CoffeeTown: pedacinho de Nova York no Shopping Recife

Por Suzana Souza

Desde que descobri que o Recife é um lugar cheio de cafés bonitinhos, não paro de gastar todo o meu dinheiro por aí com expresso e pão de queijo.

Como não sou muito fã de cafés de rede – acho que muito da magia do local se perde quando não há um cuidado especial -, vivo procurando lugares em que o dono está presente e onde os atendentes se mostram verdadeiramente preocupados.

No Shopping Recife, me senti órfã depois que o California Coffee fechou as portas, há mais ou menos 3 anos. O CoffeeTown meio que mudou minha percepção em relação a isso.

Foto: Suzana Souza/PorAqui

Quando cheguei ao espaço, bem com cara de café de filme de Nova York, imaginei logo que fosse criação de alguém daqui. A decoração é bem bonitinha, com uma geladeira laranja retrô no fundo da loja.

Caixinhas de chá, cervejas artesanais e até suculentas (a plantinha da moda) estão presentes na decoração do lugar. Foi aí que veio a surpresa: o lugar é franquia. O CoffeeTown está em mais três estados e conta com nove lojas espalhadas pelo Brasil. O criador do conceito e da marca conta no site do café que a inspiração é de fato americana, vinda dos cafés de Chicago e Nova York.

Foto: Suzana Souza/PorAqui

Experiência

O atendimento foi ótimo da segunda vez que vim: às 10h de uma terça-feira. Quando tentei conhecer pela primeira vez, em um fim de tarde, e sentei na área que fica fora do café, nem fui atendida… Fiquei por lá mais de 20 minutos conversando, e nada. Fui embora, mas decidi dar uma segunda chance ao lugar.

Minha pedida do dia foi o combo de 10 pães de queijo + iced tea (também podia ser um espresso simples), por R$ 12. Depois, pra não falar que não tomei o café do lugar, pedi um espresso e estava gostosinho também, nada de sensacional, mas um café gostoso.

Foto: Suzana Souza/PorAqui

Em relação à comida, os preços são ok. No cardápio de doces, tem bolo de cenoura com ganhache (R$ 10), apple pie (R$ 15) e waffle tradicional (R$ 11). Já no cardápio de salgados, há opções como croissant (R$ 10), grilled cheese (R$ 10) e porção de pão de queijo (R$ 9).

Uma coisa que eu acho imprescindível num café são tomadas e wi-fi. Nesse quesito, o CoffeeTown ganhou nota 10: o wi-fi é ótimo (consegui usar pra trabalhar direitinho e fazer downloads) e tem tomada em todas as mesas.

💰 Conta: R$ 19,25
👤 Pessoas: 1
👍🏽 O que eu mais gostei: a decoração
👎🏽 O que eu menos gostei: como todo lugar que abre as portas no Recife, o CoffeeTown fica LOTADO após o almoço e no fim da tarde.
⭐ Recomendo: 🌟🌟🌟🌟🌟

📌 CoffeeTown
📍 Shopping Recife – Rua Padre Carapuceiro, Boa Viagem, Recife – PE
⏰ Segunda a sábado, das 9h às 22h | Domingo das 12h às 21h

Por Suzana Souza do Café na Cidade
PorAqui


Embraer KC-390 chega aos EUA para uma série de testes em voo

O novo jato de transporte militar e reabastecimento Embraer KC-390 iniciará uma série de testes em voo nos Estados Unidos como parte de sua campanha de ensaios para certificação. A aeronave deixou o Brasil no último sábado e nesta segunda-feira (20) chegou às instalações da Embraer em Jacksonville, Flórida.

Durante as próximas duas a três semanas, a aeronave realizará testes nos sistemas de aviônicos, de medição de ruído externo e operações com vento cruzado.

“O KC-390 estabelece novos padrões no mercado e a campanha de testes em voo está progredindo extremamente bem, comprovando o desempenho e as capacidades da aeronave”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defense & Security. “Estamos muito satisfeitos com a maturidade que este produto já alcançou e totalmente confiantes de que sua certificação será alcançada conforme previsto”.

O KC-390 é capaz de executar diversas missões, como transporte de carga, lançamento de tropas ou de paraquedistas, reabastecimento aéreo, busca e salvamento, evacuação aeromédica e combate a incêndios, além de apoio a missões humanitárias. A aeronave pode transportar até 26 toneladas de carga a uma velocidade máxima de 470 nós (870 km/h), além de operar em ambientes hostis, inclusive a partir de pistas não preparadas ou danificadas.

Desde o início da campanha de testes em voo, em outubro de 2015, os dois protótipos do KC-390 demonstraram altas taxas de disponibilidade, acumulando mais de 1.450 horas de voo. A Capacidade Operacional Inicial (IOC) deve ser atingida até o final deste ano e a primeira entrega está programada para acontecer em 2018.

Assessoria de Imprensa


Cooperação entre portos de Suape e Koper está mais perto de ser assinada

Delegações diplomáticas do Brasil e da Eslovênia trataram do estreitamento das relações entre os portos de Koper e Suape na II Reunião da Comissão Mista de Cooperação Econômica. O encontro, aconteceu em Liubliana, capital do país europeu, na ocasião da celebração do 25º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre os países.

De acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores, as delegações de ambos os países trataram de temas referentes ao comércio e investimento e também sobre cooperação em ciência e tecnologia. Os embaixadores Santiago Mourão e Alenka Suhadolnik (foto abaixo) assinaram uma declaração conjunto que aponta as perspectivas de incremento na área econômica e comercial entre Brasil e Eslovênia.

Essa aproximação dos portos do Estado e da Eslovênia é fruto de um trabalho de fomento do cônsul da Eslovênia em Pernambuco, Rainier Michael. A atuação do consulado tem como objetivo tornar Suape um hub da Europa para a região e ao mesmo tempo deixar a porta aberta do porto esloveno para os players locais alcançarem os mercados da Europa Central.

“A Europa Central é uma nova fronteira comercial importante para Pernambuco. Um memorando de entendimento, ou de cooperação, está em discussão entre ambos os portos. É um documento de aproximação para troca de informações e tecnologias, que reforça essa conversa que está existindo estamos com a expectativa de ser assinada em breve, ainda este ano”, afirma Rainier.

Revista algomais


Grupo JCPM investe R$ 10 milhões no Agreste de Pernambuco

O presidente do Grupo, João Carlos Paes Mendonça, está em Caruaru nesta terça-feira (21)

João Carlos Paes Mendonça destaca que a intenção do investimento é chamar a atenção para a região
Foto: Luiza Freitas/ JC

Com informações da repórter Luiza Freitas

A capital do Agreste pernambucano, Caruaru, irá receber até o segundo semestre de 2018 uma nova sede do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC). O investimento de R$ 10 milhões contempla ainda a implantação do sinal digital da TV Jornal Interior e a migração da frequência AM para a FM de todas as rádios do sistema no interior.

O presidente do Grupo, João Carlos Paes Mendonça, está em Caruaru nesta terça-feira (21) para anunciar oficialmente o investimento. “Estamos aqui para integrar ainda mais o Sistema com o Agreste, uma região que cresce mais que todo o Estado e precisa de mais estrutura”, afirmou o empresário.

