleo de Apoio à Criança Carente com Câncer (NACC).

Estão disponíveis para venda 10.500 tíquetes antecipados, no valor de R$ 17 cada um, diretamente na sede do GAC-PE. Os interessados na compra também podem entrar em contato com a instituição pelos telefones (81) 3423.7636 e 3267.9200.


Restaurante em Gravatá recebe 1º Festival da Jovem Guarda

Barito Fondue em Gravatá – Créditos: Divulgação

O Restaurante Barito Fondue em Gravatá vai receber o 1º Festival da Jovem Guarda, com a apresentação de bandas que tiveram formação na década dos anos 60.

O local, também conhecido como a Casa Oficial do Jazz em Gravatá, vai se transformar nos dias 6 e 7 de setembro, no templo do estilo musical que marcou a geração de nomes como Roberto Carlos, Pink Floyd a Bee Gees. Entre as bandas que sobem ao palco estão Os Tártaros, que fizeram parte da Jovem Guarda Pernambucana, e  Agravo de Instrumento.

Os shows se iniciam sempre as 21h e o couvert artístico custa R$15.


Pracinha de Boa Viagem ganha letreiro com a palavra “xodó”

Créditos: Divulgação

Um novo integrante na paisagem recifense. A Pracinha de Boa Viagem, um dos locais mais turísticos da orla da cidade ganhou, literalmente, um novo xodó. Na noite desta quarta-feira (21) um letreiro foi instalado permanentemente no equipamento. 

A estrutura de 9,7 metros de comprimento por dois metros de altura é a terceira do gênero no Recife. Produzida em chapa de aço galvanizado, traz também uma novidade: um espaço onde visitantes e os moradores da cidade podem eternizar o afeto prendendo cadeados, remetendo a uma tradição que ganhou fama na Pont des Arts, em Paris, na França.

Para festejar a novidade, a noite contou também com  apresentação de Gerlane Lops, dentro da programação do Recife Mais Cultura. 

O letreiro tem uma estrutura com pintura automotiva, resistente à chuva e ao sol. A escolha do nome xodó não foi à toa, é uma continuidade à ação da prefeitura de instalar letreiros com referência às palavras utilizadas pelos moradores da cidade.

“O objetivo desse terceiro letreiro foi colocá-lo numa praça requalificada recentemente pela prefeitura e que tem muita visitação turística. Ele vem como complemento aos outros atrativos que existem aqui, como a pracinha”, explicou a secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, Ana Paula Vilaça.


Irmãos Araújo comandam o Grupo Escritório e comemoram dez anos de trajetória no Recife

Os irmãos e proprietários Jonas Araujo e Neemias Araujo – Foto: Bruna Costa / Esp. DP FOTO

Os irmãos e sócios Jonas e Neemias Araújo dividem não só os momentos em família, como também a paixão e o compromisso pelo trabalho. Há 10 anos comandam juntos o Grupo Escritório, rede pernambucana de restaurantes que possui três unidades: o Escritório Zona Norte, Escritório Zona Sul (Rua Desembargador João Paes) e o Escritório Botequim (Domingos Ferreira) e em breve vão abrir uma nova unidade em Piedade. Uma das casas, localizada Rua Desembargador João Paes, em Boa Viagem, ganhou nova ambientação assinada pelos renomados arquitetos pernambucanos Turíbio e Zezinho e apresentam novidades no cardápio.

Caranguejo é o carro-chefe da casa – Foto: Bruna Costa / Esp. DP FOTO

O estabelecimento começou lá atrás, batizado de Praça do Guaiamum. Os irmãos começaram do zero, por incentivo do Tio Reginaldo, que já atuava no ramo da gastronomia, e receberam todo o suporte de dicas e apoio no início, até que os assumiram sozinhos a responsabilidade de gerir a casa, caindo no gosto do público boêmio de Casa Forte.

A dificuldade de encontrar guaiamum de qualidade e o alto custo do insumo no Recife, fez com que o tradicional caranguejo surpreendesse e conquistasse o paladar da clientela. O tempero e cuidado na hora do preparo da iguaria nordestina foi decisivo para a expansão do negócio. Associado com a cerveja estupidamente gelada, era a combinação perfeita para o sucesso da franquia, que migrou para a zona sul da cidade.

Logo em seguida, veio a necessário adaptar o nome da casa. “O nome Escritório foi ideia de um cliente. Ele frequentava diariamente e costumava dizer que era o escritório dele e aquele apelido pegou!”, relembra Neemias. E até hoje rende boas “desculpas” para os frequentadores mais assíduos. “O nosso caranguejo é escolhido na hora pelo cliente e feito com toda a limpeza e cuidado. Temos muito controle de qualidade para que chegue impecável na mesa do  cliente”, garante Jonas. 

Bar Escritório, localizado na Zona Sul do Recife, em boa Viagem –
Foto: Bruna Costa / Esp. DP FOTO

Os irmãos construíram uma grande química no trabalho e costumam prezar pela relação direta e amigável tanto com os funcionários como com os clientes fiéis. Com o passar dos anos, o bar passou por diversas renovações para se adaptar às exigências dos frequentadores e trazer evoluções gastronômicas, com receitas que vão dos frutos do mar até as carnes. Hoje, conta com cardápio extenso com delícias assinadas pelo chef Rafa Vasconcellos e uma carta de drinques especial, incluindo caipiroscas de frutas da estação. Um dos destaques na sessão dos frutos do mar é o Siri Mole (carne de siri na manteiga e servido com farofa), além de pratos mais regionais servidos completos, como Picanha e a Moqueca.

“A nossa churrasqueira é muito famosa com carnes na brasa, que sai muito bem nos finais de semanas. Nosso forte é a variedade. Apesar de ter a identidade voltada para os frutos do mar, também trazemos uma gama de opções”, acrescenta Jonas, que tem planos para abrir mais uma unidade, em Piedade, ainda este ano. O Happy Hour do Escritório, que oferece bebidas e petiscos a preços promocionais, e funciona de terça a quinta-feira, das 16h às 20h, vem agradando de forma absoluta nas três unidades.

Foto: Bruna Costa / Esp. DP FOTO
Foto: Bruna Costa / Esp. DP FOTO

Escritório Zona Norte
(Estrada do Encanamento, 649, Casa Forte)
Telefone: (81) 3204-1669

Escritório Zona Sul 
(Rua Desembargador João Paes, 907, Boa Viagem)
Telefone: (81)3039-4934

Escritório Botequim 
(Rua Ten. João Cícero,205, Boa Viagem)
Telefone: (81)3038-3804

Blog JA – DP


Sinal verde para navios maiores em Suape

Resultado de imagem para suape porto

Líder em movimentação de contêineres no Norte/Nordeste, com 454 mil TEUs (medida equivalente a um contêiner de 20 pés) movimentados em 2018, o Complexo Industrial Portuário de Suape acaba de receber a aprovação da Marinha do Brasil para viabilizar o recebimento de navios porta-contêineres de até 336 metros.

Atualmente, a capacidade permitida é até 305 metros. Com essa sinalização positiva, segundo Leonardo Cerquinho, presidente do Complexo, até dezembro de 2019, o Porto de Suape poderá receber os navios com as maiores dimensões da América do Sul.

Os ajustes necessários exigidos pela Marinha antes da liberação dizem respeito ao calado dinâmico do local, que deve considerar variações de profundidades causadas pelos ventos e ondas.

Com o sinal verde final da Marinha, esperado no segundo semestre deste ano, expectativa é que até 2023, o movimento do porto passe para 700 mil TEUs e, até 2053, junto a outros investimentos como o Terminal de Contêineres II (Tecon II), chegue a dois milhões de TEUs.

“Iremos ganhar de longe da capacidade dos nossos concorrentes que são os portos da Bahia e do Ceará”, ressalta Cerquinho. A novidade é uma das vantagens que o porto apresentará na 25ª edição da Intermodal South America, maior feira internacional de logística, transporte de cargas e comércio exterior, que acontece até amanhã, em São Paulo.