João Carlos Paes Mendonça destaca que a intenção do investimento é chamar a atenção para a região, atraindo novos investimentos privados e chamando a atenção para a necessidade do desenvolvimento de infraestrutura, desde acesso até abastecimento.

A nova sede será erguida na Avenida José Marquês Fontes, no bairro de Indianápolis, em uma área de 1.100 metros quadrados. A obra será realizada dentro dos padrões de construção dos shoppings RioMar, marca do Grupo, com estrutura pré-moldada, que evita desperdício e é ecologicamente correta.

No início da manhã, ele esteve em uma audiência com a prefeita da cidade, Raquel Lyra, que destacou a importância do empreendimento para a cidade. “Essa obra vai se tornar um símbolo para a cidade. Além do investimento financeiro, ela será importante também urbanisticamente para valorizar a região onde será construída”, comentou.

Nova sede

A nova sede deve ficar pronta até o segundo semestre do próximo ano. Já a transferência da frequência AM para FM será feita até 2019.

O SJCC Interior alcança mais de quatro milhões de pessoas através da TV Jornal Interior e das Rádio Jornal Caruaru, Limoeiro, Pesqueira, Garanhuns e Petrolina.

JC Economia


Kennel Club de Pernambuco comemora 70 anos com programação gratuita

Crédito: Divulgação/tudodecao.com.br

O Kennel Club de Pernambuco comemora, neste fim de semana, seus 70 anos. A agenda de aniversário contará com competições panamericanas e internacionais, incluindo as raças Dogue Alemão e Rottweiler. Haverá ainda duas etapas do Campeonato Brasileiro de Agility, modalidade onde o cão e o parceiros percorrem circuitos com obstáculos, às 8h, no sábado.

Na programação, ainda estão homenagens aos projetos de inclusão social para cegos e crianças autistas. Será inaugurada a primeira Clínica de Cinoterapia, com atendimento gratuito para crianças com aspectro autista. Toda a programação é gratuita e aberta ao público.


Marca de luxo de enxovais e produtos para casa chega ao Recife

Marca Trousseau inaugura loja no Recife – Crédito: Reprodução/Instagram

O Recife irá ganhar, no dia 27 de novembro, uma loja da Trousseau. A marca é referência em enxovais e itens para casa, fundada há mais de 25 anos pelo casal Adriana e Romeu Trussardi Neto.

A loja Exclusivité Trousseau, comandada pelas empresárias Cássia Diniz e Ceça Albuquerque, vai ocupar um casarão na Avenida Conselheiro Aguiar, 2240. O projeto é assinado por Zezinho e Turíbio Santos.

A loja será inaugurada com a nova coleção verão 2018, inspirado no tema Celebrate. Entre os itens mais cobiçados da marca, estão os odorizadores de ambientes, sabonetes, hidratantes e velas com essenciais exclusivas.


Caruaru vai ganhar site com atrativos turísticos da cidade

Nesta quarta-feira, a cidade de Caruaru vai ganhar um site voltado exclusivamente para o turismo da cidade.

Trata-se do Visite Caruaru, que vai contar com um tour virtual, possibilitando o internauta a ver a cidade por vários ângulos.

O portal será disponibilizado em português e, posteriormente, em inglês e espanhol, com fotos e informações dos principais pontos turísticos.

Feira de artesanato de Caruaru – Crédito: Arnaldo Félix

O calendário anual de eventos e a programação cultural da cidade – atualizada semanalmente – também serão disponibilizados.

A iniciativa está sendo lançada a partir das 11h, pela prefeita Raquel Lyra e pelo presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Lúcio Omena, no Museu do Barro.

“Há cerca de oito meses, foi iniciado o inventário dos principais equipamentos turísticos da cidade para oferecermos aos visitantes as melhores informações e de forma mais completa”, explica Lúcio.


Novo restaurante com conceito de wine bar aporta no Recife

Crédito: Divulgação/Bottega Bastardi

O empresário Manuel Fernandes vai inaugurar o Bottega Bastardi, no local onde funcionou o Nakumbuka, na Conselheiro Aguiar, inspirado no conceito de wine bar.

A proposta é que o chef brinque com as nacionalidades do mundo todo em seus pratos. O grande diferencial da casa será o wine bar do estabelecimento: muitos vinhos italianos, chilenos e argentinos.

Imagem ilustrativa – Crédito: Reprodução / Pixabay

O valor das taças vai variar entre R$ 9,90 e R$ 90, enquanto as garrafas custarão a partir de R$ 55. Ainda haverá sommelières para auxiliar os clientes na escolha dos pratos, visando a harmonização com os vinhos selecionados.

O funcionamento do local será de terça a quinta-feira, das 17h à 0h30, e de sexta a domingo, das 12h, com almoço, até 1h.

A inauguração deve acontecer em dezembro.


Porto Digital no Recife quer dobrar de tamanho e ocupar mais 60 prédios

Parque tecnológico pretende atingir meta nos próximos dez anos

Por: Marina Barbosa

Instalações do Porto Digital, no Bairro do Recife
Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Ao reunir mais de 300 empresas e 8,5 mil profissionais em volta de projetos inovadores, o Porto Digital logo se transformou em referência de tecnologia e economia criativa no País. Mas nem por isso quer deixar de crescer. Ao contrário. Como a inovação requer cada vez mais espaço no mercado, o parque tecnológico quer dobrar de tamanho nos próximos dez anos. E, para isso, pretende restaurar e ocupar mais 60 edifícios do Bairro do Recife para ampliar as atividades de aceleração, incubação e desenvolvimento de empresas.

“Crescer é um imperativo do mercado e do nosso setor. O Porto sente necessidade de crescer e poder contribuir mais com o desenvolvimento do Recife e de Pernambuco”, disse o presidente do Porto Digital, Francisco Saboya, revelando que esse projeto de expansão já está em andamento. “É um projeto de requalificação imobiliária que contempla cerca de 60 imóveis do Bairro do Recife e está em fase de estudos. Esses imóveis já foram identificados através de um grupo de trabalho composto pela Prefeitura e por um grupo de urbanistas coordenados pelo Porto Digital. Estamos avançando”, detalhou, frisando que agora esses imóveis estão sendo analisados para poderem ser confirmados no plano de ampliação do polo de tecnologia.

De toda forma, a ideia é que esses novos prédios ampliem em cerca de 80 mil metros quadrados a área imobiliária do Porto Digital – quase a mesma área construída ao longo dos 17 anos de existência do parque. “Hoje temos 300 empresas ocupando cerca de 84 mil metros quadrados e esses novos imóveis podem dobrar a nossa capacidade de oferta imobiliária”, disse Saboya, lembrando que esses espaços vão “abrigar empresas, startups, espaços de coworking, aceleradoras, incubadoras, laboratórios e instituições de apoio ao desenvolvimento de tecnologia e empreendedorismo”.

Investimento

O Porto Digital ainda não se sabe qual será o investimento necessários para a ampliação. Afinal, só essa etapa de estudo deve durar dois anos e o restauro dos imóveis, mais oito anos. Mas o polo já sabe que, para crescer, vai precisar de apoio financeiro. Afinal, só a restauração do Apolo 235, prédio mais novo do parque, inaugurado no início do ano, custou R$ 9 milhões – a verba veio do Governo do Estado, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Mas o BNDES já garantiu que também vai participar dessa próxima rodada de requalificações imobiliárias.

Em visita ao Porto Digital, o presidente do BNDES, Paulo Rabelo Castro, prometeu apoio para que esse “projeto de requalificação imobiliária evoluísse sem sobressaltos”. Além disso, graças a um convênio firmado em 2015, o parque também está para receber R$ 1,4 milhão do Recife e mais R$ 1,4 milhão do Estado. A prefeitura, inclusive, já sancionou o projeto de lei necessário para a liberação da verba.

Folha PE


Quem quer pão? — As padarias artesanais do Recife

Empresários e consumidores contam suas experiências com a nova onda gastronômica da capital pernambucana

Foto: Victor Muzzi. Legenda: Oferta de pães feitos com ingredientes especiais e maior cuidado no preparo agrada recifenses.

No Recife, nem todo mundo aderiu à campanha antiglúten, e tem gente que gosta mesmo é de sair de casa, dar um passeio e investir em um café da manhã diferente, nada básico. Aos poucos, as padarias artesanais vêm surgindo pela cidade e ganhando adeptos que buscam uma só coisa: experiência gastronômica inusitada. Aceite o convite do #hellocidades, projeto da Motorola que deseja reconectar você ao Recife e a outras cidades brasileiras, e conheça agora dois estabelecimentos que vêm mudando os hábitos de todo recifense que é fã de um pãozinho quente.

Pioneira no ramo, a Galo Padeiro (Rua Capitão Lima, 82), no bairro de Santo Amaro, Centro do Recife, já é uma história de sucesso. Na ativa desde fevereiro de 2016, a padaria artesanal tem clientes fiéis que lotam o lugar, sobretudo aos fins de semana, quando a concorrência por um café da manhã no local é grande.

“Nós apostamos na tendência de reocupação do centro da cidade e acreditamos no potencial do bairro de Santo Amaro. Escolhemos montar uma padaria lá pela deficiência na oferta de serviços desse tipo, e optar pelos pães artesanais foi uma escolha natural depois de mergulharmos no mundo da panificação e entendermos que esse seria o meio para produzir bons pães”, explica a empresária Luciana Lima.

Foto: Giselli Carvalho. Legenda: Pães e doces enfeitam as vitrines da Galo Padeiro, no Santo Amaro.

Com uma vitrine de encher os olhos e dar água na boca, a loja trabalha com um cardápio amplo, com cerca de 30 pães diversos, feitos com dez tipos de farinha diferentes. “Investimos em várias combinações possíveis que resultam em excelentes pães, todos produzidos através da fermentação natural”, diz Luciana. Segundo ela, a inspiração veio do consultor espanhol Javier Vara, que trabalha pelo resgate da profissão de padeiro, pela valorização da matéria primas e em defesa do processo artesanal. Assim como Javier Vara, a Galo Padeiro é adepta da filosofia do #pãohonesto.

O movimento tem dado certo. A analista de economia criativa e barista Clara Vasconcelos, que adora curtir uma nova experiência gastronômica, é uma das pessoas que disputam mesas no local para aproveitar o café da manhã. Entre os atrativos do lugar, ela destaca a qualidade dos produtos e o modo de preparo. Além disso, ela também gosta do ambiente e da apresentação dos pratos nas vitrines e nas mesas.

Perguntada sobre seu item favorito, Clara não titubeia. “O croissant coberto com lâminas de amêndoas. Ele traz a crocância do croissant, a leveza do creme e as amêndoas que equilibram o doce. Ele é perfeito!”, diz.

Já o arquiteto Rodrigo Cantarelli prefere fugir dos horários mais cheios para aproveitar com mais calma a padaria artesanal. “Lá, há uma variedade de pães e outros produtos de padaria que você não encontra [em outros estabelecimentos] na cidade com a mesma qualidade. Acredito que isso se dê por conta das matérias primas que eles utilizam. Sempre que vou, volto para casa com o croissant e o pão integral com passas”, diz.

Foto: Victor Muzzi. Legenda: Vila Amizade, no bairro das Graças, capricha na preparação de seus produtos.

Mais nova no ramo, inaugurada em junho de 2017, a Vila Amizade (Rua da Amizade, 54), padaria artesanal no bairro das Graças, também investiu no resgate da panificação artesanal como negócio. “A ideia começou a surgir quando herdamos um casarão antigo, localizado na Rua da Amizade, que está na família há pelo menos 70 anos. Escolhemos instalar uma panificadora artesanal no prédio e pesquisamos tendências, novidades do setor, viajamos para entender melhor em quê estávamos apostando. Foi muita pesquisa e leitura até a inauguração da padaria, o processo durou cerca de um ano”, explica o empresário Frederico Luna, que divide a sociedade da Vila Amizade com o irmão, o pai e um primo.

Os pães da Vila Amizade também foram assinados por Javier Vara. Além de elaborar a cesta de pães, o consultor espanhol orientou e treinou toda a equipe responsável pelos itens de padaria do local. “Por sugestão do próprio Javier e também por estarmos de olho nas tendências da gastronomia, optamos pela produção à vista. Na Vila Amizade o cliente vê a produção sendo executada em todos os seus passos. A ideia é passar maior transparência sobre o processo de fabricação e também valorizar o produto artesanal que vendemos, mostrando quem produz e como produz”, diz Frederico Luna.

Foto: Victor Muzzi. Legenda: Consultoria do espanhol Javier Vara (de barba, no centro) também orientou a equipe da Vila Amizade.

Atualmente, o cardápio da Vila Amizade conta com cerca de 20 tipos diferentes de pães, dos mais simples aos mais requintados. Lá, a preferência do público é pelo pão brasileiro – apelido do conhecido pão francês –, que vai em grande quantidade para a casa da clientela e leva a panificação artesanal para o café da manhã caseiro de quem não abre mão de um bom produto.

Se você faz parte desse grupo que exige qualidade e não perde oportunidade de aproveitar o que há de melhor no Recife, experimente os pães artesanais da cidade. Não se esqueça de tirar uma foto antes de comer e postar nas redes sociais com a hashtag #hellocidades. Reconecte-se com o Recife através do hellomoto.com.br.

hellorecife


Noite Jong no Ponte Nova teve menu especial

O jantar marcou o open das ações da marca de queijo na Cidade

Joca Pontes e Bruno Macario

Joca Pontes e Bruno MacarioFoto: Charles Johnson/Divulgação

O restaurante Ponte Nova, do chef Joca Pontes, recebeu um evento especial da Jong, marca de queijo do reino queridinha no Estado. O jantar para convidados aconteceu nesta segunda (20) e foi muito prestigiado. Na ocasião, foram apresentados quatro menus que levam o queijo em seus ingredientes. Além do Ponte Nova, o circuito gastronômico Jong estará disponível a partir desta terça (21) nos restaurantes Villa, Bercy Village e Sansa.