“Na feira, com este posicionamento positivo da Marinha, já começamos a articular possíveis investidores para o Tecon II, que terá licitação aberta em julho desde ano e deverá ficar pronto até 2022”, completa o presidente do complexo industrial.

Ainda de acordo com Cerquinho, o equipamento ampliará a capacidade do terminal atual para 1,7 milhão de TEUs por ano e deve receber investimentos de R$ 1,2 bilhão. Ele terá 770 metros de cais e dois berços de atracação, numa área de 269 mil metros quadrados, com possibilidade de expansão de mais de 160 mil metros quadrados. O contrato de arrendamento será de 25 anos, prorrogável até 70 anos, e seu valor global estimado é de R$ 5,4 bilhões.

“A indústria naval vem se aprimorando e precisamos acompanhar esse desenvolvimento. Receber esses megaconteineiros é condição primordial para que Suape exerça sua vocação de Hub port no segmento. E as parcerias com a Praticagem de Pernambuco e a Capitania dos Portos de Pernambuco foram fundamentais para habilitar o porto nesse processo”, destaca.

Até então, Suape estava apto a receber navios de contêiner de até 305 metros de comprimento e 48 metros de largura, com capacidade de até 8 mil TEUs. Com as mudanças, passará a receber a classe Sammax, com 335 metros de comprimento por 48 metros de largura que tem capacidade de 9,7 mil TEUs e a New Panamax, tamanho similar, com capacidade para 14 mil TEUs. “Isso é um atrativo para quem precisa movimentar um número maior de mercadorias para o Brasil ou a região”, completa o gestor do porto.


Condic extraordinário aprova projetos estratégicos em Pernambuco

condic
ara acompanhar o calendário de implantação de novos investimentos, o Governo de Pernambuco atende aos prazos da Nova Tecelagem e Fiação e do grupo Big Bompreço   

Para aprovar seis projetos estratégicos que demandam um prazo curto de implantação, foi realizada uma reunião extraordinária do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic), nesta quarta-feira (21/08), no auditório Aymar Soriano, na sede da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper).

Ainda haverá mais duas reuniões neste ano, sendo uma em outubro e a outra em dezembro.

Neste 107º Condic, foram aprovados um projeto de implantação de indústria da Nova Tecelagem e Fiação e cinco que visam a ampliação das operações do grupo Big Bompreço no estado (com a importação de produtos).

No início do mês, o governador Paulo Câmara assinou um protocolo de intenções com a diretoria da Nova Fiação, que prometeu investir R$ 100 milhões na construção de uma fábrica em Bezerros, gerando 545 empregos diretos.

Já o Big Bompreço está investindo em três projetos de ampliação do comércio importador atacadista em Jaboatão dos Guararapes. No Cabo de Santo Agostinho, o grupo vai implantar um e ampliar outro no mesmo segmento.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, explica que as análises para aprovação de incentivos para as empresas têm calendário definido, ao qual as empresas se adequam para pleitear benefícios do estado, mas há empreendimentos importantes que precisam ser analisados de forma extraordinária. “Conseguimos fazer uma alteração no fluxo de trabalho, de forma que, imediatamente após a aprovação no Condic, a publicação do decreto já é encaminhada para que a empresa possa começar a usufruir dos benefícios do Prodepe.

Para esse caso, reunimos dois projetos. Um é o da Nova Tecelagem Fiação, que já tem protocolo de intenções com o Estado e outro é o BIG Bompreço, que era Walmart, foi adquirido por um novo grupo, lançou a nova marca e, a partir de cinco projetos no Estado, pretende consolidar Pernambuco como o principal hub de importação e distribuição dos seus produtos”, ressalta.

“Como são investimentos já anunciados, a reunião extraordinária agiliza a sequência do cronograma de implantação que eles acertaram com os protocolos de intenção assinados”, complementa.   

O presidente da AD Diper, Roberto Abreu e Lima, reforça: “É uma questão de eficiência no processo de concessão de incentivos fiscais. Não é algo corriqueiro acontecer uma reunião extraordinária. Temos um calendário a seguir. Mas abrimos essa exceção porque esses projetos são estratégicos e possuem um prazo curto de implantação. Foi importante quebrar este paradigma”, justifica Abreu e Lima, que não pôde estar presente na reunião, pois viajou a Petrolina para participar da programação do Todos por Pernambuco.

NOVA TECELAGEM E FIAÇÃO

O Grupo Santana Textiles tem como origem a fabricação de redes de dormir, segmento no qual foi líder nacional no final da década de 1970. No início dos anos 1980, nasceu a Fiação Santana, a primeira indústria brasileira desse segmento totalmente voltada para o processo open-end para a produção de fios de algodão.

Em 1995, a empresa adentrou um novo segmento, a tecelagem, passando a produzir tecidos denim. Desta forma, foi inaugurada a primeira unidade têxtil do grupo, uma fábrica em Horizonte, interior do Ceará, cuja capacidade produtiva é de aproximadamente 3,5 milhões de metros/mês de tecido. Atualmente, são gerados cerca de 2,2 mil empregos diretos.

De acordo com o Grupo Santana Textiles, as obras de construção da planta deverão ser iniciadas em dezembro de 2019 e podem durar até três anos. No entanto, a companhia planeja começar a funcionar a partir de 2020, quando deverão ser empregados cerca de 250 funcionários.

Até o final de 2021, a produção mensal da fábrica será de 1.200.000 metros de tecido Denim e 700.000 kg de fios. Esses itens são aplicados na produção de malharia (cotton, meia malha, pique, ribana, meias, moletons, entre outros) e tecelagem (artigos para cama, mesa e banho).

O protocolo de intenções contempla a adesão da Nova Tecelagem e Fiação ao Prodepe, que prevê crédito presumido a ser aplicado sobre o saldo devedor do ICMS normal de até 90% – percentual previsto pelo programa de incentivo fiscal para a Zona do Agreste, a recolher nos próximos 12 anos. Segundo a AD Diper, a empresa estará autorizada, pelo prazo máximo de seis meses, a terceirizar seus serviços fora dos limites estaduais.

BIG BOMPREÇO

A história do grupo começou em 1995, com a chegada do Walmart ao Brasil. A primeira loja no país foi uma unidade do Sam’s Club em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo. No mesmo ano, foi inaugurado o Walmart Osasco. A expansão começou pela Região Sudeste, com o formato hipermercado.

A conquista de outras regiões brasileiras aconteceu após importantes aquisições. Em 2004, houve a compra do Bompreço, líder no Nordeste e referência em varejo na região. No ano seguinte, foi concluída a aquisição do Sonae Distribuidora no Sul, com forte presença nos três estados da região com as bandeiras BIG, Nacional, Maxxi Atacado e Mercadorama.

Em 2011, o grupo resolveu trazer para o Brasil a estratégia de preço que levou o Walmart a conquistar o mercado nos Estados Unidos e a tornar-se o maior varejista do mundo: o “Preço Baixo Todo Dia” (PBTD). Única no mercado brasileiro, essa estratégia buscava comunicar ao consumidor um compromisso de preço baixo constante no total da cesta de compra. Em sete anos, foi investido forte na comunicação do PBTD e no formato hipermercado.

Em julho de 2018, o Fundo de Investimento Advent adquiriu 80% do Walmart Brasil, e os 20% restantes ficaram para o Walmart INC. A partir dessa negociação, um novo capítulo da história do grupo começava: a gestão de negócio passava a ser independente e 100% local. Em agosto deste ano, o nome da companhia passou a ser Grupo Big, e a principal missão será investir fortemente no “atacarejo”, dominar o formato de clube de compras e elevar o padrão operacional dos hipermercados.