Ente as receitas servidas na noite, arancini crocantes de pescada com queijo do reino sobre compota de jerimum, vinagrete de cenoura e mel de engenho; espaguete à “carbonara” de queijo do reino, tirinhas de bacon Yaguara, brócolis e couve queimada. Na parte doce, teve ainda calda com queijo do reino, açúcar de canela e sorvete de creme. Em tempo, na próxima sexta-feira (24), o Shopping Recife ganhará uma árvore natalina de sete metros composta por mais de 600 latas, embalagem icônica do produto.

Lala K, Andrea Tom e Allana MarquesLala K, Andrea Tom e Allana Marques – Crédito: Charles Johnson/Divulgação

Marcelo Wanderley Filho e Carolina LarocheMarcelo Wanderley Filho e Carolina Laroche – Crédito: Charles Johnson/Divulgação

Muita gente conhecida prestigiou a noiteMuita gente conhecida prestigiou a noite – Crédito: Charles Johnson/Divulgação

Simon Carrazone e Luiz Filipe Figueiredo recebendo os mimos para os convidadosSimon Carrazone e Luiz Filipe Figueiredo recebendo os mimos para os convidados – Crédito: Charles Johnson/Divulgação


César Santos comandou jantar de 25 anos do Oficina do Sabor em Olinda

O jantar, que foi muitíssimo prestigiado, reuniu muitos nomes no badalado restaurante em Olinda

Os chefs responsáveis pelo jantar, Dani Martins, Alexandre Bispo, Danio Braga, Robson Lustosa e César Santos
Os chefs responsáveis pelo jantar, Dani Martins, Alexandre Bispo, Danio Braga, Robson Lustosa e César Santos – Foto: DivulgaçãoO chef César Santos celebrou os 25 anos do seu Oficina do Sabor, em Olinda, segunda-feira (20). Detalhe para o décor do espaço, assinado por Robson Chagas, que apostou em um iluminação intimista e arranjos de flores tropicais. Já o cardápio, feito a oito mãos, teve sotaques diversos, como o italiano Danilo Braga, a paraense Daniela Martins e os pernambucanos Robson Lustosa e Alexandre Bispo. Confira alguns pratos do menu:

Entradinha assinada por Robson LustosaEntradinha assinada por Robson Lustosa – Crédito: Divulgação

Mais uma entrada peo Chef César Santos, um camarão ao creme de mangaMais uma entrada peo Chef César Santos, um camarão ao creme de manga – Crédito: Divulgação

Pescada com pirão de camarão e arroz de aviú por Dani MartinsPescada com pirão de camarão e arroz de aviú por Dani Martins – Crédito: Divulgação

Stracotto com polenta por Danilo BragaStracotto com polenta por Danilo Braga – Crédito: Divulgação

A sobremesa de Alexandre Bispo levou moussue de chocolate com creme de manga, farofa de castanha de caju e coulir de pitangaA sobremesa de Alexandre Bispo levou moussue de chocolate com creme de manga, farofa de castanha de caju e coulir de pitanga – Crédito: Divulgação


Prestigiada inauguração do Camarada Camarão no RioMar Recife

Casa abre terceira unidade no Recife

Sylvio Drummond e François Schmitt
Foto: Gleyson Ramos/Divulgação

Recife ganhou mais uma unidade do Camarada Camarão. Dessa vez, a rede pernambucana chega no RioMar.

Entre os diferenciais da casa, a cozinha conta com tecnologia KDS – Kitchen Display System onde, através de monitores, é possível controlar desde o pedido até o prato na mesa do cliente.

O projeto arquitetônico é do badalado escritório carioca Santa Irreverência, comandado por Ricardo Campos. O restaurante já abre com novidades como a linha Fit, o menu vegetariano e as novas opções do menu Due.

Bolinhos de bacalhau, a empada de camarão e o filé com fritas estão entre as delícias do cardápio.


Vacas da Cow Parade do Recife serão leiloadas; confira o lance mínimo!

Já é possível dar lances no site oficial do evento, e o evento para arrematar as esculturas rola em dezembro

Todas as esculturas da Cow Parade Recife estarão à venda em leilão, e o lance mínimo é de R$6 mil
Foto: Divulgação

As vaquinhas da CowParade Recife serão vendidas em leilão que rola dia 11 de dezembro, às 20h, na Blue Angel.

O evento será transmitido ao vivo, através do site www.cowparade.com.br, onde também já é possível dar lance nas obras.

O valor mínimo? R$ 6 mil.


[Vídeo] Lixo jogado pelas janelas de prédio na Boa Vista

Sujeira se acumula em tela de proteção e, só por isso, não atinge quem passa pela calçada

Lixo jogado pelas janelas de apartamentos

Lixo jogado pelas janelas de apartamentos
Foto: Genival Paparazzi/Cortesia

No lugar conhecido como Beco da Fome, no bairro da Boa Vista, no Recife, moradores de um edifício jogam lixo pelas janelas. Se não fosse uma tela de proteção, tudo chegaria ao chão, podendo, inclusive, atingir quem passasse pela calçada.

O caso foi enviado pelo fotógrafo Genival Paparazzi ao Flagrante Cotidiano, quadro da Folha de Pernambuco que recebe denúncias de problemas urbanos. Ele diz que a situação é antiga e que ninguém toma providências, o que aumenta ainda mais a degradação do local. Veja o vídeo abaixo.

Em outubro, o mesmo lugar foi mostrado em outra publicação do Flagrante Cotidiano. Na ocasião, a queixa de um leitor era sobre esgoto a céu aberto.

Veja o Vídeo:

Por: Folha de Pernambuco – Cotidiano


Banco Mundial diz que Brasil tem espaço para aumentar tributação sobre renda

Segundo a instituição, existem programas governamentais que beneficiam mais os ricos do que os pobres e não atingem objetivos de maneira eficaz

Banco Mundial divulgou relatório em que falava sobre questões econômcias do Brasil nesta terça-feira (21)

O Banco Mundial concluiu, em um relatório divulgado nesta terça-feira (21), que há espaço para aumentar a tributação de grupos de alta renda no Brasil. O organismo ressalta que é possível instituir, por exemplo, impostos sobre a renda, patrimônio ou ganhos de capital e reduzir a dependência dos tributos indiretos, que sobrecarregam os mais pobres.

De acordo com o Banco Mundial , “alguns programas governamentais beneficiam os ricos mais do que os pobres, além de não atingir de forma eficaz seus objetivos”. Por esse motivo, destaca que “seria possível economizar parte do orçamento sem prejudicar o acesso e a qualidade dos serviços públicos, beneficiando os estratos mais pobres da população.”

Ainda segundo o que foi informado no relatório, as políticas de apoio às empresas cresceram rapidamente, atingindo 4,5% do Produto Interno Bruto ( PIB ) brasileiro em 2015. “Porém, não há evidências de que os programas existentes tenham sido eficazes e eficientes em seu objetivo de impulsionar a produtividade e a geração sustentável de empregos. Pelo contrário, tais programas provavelmente tiveram consequências negativas para a concorrência e a produtividade no Brasil”, ressalta o documento.