DESTAQUES DA 107ª REUNIÃO DO CONDIC (EXTRAORDINÁRIA)

  • 06 projetos: sendo 01 indústria e 05 importadoras;
  • Total de empregos: 545 sendo todos no interior do estado;
  • 01 projeto industrial no interior totalizando R$ 100 milhões;
  • 02 municípios contemplados na RMR: Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho;
  • 01 município contemplado no interior: Bezerros.

DIVISÃO DE PROJETOS NAS DUAS REGIÕES DE DESENVOLVIMENTO (RDs):

  • 05 na RD Metropolitana: Jaboatão dos Guararapes (03) e Cabo de Santo Agostinho (02);
  • 01 no interior distribuídos na seguinte RD:
  • 01 Agreste Central – Bezerros (01);

Suape contrata startup pernambucana para desenvolver plataforma de inteligência portuária

A inclusão de sistemas como big data, blockchain (protocolo de confiança) e inteligência artificial têm provocado mudanças em modelos de gestão no setor público. São ferramentas tecnológicas e digitais que auxiliam as administrações a melhorar a eficiência de seus serviços.

Apostando nessa tendência e no movimento de estreitar os laços com o ecossistema de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do Estado, o Complexo de Suape assinou contrato com a startup pernambucana Fábrica de Negócio, uma empresa especializada em Analytics e que desenvolve algoritmos de inteligência artificial para análise e cruzamentos de grandes volumes de dados. Produto made in Pernambuco. A previsão é que os trabalhos de implementação da solução comecem a partir de setembro.

O serviço oferecido será o de agrupamento de informações de três sistemas utilizados diariamente pela administração de Suape: o Porto sem Papel (que funciona como concentrador de informações necessárias para o controle das embarcações e suas cargas), o sistema de movimentação de cargas da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e o sistema contábil-financeiro e de operações portuárias. Todos os indicadores gerados por essas fontes serão compilados dentro da plataforma Pentaho Business Analytics Community Edition.

Os dados serão verificados por especialistas e Cientistas de Dados da Fábrica de Negócio e transformados em painéis de gestão que ficarão à disposição dos gestores, concentrando todas as informações úteis para a tomada de decisão, em um único lugar. É durante esse processo que será utilizado um algoritmo de inteligência artificial, desenvolvido pela startup, que decodificará padrões de comportamento nos dados analisados para melhoria da gestão.

“A decisão de Suape de investir em tecnologia para a análise de dados segue a linha de grandes empresas mundiais, porque é impossível administrar o que não se consegue medir. O serviço traz para as empresas um grande impacto na redução do retrabalho e também aumenta a confiança nos dados que serão usados. É uma ferramenta que apoia muito a gestão”, observa o CEO da Fábrica de Negócio, Hamilton Alves.

“Será ministrado um treinamento na plataforma para os servidores de Suape, assim haverá um aprimoramento do pessoal da casa nas novas tecnologias de Business Intelligence e mineração de dados, capacitando e preparando o corpo técnico para o que há de mais moderno em inovação”.

Além dos serviços de Business Analytics na Plataforma Pentaho, a empresa também desenvolveu a Base Analítica para Auditoria, com foco no combate à evasão fiscal, que recebeu o Prêmio de Aceleração da BrazilLab (primeiro hub de inovação GovTech do País), como a solução mais inovadora para o setor público. Com isso, conquistou o direito de utilizar o selo GovTech, que é conferido às empresas que criam soluções de alto impacto para o setor público. É a única startup do Norte e Nordeste a conseguir a honraria, e uma das pioneiras no Brasil.

O presidente de Suape, Leonardo Cerquinho, vê a contratação da Fábrica de Negócio como um passo importante para a empresa. “Estamos avançando e acompanhando a tendência mundial que é a digitalização e inovação na gestão pública, ao mesmo tempo em que incentivamos o trabalho de startups pernambucanas como a Fábrica de Negócio, que tem larga experiência no assunto, cases de sucesso e premiação nacional. Um ponto positivo e inovador para a administração pública”, declara.

A startup já tem contrato com a Prefeitura do Recife nas Secretarias de Finanças, Saúde e Controladoria e Previdência, Prefeitura de Teresópolis (RJ), na Controladoria do Estado do Amapá e do Governo de Pernambuco, além de outras localidades, totalizando mais de 15 mil horas de projetos em análises de dados no setor público.

“O nosso papel no projeto de Suape é apoiar o porto neste novo passo, medir seus indicadores através da integração de dados, e prover informação integrada e de qualidade para dar suporte às decisões. Não tenho dúvidas de que será um sucesso”, conclui Hamilton Alves. Com a utilização da nova ferramenta, as outras plataformas não vão deixar de ser utilizadas. Apenas terão seus dados compilados e aproveitados em painéis de gestão automatizados.


Porto Digital no Recife apresenta propostas ao Ministério da Defesa

Presidente do Porto Digital recebeu o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, que conheceu as dependências do parque tecnológico, em busca de soluções que possam contribuir com o desenvolvimento

Ministro da Defesa durante visita ao Porto Digital

A busca por soluções tecnológicas e o aumento da parceria entre o Porto Digital e o Ministério da Defesa foi o tema da visita do ministro Fernando Azevedo e Silva nesta quarta-feira (21). 

O general do exército foi recebido pelo presidente do Porto, Pierre Lucena, que apresentou o parque tecnológico e destacou um projeto da Pickcells, startup pernambucana que usa inteligência artificial em diagnósticos laboratoriais. 

Azevedo e Silva destacou que ficou surpreso com a estrutura que o Porto tem atualmente, e apontou que o trabalho da Pickcells pode trazer benefícios no futuro. “Chama atenção como evoluiu o Porto Digital, com tantos números de empresas participantes que transformam conhecimento em capacidades reais.

A visita foi muito proveitosa, e podemos avançar. Vi no laboratório que exames laboratoriais podem ser feitos até pelo próprio celular, isso para o combatente nosso, para o médico celular, isso vai ser um avanço pra gente, muito gratificante essa visita”, contou o ministro da Defesa. 

O fundador e diretor de tecnologia da Pickcells, Rodrigo Paiva conta que a empresa já recebeu um aporte de R$ 1,6 milhões, e desenvolveram uma ferramenta que permite diagnosticar um exame em até 3 minutos, onde o interessado investe R$ 10 mil.

“A gente sempre teve essa visão que usa tecnologia para melhorar a parte da saúde, e já temos esse trabalho de levar isso a baixo custo. Usamos inteligência artificial para parte de diagnósticos na área de saúde, pegando as amostras de urina, sangue ou fezes, manda pro software que consegue classificar e detectar as doenças nessas amostras”, contou. 

O ministro também anunciou uma parceria com o Porto Digital para a Escola Nacional de Segurança Cibernética no próximo ano. Também participou do evento o secretário Nacional de Segurança Pública, general Teophilo. 


Compesa investe em esgotamento sanitário de Bezerros

Companhia vai investir R$ 44 milhões em obras de esgotamento sanitário no município. A primeira etapa das obras tem duração de 18 meses, e vai beneficiar 35% da população.

Rio Ipojuca

Com um investimento de R$ 44 milhões, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai realizar obras de esgotamento sanitário no município de Bezerros, no Agreste Central. A previsão é que as obras tenham duração de 18 meses, a partir da assinatura da ordem de serviço, que será feita nos próximos dias, e deve beneficiar 35% da cidade.

O aporte financeiro vem de recursos do Governo de Pernambuco e financiados junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Do total investido, o aporte assegura a primeira etapa da obra, que contempla os bairros de São Pedro, São Sebastião, Cruzeiro, além do Centro da cidade. 