Por outro lado, de acordo com a avaliação do banco, muitos programas sociais com funções semelhantes são implementados isoladamente, o que resulta em milhões de famílias aptas a receberem múltiplos benefícios.

Para técnicos do organismo, a criação de um novo programa integrado de assistência social – com a fusão de benefícios como Bolsa Família, aposentadoria rural e Benefício de Prestação Continuada (BPC) – contribuiria para economizar no orçamento.

Apesar da sugestão, o Banco Mundial diz que o aumento da tributação de grupos de alta renda, embora possa ser considerado um passo importante, ainda não seria suficiente para combater o aumento dos gastos públicos no País. Segundo o relatório, nos últimos anos o impacto do aumento constante de gastos foi agravado pela queda das receitas, resultante de uma profunda recessão e pelo crescimento dos gastos tributários.

*Com informações da Agência Brasil
Brasil Econômico


‘Temos juízes com férias de 60 dias e outros que não trabalham às segundas e às sextas’, diz presidente da OAB-SP


“Temos um Estado que não tem sido capaz de atender o clamor da sociedade [por Justiça] (…) e joga para os ombros do cidadão e a responsabilidade pela impunidade” | Foto: Divulgação

No ano em que a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de São Paulo completa 85 anos, o presidente da entidade, Marcos da Costa, afirma que o direito de defesa do cidadão nunca esteve tão ameaçado no Brasil desde o fim da ditadura. Além disso, diz que entre os principais motivos para a morosidade da Justiça estão problemas de gestão e mazelas do próprio Judiciário, como excesso de folgas dos magistrados.

Costa concedeu entrevista à BBC Brasil em seu escritório uma semana antes de abrir a 23ª Conferência Nacional da Advocacia Brasileira, que ocorrerá entre 27 e 30 de novembro, cujo tema será a defesa de direitos fundamentais como um dos pilares da democracia.

Na conversa, ele fala sobre delação premiada, candidatura política de membros do Judiciário e se opõe ao foro privilegiado de políticos – tema que será analisado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) nesta semana. Também critica os altos pagamentos a juízes e servidores e a decisão do Supremo que permitiu a prisão após condenação em segunda instância.

Diz ainda que a maioria dos que apoiam o pacote de propostas legislativas do Ministério Público conhecido como Dez Medidas Contra a Corrupção não leram os pontos – como a aceitação de provas ilícitas se quem as produziu estiver de boa-fé e o fim da prescrição enquanto se aguarda julgamento.

Também comenta a atuação da OAB em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff – a Ordem apoiou a abertura do processo, posição defendida pelas bancadas de 26 Estados no conselho, incluindo a de São Paulo.

Confira a seguir os principais trechos da entrevista.

BBC Brasil – Como a operação Lava Jato tem afetado o trabalho da advocacia?

Marcos da Costa – Não sei se a Lava Jato… Tivemos momentos anteriores, por exemplo, no Mensalão, em que o Estado cumpriu seu papel de investigar e identificar o cometimento de crime.

A advocacia cumpriu seu papel de defender quem é inocente e garantir que os culpados tenham a condenação adequada de acordo com a lei – com o direito de defesa assegurado, com o contraditório, porque só assim se faz justiça.

BBC Brasil – Você vê casos de advogados grampeados, busca e apreensão em escritórios…

Costa – Nesse caso, são autoridades que, procurando exercer seu papel, ferem garantias constitucionais. Quando isso acontece, num primeiro momento você pode até ter uma satisfação dada à população no que diz respeito ao clamor por Justiça. Mas uma análise melhor por parte do próprio Judiciário muitas vezes leva à anulação, o que gera um clamor ainda maior das pessoas, uma frustração.

O processo existe para que se encontre culpados e se absolva inocentes, sempre dentro da legalidade.

BBC Brasil – A delação premiada tem sido mais usada.

Costa – É um instrumento importante que tem servido inegavelmente para combater o crime de corrupção, que é difícil de identificar. Mas ela precisa ser ponderada.

Se a delação apresenta informações, elas precisam ser comprovadas. O que não pode é a delação por si própria ser considerada uma prova ou transmitida pela sociedade como condenação.

BBC Brasil – Há abusos?

Costa – Toda vez que a delação ou outro instrumento é utilizado sem as cautelas necessárias para que todos os envolvidos tenham assegurado o direito de defesa, vai haver um desvio de finalidade.


“Falta uma visão interna onde a Justiça discuta suas próprias mazelas, sua própria estrutura”, afirma Marcos da Costa

BBC Brasil – Estamos mais sujeitos hoje ao ataque do direito de defesa do que em outros momentos da história no país?

Costa – Dentro do período democrático, não tenho dúvidas. Temos um Estado que não tem sido capaz de atender o clamor da sociedade (por Justiça). E, em vez de combater suas próprias mazelas, de rever a si próprio e identificar por que não tem cumprido sua missão social, ele joga para os ombros do cidadão e a responsabilidade pela impunidade ou pela morosidade (da Justiça) e mitiga direitos.

Aí vêm ataques contra o direito constitucional da ampla defesa, ataques a recursos, ataque ao princípio de acolhimento só de provas obtidas por meio lícito. A gente vê casos de condução coercitiva decretados fora do previsto em lei. Isso gera impossibilidade da pessoa se encontrar com o advogado para conhecer quais são seus direitos.

BBC Brasil – A Justiça é ineficiente, demorada?

Costa – Não era, passou a ser. Quando me formei, há 30 anos, tínhamos o final do processo num tempo muito menor do que é hoje. A Constituição de 1988 ampliou e reforçou direitos, portanto reforçando a cidadania, visou garantir o acesso de todos à Justiça. Mas o Estado em si não se estruturou para dar conta desse processo.

Ele não investe na Justiça como deveria. A participação da Justiça no orçamento dos Estados ou da União poderia chegar à 6%, teve ano que chegou a 5,6%. Hoje está girando em torno de 4%.

E temos um problema de estrutura do Judiciário, de gestão interna. Temos juízes com férias de 60 dias, temos juízes que não trabalham de segunda e não trabalham de sexta, temos desembargadores que não vão todos os dia ao Tribunal de Justiça.

E temos recesso forense em janeiro e julho nos tribunais superiores. Agora mesmo, um feriado que era de sábado (o Dia do Servidor Público, em 28/10) foi antecipado (pelo STF) para para sexta feira (3/11), para permitir que as pessoas pudessem emendar. Ou, quando teve Sexta-feira Santa, a Justiça Federal fechou na quarta.

Você vê magistrados dando aula durante o expediente. Essa é uma situação que o CNJ deveria enfrentar. Que dê aula à noite, aos fins de semana, em horários que não vão coincidir com o expediente. É a falta de uma visão interna onde a Justiça discuta suas próprias mazelas, sua própria estrutura.

E tem o fato de que esse Estado que não investe é o maior demandante da Justiça. Temos algo como 100 milhões de processos. Desses, 50 milhões são executivos fiscais. Dos dez maiores demandantes da Justiça do Trabalho – que é uma Justiça de caráter mais privado -, oito são entidades do Estado. Ele concorre com o cidadão na demanda por Justiça.

BBC Brasil – Como falar de falta de investimento na Justiça quando a gente vê altos pagamentos para magistrados, casos de juízes que têm recebimentos muito acima do teto?

Costa – Isso é outra coisa. A Ordem faz uma denúncia em relação aos acréscimos que são pagos. Eles são decididos em processos administrativos internos, onde não há o contraponto de uma outra parte permitindo que se avalie se esse pagamento é devido.

Os salários são adequados aos limites estabelecidos pela Constituição. O problema são os acréscimos. Por exemplo, o auxílio-moradia (que estava previsto em lei federal apenas para membros do Ministério Público Federal e acabou sendo estendido à magistratura). Qualquer despesa nova precisa definir a fonte de custeio e precisa ser por lei, no Congresso Nacional ou nas Assembleias Legislativas, onde é possível a sociedade se manifestar a favor ou contra.

Tivemos nessa semana uma notícia que foi autorizado no Rio o chamado auxílio-peru (pagamento de R$ 2 mil como abono de Natal) para servidores do Poder Judiciário. O Rio de Janeiro não consegue nem pagar o 13º (de servidores públicos) de 2016… E o Judiciário se autopromove esse pagamento? São disparates que não podemos mais aceitar.


Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo, Marcos da Costa foi reeleito em 2015 para ficar no cargo até 2018 | Foto: Divulgação

BBC Brasil – A corrupção também atinge o Judiciário?

Costa – Não acredito que haja um grau de corrupção dentro do Judiciário que justifique dizer que ele está comprometido. Existem casos, que são analisados. O que penso é que processo criminal contra magistrado e promotor deveria ter prioridade no julgamento, a bem da imagem da Justiça. Porque um magistrado que pratica ato de corrupção é afastado com proventos integrais. Continua recebendo até o processo transitar em julgado (quando não cabe mais recurso).

BBC Brasil – O excesso de recursos e instâncias não é também responsável pela morosidade da Justiça? A gente vê muitos processos sobre assuntos ordinários chegando ao STF.

Costa – São duas coisas diferentes. Uma coisa é discutir a competência do STF, do STJ. Outra coisa é: uma vez que a lei assegura o direito de defesa, ver mitigar esse direito. Então se há um excesso de competência do Supremo, do ministro julgar 11 mil processos por ano, então num ambiente adequado, que é no Congresso Nacional, que se discuta essa competência.

BBC Brasil – Existe esse excesso de competência?

Costa – Toda discussão é válida. O que eu insisto: o Supremo tem recesso em janeiro, tem recesso em julho, tem emenda de feriado… E aí atribuir ao cidadão a culpa da morosidade e mitigar uma cláusula pétrea da Constituição que é a presunção de inocência, não é possível de admitir. Não está dentro da regra do Estado democrático.

E se o Supremo afastou essa cláusula ao permitir prender após condenação em segunda instância, corre o risco de querer afastar outra. É um risco quando o Judiciário passa a ser ativista e deixa os limites do julgamento isento.

O cidadão que é condenado em definitivo tem a pena definida com base na lei. Mas o sujeito que é preso antes do trânsito em julgado vai ficar quanto tempo preso até o Supremo julgar o processo dele? O tempo pode ultrapassar a pena máxima do crime atribuído a ele e do qual ele pode não ser culpado. Outro ponto: um sujeito condenado tem o direito à progressão de regime. E a pessoa presa sem trânsito em julgado não.

BBC Brasil – Em que ponto a OAB concorda com o discurso anticorrupção do Ministério Público e onde diverge?

Costa – Nós temos o mesmo ideário. Ninguém quer ver um país onde dinheiro que deveria ser destinado à educação, à saúde, à segurança é desviado para bolsos particulares num conluio entre público e privado inaceitável. A Ordem tem uma série de propostas. A de criminalização do caixa dois não é do Ministério Público, é da OAB. No caso da Lei da Ficha limpa, colhemos assinaturas para dar suporte. A proposta de regulação do lobby também é nossa.

Nos afastamos de uma parcela do Ministério Público quando propostas ultrapassam os limites do Estado Democrático de Direito. Como a de aproveitamento de prova obtida por meio ilícito (uma das 10 Medidas Contra a Corrupção) se o agente estiver de boa-fé. Não existe boa-fé para um agente do Estado! O conceito de boa fé é do direito privado. Ele é um pressuposto, então é a má-fé que deve ser provada. Ou seja, além de tudo, nessa proposta você que teria que provar a má-fé dos agentes. É um disparate.

(Outro exemplo é) a suspensão da prescrição enquanto aguarda o julgamento de recurso. O Estado tem o direito de investigar, de denunciar e de julgar, mas o cidadão tem o direito de que isso seja feito num tempo razoável. Ele não pode ficar parado esperando o julgamento. E o processo penal não é só contra o criminoso. Inocente responde processo penal também.

BBC Brasil – Se há tantos problemas com as Dez Medidas, por que elas têm tanto apoio?

Costa – Porque acho que desconhecem (o conteúdo). A começar pela expressão midiática das Dez Medidas. Não são Dez Medidas. São algo em torno de cem. Elas são apresentadas à sociedade como medidas necessárias para o combate à corrupção. Ninguém vai ser contra combater a corrupção. Mas quanto, da sociedade, leram?

Para qualquer crime que se queira combater, há limites definidos na lei. Se não houver observação das garantias fundamentais, do devido processo legal, não teremos Justiça, teremos “justiçaria”.


Presidente da OAB-SP diz ser contrário ao foro privilegiado – inclusive para ministros, como Eliseu Padilha e Moreira Franco

BBC Brasil – Como regularizar o lobby ajuda a combater a corrupção?

Costa – O Congresso é o palco de discussão dos grandes temas. Você ter uma posição e defendê-la junto aos congressistas é absolutamente normal e importante. O que não é admissível é que essa apresentação dos interesses seja feita de forma não republicana, como através de compra de deputados. É preciso regular essa atividade, que é lícita, dando mais transparência, impedindo entrega de presentes e chantagens.

BBC Brasil – E o fim do foro privilegiado?

Costa – Só teremos um país efetivamente republicano quando não houver nenhuma hipótese do cargo trazer benefício que leve alguém a se autodispensar o cumprimento de uma lei. E o foro privilegiado acaba servindo para isso, para pessoas se protegerem contra o sistema de Justiça.

Algumas constituições estaduais preveem foro privilegiado para todos os vereadores de todos os municípios, para delegados. No fundo, quase todos os agentes acabam tendo algum tipo de benefício. Hoje sou completamente a favor do fim do foro privilegiado, salvo raríssimas exceções.

BBC Brasil – Ministros?

Costa – Não, eles têm que ser julgados pela justiça comum.

BBC Brasil – Não é perigoso um ministro estar sujeito a um juiz de primeira instância?

Aí temos que confiar no sistema de Justiça. Temos que ter recursos… O que às vezes é tão combatido, serve para isso. Se houver decisão política, o sistema vai ter em si mesmo meios para combater.