Esse foi o primeiro anúncio de obras da gestão de Manuela Marinho, que assumiu a presidência da Compesa na última segunda-feira. A gestora destacou que essa obra vai beneficiar boa parte da cidade. “Esse é mais um passo importante para o saneamento das cidades que estão inseridas na bacia do Rio Ipojuca, o que vai representar um ganho imensurável para o meio ambiente. Com essa primeira etapa do sistema concluída, a Compesa passará a se responsabilizar pela coleta e tratamento do esgoto de 35% da cidade de Bezerros, cidade que integra o polo têxtil de Pernambuco”, destacou a presidente. 

Com as obras de esgotamento sanitário no município, a expectativa é de que quando concluída, os moradores tenham uma qualidade de vida melhor, e que ela contribua de forma direta com a recuperação e despoluição da bacia hidrográfica do Rio Ipojuca. 

O investimento prevê a construção de uma Estação Elevatória de Esgoto, com um sistema de bombeamento, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e a implantação de 45 quilômetros de rede coletora. 

PSA IPOJUCA
A obra faz parte do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do rio Ipojuca (PSA Ipojuca), que prevê obras de implantação de sistemas de esgotamento sanitário em 11 cidades banhadas pelo Rio Ipojuca, com um investimento de R$ 1,2 bilhão, com recursos do governo do Estado e do BID. O PSA já tem obras concluídas em Tacaimbó, e fases de testes em Gravatá. As obras ainda estão em andamento em Caruaru, Belo Jardim e Sanharó. Em breve o PSA também deverá chegar ao município de Escada. O Programa tem previsão de encerrar as obras em 2020. 


Pracinha de Boa Viagem ganha letreiro que permite a colocação de cadeados

Resultado de imagem para Pracinha de Boa Viagem ganha letreiro que permite a colocação de cadeados
Foto: Bruna Costa / Esp. DP FOTO

Um novo integrante surgiu na paisagem recifense na noite desta quarta-feira (21). A Pracinha de Boa Viagem, um dos locais mais turísticos da orla da cidade ganhou, literalmente, um novo xodó. Um letreiro, com a palavra que remete à linguagem popular local, foi instalado permanentemente no equipamento.

A estrutura de 9,7 metros de comprimento por dois metros de altura é a terceira do gênero no Recife. Produzida em chapa de aço galvanizado, traz também uma novidade: um espaço onde visitantes e os moradores da cidade podem eternizar o afeto prendendo cadeados, remetendo a uma tradição que ganhou fama na Pont des Arts, em Paris, na França.

O letreiro tem uma estrutura com pintura automotiva, resistente à chuva e ao sol. A escolha do nome xodó não foi à toa, é uma continuidade à ação da prefeitura de instalar letreiros com referência às palavras utilizadas pelos moradores da cidade.

“O objetivo desse terceiro letreiro foi colocá-lo numa praça requalificada recentemente pela prefeitura e que tem muita visitação turística. Ele vem como complemento aos outros atrativos que existem aqui, como a pracinha”, explicou a secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, Ana Paula Vilaça.

Segundo ela, a ideia de criar espaços para colocação de cadeados foi uma forma de conectar a população com o letreiro. “Estamos criando com os letreiros uma tradição de usar nosso vocabulário. E nesse as pessoas poderão expressar seu amor à família, a alguém e à própria cidade. É uma forma de as pessoas se aproximarem da praça”, disse.

O Recife já possui outros dois letreiros. Um deles, com o nome da cidade, instalado no Marco Zero, no Bairro do Recife. O outro está instalado no 2º Jardim de Boa Viagem, com a palavra “Oxe”. Um quarto letreiro será instalado, em dezembro, na Zona Norte.

O evento de inauguração do novo equipamento ocorreu na noite desta quarta-feira (21), com apresentação de Gerlane Lops, dentro da programação do Recife Mais Cultura. Morando no Recife há três meses, o consultor de informática Edson Garcia, 56 anos, e a dona de casa Luciene Garcia, 55, viram a programação na internet e foram visitar a novidade.

“É uma proposta bacana, pois remete à cidade, dá uma ideia de cuidado, de valorização”, disse Edson. Cariocas morando no Recife há 15 anos, o militar Gilberto Gomes, 56, e a advogada Ana Maria Florido, 58, também visitaram a atração. “Achei ótimo, principalmente para tirar foto. Não sabíamos que tinha o letreiro, fomos pego de surpresa”, disse Ana Maria. 

Diario PE


Grupo alemão compra 60% da Uninefron de Pernambuco

A Fresenius Medical Care, multinacional alemã do setor de saúde, adquiriu o controle, com 60% de participação da clínica pernambucana UNINEFRON, referência no setor de tratamento de diálise. A operação faz parte do fortalecimento da marca alemã no Nordeste e da ampliação dos serviços da UNINEFRON no estado.

Desde 1996, a UNINEFRON oferece um serviço de nefrologia ambulatorial e hospitalar diferenciado, com atendimento a pacientes renais nas áreas pediátrica e adulta. A clínica atende 114 pacientes crônicos e realiza cerca de 15.200 procedimentos em pacientes agudos por ano.

Agora, a Fresenius Medical Care passa a contar com cinco clínicas de excelência no Nordeste (Pernambuco, Bahia e Paraíba), além de uma base de serviços externos em Salvador, que, juntas, realizam mais de 200 mil procedimentos por ano em pacientes renais crônicos e agudos na região.


Sinagoga da Bom Jesus em Nova York

Representando a Federação Israelita, Bóris Berenstein esteve com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, para falar da exposição que acontecerá em junho do próximo ano, na sede da ONU em Nova York, sobre a Sinagoga da Bom Jesus, a primeira das Americas e da epopeia dos 23 judeus que saíram do Recife em 1654, para fundar Nova York.

O presidente prometeu que estará na abertura e que na sua próxima vinda ao Recife fará visita ao templo do Recife.


Um passo para regulamentação do grafite no Recife

A Assessoria Legislativa da Fecomércio-PE atuou no projeto retirando pontos polêmicos para a comércio da cidade

Resultado de imagem para pichação recife

A Câmara Municipal do Recife aprovou, esta semana, o Projeto de Lei Ordinária 222/17, que regula a prática do grafite na cidade. Quem praticar o ato, sem a devida autorização, pode pagar multa de até R$ 6 mil reais e deve arcar com as despesas de restauração do bem.

A expectativa é de que a iniciativa iniba a danificação dos patrimônios públicos e preserve o conforto ambiental e estético no município do Recife. O PLO passará ainda pela apreciação do Poder Executivo Municipal e pode ser vetado nesta fase final.

O projeto, contudo, tramitava com um ponto polêmico para o comércio, pois propunha também regras para os estabelecimentos que comercializam tintas em embalagens do tipo aerossol. “Esses comerciantes deveriam manter registro de todo comprador, controle de estoques e a manutenção dos registros de venda pelo prazo de três anos.

Um controle de alto custo para o comércio e, consequentemente, para o consumidor”, explica o Assessor Legislativo da Fecomércio-PE, César Souza. Com atuação da Federação, o projeto foi aprovado sem esses dispositivos que ditavam mais obrigações para os comerciantes da cidade.

O Brasil já possui legislação específica sobre o ato de desenhar, riscar ou escrever sem a devida autorização. A pena para quem comete essa infração é de 3 meses a 1 ano de detenção e multa. 

Com aprovação da PLO, o Recife agora considera que grafite é a expressão artística em forma de desenho e escrituras com o objetivo de valorizar o bem móvel ou imóvel, com prévia autorização. A infração inicial é de R$ 3 mil reais, mas se o ato for realizado em monumento, bem tombado ou unidades protegidas, a multa será dobrada.


Summerville recebe a turma do Mundo Bita para um final de semana de atividades e show

Fenômeno infantil, o grupo canta temas que estimulam o desenvolvimento das crianças

O Summerville Beach Resort fechou parceria com o famoso grupo Mundo Bita, propondo oferecer uma experiência mágica para a criançada e toda a família. Entre os dias 8 e 10 de novembro, o empreendimento do Pontes Hotéis & Resort, localizado na praia de Muro Alto, em Porto de Galinhas, vai realizar o “Aventuras no Summer Mundo Bita”. O Resort vai ser cenário para um final de semana de atividades e um show especial com o sucesso que faz a cabeça do público infantil. 

Bita e sua turma, Tito, Lila, Dan e Flora passarão todo o final de semana no Summerville participando diariamente de atividades com as crianças. No final da tarde do sábado (09/11) será realizado um show exclusivo do Mundo Bita no Resort, apresentando seus maiores sucessos.

Para aproveitar o “Aventuras no Summer Mundo Bita”, o Resort disponibiliza pacotes que vão contemplar a hospedagem para o final de semana, mais o show do sábado e atividades com a turma do Mundo Bita. A hospedagem é no sistema de pensão completa (café da manhã, almoço e jantar) e dá direito a duas crianças de até 12 anos gratuitamente no mesmo apartamento. As vendas dos pacotes do primeiro lote já estão abertas no valor de R$ 2.400,00 (Categoria Standard). A compra pode ser feita através do site summervilleresort.com.br ou direto na recepção do hotel. A forma de pagamento pode ser parcelada em até 8 vezes de R$ 300,00, sem taxas inclusas nesse valor.

Fenômeno entre o público infantil, o Mundo Bita foi criado pela produtora pernambucana Mr. Plot, em 2011, e hoje, já alcançou a marca de 3,5 bilhões de visualizações em seu canal em português no YouTube. Ao ouvir um trecho de qualquer composição, é quase inevitável completar cantando. Os vídeos, sempre muito coloridos, estimulam o interesse das crianças por temas como o corpo humano, inclusão social, natureza e os animais. As músicas são divertidas e contam com parcerias de vários artistas de peso como: Ivete Sangalo, Lulu Santos, Pitty entre outros.

Serviço – Aventuras no Summer – Mundo Bita

Data: De 8 a 10 de novembro

Local: Summerville Beach Resort

Endereço: PE-09, Acesso Muro Alto S/N, Praia de Muro Alto – Porto de Galinhas

Telefones: (81) 98252-4446 ou (81) 3302-4446

Mais informações: www.summervilleresort.com.br


Mostra de cinema ambiental do Recife – MARÉ movimenta equipamentos ambientais da cidade

Jardim Botânico do Recife, Econúcleo Jaqueira, Escola Municipal José da Costa Porto e Cais do Imperador terão reflexões em torno de questões ambientais e sociais da cidade entre os dias 25 e 31 de agosto. Mostra deverá engajar 3 mil espectadores em sete dias de exibição

Promover a reflexão crítica sobre o meio ambiente e o engajamento socioambiental no Recife através da exibição de filmes é a proposta da 4ª edição da MARÉ – Mostra Ambiental do Recife – que será realizada entre os dias 25 e 31 de agosto com sessões gratuitas no Jardim Botânico, Econúcleo Jaqueira, Escola Municipal José da Costa Porto, Cais do Imperador e Cinema São Luiz. A iniciativa é incentivada pela Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS).

Serão exibidos 30 filmes, entre curtas e longa-metragens, baseados em três eixos temáticos: Ecossistemas & Biodiversidade, Cidades & Conflitos e Povos & Territórios. O produtor cultural Rafael Buda, coordenador da mostra, conta que o projeto integra filmes pernambucanos e nacionais e alerta para um debate sobre as novas tecnologias que podem contribuir para a questão ambiental no município. A websérie Cidade
Plástica, que aborda o consumo consciente do uso plástico, integra a lista de lançamentos nesta edição. Os episódios reúnem depoimentos de pessoas que trabalham para o desenvolvimento sustentável no Recife, como Erica Vidal de Negreiros, analista de desenvolvimento ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade. “Dentro do circuito nacional de festivais ambientais, Recife está no roteiro dos principais com a execução da MARÉ e consolida uma perspectiva de trabalhar a consciência ambiental utilizando os novos meios de comunicação na cidade”, ressalta Rafael Buda, coordenador da mostra.

O Jardim Botânico do Recife sedia a abertura da mostra de cinema ambiental no domingo (25), a partir das 11h, com sessão infantil dos curtas Fazenda Rosa (PE), Plantae (RJ), O Malabarista (GO), Viagem na chuva
(GO) no auditório. Às 14h, os visitantes participam de Sessão Ambiental com temática Povos & Territórios, Maré (BA), Fantasia de índio (PE), A era de Lareokotô (PE).

Na segunda-feira (26), o Cinema São Luiz recebe o lançamento nacional do documentário Chão, dirigido pela carioca Camila Freitas, sobre o cotidiano de um assentamento do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra em Goiás, às 20h. Na terça-feira (27), os estudantes da Escola Municipal José da Costa Porto, localizada na Ilha Joana Bezerra, recebem uma tela inflável para a Sessão Escola, a partir das 15h.

As sessões dos dias 28 e 29 prometem surpreender o espectador. Mais de 100 adesivos de QR Codes serão espalhados em parques, bares e restaurantes, livrarias, universidades, paradas de ônibus, metrôs, academias, livrarias, possibilitando a exibição de curtas de até 5 minutos através de dispositivos mobile, como celular e tablet. Na sexta-feira (30) será a vez do Econúcleo Jaqueira sediar a Sessão Parque, a partir das 19h, com exibição de cinco curtas ambientais, entre eles, Travessia, que retrata a história de Seu Mita e a relação com o rio Capibaribe. O encerramento da MARÉ, no dia 31, vai ocupar o Cais do Imperador, a partir das 18h30, com Sessão Ambiental baseada no tema Ecossistemas & Biodiversidade, seguido por caminhada com a EletroBike, projeto do VJ e DJ Mozart que conta com uma bike adaptada com som e projeção, em direção ao Marco Zero, com projeções de intervenções ambientais e música.

“É importante estimular a consciência ambiental por meio de exibição de filmes para refletirmos sobre temas da realidade brasileira e mundial que atingem o meio em que vivemos. Trabalhar a temática ambiental da forma mais ampla é uma ferramenta fundamental para a mudança comportamental”, destaca o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Neves Filho.

A expectativa desta edição é reunir mais de 3 mil pessoas durante os 7 dias de exibição, sendo cerca de 1 mil pessoas engajadas através dos QR Codes espalhados pela cidade. No Jardim Botânico, os filmes serão exibidos no auditório com capacidade para 50 pessoas, enquanto o Econúcleo Jaqueira dispõe de toda a estrutura sustentável para acomodar cerca de 50 visitantes. Para a Escola Municipal José da Costa Porto, o coordenador da mostra Rafael Buda levará uma tela inflável e, no Cais do Imperador, a sessão será ao ar livre, com capacidade para cerca de 100 pessoas, quando serão disponibilizadas cadeiras e as escadas servirão de arquibancada para quem for curtir os filmes. Para assistir as sessões gratuitas, voltadas para público de todas as idades, basta se dirigir ao local com antecedência (sujeito a lotação).

Sobre a MARÉ – Mostra Ambiental do Recife

A Mostra Ambiental do Recife (MARÉ) é uma ação que combina história, cultura, meio ambiente e cidadania. Sendo um festival de cinema, seu carro chefe é a exibição de filmes que dialogam com a temática ambiental e estimulam a reflexão crítica dos espectadores. O projeto tem os objetivos de articular diferentes linguagens artísticas como o cinema e artes visuais no diálogo com o meio ambiente; sensibilizar a população em geral sobre problemáticas ambientais atuais e a necessidade do engajamento social e o papel da população para superação desses conflitos; estimular jovens estudantes a refletirem e incorporarem seu olhar sobre o meio ambiente na produção audiovisual; realizar como intervenção ambiental sessões de QR Code por toda cidade do Recife, dentre outros. A programação é toda gratuita e voltada para o público de todas as idades, sendo necessário chegar ao local de exibição com antecedência (sujeito a lotação).