BBC Brasil – Não existem vantagens?

Costa – Existiam lá atrás, de proteção à função. Na essência ele visava proteger o congressista dos abusos. Era algo que vinha dos receios de quem tinha saído de uma ditadura de 20 anos. Mas já estamos há 30 anos da Constituição de 1988. Aquele momento já passou.

BBC Brasil – Como o sr. vê essa divisão no Supremo, esses embates como o que houve recentemente entre os ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso?

Costa – O embate é próprio do órgão colegiado. Mas tem que ser sempre em cima de ideias e de tese. Sempre com respeitos aos colegas. Quando os limites são ultrapassados, o Judiciário vai sendo enfraquecido.

BBC Brasil – Como chegamos a esse ponto?

Costa – A sociedade está muito assim. Os espaços públicos não são afastados da sociedade como um todo. Quem está num cargo público não deve se deixar contaminar por esse ambiente de intolerância.

BBC Brasil – A OAB tem um histórico muito importante de defesa da democracia. Mas também tem momentos que hoje são vistos como erros, como textos publicados à época de apoio ao Golpe Militar de 1964. Hoje, nesse momento de crise política, a Ordem cumpre seu papel?

Costa – Quando você está vivenciando um momento histórico, faz o que acredita ser o mais correto. Se é ou não, é o futuro que vai julgar. É difícil avaliar enquanto está vivendo.

Busquei os registros da Ordem de São Paulo naquele momento. Em uma reunião extraordinária um dia após o anúncio de que o governo militar estava se afastando do que tinha prometido, você vê um movimento no sentido de exigir a manutenção das prerrogativas profissionais, que são o instrumento de defesa dos direitos do cidadão. Para mim isso é uma indicação de que aqui em São Paulo o ambiente não foi a favor.

E hoje a Ordem está fazendo muito. O eixo da Conferência Nacional da Advocacia Brasileira é justamente a garantia de direitos fundamentais. No dia 9 de dezembro, Dia Internacional de Combate à Corrupção, vamos promover um evento na Catedral da Sé com muitas entidades para chamar a sociedade para assumir sua responsabilidade.

É ela que vai enfrentar esse problema. Nas relações pessoais, sociais e econômicas e na eleição do ano que vem, escolhendo candidatos comprometidos com a ética.

BBC Brasil – Foi um acerto ou um erro a posição da OAB em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff?

Costa – A ordem fez isso de forma técnica, não de forma política. A Ordem é apartidária. Tem profissionais que analisaram o tema do ponto de vista técnico e entenderam que houve a violação de regras que justificavam investigação. E a investigação, no caso de crime de responsabilidade, se dá pelo Congresso.

BBC Brasil – Mas mesmo uma posição técnica, não dá para avaliar se foi um acerto ou um erro?

Costa – Daquilo que foi estudado, dentro do debate que foi feito, se extraiu uma posição técnica de que havia elementos para investigação de eventual crime de responsabilidade. A Ordem não trata dessa questão do ponto de vista político. Consequência política não é problema da Ordem. Consequência política é para ser enfrentada pela classe política.

Tanto que, no crime comum, o julgamento é técnico. No crime de responsabilidade, o julgamento bate numa questão técnica, mas tem um fundamento político. Tanto que a Constituição indica a Câmara para apreciar e o Senado para julgar. (Sobre) o parâmetro técnico, a Ordem se manifestou. O parâmetro político, aí foi o Congresso que decidiu.


Plano Sempre alcança 1 milhão de vidas protegidas

Empresa atende em mais de 295 cidades de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba

Líder em assistência funeral e proteção familiar no Nordeste, o Plano Sempre (www.planosempre.com.br) atingiu a marca histórica de 1 milhão de vidas protegidas nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. Somente no Recife e Grande Recife, são quase 249 mil pessoas beneficiadas pela empresa, administrada pelo Grupo Vila, empreendimento com 69 anos de atividade no setor funerário nordestino. “O Plano Sempre é um produto que traz em seu DNA um acolhimento e um viés de comodidade, tranquilidade e segurança para as famílias”, afirma o diretor comercial do Grupo Vila, Wesley Soares.

Entre os benefícios abrangidos pelo plano estão o total auxílio na resolução das questões envolvendo o momento da morte de um ente querido. “Basta uma ligação para nosso call center e nossos profissionais resolvem tudo. Somos preparados para dar total tranquilidade e comodidade para o cliente, permitindo que ele possa focar suas energias apenas em se despedir e homenagear seu ente querido”, explica Wesley. O plano está presente em mais de 295 cidades e é formado por 900 profissionais.

O diretor comercial do Grupo Vila ressalta ainda a questão financeira envolvida no processo. “Um funeral, por mais simples que seja, custa em torno de R$ 3,5 mil a R$ 4 mil. Imagine esse valor para um público que, muitas vezes, não tem nem um salário mínimo como renda familiar e precisa se preparar para algo para o qual não existe preparo, que pega as pessoas de surpresa”, avalia. Quanto a isso, o Sempre oferece três modalidades de contratação. Da mais simples (Sempre Pleno) à mais sofisticada (Sempre Melhor), que possuem parcelas mensais que variam de R$ 25 a R$ 45.

E mesmo quem tem um poder aquisitivo maior pode se beneficiar ao adquirir um plano, uma vez que pode realizar outros serviços que encareceriam o funeral sem ter que se preocupar com os custos a mais. “O melhor é se programar para prevenir essas dores de cabeça”, finaliza o diretor comercial do Grupo Vila, Wesley Soares.


Projeto que trata crianças com microcefalia em Pernambuco está com inscrições abertas

Quero Bem oferece tratamentos de fisioterapia e nutrição para as crianças e atendimento psicológico e jurídico para as famílias

O aumento no número de casos de bebês nascidos com microcefalia, cuja causa é atribuída ao surto do Zika Vírus em 2015, tornou-se um grave problema de saúde pública. Em função desta realidade surgiu o Quero Bem, projeto vencedor do Here for Good, prêmio concedido pela rede internacional de universidades Laureate para ações que mais se destacam a cada ano por seu impacto social positivo. A iniciativa está com inscrições abertas para receber novas crianças e famílias.

O Quero Bem foi criado em Pernambuco, no âmbito da FG Comunidade, clínica escola da UniFG, pelas professoras Fátima Casa Nova e Alessandra Bahia. Além de oferecer tratamentos nas áreas de fisioterapia, nutrição e psicologia para as crianças, a ação ainda acolhe e presta atendimento psicológico e jurídico às famílias. O projeto não possui limite de idade, restrições geográficas ou de renda. As crianças recebem dois atendimentos semanais com duração de uma hora cada nas áreas de fisioterapia e nutrição. Todos os atendimentos são feitos pelos professores e alunos que atuam na clínica escola.

O projeto já acompanhou cerca de 50 famílias em pouco mais de dois anos. Em grupo, as mães também são atendidas pela equipe de psicólogos. Elas se reúnem e dividem dores e medos, assim como as experiências e as vitórias vivenciadas nesta fase. O Quero Bem também oferece assessoria jurídica às mães e há inda uma parceria com a OAB de Jaboatão que viabiliza benefícios junto ao INSS.