Confira a programação completa MARÉ 2019 :

25/08 – Jardim Botânico do Recife

10h – Atividade de Bem-estar: Yoga e Meditação

Instrutora: Ruth Melo

11h – Sessão Infantil (43min)

Fazenda Rosa (PE, 2018, 9’), de Chia Beloto

Sinopse: Sinopse: Erasto Vasconcelos, o poeta da percepção da vida, de como ela é tão bem usada em nosso planeta, faz eco dos bichos do dia e da noite, dos peixes do rio, dos pássaros, dos bichos do mangue, das árvores e suas frutas, do que se planta para comer, das personagens que nos cantam e das cantigas de roda.

Plantae (RJ, 2017, 10’), de Guilherme Gehr

Sinopse: Ao cortar uma grande árvore no interior da floresta amazônica, um madeireiro contempla uma inesperada reação da natureza. Uma reflexão sobre as consequências irreversíveis do desmatamento e da subjugação dos humanos aos demais seres da Terra.

O Malabarista (GO, 2018, 11’), de Iuri Moreno

Sinopse: Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

Viagem na chuva (GO, 2014, 13’), de Wesley Rodrigues

Sinopse: A chuva, assim como o circo, percorre um longo caminho até seu lugar de destino. Quando os dois se vão, ficam as lembranças.

13h – Atividade de Bem-estar: Expressão Corporal

Instrutora: Gervania Fraga

14h – Sessão Ambiental: Povos & Territórios (1h)

Maré (BA, 2018, doc, 22’), de Amaranta César

Sinopse: O movimento da maré: várias gerações de mulheres quilombolas entre o impulso de partir e a vontade de ficar, entre a incerteza do futuro e a força da ancestralidade.

Fantasia de índio (PE, 2017, doc, 18’), de Manuela Andrade

Sinopse: Desde criança, ouvia minha mãe falar da minha ascendência indígena. Há duas décadas atrás meu tio materno foi ao encontro dos xukurus à procura de rastros desse passado, resolvi dar continuidade a essa busca.

A era de Lareokotô (PE, 2019, doc, 20’), de Rita Carelli

Sinopse: Copa do Mundo, roça, ritual. Em meio a um dia intenso – e comum – na aldeia do povo indígena Enawenê-Nawê, no Mato Grosso, Kularenê nos conta como, ao saírem de dentro da mesma pedra, índios e brancos tomaram rumos distintos: os primeiros guiados por Wadari, seu ancestral, e os outros por Lareokotô, avô dos brancos e pai da tecnologia.

26/08 – Cinema São Luiz

18h30 – Lançamento Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5min)

Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

19h – Sessão de Curtas: Lançamentos (35 min)

Seiva (PB, 2019, fic, 7’), de Ramon Batista

Sinopse: entre a contemplação e o alerta para trazer luz a seiva essencial da vida, a água recurso finito e fundamental.

Enraizada (PE, 2019, doc, 8’), de Tiago Delácio

Sinopse: Desde os 14 anos Dona Olívia habita a Mata do Engenho Uchôa, um remanescente de Mata Atlântica de 172 hectares, dentro da cidade do Recife.

A era de Lareokotô (PE, 2019, doc, 20’), de Rita Carelli

Sinopse: Copa do Mundo, roça, ritual. Em meio a um dia intenso – e comum – na aldeia do povo indígena Enawenê-Nawê, no Mato Grosso, Kularenê nos conta como, ao saírem de dentro da mesma pedra, índios e brancos tomaram rumos distintos: os primeiros guiados por Wadari, seu ancestral, e os outros por Lareokotô, avô dos brancos e pai da tecnologia.

20h – Sessão Longa: Lançamento

Chão (RJ, 2019, doc, 110’), de Camila Freitas

Sinopse: Registrado por quatro anos, o documentário acompanha o cotidiano de um assentamento do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra em Goiás. A urgência do tema, com a iminente criminalização do movimento e suas lideranças, contrasta com o tempo distendido do filme, que magnífica os gestos da agricultura familiar em oposição às paisagens monocromáticas do agronegócio. ‘Chão’ elabora uma justa distância daqueles que filma – ao mesmo tempo colado na luta e reconhecendo-se estrangeiro a ela -, na exploração cinematográfica dos potentes modos coletivos de existência e resistência ali implicados.

27/08 – Escola Municipal José da Costa Porto (Escola que recebeu o projeto Cidade Plástica)

15h – Sessão Escola (60 min)

Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5´)

Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

Cor de pele (PE, 2018, doc, 15’30’’), de Lívia Perini

Sinopse: Cor de Pele é um sensível documentário sobre a vida do menino albino Kauan, de 11 anos. Na bela cidade de Olinda, Kauan relata como é o dia a dia de sua átipica família, no qual tem cinco irmãos: dois albinos e três negros. Ele conta como lida com as dificuldades de ter a pele e visão sensíveis, sendo uma criança super ativa numa cidade que o sol brilha todos os dias do ano. Kauan é um menino cativante e engraçado, que luta para se encaixar na cultura local e provar que cor de pele não quer dizer nada. O doc é narrado por ele, e destaca a forma espontânea que ele conta sua vida e histórias.

A menina banda (PE, 2018, fic, 25’), de Breno César

Sinopse: uma menina vira atração na pequena cidade onde mora porque dela se podem ouvir sons.

Uchôa, a Mata Pulsante (PE, 2019, doc, 17’), de Tiago Delácio

Sinopse: O filme revela as características ambientais, econômicas e sociais do Refúgio de Vida Silvestre (RVS) Mata do Uchôa. A partir da mobilização social para preservar essa reserva, o filme acompanha a história de 40 anos de resistência do Movimento em Defesa da Mata Uchôa contra as pressões imobiliárias, as constantes ameaças e as degradações ambientais.

28 e 29/08 – Redes Sociais

Sessão: QR Code: Cidades & Conflitos (11 filmes de até 5m)

1. A cena e a cana (PE, 2014, animação, cor, digital, 2’22’’), resultado da oficina de animação stop-motion da 4ª Mostra Canavial de Cinema, ministrada por Bruno Cabús e Paulo Leonardo

2. Andarilho (doc, PE, 2015, cor, HD, 5’08), de Jacaré Vídeo

3. Bike Gelo Baiano (doc, PE, 2015, cor, HD, 2’18), de Jacaré Vídeo

4. Ciclo Ativo (doc, PE, 2016, cor, HD, 6’), de Jacaré Vídeo

5. Dia de fúria (PE, 2015, documentário, cor, HD, 3’), de Jacaré Vídeo

6. Linear (SP, 2014, animação, cor, digital, 6’), de Amir Admoni

7. No caminho do bem (PE, 2015, documentário, cor, digital, 3’24’’), de Jacaré Vídeo

8. O fim dos carros (doc, PE, 2015, cor, HD, 3’40’’), de Jacaré Vídeo

9. O paradoxo da espera do ônibus (fic, RJ, 2007, cor, digital, 3’), de Christian Caselli

10. Poesia Animada (fic, PE, 2014, cor, HD,3’13’’), resultado da oficina de stop-motion da 1ª Mostra Cinema na Mata, ministrada por Quiá Rodrigues e Gabi Saegesser

11. Vrruummm!! (fic, SP, 2003, cor, 5’), de Paula Dager

30/08 – Econúcleo Jaqueira

17h – Atividade de Bem-estar: Yoga e Meditação

Instrutora: Ruth Melo

18h – Atividade de Bem-estar: Expressão Corporal

Instrutora: Gervania Fraga

19h – Sessão Parque (45min)

Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5’)

Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

Travessia (doc, PE, 2015, cor, HD, 3’15’’), de Jacaré Vídeo

Sinopse: Seu Mita faz diariamente a travessia de barco, do bairro da Torre para a Jaqueira (Recife), e fala sobre a sua relação com o rio e a importância desse serviço, uma tradição familiar quase centenária, hoje cada vez mais rara na cidade

Uchôa,a Mata Pulsante (PE, 2019, doc, 17’), de Tiago Delácio

Sinopse: O filme revela as características ambientais, econômicas e sociais do Refúgio de Vida Silvestre (RVS) Mata do Uchôa. A partir da mobilização social para preservar essa reserva, o filme acompanha a história de 40 anos de resistência do Movimento em Defesa da Mata Uchôa contra as pressões imobiliárias, as constantes ameaças e as degradações ambientais.

Fazenda Rosa (PE, 2018, 9’), de Chia Beloto

Sinopse: Sinopse: Erasto Vasconcelos, o poeta da percepção da vida, de como ela é tão bem usada em nosso planeta, faz eco dos bichos do dia e da noite, dos peixes do rio, dos pássaros, dos bichos do mangue, das árvores e suas frutas, do que se planta para comer, das personagens que nos cantam e das cantigas de roda.

O Malabarista (GO, 2018, 11’), de Iuri Moreno

Sinopse: Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

31/08 – Cais do Imperador

18h30 – Sessão Ambiental: Ecossistemas & Biodiversidade (81min)

Websérie Cidade Plástica (PE, 2019, 5’)

Preocupado com futuro do meio ambiente, Leno resolve criar um canal no YouTube para debater de forma consciente o consumo plástico no nosso cotidiano.

Plantae (RJ, 2017, 10’), de Guilherme Gehr

Sinopse: Ao cortar uma grande árvore no interior da floresta amazônica, um madeireiro contempla uma inesperada reação da natureza. Uma reflexão sobre as consequências irreversíveis do desmatamento e da subjugação dos humanos aos demais seres da Terra.

Maré (BA, 2018, doc, 22’), de Amaranta César

Sinopse: O movimento da maré: várias gerações de mulheres quilombolas entre o impulso de partir e a vontade de ficar, entre a incerteza do futuro e a força da ancestralidade.

Entremáres (PE, 2018, 20’) de Anna Andrade

Sinopse: O documentário Entremarés aborda o cotidiano e o trabalho de mulheres que sobrevivem da atividade de pesca na comunidade da Ilha de Deus, situada no bairro da Imbiribeira, em Recife (PE).

A menina banda (PE, 2018, fic, 25’), de Breno César

Sinopse:uma menina vira atração na pequena cidade onde mora porque dela se podem ouvir sons.

20h – Caminhada com a EletroBike

Projeto do VJ e DJ Mozart que conta com uma bike adaptada com som e projeção. Sairá do Cais do Imperador em direção ao Marco Zero projetando intervenções ambientais com música.


Carnaval Boa Viagem anuncia atrações e inicia venda de ingressos

O Carnaval Boa Viagem confirma que chegará a sua terceira edição em 2020 mantendo a tradição de uma festa multicultural, tomada por vários ritmos, como o frevo, caboclinho, axé, forró e sertanejo. O evento em 2020 contará com mais um dia de festa, acontecendo do sábado de Zé Pereira até a terça-feira de carnaval, nos dias 22 a 25 de fevereiro.

Estão confirmados entre as atrações Alceu Valença, Anitta, Gusttavo Lima, Saulo Fernandes, Xand Avião, Jonas Esticado, Alok, Latino, Banda Eva e as duplas Jorge e Mateus e Matheus e Kauan são alguns dos artistas que vão comandar o agito. Os cantores do quarto dia de curtição serão divulgados em breve.

A festa terá esquema de open bar premium.

Os ingressos são limitados, para evitar a superlotação do espaço, e custam R$380, à venda no Ticket Folia, ShortsCoRecife e no site oficial www.carnavalboaviagem.com.br.


Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho em Pernambuco

Segundo os triunfenses, visitar a cidade e não conhecer o lugar é como ir ao Rio de Janeiro e não passar pelo Cristo Redentor

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
O engenho foi erguido no início do século XX. Foto: Chico Andrade/SeturPE

Cachaça é o nome dado a aguardente no Brasil. A bebida tem um importante valor histórico, cultural e econômico para o país. É com ela que se faz a famosa caipirinha, conhecida e apreciada no mundo inteiro. A história dos brasileiros com essa “pinga” vem desde o período da colonização com as primeiras plantações da cana de açúcar. O ciclo definiu os caminhos da economia no Brasil, especialmente para a região nordeste durante os séculos XVI e XVIII. O Engenho São Pedro, no município de Triunfo, há 423 quilômetros do Recife, é o único da cidade sertaneja pernambucana a permanecer em atividade durante o ano inteiro. O lugar é uma das paradas obrigatórias do município e está localizado na Avenida Manoel Paiva, nº 114. 

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
A equipe de reportagem foi conduzida pelo guia Carlos Lima, de 30 anos.
Foto: Chico Andrade/SeturPE

O local foi erguido no início do século XX, mas entrou em declínio no final do período. Em 2001, houve uma reativação e modernização do espaço, que entrou em atividade máxima e hoje integra um dos principais cartões de visita da cidade. O que permaneceu forte foi a preocupação sustentável com a produção, como explica o guia Carlos Lima, 30. “Nós não utilizamos agrotóxicos no cultivo da cana e nos preocupamos bastante com a sustentabilidade. Tudo aqui é aproveitado, desde o sumo da cana de açúcar até o bagaço. Além da bebida, confeccionamos embalagens e artesanatos, gerando emprego e renda para várias família. Não é permitido desperdício aqui”, explica.

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
Cachaça Triumpho, primeira do segmento a ganhar o selo de certificação do INMETRO.
Foto: Chico Andrade/SeturPE

A Cachaça Triumpho foi a primeira a receber a Certificação de Conformidade do INMETRO. O processo é bem cauteloso como explica o guia Carlos Lima, 30, sendo composto por seis etapas. “Primeiro ocorre o corte da cana de açúcar, depois, é a vez da moagem, em seguida ocorre fermentação e destilação, até chegar ao envelhecimento em barris”, elucida. 

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
O engenho produz aproximadamente 20 mil litros por ano. Foto: Chico Andrade/SeturPE

O engenho produz dois tipos de cachaça: a branca e a envelhecida. Enquanto a primeira é mais suave, a segunda fica mais encorpada e demora mais um pouco a ser produzida. Ela ganha uma coloração dourada devido ao período em que passa no barril. A produção anual é de 15 a 20 mil litros. O guia explica que as sobras são misturadas, re-destiladas e transformadas em álcool 70, utilizado para uso interno. Confira as etapas de produção após o corte da cana de açúcar

1. Moagem Segundo o guia, o bagaço com terra e os insetos são cuidadosamente retirados através de um processo de lavagem, em seguida, dá-se início ao processo de moagem. Essa etapa acontece geralmente no mesmo dia do corte, pois, possibilita que a bebida tenha mais qualidade. Por fim, o líquido é filtrado e encaminhado para a fermentação.

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
O segundo passo para a produção da cachaça é a moenda. Foto: Chico Andrade/SeturPE

2. Fermentação A fermentação dura entre 24 e 36 horas após a filtração. O tempo varia conforme o teor de açúcar – popularmente conhecido como brites – e da temperatura. Evita-se moer no período de frio, visto que para a fermentação é importante que haja uma temperatura alta. 3. Destilação  Na destilação, temos o alambique, panela de cobre e coluna de inox. É feito devagar a destilação. Em baixa temperatura, é retirado a cabeça (parte forte da cachaça, equivalente aos primeiros 10%) e a calda (fraca, 10% a 15%). De 100% são aproveitados 80% para a produção da cachaça. 

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
Destilação da cachaça. Foto: Chico Andrade/SeturPE

4. Maturação A maturação ocorre em barris e dura de quatro a seis meses. É aí onde tem-se o primeiro tipo de bebida, considerada suave. 
5. Envelhecimento No envelhecimento se produz a dourada. Ela fica estocada em barris de carvalho e dura aproximadamente dois anos para ficar com o sabor e tonalidade desejados. 