A clínica segue com as portas abertas para toda população pernambucana que necessite do atendimento. Atualmente, 12 famílias são atendidas, mas existe espaço para beneficiar mais pessoas. Para participar, basta ir até a FG Comunidade, localizada na avenida Ayrton Senna da Silva, no bairro de Piedade, em Jaboatão do Guararapes, e realizar uma triagem. Logo após essa etapa, os candidatos fazem uma entrevista clínica com profissionais da Psicologia, Fisioterapia e Nutrição.

“Muitos desses bebês chegaram com rigidez muscular, ausência de expressão e de linguagem. Hoje vemos que eles desenvolveram sua motricidade, diminuindo a rigidez muscular e passaram a apresentar uma linguagem própria e um rosto cheio de expressão. Queremos prestar atendimento a mais crianças”, afirma Fátima Casa Nova.

Serviço:
Endereço: Av. Ayrton Senna da Silva – Piedade, Jaboatão dos Guararapes
Telefone: (81) 3461-5571


Varejo e Franquias são temas de evento durante os dias 29 e 30 no Recife

Durante os dias 29 e 30 de novembro, o Recife Mar Hotel será palco do 2º Congresso de Tecnologia Para o Varejo – Tendências e Insights para o futuro. O evento, realizado pela Fecomércio-PE e Sebrae em Pernambuco, em parceria com o Senac e apoio da Associação Brasileira de Franchising (ABF), será dividido em duas etapas, reservando a quarta-feira (29) para o Encontro com Franquias e a quinta-feira (30) para uma programação voltada para o varejo. O evento é destinado a empresários e potenciais empreendedores.

Os ingressos podem ser adquiridos através do link http://loja.pe.sebrae.com.br/loja/, pelo valor de R$30,00 o primeiro dia, R$60,00 o segundo dia e o combo por R$ 70,00 pelo link http://loja.pe.sebrae.com.br/combos/combo/5

“O Congresso pretende despertar no empreendedor a necessidade de inovar para o varejo, trazendo inspiração e disseminação de práticas de gestão além de trazer oportunidades de negócios no segmento de franchising com números e os principais modelos desta atividade”, explica a diretora executiva do Instituto Fecomércio, Brena Castelo Branco.

Com uma programação intercalando palestras de inspiração, com abordagens mais específicas sobre as temáticas, o 2º Congresso de Tecnologia para o varejo irá reunir especialistas em assuntos que estejam impactando o varejo, como o mercado de franquias – que vem se mostrando como boa alternativa para novos entrantes -, gestão de pessoas, os desafios dos shoppings, comércio eletrônico e economia.

Além disso, temas de inspiração para o empreendedor que já está na ativa ou que pretendem entrar para o mercado, também serão abordados. “Todas as atividades e palestras do evento visam apresentar tendências para o empreendedor que pretende se manter no mercado e para as pessoas que desejam desbravar o ramo”, afirma Henrique Vieitez, analista do Sebrae em Pernambuco.

De acordo com Vieitez, toda a programação foi elaborada para prover do conhecimento básico ao mais técnico e avançado ao empresariado, a partir do compartilhamento de modelos de negócios, experiências, macetes e dicas da área.

“O primeiro dia será voltado ao franchising e contaremos com um pitch de franquias, com apresentação das marcas pernambucanas para investidores. Cristiana Arcangeli, conselheira do programa O Aprendiz, apresentadora do programa Shark Tank e investidora serial, será uma das palestrantes presentes e dará dicas de como avaliar as oportunidades de negócios.

Já no segundo dia, ele será focado no varejo como um todo, tendo como um dos destaques Robinson Shiba, fundador do China In Box, com uma palestra inspiradora logo na abertura. O dia abordará temas importantes com outros grandes nomes também como Fred Rocha, Luiz Marinho e Luis Gustavo Medina (CBN)”, esclarece Brena.

Serviço:
2º Congresso de Tecnologia Para o Varejo – Encontro com Franquias
29 de novembro de 2017 – 17h às 22h
Mar Hotel Conventions
Rua Barão de Souza Leão, 451 – Boa Viagem, Recife/PE
Investimento: R$ 30,00
Ingresso com desconto para participantes do Congresso de Tecnologia para o Varejo
Inscrições: loja.pe.sebrae.com.br
Informações : 0800 570 0800

2º Congresso de Tecnologia Para o Varejo – Tendências e Insights para o futuro
30 de novembro de 2017 – 8h30 às 17h
Mar Hotel Conventions
Rua Barão de Souza Leão, 451 – Boa Viagem, Recife/PE
Investimento: R$ 60,00
Ingresso com desconto para participantes do Encontro com Franquias
Inscrições: loja.pe.sebrae.com.br
Informações: 0800 570 0800

Programação: Dia 29
17h | Credenciamento
17h30 | Abertura oficial
18h | Números do Franchising e Perspectivas para Pernambuco
Palestrante: Leonardo Lamartine – diretor ABF fundador do Grupo Bonaparte
18h30 | Escolhendo uma marca e empreendendo no Franchising
Palestrante: Alexandre Alves – gerente da Unidade Gestão Estratégica no Sebrae/PE
19h | Conhecendo as Marcas: Pitch de Franquias
19h30 | Intervalo
20h | Conhecendo as Marcas: Pitch de Franquias
20h30 | Invista Certo: Como avaliar as oportunidades de negócios
Palestrante: Cristiana Arcangeli – conselheira do programa O Aprendiz, apresentadora do programa Shark Tank e investidora serial
21h30 | Painel Fazendo a Diferença
Moderador: Alexandre Alves – Sebrae/PE
Convidados: Cristiana Arcangeli
Hellen Postai – Prata Rara
Carlos Gomes – Grau Técnico
22h | Encerramento

Programação: Dia 30
8h30 | Credenciamento
9h | Abertura oficial – Josias Albuquerque, presidente do Sistema Fecomércio
9h20 às 10h20 | Palestra – Acredite em Você sempre
Robinson Shiba, fundador do China in Box e participante do programa Shark Tank
10h20 às 11h20 | Palestra Tendências e Insights para o Varejo
Fred Rocha, especialista em varejo e consumo
11h20 | Mesa Redonda – Gestão de Pessoas em tempos de mudanças no varejo
Moderadora: Eliana Pita, Gerente Geral de RH da Le Petiche
Convidados: Ana Dias, Diretora técnica do Sebrae/PE
Edna Moura, Atalaia, receptivo de Fernando de Noronha
12h30 | Intervalo
14h | Palestra – Tendências dos negócios em Shopping
Luiz Alberto Marinho, consultor e publicitário, especialista em comportamento do consumidor
15h | Mesa Redonda – Comércio eletrônico e o papel do comércio tradicional
Moderador: Alfredo Soares, Fundador e atual CEO da Xtech Commerce
Convidados: Aldo Pacheco, CEO da Venda e Cia
Carlos Lucena, Móveis Pernambuco
16h | Palestra Cenário Econômico
Onde o Brasil está e para onde estamos indo
Luiz Gustavo Medina, Teco da CBN
17h | Encerramento