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
Envelhecimento da bebida. Foto: Chico Andrade/SeturPE

O Engenho São Pedro é um dos destinos mais procurados pelos visitantes e gera emprego e renda. Ele tem sete funcionários, mas chega a envolver mais de 50 pessoas direta e indiretamente na produção. Os triunfenses contam que visitar a cidade e não conhecer o lugar é como ir ao Rio de Janeiro e não passar pelo Cristo Redentor. O acesso é fácil e fica próximo à cidade. 

Resultado de imagem para Engenho São Pedro: o palácio da Cachaça Triumpho
engenho produz também um sorvete de cana de açúcar. Foto: Chico Andrade/SeturPE

O lugar funciona de domingo a domingo, das 8h30 as 16h30. A visita guiada encerra com uma bela degustação. Quem quiser, pode comprar também alguns produtos na loja.  Mais informações podem ser obtidas através dos números 81 9 9638-1338 / 87 3846-1229 / 87 3846-1103. 


Castelo Armorial: o paço da cultura sertaneja pernambucana

Castelo Armorial: o paço da cultura sertaneja pernambucanaO palácio está localizado na cidade de São José do Belmonte, a 474 km do Recife

Resultado de imagem para Castelo Armorial: o paço da cultura sertaneja pernambucana
O castelo é orgulho para todos os belmontenses. Foto: Chico Andrade/SeturPE

Você sabia que no sertão de pernambuco existe um castelo armorial? Pois é, poucas pessoas sabem disso, mas se vivêssemos hoje em uma Monarquia, com certeza o reinado seria no município de São José do Belmonte, a 474 km do Recife. A cidade é palco de um palácio que tem mais de 15 metros de altura. Ele enaltece a cultura popular sertaneja e enfatiza o Movimento Armorial, que teve como precursor o dramaturgo, romancista, ensaísta, poeta e professor Ariano Suassuna (1927-2014). 

Resultado de imagem para Castelo Armorial: o paço da cultura sertaneja pernambucana
O palácio foi inspirado na obra do escritor Ariano Suassuna. Foto: Chico Andrade/SeturPE

A elaboração do projeto teve início no ano de 2002. Já o prédio começou foi construído entre os anos de 2007 e 2017 pelo empresário Clécio Novaes, amigo por mais de duas décadas de Ariano. “Em uma de nossas conversas, Ariano me disse que já tinha visto tudo sobre o movimento armorial, menos uma arquitetura. Foi a partir daí que surgiu a ideia de criar o projeto do castelo. Quando eu disse a ele que iria construir ele não acreditou”, relata o comerciante. 

Resultado de imagem para Castelo Armorial: o paço da cultura sertaneja pernambucana
Símbolos do movimento armorial estão presentes em todos os espaços do castelo.
Foto: Chico Andrade/SeturPE

Quem entra fica impressionado com tamanha delicadeza e riqueza de detalhes. Cada centímetro do lugar tem uma história para contar. Tudo foi milimetricamente pensado e fundamentado na literatura. Assim como o movimento, a união entre o medieval, barroco, a cultura popular e o erudito são fortes em cada canto do castelo. O palacete tem várias peças feitas regionais feitas em barro. Elas foram confeccionadas pelos artesãos de Tracunhaém. “Tivemos um trabalho imenso para deslocar cada obra de arte. Elas evidenciam os personagens que ilustraram a obra ‘A Pedra do Reino e o príncipe do Vai e volta’, de Ariano”, relata. .  

Resultado de imagem para Castelo Armorial: o paço da cultura sertaneja pernambucana
A parte de trás do castelo homenageia a cavalhada, bastante importante na cidade.
Foto: Chico Andrade/SeturPE

No térreo existe uma exposição com iluminogravuras de Ariano Suassuna. No segundo piso, há um acervo de xilogravuras de J. Borges. No terceiro piso, existem fotos contando a história de São José do Belmonte e no último andar existe uma cidade cenográfica doada pela Rede Globo Nordeste que retrata o Sertão no período do coronelismo no Brasil  (1889-1930). No alto do castelo existem quatro torres. As duas frontais, remetem ao castelo do personagem Dom Sebastião. Entre ele há uma ave chamada “quaderna”. Já as da parte de trás simbolizam a cavalhada, com as cores azul e vermelho. 

Resultado de imagem para Castelo Armorial: o paço da cultura sertaneja pernambucana
O espaço guarda a primeira escultura feita do Padre Cícero, bastante venerado pelos sertanejos nordestinos. Foto: Chico Andrade/SeturPE

Uma grande curiosidade é que o castelo guarda a primeira escultura talhada de Padre Cícero (1844 – 1934). O sacerdote católico brasileiro é bastante venerado pelos sertanejos nordestinos, que o chamam carinhosamente de “Padim Cíço”. Ele realizou diversas ações no Nordeste e por isso teve um imenso respeito da população menos favorecida. 
O lugar oferece não somente uma leitura acerca da obra de Ariano Suassuna, mas também sobre a síntese dos costumes do povo sertanejo nordestino. Ele evidencia o artesanato, as indumentárias, a musicalidade, a literatura e a força de um povo que não teme o sol escaldante, nem tampouco a seca. O espaço geralmente recebe visitas agendadas pelo telefone. Mais informações podem ser obtidas através do número (87) 3884-1028. 


Olinda terá seu primeiro ParCão

Espaço é fruto de uma parceria público-privada entre a prefeitura e uma clínica veterinária da cidade

Espaço será liberado para a população em setembro

A cidade de Olinda, na Região Metropolitana do Recife, ganhará seu primeiro ParCão, parque de lazer para animais. O espaço, que funcionará na praça Vitoriano Regueira, no Bairro Novo, é fruto de uma parceria público-privada entre a prefeitura da cidade e uma clínica veterinária instalada no município. 

As obras terão início na próxima segunda-feira (26) e a previsão é que o espaço seja liberado para a população em 14 de setembro. O parque terá área de lazer e descanso, playground e ambiente para eventos e atividades educativos. Segundo a prefeitura, a área total do ParCão é de 1.158,85 m², dividida em espaço com tutores, para cães de grande porte e cães de pequeno porte. 

O lançamento oficial do ParCão será feito em 9 de setembro, no auditório da Prefeitura de Olinda. Na programação, avaliações veterinárias, desfile de pets e outras atividades.


Ministro da defesa visita o Porto Digital no Recife

Fernando Azevedo e Silva quer conhecer as instalações do parque

nando Azevedo e Silva, ministro da defesa – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da justiça, general do Exército Fernando Azevedo e Silva, visita, nesta quinta-feira (21), o Porto Digital. Acompanhado do presidente do parque tecnológico, Pierre Lucena, o ministro quer conhecer as instalações de ponta disponíveis no local. Além disso, Fernando Azevedo pretende ver as ações de fomento ao empreendedorismo, desenvolvimento e empresas de alto potencial na construção de soluções inovadoras para diversas áreas.

A agenda do ministro será das 12h às 14h30, no Apolo 235. Fernando Azevedo estará acompanhado do secretário Nacional de Segurança Pública, general Theophilo. Ele terá uma agenda já a partir das 9h. O secretário irá conhecer o Open Innovation Lab (OIL), um programa do Porto Digital que identifica necessidades de soluções tecnológicas em grandes empresas e conecta com as capacidades de resolução de problemas do ecossistema de inovação expandido do parque tecnológico.

General Theophilo – Foto: Eraldo Lopes

Para o presidente do Porto Digital, já é comum do parque receber autoridades para que juntos possam construir soluções inovadoras. “O Porto Digital tem recebido, historicamente, uma série de autoridades que não só nos ajudam a construir um parque ainda maior e melhor, como também nos procuram para encontrar soluções inovadoras para desafios reais dos governos e da sociedade”, afirmou Pierre Lucena.